Você está na página 1de 16

PREPARO DE

ESFREGAÇO SANGUÍNEO
Karla Batista
ESFREGAÇO SANGUÍNEO

O esfregaço de sangue, também conhecido como distensão


sanguínea ou ainda extensão sanguínea, é um teste realizado em
hematologia para a contagem e a identificação de
anormalidades nas células do sangue. O teste consiste na
extensão de uma fina camada de sangue sobre uma lâmina de
microscopia que, após corada, é analisada em microscópio.
ESFREGAÇO SANGUÍNEO
ESFREGAÇO SANGUÍNEO
ESFREGAÇO SANGUÍNEO
ESFREGAÇO SANGUÍNEO
ESFREGAÇO SANGUÍNEO
ESFREGAÇO SANGUÍNEO
COLORAÇÃO DO
ESFREGAÇO SANGUÍNEO
• Princípio da técnica:

Os corantes em condições apropriadas atuam corando os componentes


nucleares e citoplasmáticos dos leucócitos.

- Azul de metileno = corante básico, reage com os componentes ácidos


das células. ( Ex: ácidos nucléicos) – cora de tons de azul.

- Eosina = corante ácido, reage com componentes básicos das células.


(Ex: citoplasma) – cora em tons de vermelho.
COLORAÇÃO DO
ESFREGAÇO SANGUÍNEO
Princípio da técnica:

Corante básico → cora estruturas ácidas, chamadas basófilas

Corante ácido → cora estruturas básicas, chamadas


acidófilas/eosinófilas

May-Grunwald – Mistura de eosina e azul de metileno não oxidado.


Giemsa – Combinação de azur1, azul de metileno e eosina amarelada.
Leishman e Wright- eosina amarelada e produtos de oxidação do azul de
metileno.
COLORAÇÃO DO
ESFREGAÇO SANGUÍNEO
• A técnica pode variar, mas o resultado esperado é praticamente o mesmo
para todos:

Plaquetas, linfócito e hemácias


COLORAÇÃO DO
ESFREGAÇO SANGUÍNEO

monócito Neutrófilo segmentado


COLORAÇÃO DO
ESFREGAÇO SANGUÍNEO

eosinófilos
basófilo
COLORAÇÃO DE ESFREGAÇO
SANGUÍNEO
COLORAÇÃO COM AZUL DE METILENO E EOSINA

Após secagem do esfregaço:


- Adicionar 3 gotas de metanol para fixar a amostra.
- Escorrer todo metanol e aguardar a lâmina secar, cerca de 20 seg.
- Adicinar 3 gotas do corante azul de metileno, esperar de 30 a 40 seg.
- Escorrer o azul de metileno.
- Adicionar 3 gotas de eosina, aguardar 1 minuto
- Escorrer o excesso
- Enxaguar em filete de água e esperar secar
Observar em microscópio ótico, começando pela objetiva de 10x, em seguida a de
40x e finalmente a de 100x (com óleo de imersão)
DETERMINAÇÃO DE VIABILIDADE
CELULAR
Não existe um método absoluto para determinação da viabilidade
celular de uma população de células de levedura. Para estimar a
proporção de células viáveis em uma cultura ou processo
fermentativo, métodos baseados no plaqueamento ou na observação
microscópica têm sido usados. Entretanto, até o momento não existe
um método que forneça resultados totalmente seguros na
determinação da viabilidade celular.