Você está na página 1de 24

ECONOMIA – Micro e Macro

Fundamentos de Microeconomia
coeteris Paribus

Expressão latina traduzida como “ outras coisas


sendo iguais ”, é usada para lembrar que todas as
variáveis, que não aquela que está sendo estudada,
são mantidas constantes.

- “tudo o mais constante”.

1
ECONOMIA – Micro e Macro

Fundamentos de Microeconomia
coeteris Paribus

Analisar um mercado Supor todos os demais


isoladamente mercados constantes
- O mercado em estudo não afeta e não é afetado pelos
demais.
Verifica o efeito de variáveis isoladas, independentemente dos
efeitos de outras variáveis.

Ex.:  Preço sobre a procura de determinado bem


Independente
Outras variáveis: renda do consumidor, gostos, preferências, etc.
2
ECONOMIA – Micro e Macro
Análise da Demanda de Mercado

Demanda (ou procura) é a quantidade de determinado


bem ou serviço que os consumidores desejam adquirir,
num dado período.
A Demanda não representa a compra efetiva, mas a
intenção de comprar, a dados preços.

A escala de demanda indica quanto (quantidade) o


consumidor pode adquirir, dadas várias alternativas de
preços de um bem ou serviço.
3
ECONOMIA – Micro e Macro
Análise da Demanda de Mercado

Variáveis que afetam a Demanda:


• Riqueza (e sua distribuição)
• Renda (e sua distribuição)
• Preço do bem
• Preço dos outros bens
• Fatores climáticos e sazonais
• Propaganda
• Hábitos, gostos, preferências dos consumidores
• Expectativas sobre o futuro
• Facilidades de crédito (disponibilidade, tx. juros, prazos)
4
ECONOMIA – Micro e Macro
Análise da Demanda de Mercado

Variáveis que afetam a Demanda


qdi = f( pi , ps , pc , R, G): Função Geral da Demanda
qdi = quantidade procurada (demandada) do bem i
pi = preço do bem i
ps = preço dos bens substitutos ou concorrentes
pc = preço dos bens complementares
R = renda do consumidor
G = gostos, hábitos e preferências do consumidor

Obs.: Para estudar o efeito de cada uma das variáveis, deve-se recorrer à
hipótese coeteris paribus.
5
ECONOMIA – Micro e Macro
Análise da Demanda de Mercado

Relação entre a demanda de um bem e renda do


consumidor (R)

qdi = f( R ) Supondo pi , ps , pc e G constantes


Em relação à renda dos consumidores, há três situações
distintas:
q di Bem Normal: tudo o mais constante, um
>0 aumento na renda provoca um aumento
R
na quantidade demandada do bem.
6
ECONOMIA – Micro e Macro
Análise da Demanda de Mercado

Bem Inferior: tudo o mais constante, um


qd i
< 0 aumento na renda provoca uma diminuição
R na quantidade demandada do bem.
Ex.: Passagem de ônibus, carne de segunda.

Bem de consumo saciado: se aumentar a


q di renda do consumidor, não aumentará a
= 0 demanda do bem.
R
Ex: demanda de alimentos básicos, como o
açúcar, sal, arroz. 7
ECONOMIA – Micro e Macro
Análise da Demanda de Mercado

Relação entre a demanda de um bem e renda do


consumidor (R)

Essa classificação depende da classe de renda dos


consumidores.

Para consumidores de baixa renda não existem muitos


bens inferiores. Com a renda mais elevada, maior nº de
produtos passa a ser classificado como bem inferior.

8
ECONOMIA – Micro e Macro
Análise da Demanda de Mercado

Relação entre a demanda de um bem e renda do


consumidor (R)
Preço da carne
Bem normal de 1ª (R$)
(Supondo um aumento
na renda do consumidor)

D1
D0
Qtd. de carne de 1ª
9
ECONOMIA – Micro e Macro
Análise da Demanda de Mercado

Relação entre a demanda de um bem e renda do


consumidor (R)
Preço da carne
Bem inferior de 2ª (R$)
(Supondo um aumento
na renda do consumidor)

D0
D1
Qtd. de carne de 2ª
10
ECONOMIA – Micro e Macro
Análise da Demanda de Mercado

Relação entre a demanda de um bem e renda do


consumidor (R)

Bem saciado Preço do arroz (R$)


(Supondo um aumento na
renda do consumidor)

Qtd. de arroz
11
ECONOMIA – Micro e Macro
Análise da Demanda de Mercado

Relação entre a demanda de um bem e hábitos dos


consumidores (G).

qdi = f(G ) Supondo pi , ps , pc e R constantes

Hábitos, preferências ou gostos (G) podem ser alterados,


“manipulados” por propaganda e campanhas promocionais,
incentivando ou reduzindo o consumo de bens.

12
ECONOMIA – Micro e Macro

Elasticidades

Conceito:

É a alteração percentual em uma variável, dada uma


variação percentual em outra, coeteris paribus.

Sinônimo de sensibilidade , resposta, reação de uma


variável, em face de mudanças em outras variáveis.

13
ECONOMIA – Micro e Macro

Elasticidades
Exemplos na Microeconomia
Elasticidade-preço da demanda : variação percentual na quantidade
demandada, dada a variação percentual no preço do bem, coeteris paribus.

Elasticidade-renda da demanda : variação percentual na quantidade


demandada, dada uma variação percentual na renda, coeteris paribus.

Elasticidade-preço cruzada da demanda: variação percentual na quantidade


demandada, dada a variação percentual no preço de outro bem, coeteris
paribus.

Elasticidade-preço da oferta: variação percentual na quantidade ofertada,


dada uma variação percentual no preço do bem, coeteris paribus.
14
ECONOMIA – Micro e Macro

Elasticidades
Elasticidade-preço da demanda:
É uma variação percentual na quantidade demandada, dada uma
variação percentual no preço do bem, coeteris paribus. Mede a
sensibilidade, a resposta dos consumidores, quando ocorre uma
variação no preço de um bem ou serviço.
A Elasticidade-preço da demanda é sempre negativa. Seu valor é
expresso em módulo (por exemplo, |Epd | = 1,5 que equivale a Epd =
-1,5 ).
q1  q0 qi d

%qid qo qid pi qid


E pd     d
% pi p1  p0 pi qi p
p0 pi 15
ECONOMIA – Micro e Macro

Elasticidades
Elasticidade-preço da demanda

Exemplo: Calcule a Elasticidade- Preço do


preço da demanda em um ponto Bem (R$)
específico.
D
P0 = preço inicial = R$ 20,00 30
p0
P1 = preço final = R$ 16,00 20 p1
Q0 = quantidade demandada,
ao preço p0 = 30
16
Q1 = quantidade demandada, 8
ao preço p1 = 39
0 15 30 39 50
Quantidade demandada
16
ECONOMIA – Micro e Macro

Elasticidades
Elasticidade-preço da demanda

p p1  p0 16  20
   0, 2  20%
Solução: p p0 20
Variação
q q1  q0 39  30
   0,3  30%
Percentual (%)

q q0 30
0,3
E pd   1,5  E pd  1,5
0, 2
Interpretação: para uma queda de 20% no preço,a quantidade
demandada aumenta em 1,5 vezes os 20%, ou seja, 30%, coeteris
paribus. 17
ECONOMIA – Micro e Macro

Elasticidades
Elasticidade-preço da demanda

Classificação: demanda elástica, inelástica e de


elasticidade unitária.
Demanda elástica (|Epd|>1): significa que uma variação
percentual no preço leva uma variação percentual na quantidade
demandada em sentido contrário.
Por exemplo: |Epd |=1,5
Significa que, dada uma variação percentual, por exemplo, de 10%
no preço, a quantidade demandada varia, em sentido contrário, em
15%, ou seja, 50% a mais, coeteris paribus. Isso revela que a
quantidade é bastante sensível à variação de seu preço. 18
ECONOMIA – Micro e Macro

Elasticidades
Elasticidade-preço da demanda

Demanda Inelástica (|Epd|<1): significa que uma variação


percentual no preço leva uma variação percentual na quantidade
demandada em sentido contrário, porém muito pequana.
Por exemplo: |Epd|=0,4
Neste caso, os consumidores são pouco sensíveis a variações de
preço: uma variação de, por exemplo, 10% no preço leva a uma
variação na demanda desse bem de apenas 4% (em sentido
contrário) coeteris paribus.

19
ECONOMIA – Micro e Macro

Elasticidades
Elasticidade-preço da demanda

Demanda de elasticidade unitária (|Epd|=1 ou Epd=-1): neste


caso uma variação percentual no preço, implica na mesma
varição percentual na quantidade demandada em sentido
contrário.
Por exemplo: |Epd|=0,4
Se o preço aumenta em 10%, a quantidade cai também em 10%,
coeteris paribus.

20
ECONOMIA – Micro e Macro

Elasticidades
Elasticidade-preço da demanda

Fatores que afetam:


• Disponibilidade de bens substitutos: quanto mais bens substitutos, mais
elástica é a demanda, pois dado um aumento de preços, o consumidor tem
mais opções para “fugir” do consumo desse bem;
• Essencialidade do bem: quanto mais essencial é um bem, mais inelástica é a
sua demanda, geralmente são bens de consumo saciado, como por exemplo,
sal açúcar, passagem de ônibus;
• Importância relativa do bem no orçamento do consumidor: quanto maior
o peso do bem no orçamento, mais elástica é a demanda.
• Horizonte de tempo: quanto maior o horizonte de tempo, mais elástica é a
demanda, pois um intervalo de tempo maior permite que os consumidores de
determinada mercadoria descubram mais formas de substituí-la, quando seu
21
preço aumenta.
ECONOMIA – Micro e Macro

Elasticidades
Elasticidade-preço da demanda
Interpretação geométrica
|Epd|ponto b > 1 (elástica)
Preço do
A elasticidade-preço Bem (R$) |Epd|ponto a = 1 (unitária)
da demanda varia, ao |Epd|ponto c < 1 (inelástica)
b
longo de uma mesma a
curva de demanda.
c
Quanto maior o
preço do bem, maior
a elasticidade.
Quantidade demandada
22
ECONOMIA – Micro e Macro

Elasticidades
Elasticidade-preço da demanda
Preço
do
Inclinação acentuada: as Sal
(R$)
compras variam pouco com o
aumento dos preços. (Insensível
aos preços: inelástica)
Qtd adquirida de sal
Preço
Inclinação pequena: as compras do
CD´s
variam muito com o aumento dos (R$)
preços. (Sensível aos preços:
elástica)
23
Qtd adquirida de CD´s
ECONOMIA – Micro e Macro

Elasticidades
Elasticidade-preço da demanda:
Preço
casos extremos do
Bem
Inclinação infinita: as compras (R$)
não variam com o aumento dos preços.
Perfeitamente Inelástica: Epd=0
(Ex.: Bens Essenciais)
Qtd adquirida do Bem
Preço
Inclinação zero: as compras variam do
Bem
muito com o aumento dos preços. (R$)
Sensível aos preços.
Perfeitamente Elástica: Epd=
(Ex.: Mercados perfeitamente competitivos)
Qtd adquirida do Bem 24

Você também pode gostar