Você está na página 1de 70

2.

CRIAÇÃO: EXPERIÊNCIA
DE BÊNÇÃO E DE QUEDA
(Gn 1 – 11)
2.1. O CONTEXTO
Em Gn 1, 15 vemos certas IMAGENS :

Trevas – deserto – terra sem forma – águas –


vazio;
tudo isso designa caos, desordem,
nada...

Essas imagens revelam uma situação


de morte (do autor ou do povo) da
época em que o texto foi escrito.
Relato da Criação
Propõe uma linha do tempo
imaginária, declarando que
houve um começo da história
do mundo!
O mundo não é eterno!
Só Deus, o Criador, é eterno!
(questão de fé)
Mas, e o caos/desordem, o que
significam?
O Contexto em que o
Gn 1 – 11 foi escrito.
Esse contexto revela os fatos
traumáticos da HISTÓRIA do
povo da Bíblia e a crise de fé
que se criou a partir desses
fatos:
 597 aEC – 1ª Invasão
Babilônica
 587 aEC - 2ª Invasão
Babilônica
Destruição do Reino do Sul
(Judá - Capital :Jerusalém).
Neste caso, o povo de Judá foi
levado, em parte, como
escravos, no Exílio da
Babilônia.
(2Rs 24 – 25;2Cr 36, 17 –
21; Jr 39)
Lm = retrato do contexto :

 FOME ( 1, 11.19; 2, 11-12; 4,4; 5, 9.10)


 MISÉRIA (1, 7-21; 2,6; 4, 7-9; 5, 4.6)
 ESCRAVIDÃO (1, 18; 2,11; 4, 17; 5, 5-8)
 TERROR (1,20; 2,20-22; 4, 10; 5, 11)
 DESTRUIÇÃO ( 2, 1-9; 4, 11; 2,13)
 MORTE ( 1, 2.4.6.8; 5, 14-15; 2,10).
QUEM É O AUTOR de Gn 1 - 11?
 não é um indivíduo,
mas UM POVO
 Lm 3, 1 – 18 = dor
coletiva de um povo
derrotado
 elaboração de uma
reflexão profunda
sobre a história da fé
 história feita de graça
vinda de Deus
 história feita de
infidelidade por parte
do povo
=Abandono por
parte de Deus
Salmos :
22/21; 80/79; 85/84;
137/136
Diante de tal
situação,
Deus não
deixou o povo
sem
resposta...
Resposta de
Deus :
Is 41, 9-10, 14
Percebemos que:
A Palavra de Deus muda as
coisas!
Ver Sl 135/134 e Sl 136/135;
A Palavra de Deus é Criadora!
Ver Sl 104/103
2.2. A CRIAÇÃO
 “No princípio...” = primeiras
palavras do texto de Gn,
significando CAOS e DESORDEM
(Gn 1,15).
 A Palavra criadora de Deus
também transforma, enquanto cria:
 “Faça-se a Luz... “= Deus é a Luz
(bem) que vence as trevas (mal)
Firmamento (ordem) =
Deus estabelece uma
organização que vence o
caos/desordem (águas)

Verde (plantas/vida) = Deus


vence o deserto (morte),
suscitando a Vida.
uma ESTRUTURA:
1.º Dia: Luz
2.º Dia: Firmamento
3.º Dia: Terra
mas MOBILIA esta casa:
4.º Dia: Sol+ Lua+ Estrelas
5.º Dia: Peixes+ Pássaros

• SER HUMANO:

• DEUS:
Portanto, HOMEM e MULHER
 São criados em igualdade e dignidade
= “ossos dos meu ossos, carne da
minha carne... “ (Gn 2, 21.23)
 Têm uma grande Responsabilidade
pela Vida!
 Possuem o “sopro de Deus” (Gn 2, 7)
= “espírito” = ruah
 Possuem a Palavra de Deus
(Gn 1, 28-30)
SER HUMANO:
“ser-em-relação”
= relação com Deus: respeito,
fidelidade, cooperação,
obediência;
= relação consigo mesmo:
cuidado com a vida, a saúde, a
segurança, com o próprio bem;
amor-próprio, auto-estima;
= relação com o próximo:
comunhão, respeito, cuidado,
amor, etc;
=relação com a
natureza/Criação: conservação,
respeito
No entanto o “autor”
de Gn 1 – 11,
“percebeu” um terrível
contraste:
 DEUS =Criação= Vida = Dom= Bênção
(Amor)
Criação= sinal da bondade divina

 SER HUMANO =Destruição = Morte=


Pecado = Maldição (Egoísmo)
Destruição = sinal de maldade no ser
humano – escolha...
 desligaram-se de Deus e
de Sua Palavra (2, 4-24) !
Seus erros foram
ter, poder, prazer, não
crer!
(pecado original)
EXPLICAÇÃO:
por que existe o
sofrimento?
mecanismo do bem e do
mal? – instintos? Desejos?
qual a causa de nossas
tribulações?
 antepassados: erraram,
mas a situação a que
chegamos é devida aos
nossos erros;
 responsabilidade: é preciso
despertá-la em nós;
 Adão/Eva: somos nós = a
humanidade, quando é
infiel a Deus; quando se
deixa levar pelos maus
instintos e maus
desejos/tentações;
Origem dos males:
Ser humano:
 instintos bons:
crescimento,
prosperidade, felicidade,
paz...

 instintos maus: egoísmo,


destruição, superioridade,
violência... limitações
humanas que devem ser
trabalhados e
transformados em BEM;
PERIGO:
 cairmos no pecado
(ruptura) em relação a
Deus quando deixamos
que os maus instintos
nos dominem;
 maus instintos existem,
mas quanto mais os
conhecermos, melhor os
combateremos, para o
nosso próprio bem e o
bem dos outros;
PARAÍSO=JARDIM=
ÉDEN=POMAR
 Lugar onde “Deus passeia” =
onde que a COMUNHÃO com o ser
humano;
 Sua beleza não é exclusiva para
Deus, mas é para o ser humano;
 Árvores: “do Bem e do Mal” e
“da Vida” = é a Lei/Torá =
ensinamento/instrução de Deus;
 ÉDEN= não é lugar geográfico: é
o lugar onde o ser humano se
realiza, ou seja, seu coração .
(vida espiritual)
“EXPULSÃO DO
PARAÍSO”
 corresponde à expulsão
dos judeus de Canaã;

 Corresponde ao Exílio na
Babilônia (587 aEC);

 É a perda de algo
FUNDAMENTAL para a
vida.
SERPENTE:
 Entre os cananeus, a
serpente era uma
DIVINDADE, que simbolizava
a fecundidade;
 Culto à serpente: tentação
para o povo de Deus;
 Escolhida para simbolizar os
maus instintos que afastam
o ser humano de Deus;
 Problema:”dar ouvidos” à
serpente (os maus desejos),
que também moram em
nosso coração (jardim).
A decisão é de cada
um de nós:
 Podemos cultivar a
amizade com Deus e
permanecer ali em paz
ou “dar ouvidos” à
maldade (=serpente);
 Se dermos ouvidos à
maldade, seremos
também “expulsos” do
paraíso(=felicidade) e
da presença de Deus;
Função pedagógica
Deus plantou sua Palavra
(árvore da Vida) em nosso
coração
ver Rm 7, 7 – 25; Mc 7, 14 – 23;
Mt 13, 1 – 9.18 – 23
b. CAIM/ABEL: A VIOLÊNCIA
DEVE CESSAR! (Gn 4, 1 – 15)
 uma relação de Ódio – inveja – vingança
– assassínio
(Gn 4, 1-26)
 o “crime de Caim” foi uma conseqüência
do pecado de Adão;
 Resultado: nascimento do Individualismo
(Gn 4,9);
 percebemos que o mal
praticado por Caim
gerou também a falta
de perdão (4, 24)
 CAIM = pré-figuração
dos criminosos da
História (opressores,
assassinos, etc)
 ABEL (aquilo que tem
duração breve,
“vapor”) = as vítimas
dos prevalecidos e
opressores.
Obs.: não é um fato histórico!
Abel/Caim = humanidade:
Caim= grupo dos agricultores
sedentarizados;
Abel= grupo dos pastores
nômades;
Conflitos de interesses entre
os 2 grupos, que ocupavam a
Palestina;
Mas por que Caim matou
Abel?
INVEJA: Deus preferia Abel
– como? Por quê?
ORIENTE: cultura –
preferência pelo
PRIMOGÊNITO;
DEUS: prefere o “caçula” –
o “menor” / pequeno;
MAUS INSTINTOS:
 Causam violência = homicídio;
 Rompimento causado pela inveja =
a ruptura com Deus e com o
semelhante;
DEVEMOS ESCOLHER:
 O OUTRO será meu AMADO IRMÃO
ou um INDESEJÁVEL
CONCORRENTE;
SURGIMENTO DA
HISTÓRIA
SIMBÓLICA
 Época do rei
Salomão
(séc. X a.E.C.);
 Caim = Salomão
 Abel = povo
oprimido,
escravizado pelo rei;
ver 1 Rs 9, 10 – 15;
11, 1 – 10
SALOMÃO:
 Vendeu 10 cidades da
Galiléia ao rei de Tiro
(Hirã);
 Obrigou os israelitas a
fazerem trabalhos
forçados = corvéia =
escravidão;
 Traiu a Deus, quando
adotou cultos
idolátricos de suas
esposas estrangeiras;
O PROJETO DE
FRATERNIDADE do
PERÍODO
TRIBAL DE ISRAEL
(séc. XIII – X a.E.C.)
foi destruído pelo
rei Salomão, pelo
poder da violência
(exército e
palácio), que
excluía e até
matava seus
irmãos!
O Sinal que Deus pôs em Caim
 Objetivo: para que ninguém
mate Caim;
 Deus quer acabar com o
“direito de vingança” = lei
do “olho por olho”
(=Mt 5, 43 – 46);
 Vingança: espiral de
violência – o sinal na fronte
é um freio para cessar essa
violência;
Obs.: Gn 34 os filhos de Jacó
se vingaram dos filhos de
Siquém!
Conseqüência da
violência:
 Caim: errante = ser infeliz,
condenado a vagar,
fugindo sempre...
 Sinal: Deus não o
abandona = odeia o
PECADO, mas ama o
PECADOR!
“Eu não sinto prazer na
morte de ninguém – oráculo
do Senhor!”
(Ez 18, 32)
c.DILÚVIO/NOÉ:
UMA NOVA CHANCE À
HUMANIDADE – Gn 6 – 9
 Neste relato, percebemos o uso da
religião e de Deus em proveito
próprio (Gn 6, 1-9,29)
 o ser Humano desenvolve uma
ousadia = ser igual a Deus!
 o Ser humano quer fazer de Deus
um instrumento (“quebra-galho”)
 RELIGIÃO= seu uso se destina para
interesses pessoais perversos
(dominar, poder, riqueza,
grandeza!)
 O DILÚVIO indica uma necessária
purificação, um novo começo
(“começar tudo de novo!”)
 Deus realiza uma re-criação em Noé e
seus 3 filhos: Sem, Cam e Jafé = ver
Gn 9, 1; 10, 1 – 32,
 estabelecendo um NOVO MUNDO e
uma NOVA CRIAÇÃO , garantida por
uma aliança (arco-íris).
 Com a cooperação de Noé, Deus
renova seu ato criador, dá origem
a uma nova humanidade
(conf. 9, 1; 10, 1 -32):
 Jefé (povos da Ásia Menor e Europa)
 Cam (povos da África)
 Sem (povos do Oriente)
 Temos, nessa
passagem bíblica,
histórias de povos
diferentes com
diferentes origens
em lugares
diferentes
amalgamadas numa
só história.
 Intenção: restituir a
unidade do povo =
unidade na
diversidade.
 Deus: sempre quis frear
a violência;
 Lamec: resgatou o
“direito à vingança” (Gn
4, 23 – 24);
 Multiplicação das
sujeiras no meio da
Humanidade;
 O que Deus vai fazer?
- “arrependeu-se de ter
criado o ser humano”;
(Gn 5, 7)
- há remédio para o ser
humano?
RELATO DE NOÉ = resposta de Deus;

Contexto:
 Mesopotâmia (“região entre rios”)
origem do relato = lugar de
terríveis enchentes;
 Uso dos fatos corriqueiros para
tecer um relato;
 Objetivo: refletir a realidade
presente à luz da fé no Deus Único;
SIMBOLISMO:
 NOÉ = povo fiel, que não se deixou
contaminar “pelos maus
costumes”; é o “resto fiel”;
 ARCA = a fé do povo fiel, que
sobreviveu no Exílio da
Babilônia(séc. VI a.E.C.) =
comunidade dos judeus = Arca da
Aliança = Torá/Lei;
 DILÚVIO = sofrimento em terras
estrangeiras somado ao assédio
dos pagãos/idolatria;
DILÚVIO

 “faxina” que Deus faz na Criação;


 Destruição: a causa não é Deus,
mas os rumos que a humanidade
tomou;
 Pré-anuncia o Batismo, que nos
lava do pecado;
 Arco no céu = Aliança: recomeça
uma nova chance na graça divina;
MENSAGEM:
 Deus quer “pendurar seu arco de
guerra”, dando um novo tempo de
bonança;
 Deus não quer aniquilar
o pecador, mas salvá-lo,
renová-lo, purificá-lo...
 Mais do que “degredados filhos de
Eva”, somos os “abençoados
descendentes do justo Noé”;
DILÚVIO:
 LINHA DEMARCATÓRIA
entre a humanidade
infiel(“degredados filhos de
Eva”) e a humanidade nova
(família/descendência de
Noé);
 Com Noé e sua família, Deus
aponta um novo começo
para a humanidade, que terá
sua continuidade em Abraão
(Gn 12, 1ss) e sua plenitude
em Jesus Cristo.
d.TORRE DE BABEL ( Gn 11,
1-9)
 a intenção de quem
constrói a Torre de Babel
é dominar e explorar os
outros;
 OUSADIA: “chegar aos
céus”
(v. 4)=ocupar o lugar de
Deus!
 CONSEQUENCIA: abuso do
poder, que gera confusão
(em hebraico, Babel!)
 essa confusão é
caracterizada pela
situação do povo, no
Exílio, entre
estrangeiros...
A TORRE DE BABEL
 “PONTE” entre a “História
da Criação e da Queda e a
“História dos Patriarcas”
(Abraão, Isaac e Jácó );
 Torre de Babel: tentativa
de se igualar a Deus,
confusão e dispersão;
 História dos Patriarcas:
obediência a Deus,
Aliança, unidade na
família e comunhão na da
partilha da herança
(“Terra Prometida”)