Você está na página 1de 14

Abril, 2018 João Patrício Mamba

Sistemas Opercionais
ISPOMM

Gestão de Processos
Conceitos, Estruturas, Operações, Estados
Overview

 Conceito.

 Estrutura

 Operações

 Estados
Conceitos
Informalmente, um processo pode ser definido como um programa
em execução, mas na verdade um processo é mais do que o código
do programa, que também é conhecido como seção de texto. Ele
também inclui a atividade corrente, conforme representada pelo
valor do contador do programa e o conteúdo dos registradores do
processador. Geralmente, um processo também inclui a pilha do
processo que contém dados temporários (como parâmetros de
funções, endereços de retorno e variáveis locais), e uma seção de
dados, que contém variáveis globais. Um processo também pode
incluir um heap, que é a memória dinamicamente alocada
durante o tempo de execução do processo.
O sistema operacional tem como função controlas a execução
dos diversos programas e uso concorrente do processador e
demais recurso, por esta razão todo programa deve estar ligado
a um processo.

A gerencia de processos é uma das principais funções de um


sistema operacional, possibilitando aos programas alocar
recursos, compartilhar dados, trocar informações e sincronizar
execuções.
Estrutura
Um processo é formado por três partes:

• contexto de hardware
• contexto de software
• espaço de endereçamento

Juntos mantêm todas as informações necessárias à execução de um


programa.
Contexto de hardware

O contexto de hardware de um processo armazena o conteúdo dos


registradores gerais da CPU, além dos registradores de uso especifico,
como program counter(PC), stack pointer(SP) e registadores de status.
Quando um processo está em execução, o seu contexto de
hardware está armazenado nos registradores do processador, no
entanto quando perde a utilização da CPU, o sistema salva as
informações no contexto de hardware do processo.

O contexto de hardware é importantíssimo sobretudo nos sistemas


multiprogramaveis, em que os processos se alternam na utilização da
CPU podendo ser interrompidos e a posterior retomar.
Contexto de Software

No contexto de software num processo são especificados os limites e


características dos recursos que podem ser alocados pelo processo,
como numero máximo de arquivos abertos simultaneamente,
prioridade de execução e tamanho do buffer para operações de E/S

O contexto de software é composto por três grupos de informações


sobre o processo:
• Identificação
• Quotas
• Privilégios
Identificação

Cada processo criado pelo sistema recebe uma identificação


única(PID - processo identification) representada por um numero.
Através do PID, o sistema operacional e outros processos podem
fazer referencia a qualquer processo existente consultando seu
contexto ou alterando uma das suas caraterísticas.

O processo também possui a identificação do usuário ou processo


que o criou. Cada usuário possui uma identificação única no
sistema (UID - User Identification) atribuida ao processo no
momento de sua criação. Isso permite implementar um modelo e
segurança, onde apenas os objetos que possuem a mesma UID do
usuário podem ser acessados.
Quotas

As quotas são os limites de cada recurso do sistema que um processo


pode alocar. Caso uma quota seja insuficiente, o processo poderá
ser executado lentamente, interrompido durante seu processamento
ou mesmo não ser executado.

Exemplos:
• número máximo de arquivos abertos simultaneamente;
• tamanho máximo de memória principal e secundária que o
processo pode alocar;
• numero máximo de operações de E/S pendentes;
• tamanho máximo do buffer para operações de E/S;
• numero máximo de processos, subprocessos e threads que
podem ser criados.
Privilégios

Os privilégios ou direitos definem as caçoes que um processo pode


fazer em relação a ele mesmo, aos demais processos e ao sistema
operacional.
• Os privilégios que afetam o próprio processo permitem que suas
características possam ser alteradas, como prioridade de execução, limites
alocados na memória principal e secundária, etc
• Os privilégios que afetam os demais processos permitem, além da
alteração de suas próprias características, alterar as de outros processos.
• Os privilégios que afetam o sistema são os mais amplos e poderosos, pois
estão relacionados a operação e a gerencia do ambiente, como a
desativação do sistema, alteração de regras de segurança, criação de
outros processos privilegiados, modificação de parâmetros de configuração
do sistema, entre outros.
Espaço de endereçamento

É a área de memoria pertencente ao processo onde instruções e


dados do programa são armazenados para execução. Cada
processo possui seu próprio espaço de endereçamento, que deve
ser devidamente protegido do acesso dos demais processos.
OPERAÇÕES

As operações em processos resumem-se pela criação e destruição


dos mesmos. A criação de um processo ocorre a partir do momento
em que o sistema operacional adiciona um novo PCB(Process
Control Block) à sua estrutura e aloca um espaço de
endereçamento na memória para o uso. Apartir da criação do PCB,
o sistema operacional já reconhece a existência do processo,
podendo gerencia-lo e associar programas ao seu contexto para
serem executados. No caso da eliminação de um processo, todos os
recurso associados ao processo são desalocados e o PCB eliminado
pelo sistema operacional.
ESTADOS DO PROCESSO

Para que haja compartilhamento no uso do processador, os


processos não podem ocupar de forma exclusiva a CPU, isto nos diz
claramente que o processo deve passar por diferentes estados
durante o seu processamento. Assim sendo ele pode estar:
• Execução(running). É assim considerado o processo que está a
ser executado pela CPU;
• Pronto(ready). É assim considerado o processo que apenas
aguarda a sua execução;
• Espera(wait). É assim considerado o processo que aguarda por
algum evento externo ou por algum recurso para prosseguir seu
processamento.
Bibliografia

• Machado, Francis Berenger e Maia, Luiz Paulo, Arquitetura de


Sistemas Operacionais, 4ª Ed, Rio de Janeiro, LTC 2007;
• Silberschatz, Galvin & Gane, Fundamento de Sistemas
Operacionais, 9ª Ed, LTC 2012;

Você também pode gostar