Você está na página 1de 18

DISCIPULADO

INSTITUTO TEOLÓGICO QUADRANGULAR


IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR – ITAPEVA - SP

PROF. ADALBERTO ROMOLO SIMIONI


CAPÍTULO 6 – FORMANDO UMA IGREJA DISCIPULADORA
TÓPICO 1: FUNDAMENTOS PARA UMA IGREJA DISCIPULADORA
1- INTRODUÇAO:
2- MARCAS DE UMA IGREJA DISCIPULADORA: OPEROSIDADE, ABNEGAÇAO E FIRMEZA
A-) OPEROSIDADE RESULTANTE DA FÉ:
B-) ABNEGAÇAO (OU ESFORÇO, TRABALHO) MOTIVADA PELO AMOR:
C-) FIRMEZA PROVENIENTE DA ESPERANÇA:
3- OS ALICERCES DO DISCIPULADO NA IGREJA:
A-) EM PODER:
B-) NO ESPÍRITO SANTO:
C-) EM PLENA CONVICÇAO:
TÓPICO 2: DESENVOLVENDO UMA IGREJA DISCIPULADORA:
1- INTRODUÇAO:
2- EM BUSCA DA MULTIPLICAÇAO ATRAVÉS DO DISCIPULADO:
A-) OS TESSALONICENSES TORNARAM-SE IMITADORES DE JESUS, NÃO APENAS FREQUENTADORES DE REUNIOES:
B-) OS TESSALONICENSES TORNARAM-SE MODELOS PARA OUTROS:
C-) OS TESSALONICENSES TORNARAM-SE UMA IGREJA MODELO:
TÓPICO 3: PERFIL DO DISCIPULADOR QUE A IGREJA PRECISA
1- INTRODUÇAO:
2- O DISCIPULADOR COMO LÍDER PASTORAL:
3- AS PRIORIDADES CHAVE DE UM DISCIPULADOR:
A-) LIDERAR OU PRESIDIR (DISPOSIÇAO DE SE RESPONSABILIZAR POR OUTRAS PESSOAS):
B-) ACONSELHAR OU ADMOESTAR (GR. NOUTHETEO):
TÓPICO 4: A ARTE DE DISCIPULAR ¨PESSOAS DIFÍCEIS¨
1- INTRODUÇAO:
2- COMO LIDAR COM OS INSUBMISSOS:
3- COMO LIDAR COM OS DESANIMADOS:
4- COMO LIDAR COM OS FRACOS:
TÓPICO 1: FUNDAMENTOS PARA UMA IGREJA DISCIPULADORA:
1- INTRODUÇAO:
Tessalonica é a igreja que melhor demonstra as características concretas de uma igreja
discipuladora.
ATOS (17:1-9)
Fundada e organizada por Paulo em sua segunda viagem missionária.
Igreja composta em sua maioria de gentios artífices e pequenos comerciantes.

 A igreja de Tessalonica nasceu, cresceu e se consolidou de maneira tão exemplar, que chegou a ser
reconhecida por todas as outras comunidades vizinhas.

Paulo escreve para encorajar, advertir e instruir os Tessalonicenses a respeito da conduta


1 Ts (1:2-10) crista sob o ponto de vista da volta de Jesus, uma vez que eles estavam sendo
perseguidos e tentados a voltar aos padrões pagãos.

2- MARCAS DE UMA IGREJA DISCIPULADORA: OPEROSIDADE, ABNEGAÇAO E FIRMEZA:

OPEROSIDADE: Eficaz, que produz, que ocasiona efeito, trabalhar de forma produtiva.

ABNEGAÇAO: Atitude de renunciar ou recusar algo, desistir de alguma coisa.

FIRMEZA: Estabilidade, segurança, solidez


A-) OPEROSIDADE RESULTANTE DA FÉ:

 A fé dos Tessalonicenses era uma fé dinâmica, que crescia, que era observável, tinha expressão e
visibilidade, podia ser medida ou avaliada.
 Willian MacDonald diz que não é possível haver verdadeiro discipulado sem fé profunda e inquestionável
no Deus vivo.

B-) ABNEGAÇAO (OU ESFORÇO, TRABALHO) MOTIVADO PELO AMOR:

 O amor (gr. Ágape) aqui tem uma conotação de amor cristão, que se manifesta por meio de trabalho
árduo. Esse tipo de amor não se resume apenas numa emoção – um sentimento, atração ou impulso
passional; mas sim em atitude.
 Onde há amor – o verdadeiro amor - há espírito de doação, altruísmo, participação efetiva e edificação
mútua – não só de palavras, mas por obras e verdades.

C-) FIRMEZA PROVENIENTE DA ESPERANÇA:

 Os Tessalonicenses tinham uma vida crista positiva, ativa e viril. Eles suportavam os ataques dos oponentes
e contra-atacavam até alcançar a vitória. Eram cristãos consistentes, perseverantes, firmes constantes,
que manifestavam as propriedades e um conjunto de resultados de experiências que pontuam a vida
crista.

IGREJA FRUTIFICADORA TRILOGIA ( FÉ, AMOR E ESPERANÇA)


3- OS ALICERCES DO DISCIPULADO NA IGREJA:
 O que promove uma igreja frutificadora é o evangelho puro e simples de Jesus, que é caracterizado pelo
poder libertador: judeos sendo libertos de seu legalismo morto e gregos de seu paganismo. 1Ts (1:5)

¨porque o nosso evangelho não chegou a vocês somente em palavra, mas também em poder, no
Espírito Santo e em plena convicção. Vocês sabem como procedemos entre vocês, em seu favor:¨

A-) EM PODER:
 Não com mero raciocínio ou eloquência humana. Mas a Palavra de Deus pregada com fidelidade tem
poder; ela é instrumento do Espírito Santo para realizar a obra a graça. A Palavra é suficiente.

B-) NO ESPÍRITO SANTO:

 Não na energia da carne. Quando a nossa pregação é desprovida da ação do Espírito Santo, ela se torna
um artifício humano, é fogo estranho, não vem do céu. Somente por meio do ato regenerador proveniente
do Espírito Santo, realmente o pecador pode experimentar mudanças radicais em seu interior.

C-) EM PLENA CONVICÇAO:


 Não no profissionalismo humano. A vida do pregador deve confirmar a mensagem que ele anuncia. Paulo
tinha uma convicção pessoal e uma confiança inabalável naquilo que falava. Suas convicções estavam
moldadas pela imutável Palavra de Deus, não pela mutável cultura da época.
TÓPICO 2: DESENVOLVENDO UMA IGREJA DISCIPULADORA

1- INTRODUÇAO:
IDENTIDADE: Conjunto de características próprias e exclusivas de uma pessoa, ou um povo, ou uma
entidade.

 Uma das formas da igreja, expressar sua verdadeira identidade, é por meio do discipulado.

PROCLAMAÇAO PÚBLICA:

Usado por Jesus e seus discípulos.


Atos (20:20) Mercados, prisões, sinagogas, praias, beira de rios.
MÉTODOS PARA A urgência e o caráter superlativo da mensagem fizeram que
DISCIPULAR fosse impensável limitá-la a lugares convencionais de reunião.

DISCIPULADO PARTICULAR:

Método que Jesus usou no treinamento dos doze.


Pequeno grupo, de modo que Jesus pudesse estar com eles dia
após dia e instruí-los na verdade de Deus
2- EM BUSCA DA MULTIPLICAÇAO ATRAVÉS DO DISCIPULADO:
Quando o evangelho de Cristo chega com poder, no Espírito e em plena convicção,
1 Ts (1:9) gera uma ruptura com o passado, os ídolos são deixados e as práticas erradas são
abandonadas.

A-) OS TESSALONICENSES TORNARAM-SE IMITADORES DE JESUS, NÃO APENAS FREQUENTADORES DE REUNIOES:

 Os cristãos de Tessalonica eram boa terra, pois receberam a boa semente da Palavra e reproduziram,
tornando-se imitadores de Cristo e dos líderes da igreja. (V.6)

¨PREGAVAM O QUE VIVIAM E VIVIAM O QUE PREGAVAM¨

 Os cristãos mais velhos devem ser referenciais para os mais novos, portanto a igreja local precisa de
cristãos que possam dizer: ¨tornem-se meus imitadores, como eu sou de Cristo¨ (1 Co 11:1).

 Essa imitação não era na aparência, mas na visão e caráter; haviam sidos moldados pelo caráter de
Cristo demonstrado por Paulo e seus parceiros.

B-) OS TESSALONICENSES TORNARAM-SE MODEELOS PARA OS OUTROS:


 Quem começa como imitador logo se torna exemplo para outros.
¨Assim, tornaram-se modelo para todos os crentes que estão na Macedônia e na Acaia¨ (V.7).
 Os cristãos de Tessalonica foram bem discipulados e, ficaram muito parecidos com seus ¨pais¨ espirituais.

C-) OS TESSALONICENSES TORNARAM-SE UMA IGREJA MODELO:

 A Bíblia diz que através da igreja de Tessalonica a Palavra repercutiu, divulgou, ressoou em todas as
direções. Essa igreja virou notícia e atingiu lugares distantes.

¨Porque, partindo de vocês, propagou-se a mensagem do Senhor na Macedônia e na Acaia. Não


somente isso, mas também por toda a parte torneou-se conhecida a fé que vocês tem em Deus. O
resultado é que não temos necessidade de dizer mais nada sobre isso¨ (V.8)

 Assim como a igreja de Tessalonica, a nossa igreja local precisa amplificar o Reino de Deus em outras
localidades e culturas; temos que ser uma igreja viva, onde a vida de Cristo pulsa e transforma.

TÓPICO 3: O PERFIL DO DISCIPULADOR QUE A IGREJA PRECISA:

1- INTRODUÇAO:

A Bíblia não esta pedindo respeito pelo cargo de liderança, mas pelo
(1 Ts 5:12-13)
trabalho que os líderes da igreja desempenham.
Temos aqui três expressões que definem o perfil do discipulador que a igreja precisa:

 TRABALHO: Esforço dispendioso


 LIDERANÇA: Estar a frente conduzindo
 ACONSELHAMENTO: Orientação sobre assuntos espirituais (disciplina espiritual e moral).

 Liderar ou discipular é uma atividade desgastante, tanto mental, emocional, física, quanto espiritualmente,
pois na liderança se lida com o mundo invisível, onde satanás luta constantemente para desestabilizar,
confundir e derrotar todos os que estão no caminho do Senhor.
 O líder ainda tem que moldar seu lado humano. Deve superar suas falhas, com humildade e sinceridade,
procurando sempre manter uma vida moral elevada e irrepreensível.

2- O DISCIPULADOR COMO LÍDER PASTORAL:

 O conceito de líder (pastoral) não é sinônimo de posição ou cargo, mas refere-se a dedicação em amor
e sacrifício. O líder pastoral é, sobretudo, alguém que Deus comissionou, servindo aos outros e
entregando-se inteiramente à vida da igreja e que sacrifica o que é e o que tem pelo Reino de Deus.

¨Meus filhos, novamente estou sentindo dores de parto por sua causa, até que Cristo
seja formado em vocês¨ (Gl 4:19)

 A formação espiritual não é uma posição a qual chegar, mas um processo que leva a vida toda.
2 Tm (2:3-5) Paulo comparou a vida do líder pastoral com soldado, com atleta e com lavrador.
para comunicar o conceito de trabalho árduo.

 Liderar no Senhor significa liderar segundo o modelo de Jesus, e o modelo de Jesus é o discipulado,
portanto, se não estivermos dentro deste padrão, também, não devemos estranhar a falta de valorização,
consideração e respeito pelo nosso trabalho.

 Quem não se portar de modo ético e agir com desonestidade, arcará com as consequências de seu
desvio.

3-) AS PRIORIDADES CHAVE DE UM DISCIPULADOR:

 As atividades prioritárias de um líder-discipulador são: Liderar e Aconselhar

A-) LIDERAR OU PRESIDIR (DISPOSIÇAO DE SE RESPONSABILIZAR POR OUTRAS PESSOAS):

 O Dr. Robert Clinton definiu um líder desta forma:

¨Líder é alguém com capacidade e responsabilidades dadas por Deus, para


Influenciar o povo de Deus rumo aos objetivos de Deus para este povo¨.
B-) ACONSELHAR OU ADMOESTAR (GR. NOUTHETEO):

 O ato de aconselhar aqui não se restringe em dar bons conselhos, mas também fazer observações e
exortações às pessoas contra os perigos e reprovar todo o mal.

 No que implica o aconselhamento no contexto do discipulado:

a) Dirigir palavra de animo e encorajamento, ou consolo e conforto, aos que sentem debilitados
emocional e espiritualmente, estimulando à ação.
b) Apoiar e fortalecer o fraco na fé e o novo convertido na caminhada crista.
c) Quem cuida de pessoas naturalmente, é, em geral, uma pessoa otimista.

 Além disto, o discipulador precisa desenvolver alguns princípios bíblicos para fazer um bom trabalho:

I- Sabedoria do alto – Capacidade espiritual de saber utilizar o conhecimento de modo eficaz e fazer
escolhas certas.
II- Ética crista – Ser orientado pelo conjunto de princípios bíblicos, como por exemplo: manter sigilo
do que se ouve.

III- Empatia – A arte de colocar-se no lugar do outro.


 As prioridades de liderar e aconselhar só funcionam com importância apropriada , à medida que eu me
mantenho no lugar certo. Se uma prioridade inferior tomar o lugar de uma delas, estou saindo do foco
proposto na Palavra.
 Quando fazemos as coisas baseadas nas prioridades do nosso chamado, podemos descansar com a
consciência limpa de agimos fundamentados nas exigências de Deus para a nossa vida.

TÓPICO 4: A ARTE DE DISCIPULAR ¨PESSOAS DIFÍCEIS¨

1- INTRODUÇAO:

¨Exortemos-vos, também, irmãos, a que admoesteis os insubmissos, consoleis os desanimados,


ampareis os fracos e sejais longânimos para com todos¨. (1Ts 5:14)

 Provavelmente representavam as três tipos de pessoas problemáticas na comunidade de Tesssalonica.


 O fator importante aqui é, que a tarefa de cuidar destes três tipos de cristãos recai sobre toda a
comunidade. Não é somente a responsabilidade do líder.

2- COMO LIDAR COM OS INSUBMISSOS:

INSUBMISSO: É um desordenado, indisciplinado, rebelde e ocioso.


 Acredito que a melhor forma de se diagnosticar a insubmissão do ser humano, é através da convivência
nos relacionamentos pessoais, especialmente no contexto de um grupo pequeno ou equipe.

CARACTERÍSTICAS DE UMA PESSOA INSUBMISSA:

a) Recusam reconhecer a autoridade espiritual estabelecida na igreja através da liderança.


b) Em sua maneira de pensar (¨mente¨) e em sua maneira de agir (¨consciência¨), estão totalmente
corrompidos.
c) Optam conscientemente por rejeitar a verdade e escolhem buscar seus interesses pessoais.
d) Mantem uma posição direta aos princípios genuinamente cristãos.
e) Procuram minar a semente da sã doutrina.
f) Falam muito, mas sem substancia.

 A insubmissão é um problema extremo que exige uma solução extrema: CONFRONTAÇAO

¨que eles sejam silenciados¨(NVI)


Qualquer que seja a versão bíblica,
Tito (1:10-11) ¨É preciso faze-lo calar¨(RA) esta se refere à mesma coisa:
¨CONFRONTAR COM DUREZA¨
¨aos quais convém tapar a boca¨(RC)
 Todavia, precisamos dar uma solução pratica para os insubmissos, que é ADMOESTAR:

Chamar atenção
Corrigir
Advertir

 COMO FAZER ISSO:


a) Confrontar com amor.
b) Mostrar o perigo.
c) Indicar o caminho certo.

3- COMO LIDAR COM OS DESANIMADOS:

DESANIMADOS: É alguém abatido, tacanho e medroso.

CARACTERÍSTICAS DE UMA PESSOA DESANIMADA:

a) São pessoas decepcionadas diante dos infortúnios.


b) Tristes por causa de perdas.
c) Coração fraco (fragilidade emocional)
 Precisamos entender, também, que o desanimo não é fruto de pecados cometidos. Estaria Jesus em
pecado em seu flagelo emocional no Getsemani (Mt 26:38).

 As pressões da vida, da família e das necessidades pessoais, tira de nós as forças, deixando-nos fatigados
e desanimados.
 Ninguém mais que o desanimado precisa de outras pessoas. Portanto a solução para os desanimados é
CONSOLAR no Espírito Santo e na Palavra de Deus.

 Em (Jo 14:16) temos uma palavra grega (Parakleto, Consolador), que significa ¨alguém chamado para
ajudar outro¨.

ESPÍRITO Veio para suprir as mesmas necessidades que Jesus supria; para consolar como
SANTO Jesus consolava; para advogar a causa dos necessitados como Jesus advogava.

COMO ENCORAJAR ALGUEM COM O AUXÍLIO DO ESPÍRITO SANTO:

 Fortalecendo o coração.
 Falando palavras suavizadoras.
 Ressaltando pontos positivos.
 Trazendo à memória as coisas boas.
 Recobrando a esperança perdida.
 Ajudando a recuperar os sonhos abandonados ou projetos falidos.
4- COMO LIDAR COM OS FRACOS:
FRACOS: Frágil, indeciso, doente, impotentes
CARACTERISTICAS DE UMA PESSOA FRACA:
 Não tem força de vontade e são vencidas pela vida.
 Carregam um grande peso emocional e tristeza pessoal escondidos na alma.
 Uma pessoa fraca é pouco ativa e pouco expressiva ou vigorosa.
 Se sente pouco guarnecida.

 A melhor palavra para descrever o fraco é: A INSUFICIENCIA

O que Jesus esta dizendo é que em relação as pessoas ¨rachadas¨ e ¨fumegantes¨


(Mt 12:20) (fracas) temos que demonstrar ternura, coração amável, misericórdia, pois este tipo de
pessoa esta cheio de temores e desalentos. Porquanto estão precisando de amparo,
não de crítica e condenação.

 O enfraquecimento é um processo. Ninguém se torna fraco de repente.

A SOLUÇAO PARA O FRACO É ¨AMPARÁ-LO¨ : O QUE SIGNIFICA AMPARAR ALGUEM


o Carregar no colo.
o Apoiá-lo ternamente.
o Por os braços em volta.....abraçar.
o Não desprezar.