Você está na página 1de 54

Transtornos Mentais Comuns -

Ansiedade e Depressão
Discentes: Matheus Alves
Murilo Ribeiro
Mayki Alves
Raick Bastos
Diego Henrique

Docente: Sílvia Morais


Petrolina, 2018
Fonte: Global Burden of Disease Study, 2015 - OMS (Organização Mundial da Saúde).
Fonte: Global Burden of Disease Study, 2015 - OMS (Organização Mundial da Saúde).
Aspectos culturais da ansiedade

➢ Sociedade contemporânea ocidental


○ Aceleração do tempo
○ Diminuição das distâncias
○ Necessidade de consumo
Aspectos culturais da ansiedade

➢ Sociedade líquida
○ Competitividade
○ Necessidade de acumulação
○ Prejuízos para as relações pessoais
Aspectos culturais da ansiedade

➢ Viver num mundo instável e orientado para o futuro


➢ Processos cognitivos distorcidos
○ Estado de medo constante
Aspectos culturais da ansiedade

➢ Estar sujeito a situações de estresse não


provoca, necessariamente, um dano à saúde
➢ Consequências psicológicas, sociais, físicas
Aspectos culturais da ansiedade

➢ Ansiedade adaptativa
➢ Sintomas parecidos e presentes na fala das pessoas
➢ Sensação de perda de controle de si mesmo
Aspectos históricos e culturais da
depressão

➢ O Demônio do Meio-dia: Uma Anatomia da


Depressão (Solomon, 2014)
➢ Depression as a disease of modernity: Explanations
for increasing prevalence (Hidaka, 2012)
Entrevistas
Participante 1:
1) Depressão: Bom, já ouvir falar que é uma doença. Ouvir
dizer que ocorre por n fatores e que tem de haver também o
desequilíbrio de algumas substâncias do corpo, mas não sei a
fundo.
2) Ansiedade: Essa eu realmente não sei o que é em si, nem
como ocorre.
Entrevistas
Participante 2:
1) Depressão: Bom, depressão é um desequilíbrio psicológico,
quando você para de sentir prazer nas coisas que faz. Acaba
adquirindo muito cortisol, que é o hormônio produzido quando se
passa por estresse, aí a pessoa sente dificuldade de se sentir bem;
prefere se esconder, sempre tá no seu mundo interior pensando
em coisas ruins, reclamando das coisas, sem conseguir enxergar as
coisas boas da vida.
Entrevistas
Participante 2:
2) Ansiedade: Transtorno de ansiedade é quando o indivíduo fica
ansioso constantemente, em situações bobas (conversando com os
brothers de boa, família, saindo, pagando conta). É normal ficar
ansioso em situações novas, tipo prova, porque fazemos poucas
vezes e tal. Entretanto, isso toda hora faz mal, porque desregula os
hormônios do corpo causando fadiga, estresse, desânimo,
depressão...
Entrevistas
Participante 3:
1) Depressão: Depressão seria algo como tristeza profunda e
constante ou ausência de sentimentos da qual não se consegue ver
saída.
2) Ansiedade: Ansiedade é como estar o tempo todo preparado
para algo que parece que nunca acontece e por isso a angústia.
3) Causa: Não sei definir, mas por causa de desequilíbrio químico
no cérebro? Tipo, problemas com neurotransmissores e tal.
Entrevistas
Participante 4:
1) Depressão: Depressão pra mim é a morte dos desejos.
Acontece quando o ser humano para de desejar as coisas, porque
somos movidos por desejos; tudo vai perdendo o sentido.
2) Ansiedade: Fruto de um presente desagradável. Se você está
sempre ansioso por algo, você não está satisfeito com o que tem
agora pra você.
3) Causa: São coisas inconscientes, não sei direito.
Entrevistas
Participante 5:
1) Depressão: Depressão é doença na alma. Acontece quando a
pessoa tenta ter uma vida que não consegue ter, quando recebe
uma notícias ruins de perdas ou doenças como câncer.
2) Transtorno de ansiedade não sei o que é
Entrevistas
Participante 6:
1) Depressão: Vei eu acho que é uma doença psíquica, que pode
acontecer por causa de traumas, crises de personalidade.
2) Ansiedade: Vou deixar em branco, não sei responder, preciso
ler mais.
Entrevistas
Participante 7:

1) Depressão: Depressão é um bocado de nada. Não é só


tristeza, é incapacidade de sentir e fazer algumas coisas em muitos
momentos. Ela ocorre por inúmeros motivos.
Entrevistas
Participante 7:
2) Ansiedade: Transtorno de ansiedade é um evento onde a
ansiedade, que todos sentimos, está no seu pico. Onde existe
tantos pensamentos e sentimentos que aderem sentidos confusos
e angustiantes. Acredito que ocorre por um hábito de pensar
demasiadamente. Não acho que existiria ansiedade sem
pensamentos.
3) Extra: Achou as perguntas difíceis, por não ter background no
assunto.
Entrevistas
Participante 8:
1) Depressão: É o sentimento de incapacidade. Quando a
“vítima” se acha incapaz de ter uma vida normal ou como
planejava, não tem vontade de sair de casa seja para se
divertir ou trabalhar ela simplesmente se sente incapaz de
viver. Acontece por receber notícia ruim e então perde as
esperanças no futuro ou em si próprio e então fica sempre se
sentindo péssima e na lama.
Entrevistas
Participante 8:
Acontece também pelo convívio com o ambiente que o
cerca, acho que se o ambiente e as companhias com quem
anda for alegre e para cima é muito mais difícil ter depressão
do que uma pessoa que vive sozinha e isolada e não tem
alguém para conversar ou desabafar sobre os problemas;
esses sentimentos se acumulam e então o sentimento de
incapacidade entra em cena.
Entrevistas
Participante 8:
1) Ansiedade: É a falta de controle no que está para
acontecer consigo e ao seu redor, com essa falta de controle
a pessoa fica sempre preocupada (mais que o normal) com o
que vai acontecer e se irá acontecer da maneira que ela
espera, assim ficando ansiosa demais criando medo de fazer
as mais simples atividades diárias.
Entrevistas
Participante 9:
1) Depressão: Depressão é uma doença em que o
paciente não encontra significado nas suas ações e
existência, decorrendo uma vida vazia e sem gosto. Vários
fatores, variando de indivíduo para indivíduo, mas na maioria
dos casos, vêm de problemas sociais, seja ela familiar ou
escolar, normalmente deturpações, eliminando a paz do
ambiente diante o indivíduo.
2) Ansiedade: Esse eu não sei.
Entrevistas
Participante 10:
1) Depressão: É um conjunto de problemas mal resolvidos,
acontece por causa da ansiedade.
2) Ansiedade: É quando a pessoa não consegue controlar
mais a ansiedade, acontece porque a pessoa pensa muito
em como resolver os problemas.
Entrevistas
Participante 11:
1) Depressão: Acho que depressão é um estado em que a
pessoa se encontra desestimulada, sem vontade de fazer as
coisas, com humor triste. O porquê de a depressão acontecer
geralmente é multifatorial, não se deve a uma coisa só. Até a
genética influencia. Os acontecimentos da vida da pessoa, as
dificuldades enfrentadas, a falta de ajuda profissional e
familiar...
Entrevistas
Participante 11:
2) Ansiedade: Eu acredito que transtorno de ansiedade se
refere a um grupo de doenças em que a pessoa sente
ansiedade de forma patológica, que interfere na qualidade de
vida dela. O porque também acho que é multifatorial. Pode
ter relação com a demanda de tempo, sobrecarga, estresse,
falta de apoio profissional e familiar...
Entrevistas
Participante 12:
1) Depressão: Depressão ou ato de se deprimir é um
distúrbio que se caracteriza pela perda de interessante nas
atividades, rotina. É capaz de distanciar o indivíduo do seu
ciclo social, o recolhendo para a solidão, de fato. Uma
pessoa depressiva se vê e gosta de estar sozinho. Acontece
por alterações hormonais, alteração na percepção.
Entrevistas
Participante 12:
2) Ansiedade: Transtorno de ansiedade ou distúrbio de
saúde mental é caracterizado por sentimentos de
preocupação, ansiedade ou medo que são fortes o bastante
para interferir nas atividades diárias de um indivíduo. No meu
caso, é relacionado aos hormônios, ganhei peso e o que
dificulta ainda mais a minha interação com as pessoas,
prefiro ficar em casa ao sair.
Entrevistas
Participante 12:
Também se remete as preocupações, se eu tenho um
problema não resolvido, terei uma crise. O foco do
pensamento é no problema, até que ele se resolva, e nesse
processo fico ansiosa, tenho insônia, enfim.
Depoimento
Mel #1

Minha ansiedade dói na mente, dói no meu corpo, não me deixa respirar, me
causa dor no estômago, feridas na mão, manchas roxas no corpo,muita perda
de cabelo, medo de me expressar entre as pessoas, faz com que eu não
acredite no meu potencial, me deixa com medo de fazer coisas simples como
ir no super mercado, me deixa deprimida. Perco o controle sobre meus
sentimentos e tudo parece ser caos... A ansiedade me faz ficar me preparando
o dia todo como se algo ruim fosse acontecer, porque de alguma forma sinto
que algo ruim vai acontecer. Ansiedade vem com um aperto no peito, cria um
Depoimento
nó na garganta, me faz ter ânsias de vômito e até diarréia, e meu corpo todo
dói. A ansiedade me seca a boca, me faz tremer e meu corpo formigar. Me
torna propensa a qualquer momento poder cair no choro, e esse choro ser
incontrolável. Ter ansiedade me priva constantemente, me faz cancelar coisas
que marquei em cima da hora, coisas que queria fazer, coisas que quero
conseguir fazer, mas às vezes só consigo ficar sozinha. A ansiedade me faz
pedir desculpas demais, me faz sentir um estorvo para todos. E é comum
agonizar dias e dias pensando se falei algo que não devia, me faz não
conseguir pedir ajuda por achar que minha dor não é válida. A ansiedade me
Depoimento
deixa acordada a noite toda, e ter pesadelos quando enfim durmo, acordar
com o coração descompassado, sem conseguir respirar. Não é legal ter
Ansiedade me faz pensar demais, racionalizar demais, e isso acaba de
deixando exausta ... Estou sempre medindo palavras, pensando demais antes
de agir. Me faz parecer dramática, louca, pra quem não tem. As pessoas não
conseguem entender o que acontece em meu interior. Me faz mentir toda vez
que alguém pergunta se está tudo bem. Mesmo quando minha mente está me
matando, digo que está tudo ótimo porque não quero ter que explicar que
não tenho controle sobre isso, e que me sinto muito confusa e perdida, nesse
momento. Me faz sentir a todo segundo que tem alguém chateado com algo
Depoimento
que fiz ou falei. O peso de tudo fica dobrado e sinto que preciso cuidar de
todo mundo, mas não deixo ninguém cuidar de mim. Não quero ouvir que
estou sendo ridícula ou exagerada. Só quero que entendam que minhas
qualidades estão acima da ansiedade, que ela não determina quem eu sou. Se
você também luta contra a ansiedade, saiba que não está sozinho. Alguns dias
são difíceis mesmo, mas uma hora o sossego há de chegar para cada um. E
para quem não tem, mas conhece alguém que tenha, para quem conhece a
mim, respeite essa pessoa, me respeite, não nos julgue. No fim, estamos
todos tentando sobreviver a nós mesmos e a esse mundão, mas algumas
pessoas têm batalhas maiores que as outras, e são mais frágeis que outra.
Depoimento
Seja gentil, você não sabe pelo que o outro está passando. E não sabe pelo o
que ainda pode passar. Mais meu Deus é o Deus do impossível sei que vou
superar essa doença e logo estarei bem 🙏🍀
INTERVALO
DSM - 5
➢ Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais
➢ Autoria: Associação Psiquiátrica Americana
➢ 5ª edição:
○ Oficialmente publicado em 18 de maio de 2013
○ Resultado de doze anos de estudos
○ Revisões e pesquisas de campo realizadas por
centenas de profissionais de diferentes áreas
(psiquiatras, psicólogos, neurocientistas, assistentes
sociais)
Transtornos Depressivos
➢ Transtorno Depressivo Maior
○ Humor deprimido, diminuição do interesse ou prazer e da
capacidade de pensar ou se concentrar
○ Pelos menos duas semanas consecutivas
○ Prevalência aproximada de 7% (feminino, início da adolescência)

➢ Transtorno Disruptivo da Desregulação do Humor


○ Explosões de raiva recorrentes e graves (inconsistentes com o
nível de desenvolvimento)
○ Humor entre as explosões é persistentemente irritável
○ 2 a 5% de prevalência (crianças e adolescentes Masc.)
Transtornos de Ansiedade

➢ Fobia Específica
○ Medo ou ansiedade acentuada acerca de um objeto ou situação
(alturas, animais, sangue, etc.)
○ Medo ou ansiedade desproporcional em relação ao perigo real
○ Prevalência de 2 a 4% (16% em jovens de 13 a 17 anos)
○ Maior ocorrência em pessoas do sexo feminino (proporção de 2:1
em relação ao masculino)
Transtornos de Ansiedade

➢ Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)


○ Ansiedade e preocupação excessiva acerca de diversos eventos
○ Intensidade, duração ou frequência desproporcional ao real
impacto do evento
○ Dificuldade em controlar preocupações e evitar que estas
interfiram na atenção às tarefas executadas
○ Prevalência de 0,4 a 3,6% (duas vezes mais probabilidade de
ocorrência no sexo feminino)
Programas e Iniciativas
O centro de valorização da vida tem como
principais objetivos a prevenção do
suicídio e o apoio emocional.

Tel: 188 ou 141 (BA, MA, PA e PR).

Ações.
Programas e Iniciativas

➢ Ter mais de 18 anos


➢ Pelo menos 4 horas/semana
Programas e Iniciativas

➢ Mais de 2 milhões de atendimentos anuais


➢ Aproximadamente 2.400 voluntários
Programas e Iniciativas
APP desenvolvido pela UFRS, visa auxiliar as
Unidades Básicas de Saúde no diagnóstico de
doenças depressivas e identificação de risco de
suicídio.

Campanha Fitas do Bem: Eu Acredito na


Psicologia ao Alcance de Todos. Atendimentos
em grupos gratuitos e psicoterapias com
valores sociais (máx. R$ 50,00).
Atenção em Saúde: Depressão

➢ Gestão do Cuidado
○ Depressão e a perspectiva do Acolhimento e do
Cuidado;
○ Escuta qualificada e Acolhimento (Política de
Humanização do SUS, 2008).
Atenção em Saúde: Depressão

➢ Avaliação e Abordagem Inicial (Guia de Referência


Rápida - SUS-RJ)
○ Histórico de Episódios Depressivos no passado;
○ Comorbidades Mentais e Físicas;
○ Qualidade das Relações Interpessoais
○ Avaliação e Monitoramento dos Riscos
○ Psicoeducação
Atenção em Saúde: Depressão
➢ Tratamento e Abordagens Posteriores - Escolha da
Intervenção
○ Duração do episódio e trajetória dos sintomas.
○ Presença de episódios depressivos no passado e
respectiva resposta ao tratamento.
○ Probabilidade de adesão e possíveis efeitos
adversos.
○ Preferências da pessoa.
○ Curso e tratamento de qualquer problema
crônico de saúde.
Atenção em Saúde: Ansiedade

➢ Entrada no serviço de atendimento pelo SUS: Unidades


Básicas de Saúde
○ Guia de Referência Rápida sobre Ansiedade Generalizada
e Transtorno do Pânico: Manejo nos níveis primário e
secundário de atenção.
Atenção em Saúde: Ansiedade

➢ Orientação do Guia de Referência Rápida: organizado em


quatro passos.
○ 1º Passo: Suspeita ou diagnóstico de Ansiedade
Generalizada, orientação e monitoramento ativo;
■ Comunicação do diagnóstico, oferta de psicoeducação
e monitoramento. Em caso de prejuízo funcional, ir
diretamente ao passo 3.
Atenção em Saúde: Ansiedade

➢ Orientação do Guia de Referência Rápida: organizado em


quatro passos.
○ 2º Passo: AG que não demonstra melhora após o passo 1;
■ Consultas frequentes focadas em escuta e
acolhimento, poucas sessões (10), atividade física não
supervisionada, participação em grupos de saúde
mental ou de convivência.
Atenção em Saúde: Ansiedade

➢ Orientação do Guia de Referência Rápida: organizado em


quatro passos.
○ 3º Passo: AG com prejuízo funcional ou sem melhora a
partir do passo 2;
■ Psicoterapia e/ou tratamento farmacológico.
Orientação sobre vantagens e desvantagens. Oferta de
ISRS. Evitar antipsicóticos na atenção primária e
benzodiazepínicos na atenção primária e secundária.
Atenção em Saúde: Ansiedade

➢ Orientação do Guia de Referência Rápida: organizado em


quatro passos.
○ 4º Passo: AG refratária ao tratamento, autonegligência,
risco de automutilação;
■ Tratamento com especialista, geralmente com drogas
específicas e/ou tratamento psicoterápico.
Participação em CAPS, hospital-dia ou internação.
Atenção em Saúde: Ansiedade

➢ Atenção secundária e CAPS:


○ UPAs, ambulatórios e serviços-escola;
○ CAPS: intermediário entre ambulatório e internação
hospitalar;
○ Possibilidade de tratamentos diferenciados: rodas de
conversa, terapia ocupacional, produção de artesanato e
afins;
○ Atendimento de emergências e urgências.
Referências
Brito, C. S. e Rodrigues, E. P. (2011). O Estresse E A Ansiedade Na Sociedade Do Século
XXI: Um Olhar Cognitivo-Comportamental, Rev. FSA, Teresina, v.8, n.1,
jan./dez. 2011

SOLOMON, A. Demônio do meio-dia: uma anatomia da depressão. 2. ed. São Paulo: Companhia das
letras, 2014.

HIDAKA, B. H. Depression as a disease of modernity: Explanations for increasing prevalence. Journal


of Affective Disorders, 140, p. 205–214, 2012.

ARANTES, Daniel Victor. Depressão na atenção primária a saúde. Revista Brasileira de Medicina de
Família e Comunidade, v. 2, n. 8, p. 261-270, 2007.

ALVES, Railda Fernandes. Psicologia da saúde: teoria, intervenção e pesquisa. EDUEPB, 2011.