Você está na página 1de 50

Tubulações, válvulas e

acessórios

OPERAÇÕES UNITÁRIAS

PROFª.: ALANA

23/02/2018
Tubulações

 Tubos: condutos fechados destinados ao transporte de


fluidos, e geralmente são de seção circular.
 O termo usado para denominar um conjunto de tubos e
seus acessórios é tubulação ou sistema de escoamento.
 O valor da tubulação está entre 30 e 70% do valor total dos
equipamentos de uma indústria, dependendo do tipo de
processo.
 Podem ser fabricados de vários materiais (aços, cobre,
latões, PVC, polietileno...)
Tubulações

 Diâmetro nominal: termo comercial para designar o


diâmetro dos tubos de condução, eletroduto e petrolífero.
Também utiliza-se o termo “bitola”. Não corresponde à
medida efetiva da circunferência do tubo.
Tubulações

Os tubos, para formar as tubulações, devem ser ligados


entre si e com os acessórios da tubulação
 Ligações rosqueadas: baixo custo. Pequenos diâmetros
Tubulações

 Ligações flangeadas: montados em pares e geralmente


unidos por parafusos (compressão). Facilmente
desmontáveis
Tubulações

 Ligações soldadas: resistência mecânica, estanqueidade


perfeita e permanente. Exigem mão de obra especializada
Válvulas

 Destinam-se a estabelecer, controlar e interromper o


escoamento.

 Em qualquer instalação deve-se usar o menor número de


válvulas possível, porque são peças caras, sujeitas a
vazamentos e que introduzem perdas de carga (que
podem ser elevadas).
Válvulas

Os principais tipos de válvula são:


- Válvulas de bloqueio
- Válvulas de regulagem
- Válvulas que permitem o escoamento em um só
sentido
- Válvulas de controle de pressão
Válvulas

Há uma grande variedade de sistemas usados para a


operação das válvulas:

1) Operação manual: por meio de volante, alavanca,


engrenagens, parafusos sem-fim,etc.
2) Operação motorizada: pneumática, hidráulica e elétrica.
3) Operação automática: pelo próprio fluido (por diferença de
pressões gerada pelo escoamento), por meio de molas e
contrapesos.
Válvulas - Bloqueio

São as válvulas que destinam-se a estabelecer ou


interromper o fluxo e devem funcionar completamente
abertas ou completamente fechadas.

Válvula gaveta
É a válvula de uso mais generalizado, mas que com a
aparição de válvulas mais leves e mais baratas (esfera e
borboleta, principalmente), seu uso é cada vez menor. O
fechamento nessas válvulas é feito pelo movimento de uma
peça denominada gaveta, que se desloca paralelamente ao
orifício da válvula.
Válvulas - Bloqueio

Válvula gaveta
Se ela estiver totalmente aberta, há passagem do fluido,
existindo uma pequena perda de carga. Mas quando está
parcialmente aberta, pode ocorrer uma grande perda de
carga.

Em seu funcionamento, ocorre o


deslizamento de um disco por dentro
do fluxo do fluido. O seu acionamento é
semelhante ao de uma gaveta em um
armário, ou seja, o disco penetra no
fluido, o bloqueia, sai do fluxo e
permite a fluidez.
Válvulas - Bloqueio

Válvula gaveta
Válvulas - Bloqueio

Válvula esfera
Possui esse nome devido seu obturador ser em forma
esférica vazada, por onde o fluido passa quando está
totalmente aberta. Quando fechada, seu furo fica
perpendicular ao sentido do fluxo, bloqueando a passagem.

Melhor opção quando é necessário um bloqueio ou uma


abertura rápida, devido sua agilidade de operação. Possui
uma ótima estanqueidade, mesmo em alta pressão e possui
uma perda de cargas praticamente desprezível.
Válvulas - Bloqueio

Válvula esfera
Válvulas - Regulagem

São destinadas a controlar o escoamento, podendo


trabalhar em qualquer posição de fechamento parcial.

Válvula globo
O fechamento é feito por meio de um tampão que se ajusta
contra uma única sede. A posição relativa entre o obturador
e a sede é que estabelece a abertura da válvula. Causam,
em qualquer posição de fechamento, fortes perdas de carga,
devido à mudança brusca de direção imposta ao fluido.
Válvulas - Regulagem

Válvula globo
Muito utilizadas no controle do fluxo quando é necessária a
regulagem da vazão ou da pressão de um fluido.
Válvulas - Regulagem

Válvula globo em Y
Nessas válvulas, a haste fica em um ângulo de 45° com o
corpo, o de modo que a trajetória da corrente de líquido fica
quase retilínea, com um mínimo de perda de carga.
Válvulas - Regulagem

Válvula agulha
O tampão é substituído por uma peça cônica, a agulha, que
permite um controle preciso do escoamento. São válvulas
para regulagem fina de líquidos e gases, em diâmetros de
até 2".
Válvulas - Regulagem

Válvula borboleta
São basicamente válvulas de regulagem, mas também
podem trabalhar como válvulas de bloqueio.
O fechamento da válvula é feito por meio de uma peça
circular que gira em torno de um eixo perpendicular ao
sentido de escoamento do fluido.
Podem ser manuais ou com controle pneumático.
A válvula borboleta, além de ser barata, provoca pequena
perda de carga e pode ser usada com líquidos de alta e
baixa viscosidade.
Válvulas - Regulagem

Válvula borboleta
Válvulas - Regulagem

Válvula diafragma
São válvulas muito usadas para regulagem ou bloqueio de
fluidos corrosivos. A válvula se fecha por meio de um
diafragma flexível que é apertado contra a sede. O
mecanismo que controla o diafragma não tem contato com o
fluido e, por isso, são recomendadas para processamentos
estéreis.
Válvulas - Regulagem

Válvula diafragma

Através do giro do
volante, a haste central
desloca o compressor
e o diafragma para
cima, deixando o fluido
passar livremente ou
desloca o compressor
e o diafragma para
baixo até encostá-lo na
sede do corpo,
bloqueando totalmente
a passagem do fluido.
Válvulas que permitem o deslocamento do fluido
em apenas um sentido

Válvula de retenção
Permitem a passagem do fluido em apenas um sentido,
fechando-se automaticamente por diferença de pressões,
exercidas pelo fluido em consequência do escoamento, no
caso de haver a tendência à inversão no sentido do fluxo.
São, portanto, válvulas de operação automática.
Costumam provocar elevada perda de carga e só devem ser
usadas quando for imprescindível.
Válvulas que permitem o deslocamento do fluido
em apenas um sentido

Válvula de retenção tipo portinhola


O fechamento é feito por uma portinhola que se assenta no
orifício da válvula.
Válvulas que permitem o deslocamento do fluido
em apenas um sentido

Válvula de pé
São instaladas na entrada das tubulações de sucção das
bombas com a finalidade de impedir o retrocesso da água
quando o bombeamento é desligado.

Elas impedem o esvaziamento do


tubo de sucção da bomba,
colocada acima do reservatório,
eliminando a necessidade do
escorvamento cada vez que a
bomba é posta em
funcionamento.
Válvulas que permitem o deslocamento do fluido
em apenas um sentido

Válvula de pé
A válvula de pé geralmente contem um acessório adicional
chamado crivo, que tem como função não permitir o acesso de
material sólido grosseiro ou corpos estranhos ao interior da sucção
evitando danos ao sistema, por este motivo é normal referir-se ao
termo "válvula de pé", como "válvula de pé com crivo".
Válvulas controladoras de pressão

Válvula de segurança e alívio


Essas válvulas abrem-se automaticamente, quando a
pressão ultrapassa um determinado valor para o qual a
válvula foi ajustada. A válvula fecha-se em seguida,
automaticamente, quando a pressão cair abaixo do valor de
abertura. São denominadas de "segurança", quando
destinadas a trabalhar com fluidos compressíveis (vapor, ar,
gases) e "de alívio" quando trabalham com líquidos, que são
fluidos incompressíveis.
Válvulas controladoras de pressão

Válvula de segurança e alívio


Válvulas controladoras de pressão

Válvula redutora de pressão


Regulam a pressão dentro de limites pré-estabelecidos. São
automáticas e fecham-se por meio de molas de tensão
regulável, de acordo com a pressão desejada. Esse tipo de
válvula mantém controle preciso de baixas pressões,
independente das variações de vazão ou da pressão de
entrada. São muito utilizadas nas instalações de vapor e ar
comprimido, nas redes de abastecimento de água nas
cidades e nas instalações de água em prédios altos.
Válvulas controladoras de pressão

Válvula redutora de pressão


Acessórios

Os acessórios se classificam de acordo com a sua


finalidade:
1. Fazer mudança da direção do fluxo (45º , 90º
e 180º ):
 Curvas de raio longo
 Curvas de raio curto
 Cotovelos
Acessórios

1) Mudança da direção do fluxo


Acessórios

2. Fazer derivações em tubos:


 Tês normais (90º )
 Tês de 45º
 Tês de redução
 Derivações em "Y"
 Cruzetas
Acessórios

2. Derivações em tubos:
Acessórios

3. Fazer mudanças de diâmetro em tubos:


Acessórios

4. Fazer ligações de tubos entre si ou de


equipamentos a tubos:
 Niples e luvas
 Abraçadeira: facilita a limpeza da instalação
 Flanges
 Uniões: facilita a troca de peças
Acessórios

4. Ligações de tubos entre si ou de


equipamentos a tubos:
Acessórios

5. Fazer o fechamento da extremidade de tubos


 Tampão
 Porca-tampão
Equipamentos para
Centrifugação

OPERAÇÕES UNITÁRIAS

PROFª.: ALANA

11/05/2018
Centrífuga de Tubos

 Escala laboratorial

 Descontínuas

 Volumes de 45 µL a 5 L
Centrífuga de Tubos
Centrífuga Tambor Tubular

 Vaso exterior estacionário

 Tambor cilíndrico interior rotativo

 Altura do tambor é de 5 a 7 vezes o diâmetro

 A alimentação é feita pela base, o clarificado é


retirado pelo topo e os sólidos depositados são
recolhidos periodicamente
Centrífuga Tambor Tubular
Centrífuga Tambor Tubulares
Centrífuga de Disco

 Tambor com cones metálicos igualmente espaçados


(discos ou pratos) rodando no interior de um vaso
estacionário

 Inclinação dos discos relativamente ao eixo de


rotação é de 35-50º

 A suspensão (ou a emulsão) é introduzida através


de um canal central e distribuída pelo espaço entre
os discos
Centrífuga de Disco

 O clarificado é recolhido pelo topo

 Os sólidos sedimentados são projetados ao longo da


face inferior dos discos, em direção à parede do
vaso
Centrífuga de Disco
Centrífugas Decantadoras

 Centrífugas tubulares modificadas, compostas por


seções cilíndricas e cônicas

 Os sólidos depositados nas paredes são removidos


por ação de um parafuso que roda a uma velocidade
0,5 a 5% inferior à velocidade do vaso

 Operam continuamente
Centrífugas Decantadoras

 Utilizadas para suspensões de elevado teor de


sólidos (≤ 60%) contendo partículas de tamanho
médio ou elevado (> 5 mm)
Centrífugas Decantadoras

Centrífuga Vantagens Desvantagens


Elevada força centrífuga, fácil de Baixa capacidade de
limpar, montagem simples, sólidos, difícil recuperação
Tubular
elevada desidratação de sólidos, limpeza a cada 2
a 10 kg de sólidos
Discos Descarga de sólidos possível, Difícil de limpar, elevados
descarga do clarificado sob custos de instalação e
pressão elimina formação de operação, baixa
espuma, arrefecimento possível desidratação de sólidos
Decantadora Mais versátil e econômica, Baixa força centrífuga,
descarga contínua de sólidos, turbulência gerada pelo
elevada capacidade de sólidos, parafuso
exige pouca mão de obra