Você está na página 1de 102

ISOMERIA

ISOMERIA

Isomeria é o fenômeno em que


compostos orgânicos têm a
mesma fórmula molecular,
sendo diferentes.
ISOMERIA

Etimologicamente, significa
partes iguais.

1. ISO, igual
2. MEROS, partes
Os compostos
(modelos ao lado)
são diferentes. As
propriedades
físicas não são
iguais.
Mas as substâncias
têm a mesma
fórmula molecular
(C4H10O).
São, portanto,
ISÔMEROS.
ISOMERIA

ISOMERIA
(COMPOSTOS DIFERENTES, MAS COM MESMA FÓRMULA
MOLECULAR)

PLANA ESPACIAL

DE CADEIA DE POSIÇÃO DE FUNÇÃO METAMERIA GEOMÉTRICA ÓPTICA


ISOMERIA PLANA

É aquela que ocorre quando a diferença entre os


isômeros pode ser explicada observando-se
apenas as fórmulas estruturais planas.

ISOMERIA PLANA

DE CADEIA DE POSIÇÃO DE FUNÇÃO METAMERIA


DE CADEIA

Também chamada isomeria de núcleo, é


aquela em que os isômeros têm cadeias ou
núcleos diferentes.
DE POSIÇÃO

É aquela que ocorre quando os isômeros têm a


mesma cadeia carbônica, mas diferem na posição
de ligantes ou de ligações duplas ou triplas.
DE FUNÇÃO

Também chamada isomeria funcional, é aquela


que ocorre quando os isômeros pertencem a
funções químicas diferentes.
DE FUNÇÃO

Outros exemplos...
DE FUNÇÃO

Existe um caso particular de isomeria de


função em que os dois isômeros ficam
em equilíbrio dinâmico.
É chamada particularmente
TAUTOMERIA.
TAUTOMERIA

Os casos mais comuns de tautomeria


ocorrem entre:
1. Aldeído e enol;
2. Cetona e enol.
TAUTOMERIA

Exemplo de tautomeria envolvendo aldeído e


enol.
TAUTOMERIA

Exemplo de tautomeria envolvendo cetona e


enol.
METAMERIA

Também chamada de isomeria de


compensação, é aquela em que os isômeros
diferem pela posição de um heteroátomo na
cadeia.
METAMERIA

Outros exemplos ...


ISOMERIA ESPACIAL

É aquela que pode ser explicada por meio de


estruturas (fórmulas) espaciais. É também
chamada ESTERIOISOMERIA.

ISOMERIA ESPACIAL

GEOMÉTRICA ÓPTICA
Analisando uma questão
• Como exércitos de formigas conseguem seguir exatamente
o mesmo trajeto até a comida?

 A resposta está relacionada aos feromônios, que


são substâncias química produzidas e secretadas
por indivíduos de uma determinada espécie.

 Tais substâncias, quando alcançam os órgãos


olfativos de outros indivíduos da mesma espécie,
desencadeiam uma série de reações.
 Uma formiga produz e libera um feromônio de
recrutamento por todo o camino que ela percorre desde
o formigueiro até o local onde foi encontrada a comida.

 As outras formigas ao sentirem o odor desse feromônio,


seguem a mesma trilha até a comida.

 Uma abelha em perigo libera um feromônio de alarme.


Tal substância, altamente volátil, se dispersa no ar com
rapidez e chega até as outras abelhas. Assim que ela
sentem o odor desse feromônio, fogem do perigo.
 Esse é um interessante mecanismo
evolutivo de proteção apresentado não só
pelas abelhas, mas também por vários
outros tipos de animais.

 Uma cadela que esteja no seu período


fértil (cio) produz e libera um feromônio
que atrai o cão para a cópula. Nesse caso,
temos um feromônio sexual.
 A mosca-doméstica também utiliza feromônios para
assegurar sua reprodução. Em geral uma quantidade
reduzissíma (por exemplo, 10-23 grama) de feromônio
sexual liberado já é o suficiente para atrair o macho.

H3C —(CH2)7 —CH = CH—(CH2)12— CH3


Feromônio sexual produzido pela moca-doméstica

 Essa substância é um hidrocarboneto de estrutura


relativamente simples, que pode ser produzido em
laboratório.
 E qual seria a finalidade de produzir em laboratório o
feromônio sexual da mosca doméstica?

 A resposta é simples. Há muitos locais onde a presença


de moscas contribui para a propagação de doenças.

 Dessa maneira, o uso de feromônio sexual pode atrair


os machos para armadilhas. Sem os machos, deixa de
haver reprodução do inseto e, conseqüentemente,
consegue-se reduzir sua população e combater a
propagação de doenças.
 O emprego dos feromônios está se tornando cada vez
mais importante, e cada vez mais vêm sendo realizadas
pesquisas a seu respeito.

 Um pesquisador produziu a substância com a fórmula


estrutural a seguir (note que é a mesma do feromônio
sexual da mosca-doméstica). No entanto, verificou que
essa substância não atraía os insetos. O que teria saído
errado?

H3C —(CH2)7 —CH = CH—(CH2)12— CH3


H H Cl H
   

H—C—C—H H—C—C—H
   

Cl Cl H Cl

Representam a mesma substância?

Cl Cl Cl H
C=C C=C

H H H Cl
 Para responder, comecemos com um
comparação. Imagine duas tábuas pelas quais
atravessamos um prego (figura 2a). Existe a
possibilidade de girá-las livremente ao redor
desse prego.

 Agora imagine que atravessemos dois pregos


(figura 2b). Nesse caso, o movimento giratório
está travado.
 O mesmo acontece com ligações covalentes entre
carbonos. Ao longo de uma ligação simples (figura 3)
existe liberdade rotacinoal, mas ao longo de uma dupla
(figura 4), não.
H H Cl H
   

H—C—C—H H—C—C—H
   

Cl Cl H Cl

Assim, podemos dizer que os dois compostos


acimaa, representam a mesma substância.

1,2-dicloroetano (C2H4Cl2)
Cl Cl Cl H
C=C C=C

H H H Cl

Não representam o mesmo composto, portanto o


nome - 1,2-dicloroeteno (C2H2Cl2)– não está
correto, sendo necessário acrescentar algo na sua
nomenclatura para diferenciar um do outro.
 Esses dois últimos compostos podem ser
definidos como isômeros, pois são compostos
diferentes que possuem a mesma fórmula
molecular (C2H2Cl2).

Fórmula molecular: C2H2Cl2 Fórmula molecular: C2H2Cl2


Massa molar: 97 g/mol Massa molar: 97 g/mol
PE: 600C PE: 490C
Densidade = 1,28 g/cm3 Densidade = 1,26 g/cm3
 Como você poder perceber, a diferença entre
esses dois compostos está na disposição
geométrica dos grupos ligados aos carbonos da
dupla.

 A isso chamamos de ISOMEGERIA GEOMÉTRICA,


e esses compostos são diferenciados por meio dos
prefixos CIS e TRANS.
A nomenclatura é feita adicinando-se o prefixo cis ou
trans para diferenciar os isômeros, sendo adotada a
nomenclatura.

CIS – para o isômero que possui os maiores


grupos (maior massa) do mesmo lado;
(CIS = mesmo lado)

TRANS – para o isômero que possui os


menores grupos (menor massa) em lados
opostos;
(TRANS = lados opostos)
CONDIÇÕES PARA OCORRÊNCIA DE
ISOMERIA GEOMÉTRICA.

Em Cadeias acíclicas ou alifáticas (abertas)


• Ligação dupla entre carbonos;
• Ligantes diferentes em cada carbono da dupla;

R1 R3
C=C R1 ≠ R2
R3 ≠ R4
R2 R4
 Toda vez que essa condição é satisfeita, trocando
de posição os ligantes de um dos carbonos ao
escrever a estrutura, chega-se a outro composto,
seu isômero geométrico. Para ficar mais claro,
veja os seguintes exemplos de casos em que NÃO
há isomeria geométrica.

PROPENO
H2C = CH - CH3

H CH3 H H
C=C C=C
H CH3
H H
Não possui isômeros geométricos
Observe agora exemplos em que há isomeria
geométrica.

but-2-eno
CH3 - CH = CH – CH3

CIS = grupos metil do mesmo lado e hidrogênios do mesmo lado


TRANS = grupos metil e hidrogênios em lados opostos
pent-2-eno
CH3 - CH = CH – CH2 - CH3

Esse composto é um exemplo de que o prefixo CIS é atribuído ao


isômero que possui os maiores grupos do mesmo lado, enquanto
que o nome trans é atribuído ao isômero que possui os maiores
grupos em lados opostos.
 Examinando os compostos citados você também
pode perceber como é feita a nomenclatura.
Chamamos de CIS o composto em que os maiores
gupos de cada carbono estão posicionados de um
mesmo lado da ligação dupla (C=C) e de TRANS o
composto em que os maiores grupos de cada
carbono estão em lados opostos dessa linha.
Em Cadeias cíclicas ou alicíclicas (fechadas)
• cadeia cíclica;
• Ligantes diferentes em dois carbonos do ciclo;

R1 R3
R1 ≠ R2
C C
R3 ≠ R4
R2 R4
Resposta ao caso do feromônio da mosca-
doméstica

• Ao apresentarmos anteriormente o caso de um pesquisador


que produziu em laboratório uma substância com a fórmula
estrutural igual à do feromônio sexual da mosca-doméstica.
No entanto, na hora de testá-la, verificou que tal substância
não atraía os insetos. E perguntamos o que teria saído
errado?
 Agora que sabemos o que vem a ser isomeria
geométrica, a resposta fica fácil de ser entendida.

 Analisando a fórmula estrutural do feromônio,


podemos prever a existência de isômeros
geométricos para a substância. Provavelmente,
apenas um dos isômeros (o cis ou o trans) deve
atuar como feromônio.

 O pesquisador obteve em seu laboratório o outro


isômero, que, ao que tudo indica, não deve ser
ativo como feromônio. De fato, as pesquisas
detalhadas revelam que o isômero cis é o que
atua como feromônio sexual da mosca-doméstica,
enquanto o trans não tem o efeito sobre os
machos da espécie.
H3C —(CH2)7 —CH = CH—(CH2)12— CH3

Feromônio sexual
produzido pela mosca-
doméstica (CIS)

Composto produzido pelo


pesquisador (TRANS)
Visão envolve isomeria Geométrica

Na retina - camada que fica na parte posterior do


olho - existem células fotorreceptoras (isto é,
receptoras de luz) que contém uma sustância
chamada cis-retinal. A incidência de luz provoca a
sua transformação em trans-retinal, reação que
gera um impulso elétrico que é enviado ao cérebro.
Lá os impulsos são interpretados, compondo as
imagens que vemos.
H21C14 C4H5O H21C14 H
C = C LUZ C= C
H H H C4 H5O

cis-retinal trans-retinal

O olho dispõe de mecanismos capazes de


reconverter o trans-retinal em cis-retinal, estando,
desta maneira, pronto para receber mais luz. Em
cada segundo esses eventos se repetem milhões de
vezes em nossos olhos.
O retinal é produzido pelo organismo a partir
da vitamina A. A ausência dessa vitamina na dieta
alimentar provoca uma doença conhecida como
“cegueira noturna”, caracterizada pela incapacidade
de enxergar em ambientes pouco iluminados.
Na cenoura existe um a substância denominada B-
caroteno que, quando ingerida, é convertida em vitamina A.
Assim, comer cenouras evita certos tipos de distúrbios
visuais. Isso, é claro, não assegura que quem as coma em
grande quantidade vá possuir uma visão acima do normal
(como acreditam algumas pessoas), pois a presença da retinal
garante o funcionamento de parte do aparelho visual, apenas.
ISOMERIA GEOMÉTRICA
ISOMERIA ÓPTICA

Para tentar compreender porque ocorre


isomeria óptica, façamos, inicialmente
algumas comparações visíveis de
assimetria, visto ser tal conceito
determinante nesse caso.
ISOMERIA ÓPTICA

Assimetria das mãos.


Repare a imagem
especular.
ISOMERIA ÓPTICA

Não é possível
superpor a mão
direita sobre a
esquerda.
Elas são diferentes, ou
melhor,
assimétricas.
ISOMERIA ÓPTICA

Esse tipo de assimetria é dito quiral,


palavra que vem do grego CHEIR, que
significa mão.
ISOMERIA ÓPTICA

Perceba que a tentativa


de sobrepor as
moléculas de ácido
lático, a fim de obter
compostos iguais é
frustrada.
Aqui, como nas mãos, há
assimetria ou
“quiralidade”.
ISOMERIA ÓPTICA

Isso que dizer que existem dois tipos de


ácido lático?
ISOMERIA ÓPTICA

A resposta é sim. Por exemplo, existe um


tipo de ácido lático que é produzido no
leite e outro, nos músculos, quando
temos cãibras.
ISOMERIA ÓPTICA

Os ácidos láticos apresentados têm


isomeria óptica.
Por que isomeria ”óptica”?
ISOMERIA ÓPTICA

Tudo começou com Louis Pasteur


estudando propriedades ópticas
relacionadas às formas de cristais de
sais de amônio de tártaro presentes no
vinho.
ISOMERIA ÓPTICA

Munido de uma pinça, uma lupa e muita


paciência, Pasteur separou os cristais do
sal de amônio, submetendo-os a um feixe
de luz polarizada, num aparelho chamado
polarímetro.
ISOMERIA ÓPTICA

Perceba que os cristais


tem formas
assimétricas.
Pasteur observou o
comportamento das
soluções de ambos ao
polarímetro.
ISOMERIA ÓPTICA

Esquema de um polarímetro.
A luz, ao passar pela amostra, é desviada para
direita ou para a esquerda.
ISOMERIA ÓPTICA

Diz-se que as amostras de sais de tártaro


testadas por Pasteur são opticamente
ativas, pois desviam a luz polarizada,
para a direita ou para a esquerda.
ISOMERIA ÓPTICA

Lembrando que Pasteur separou os sais


em dois grupos, qual o comportamento
frente à luz polarizada?
ISOMERIA ÓPTICA

A amostra que desviou a luz para a direita


chama-se dextrógira (+) e para a
esquerda, levógira (-).
Monossacarídeos
• Isomeria ótica

• Os D e L-gliceraldeído são os isômeros óticos de referência


para todos os monossacarídeos
Aminoácidos
ISOMERIA ÓPTICA

A mistura de ambas não desvia a luz e


Pasteur chamou-as mistura racêmica.
ISOMERIA ÓPTICA

Hoje se sabe que tal comportamento é


devido a carbono ligado a quatro
grupos diferentes entre si: carbono
assimétrico ou quiral.
ISOMERIA ÓPTICA

Voltando ao ácido lático.

Exemplo de quiralidade e consequente ATIVIDADE ÓPTICA.


Repare que o carbono central é assimétrico. Está ligado a quatro
grupos diferentes.
ISOMERIA ÓPTICA
ISOMERIA ÓPTICA

Atenção!

Uma mesma molécula pode apresentar mais


de um carbono assimétrico, o que multiplica
a quantidade de isômeros ópticos para uma
mesma fórmula molecular.
Isômero sem carbono
assimétrico
Isômero meso
ISOMERIA ÓPTICA
ISOMERIA ÓPTICA

Como ficam os nomes dos isômeros do ácido lático?

1. Com desvio para a direita:


(+)ácido-2-hidróxipropanóico
2. Com desvio para a esquerda:
(-)ácido-2-hidroxipropanóico
ISOMERIA ÓPTICA

Há moléculas especiais que originam


isômeros. Esses podem apresentar,
além de comportamentos químicos
diferentes, comportamentos fisiológicos
inesperados.
ISOMERIA ÓPTICA

É o caso, por exemplo, do medicamento


“talidomida” usado para enjôos na
gravidez.
ISOMERIA ÓPTICA
ISOMERIA ÓPTICA
ISOMERIA ÓPTICA
ISOMERIA ÓPTICA
ISOMERIA ÓPTICA
ISOMERIA ÓPTICA

Porque não foram realizados testes


suficientes em relação a um dos
isômeros, muitas crianças cujas as
mães utilizaram-no nasceram sem
dedos das mãos ou pés.
ISOMERIA ÓPTICA

Hoje em dia são exigidos testes mais


rigorosos antes de um medicamento
novo ser lançado no mercado.
Questões

Os ácidos graxos ômega-3 (ácido linolenílico ou ácido cis-9-cis-12-cis-15-


octadecadienoico) e ômega-6 (ácido linoleico ou ácido cis-9-cis-12-
octadecadienoico), presentes em peixes gordurosos, como o salmão,
atum e sardinha, e óleos vegetais, como o de nozes, de avelã e de
amêndoas, são essenciais para o organismo humano. Esses dois
compostos são isômeros entre si. Suas fórmulas estão representadas
abaixo:
O ômega-3 e o ômega-6 apresentam que tipo de
isomeria plana?

a) De função.
b) De cadeia.
c) De posição.
d) Metameria.
e) sem isomeria.
(EsPCEx-SP) O brometo de benzila, princípio ativo do gás
lacrimogêneo, tem fórmula molecular C7H7Br. A fórmula desse
composto admite a seguinte quantidade de isômeros:

a) 2
b) 4
c) 5
d) 6
e) 8
(UERJ) Na tentativa de conter o tráfico de drogas, a Polícia
Federal passou a controlar a aquisição de solventes com
elevado grau de pureza, como o éter (etoxietano) e a
acetona (propanona). Hoje, mesmo as universidades só
adquirem esses produtos com a devida autorização daquele
órgão. A alternativa que apresenta, respectivamente,
isômeros funcionais dessas substâncias é:

a) butanal e propanal.
b) butan-1-ol e propanal.
c) butanal e propano-1-ol.
d) butan-1-ol e propano-1-ol.
(UFPel-RS) As formigas, principalmente as cortadeiras, apresentam uma
sofisticada rede de comunicações, entre as quais a química, baseada na
transmissão de sinais por meio de substâncias voláteis, chamadas
feromônios, variáveis em composição, de acordo com a espécie. O
feromônio de alarme é empregado, primeiramente, na orientação de
ataque ao inimigo, sendo constituído, em maior proporção, pela 4-metil-
heptan-3-ona, além de outros componentes secundários já identificados,
tais como: heptan-2-ona, octan-3-ona, octan-3-ol e 4-metil-heptan-3-ol.
(Ciência Hoje. n. 35. v. 6.)

a) Qual o nome dos grupos funcionais presentes na estrutura da heptan-


2-ona e do octan-3-ol, respectivamente?

b) Quais as funções orgânicas representadas pelos compostos 4-metil-


heptan-3-ona e 4-metil-heptan-3-ol, respectivamente?

c) Identifique um par de isômeros de cadeia, relacionados no texto.


(UEL) A margarina é obtida através do processo de hidrogenação de óleos vegetais.
Durante o processo de hidrogenação parcial dos óleos, átomos de hidrogênio são
adicionados às duplas ligações dos triglicerídeos, formando, além dos compostos
saturados, ácidos graxos praticamente ausentes no óleo original. Dois isômeros que se
formam estão representados nas estruturas I e II. A ingestão do isômero representado
na estrutura II pode aumentar o risco de doenças coronárias. Além disso, várias
pesquisas demonstram também o efeito carcinógeno desse ácido graxo.

Considerando as estruturas I e II, pode-se afirmar corretamente que a isomeria entre


elas é:

a) Isomeria geométrica.
b) Isomeria de posição.
c) Isomeria de compensação ou metameria.
d) Isomeria de cadeia.
e) Isomeria ótica.
(UFF) Algumas substâncias têm a propriedade de desviar o plano de vibração da luz
polarizada e são denominadas oticamente ativas. Esta propriedade caracteriza os
compostos que apresentam isomeria ótica. A condição necessária para a ocorrência de
isomeria ótica é que a substância apresente assimetria.
Considere as representações espaciais das estruturas a seguir:

Em relação às estruturas I, II,III e IV afirma-se corretamente que:

A Todas apresentam atividade ótica.


B Somente a I e a II apresentam atividade ótica.
C Somente a I e a III apresentam atividade ótica.
D Somente a III e a IV apresentam atividade ótica.
E Somente a II e a IV apresentam atividade ótica.
(UNESP) As moléculas de cis-dibromoeteno (I) e trans-dibromoeteno (II) têm a
mesma massa molar e o mesmo número de elétrons, diferindo apenas no
arranjo de seus átomos:

À temperatura ambiente, é correto afirmar que

A os dois líquidos possuem a mesma pressão de vapor.


B cis-dibromoeteno apresenta maior pressão de vapor.
c as interações intermoleculares são mais fortes em (II).
D trans-dibromoeteno é mais volátil.
E as duas moléculas são polares.
Em relação ao ácido lático, de fórmula estrutural acima, presente nos odores
que são a preferência de pernilongos, é possível afirmar que:

a) possui dois isômeros opticamente ativos.


b) possui grupo funcional relativo à função fenol.
c) é isômero funcional do ácido 3-hidróxi-propanóico.
d) apresenta cadeia carbônica heterogênea.
e) sua massa molar é igual a 66g/mol.
(Ufmg) Considere as substâncias com as estruturas

Com relação a essas substâncias, todas as alternativas estão corretas,


EXCETO
a) I e IV são isômeros de função.
b) I e II são isômeros de posição.
c) II e III são isômeros de cadeia.
d) I e III apresentam isomeria geométrica.
e) II e III contêm átomo de carbono quiral.
(Unaerp) O eugenol é um óleo essencial extraído do cravo-da-índia que tem
propriedades anestésicas. O iso-eugenol é outro óleo essencial extraído da
noz moscada. Dadas as estruturas dos dois óleos, pode-se dizer que:

a) são isômeros funcionais.


b) são isômeros de cadeia.
c) não são isômeros.
d) são isômeros de posição.
e) são formas tautoméricas.