Você está na página 1de 33

Instituto de Ensino Superior da Paraíba – IESP

Pós-Graduação em Eng. De Segurança do Trabalho

PROJETO FINAL PCRMEI - ELÉTRICA

NR-10 – SEGURANÇA EM
INSTALAÇÕES E SERVIÇOS DE
João Pessoa – PB
2017 ELETRICIDADE
EQUIPE : Edson Alves
Juan Carlos
Lauandes Marques
Paula Borges
Renata Moreno
SEQUÊNCIA DA APRESENTAÇÃO

• História da NR – 10;

• Importância da Energia para a Sociedade;

• Importância dos Normativos e Capacitações;

• Medidas de Controle segundo a NR – 10;

• Conclusão.
Os trabalhadores que interagem, direta ou indiretamente, em
instalações elétricas e serviços com eletricidade estão expostos a sérios
riscos, que podem acarretar desde uma queimadura de 1º grau até a
sua morte.

NORMA REGULAMENTADORA 10
HISTÓRICO DA NR - 10
Final Da Década De 70
• Governo – MTE
• Imagem Do Brasil
• Mundo Globalizado
• Desenvolvimento Econômico
• Capital Humano
1978
• NR 10 – SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE.
Atualização
• Grande numero de acidentes
• Privatização
• 1998
• 40% ate 2002
2001  2004
• 07/12/2004 – 07/12/2006
NR 10
• A “nova NR 10” – como ficou conhecida – estabelece as diretrizes
básicas para a implementação de medidas de controle e sistemas
preventivos, visando à segurança e à saúde dos trabalhadores que
direta ou indiretamente interajam em instalações elétricas e serviços
com eletricidade nos seus mais diversos usos e aplicações, bem
como todos os trabalhos realizados nas suas proximidades.
ELABORAÇÃO DA NR - 10
O processo de construção da NR-10 foi realizado por três depurações seguindo um
esquema:
• MTE – esboço base para inicio da norma
• Elaborado Em 2001
• Grupo de Eng. Eletricistas e de Segurança do Trabalho.
• Consulta Publica
• Diário Oficial
• Aprovação
• Governo (MTE, ANEL, Previdência Ministerial e Funda Centro);
• Representantes dos Trabalhadores (CUT, CGT, SDS, Força Sindical);
• Representantes dos Empregadores (CNI, CNC, CNT, CNA e CNB);
• Coordenação da Norma.
NR 10
O QUE É A NR 10?
NORMA REGULAMENTADORA DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

O QUE ELA ESTABELECE?


MEDIDAS DE CONTROLE E SISTEMAS PREVENTIVOS PARA GARANTIR A SEGURANÇA E SAÚDE DOS
TRABALHADORES DIRETA OU INDIRETAMENTE LIGADOS AOS SERVIÇOS DE ELETRICIDADE

ONDE SE APLICA A NR 10?


NA GERAÇÃO, TRANSMISSÃO, DISTRIBUIÇÃO E CONSUMO, INCLUINDO AS ETAPAS DE PROJETO,
CONSTRUÇÃO, MONTAGEM, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E
QUAISQUER TRABALHOS NAS PROXIMIDADES.
A IMPORTÂNCIA DA ENERGIA PARA
A SOCIEDADE
A humanidade sobreviveu a muitos estágios evolutivos na sua longa
história neste planeta. Duas descobertas, em particular, têm moldado o
futuro da nossa raça como nenhuma outra: A pólvora e eletricidade.

A primeira foi certamente a causa de muitas tragédias, enquanto a


última ajudou a empurrar a raça humana para frente, embora tenha
causado danos consideráveis à natureza.
A IMPORTÂNCIA DA ENERGIA PARA
A SOCIEDADE
A eletricidade se tornou a principal fonte de luz, calor e força utilizada no
mundo moderno.

Atividades simples...

Grande parte dos avanços tecnológicos que alcançamos se deve à energia


elétrica.
A IMPORTÂNCIA DA ENERGIA PARA
A SOCIEDADE
Obtida a partir de todos os outros tipos de energia, a eletricidade é
transportada e chega aos consumidores no mundo inteiro por meio de
sistemas elétricos complexos, compostos de quatro etapas: geração,
transmissão, distribuição e consumo.
A IMPORTÂNCIA DA ENERGIA PARA
A SOCIEDADE
A IMPORTÂNCIA DA ENERGIA PARA
A SOCIEDADE
A energia elétrica pode ser
produzida através de diferentes
fontes, porém no Brasil ela na
maioria das vezes vem das usinas
hidrelétricas, que utilizam as
quedas d’água dos rios para gerar
eletricidade.
EM NOSSO DIA-A-DIA
Pelo fato de necessitarmos da energia em quase todas nossas atividades
diárias teríamos grandes prejuízos caso a mesma fosse retirada.

Com um corte de apenas uma hora na região brasileira...

Em supermercados haveria grande possibilidade de acontecer uma


catástrofe, devido à enorme utilização de energia para manter seus
produtos em boa conservação.
IMPORTÂNCIA DOS NORMATIVOS E
CAPACITAÇÃO
10.8 – Habilitação, Qualificação, Capacitação e Autorização dos
trabalhadores.

• Trabalhador Qualificado
10.8.1 – É considerado trabalhador qualificado aquele que comprovar
conclusão de curso específico na área elétrica reconhecido pelo Sistema
Oficial de Ensino.

• Trabalhador Habilitado
10.8.2 – É considerado profissional legalmente habilitado o trabalhador
previamente qualificado e com registro no competente conselho de classe.
IMPORTÂNCIA DOS NORMATIVOS E
CAPACITAÇÃO
• Trabalhador Capacitado
10.8.3 – É considerado trabalhador capacitado aquele que atenda às
seguintes condições, simultaneamente:

a) Receba capacitação sob orientação e responsabilidade de profissional


habilitado e autorizado;
b) b) Trabalhe sob a responsabilidade de profissional habilitado e
autorizado.
• Trabalhador Autorizado
10.8.4 – São considerados autorizados os trabalhadores qualificados ou
capacitados e os profissionais habilitados, com anuência formal da
CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DA
AMBIENTAÇÃO
A importância deste item está no
fato de que não basta estar
qualificado, habilitado e
capacitado;

Antes de autorizar um trabalhador


é preciso ambientá-lo na área em
que irá trabalhar.
VALIDAÇÃO DE CAPACITAÇÃO
10.8.3.1 – A capacitação só terá validade para a empresa que o capacitou e nas
condições estabelecidas pelo profissional habilitado e autorizado responsável pela
capacitação.

10.8.8.2 – Deve ser realizado um treinamento de reciclagem bienal e sempre que


ocorrer alguma das situações a seguir:

a) Troca de função ou mudança de empresa;


b) Retorno de afastamento ao trabalho ou inatividade, por período superior a três
meses;
c) Modificações significativas nas instalações elétricas ou troca de métodos,
processos e organização do trabalho.
O QUE A NR 10 PRECONIZA?
SEGURANÇA NA
CONSTRUÇÃO,
MEDIDAS DE SEGURANÇA EM MONTAGEM,
MEDIDAS DE PROTEÇÃO OPERAÇÃO E
PROJETOS
CONTROLE MANUTENÇÃO

SITUAÇÃO DE
SEGURANÇA EM
EMERGÊNCIA
INSTALAÇÕES
ELÉTRICAS
DESENERGIZADAS
PROCEDIMENTOS
DE TRABALHO SEGURANÇA EM
INSTALAÇÕES
ELÉTRICAS
ENERGIZADAS
HABILITAÇÃO,
SINALIZAÇÃO DE QUALIFICAÇÃO, TRABALHOS
PROTEÇÃO
SEGURANÇA CAPACITAÇÃO E ENVOLVENDO
CONTRA AUTORIZAÇÃO ALTA TENSÃO
INCÊNDIOS E DOS
EXPLOSÃO TRABALHADORES
10.2 MEDIDAS DE CONTROLE
● Nas interveções em instalações elétricas devem
ser adotadas medidas preventivas de controle do
risco elétrico e outros riscos adicionais

● Técnicas de análise de risco para garantir a


segurança e saúde do trabalhador

Principais medidas de controle do


risco elétrico são :
● MPC
● MPI
● Procedimentos de Trabalho
10.2 MEDIDAS DE CONTROLE

● As medidas de controle devem


integrar-se às
demais iniciativas da empresa, sempre
preservando a segurança e saúde do
trabalhador
10.2 MEDIDAS DE CONTROLE
● As empresas estão obrigadas a apresentar
esquemas unifilares atualizados das instalações
Elétricas c/ especificação do sistema de
aterramento e demais equipamentos de proteção
10.2 MEDIDAS DE CONTROLE

● Nos estabelecimentos c/
carga instalada > 75 kW, devem
constituir e manter Prontuário de
Instalações Elétricas
10.2 MEDIDAS DE CONTROLE –
Prontuário de Instalações Elétricas
a) Procedimentos e
instruções técnicas e
adm. de Segurança e
g) Relatório técnico Saúde
das inspeções
atualizadas c/
recomendações , b) Documentos,
cronogramas de inspeções e
adequação das medições do SPDA
alíneas “A” e “F”

c) Especificação dos
f) Certificação EPCs e EPIs e o
equipam. e materiais ferramental
elétricos

e) Resultados dos d) Documentação comprobatória de


testes de isolação Qualificação, habilitação, capacitação e
elétrica em EPI’s e autorização dos trabalhadores
EPC’s
10.2 MEDIDAS DE CONTROLE –
Prontuário de Instalações Elétricas
● As empresas que realizam trabalhos próximos
ao sistema elétrico de Potência, devem constituir
prontuário c/ as alíneas “a”, “b”, “c” e “e”, vistos
anteriormente e tb devem conter:

●Descrição dos procedimentos p/emergências


●Certificação EPCs e EPIs

OBS: Os documentos técnicos previstos no Prontuário de


Instalações elétricas devem ser elaborados por profissionais
legalmente habilitados
10.2.8 MEDIDAS DE PROTEÇÃO
COLETIVA
● Em todos os serviços executados em
instalações elétricas devem ser previstas e
adotadas, prioritariamente, MPCs
mediante procedimentos

● As MPC compreendem a desenergização


elétrica, no caso de sua impossibilidade, o
emprego de tensão de segurança.
10.2.8 MEDIDAS DE PROTEÇÃO
COLETIVA - DESENERGIZAÇÃO

● 1° PASSO: DESENERGIZAR, OU SEJA,


DESLIGAR O DISJUNTOR

● 2° PASSO: DESLIGAR A CHAVE


SECCIONADORA OU REMOVER
O FUSÍVEL
10.2.8 MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA –
Impedimento De Reenergização Acidental

EXTRAIR O DISJUNTOR DO LOCAL


SEMPRE QUE POSSÍVEL!

OU COLOCAR CADEADO OU
LACRE NO FUSÍVEL
REMOVER OS FUSÍVEIS DO
LOCAL
10.2.8 MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA –
Constatação da Desenergização

CONSTATAÇÃO DO DESLIGAMENTO
OBSERVADA POR LUZES OU MULTÍMETRO
INSTALADO NO PAINEL DO QUADRO
10.2.8 MEDIDAS DE PROTEÇÃO
COLETIVA – Aterramento Temporário

O objetivo do aterramento temporário é


fazer c/ que as partes abertas do circuito
estejam no mesmo potencial elétrico, que
neste caso é potencial de terra
10.2.8 MEDIDAS DE PROTEÇÃO
COLETIVA – Sinalizações
10.2.8 MEDIDAS DE PROTEÇÃO
INDIVIDUAL
Quando os MPC forem inviáveis ou
insuficientes p/controlar riscos, devem ser
adotados EPIs específicos e adequados às
atividades
CONSIDERAÇÕES FINAIS