Você está na página 1de 35

FACULDADE PITÁGORAS – CAMPUS LINHARES – ES . Av.

São Mateus, 1458, Araçá, Linhares - ES


Disciplina: Planejamento Ambiental Urbano e Regional

Planej. Ambiental
Urbano e Regional
Aula 04
PLANEJAMENTO AMBIENTAL

• AULA 03 – O município

• Conteúdo
• Urbanização
• Campo, cidade e município
• Características do município
• PDM
Urbanização

A urbanização consiste na aglomeração populacional nas cidades em


virtude do surgimento das sociedades industriais, gerando uma série
de implicações para o espaço geográfico

Urbi = cidades
Urbanização

• Quando e como se deu o processo de urbanização?

• No mundo?
• No Brasil?
Urbanização

• Em O Nosso Futuro Comum (1988), além de reflexões interessantes,


são sugeridas algumas estratégias para controlar o desenvolvimento
urbano:

III. Devem-se evitar políticas que aumentem a atração pela cidade grande,
em especial os subsídios à energia e aos alimentos, a provisão por demais
generosa de infra-estrutura urbana e outros serviços, e a excessiva
concentração de poder administrativo na capital;

IV. A melhor maneira de estimular centros secundários é aproveitar as


vantagens econômicas naturais de suas regiões, especialmente em termos
de processamento e mercadologia de recursos, com o fornecimento
descentralizado de serviços públicos;

V. Os métodos e estratégias de desenvolvimento rural e urbano devem ser


complementares, e não contraditórios. O desenvolvimento dos centros
secundários visa o benefício econômico direto das áreas por eles servidas.
Município

Município é uma unidade administrativa que possui uma sede, que


normalmente é a cidade, e uma estrutura de poder público para
atender suas necessidades específicas
• uma prefeitura: o órgão executivo das leis
• uma câmara municipal que é o órgão legislativo.

O termo também se refere ao grupo de pessoas que habitam um


mesmo território.

LEI COMPLEMENTAR Nº 1, DE 9 DE NOVEMBRO DE 1967


Município

• Áreas Rural e Urbana

• Área Urbana
É o espaço ocupado por uma cidade, caracterizado pela edificação
contínua e pela existência de infraestrutura urbana, que compreende
ao conjunto de serviços públicos que possibilitam a vida da população.

• Área Rural
É uma região não urbanizada, destinada a atividades da agricultura e
pecuária, extrativismo, turismo rural, silvicultura ou conservação
ambiental. É no espaço rural onde se produz grande parte dos
alimentos consumidos no espaço urbano

EXODO RURAL: deslocamento da população do campo (zona rural) para


a cidade (zona urbana)
Estatuto das Cidades

Lei nº 10.257 de 10 de julho de 2001.

Estabelece como deve ser feita a política urbana em todo o país.

Seu objetivo é garantir o Direito à Cidade para todos e, para isso,


traz algumas regras para se organizar o território do município.
Estatuto das Cidades

Regulamenta os artigos 182 e 183 da Constituição Federal de 1988,


que conformam o capítulo relativo à Política Urbana

• Artigo 182: "A política de desenvolvimento urbano, executada pelo


Poder Público municipal, conforme diretrizes gerais fixadas em lei, tem
por objetivo ordenar o pleno desenvolvimento das funções sociais da
cidade e garantir o bem- estar de seus habitantes."

• Artigo 183: “Aquele que possuir como sua área urbana de até duzentos
e cinquenta metros quadrados, por cinco anos, ininterruptamente e sem
oposição, utilizando-a para sua moradia ou de sua família, adquirir-lhe-á
o domínio, desde que não seja proprietário de outro imóvel urbano ou
rural."
Estatuto das Cidades

Por que tantos municípios estão fazendo o Plano Diretor?

Porque o Estatuto da Cidade definiu que o Plano Diretor é a lei que


aplica as regras do Estatuto em cada município, considerando as
características de cada um.

E mais: o Estatuto diz que é obrigatória a elaboração do Plano Diretor


e dá um prazo para isso – 5 anos a partir da data de publicação
O Plano Diretor Municipal

O Plano Diretor é uma lei municipal que deve ser elaborada com a
participação de toda a sociedade. Ele organiza o crescimento e o
funcionamento do município.

• O Plano vale para todo o município.

• Plano Diretor que diz como o Estatuto da Cidade será aplicado em


cada município.
O Plano Diretor Municipal

• CONTEÚDO DO PDM

• Definição de princípios, diretrizes e objetivos para a política


territorial.
• Esses princípios são importantes pois:

• Reconhecem nossos direitos, como o Direito à Moradia Digna e à Terra e


o Direito à Cidade;
• São os princípios que devem ser utilizados para todas as decisões e ações
tomadas na gestão da sua cidade. Os instrumentos urbanísticos,
ferramentas que ajudam a que os objetivos dos planos diretores sejam
cumpridos devem ser pensados a partir dos princípios do Plano;
• São os princípios exigidos pela população que orientarão a gestão do
Plano que será fiscalizado pelo Ministério Público. Se as ações da
Prefeitura não estiverem obedecendo esses princípios, podem ser
questionadas na Justiça.
O Plano Diretor Municipal

• Definição do cumprimento da função social da propriedade e da


cidade
O Estatuto da Cidade estabelece que a propriedade precisa cumprir
uma função social, ou seja, a terra deve servir para o benefício da
coletividade, e não apenas aos interesses de seu proprietário.

Plano deve definir qual é a melhor forma de usar cada pedaço do


município, de forma a garantir os espaços de uso coletivo para todos,
ou seja, os locais de circulação, os equipamentos públicos (como, por
exemplo, escolas, creches, hospitais) e as áreas de proteção
Ambiental.
O Plano Diretor Municipal

• Para que cumpram sua função social, o Plano Diretor deve:

• Definir quando um imóvel é considerado subutilizado, não


edificado e não utilizado, de acordo com sua função social.
• Dizer qual é a função social de cada área, delimitar isso no mapa
da cidade e aplicar os instrumentos para induzir o proprietário a
cumprir sua função.

• INSTRUMENTOS: o Parcelamento do solo, Edificação ou


Utilização Compulsórios; IPTU Progressivo no Tempo; e
Desapropriação com Pagamento em Títulos da Dívida Pública
O Plano Diretor Municipal

• Respeite o conteúdo mínimo exigido pelo Estatuto da Cidade


• O Estatuto da Cidade diz que o Plano deve ter objetivos e
estratégias e estabelecer instrumentos para o cumprimento
desses.
O Plano Diretor Municipal

• Garantia de terras para moradia Popular

• Locais precários de moradias: favelas, cortiços ou loteamentos


irregulares.
De acordo com o Estatuto da Cidade, o Plano Diretor deve reconhecer
essas situações e utilizar-se de instrumentos que ajudam a mudar
essa situação. Por isso o Plano Diretor deve conter Zonas Especiais
de Interesse Social (ZEIS) e os instrumentos que permitem a
regularização da terra e da moradia.

OBS: A população que ocupa áreas de risco está correndo perigo de vida, deve
ser retirada de lá e removida preferencialmente para uma área próxima – e
não entra como ZEIS
O Plano Diretor Municipal

• Para Garantir as Terras para moradia popular, deve:

• Definir os critérios para demarcar áreas de ZEIS;


• Dizer o que considera como baixa renda. Por exemplo, dizer que
considera-se população de baixa renda as famílias com renda de
até cinco salários mínimos;
• Exigir que sejam feitos Planos de Urbanização para cada ZEIS,
com participação da sociedade e da população beneficiária. O
Plano deve integrar a ZEIS à cidade, visando o respeito,
• A recuperação e a conservação do meio ambiente;
• Estabelecer prioridades, ou seja, que áreas deverão ser
urbanizadas e regularizadas primeiro e porquê;
• Exigir e definir como será a participação popular na gestão das
áreas, na elaboração do Plano Urbanístico.
O Plano Diretor Municipal

• Zonas Especiais

• Os índios, as comunidades de pescadores, os assentamentos


rurais, os agricultores familiares, os quilombolas, as populações
ribeirinhas, as populações extrativistas, entre outras. Todas elas
devem ser consideradas no Plano Diretor, que tem que levar em
conta o que elas têm de especial, reconhecer sua cultura, seus
hábitos.
O Plano Diretor Municipal

• Regularização das Áreas Ocupadas

Plano Diretor deve discutir e prever a regularização das áreas cuja


posse não é reconhecida no papel, por exemplo, através de um plano
de regularização das áreas de moradia popular.
Pode prever também os instrumentos que servem para regularizar,
como a Usucapião Especial Urbana, a Concessão de Uso Especial para
Fins de Moradia, entre outros.
O Plano Diretor Municipal

• Sistema de Gestão

• Prever instâncias de planejamento e gestão democrática para


implementar e rever o Plano Diretor
• Apoiar processos de gestão democrática e participativa,
garantindo a participação de todos, de forma integrada
• Garantir acesso à informação para todos os cidadãos
• Monitorar a aplicação dos instrumentos urbanísticos do Plano

INSTRUMENTOS: Conselhos municipais, Fundos municipais, Gestão


Orçamentária Participativa, Audiências e Consultas Públicas,
Conferências municipais, Projetos de Lei de Iniciativa Popular,
Referendo Popular, Plebiscito
O Plano Diretor Municipal

• Orientar os Investimentos
• Ele deve orientar a elaboração dos Planos Plurianuais (PPA), da
Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e da Lei Orçamentária,
porque essas são as leis e regras que vão determinar como cada
governo municipal deverá gastar seus recursos e fazer
investimentos.

Por isso, no processo de elaboração dessas leis é preciso perguntar:


quanto está sendo investido e onde está sendo investido? Que
investimentos teremos que fazer para cumprirmos os objetivos do
Plano Diretor?
O Plano Diretor Municipal - LINHARES

• INSTRUMENTOS

I - Parcelamento, uso e ocupação do solo;

II - zoneamento ambiental;

III - Plano Plurianual;

IV - Diretrizes orçamentárias e orçamento anual;

V - Gestão orçamentária participativa;

VI - Planos, programas e projetos setoriais;

VII - Planos de desenvolvimento econômico e social;

VIII - Lei de Perímetro Urbano. (Incluído pela Lei Complementar nº 27/2014)


O Plano Diretor Municipal - LINHARES

TÍTULO IV - DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO DO MUNICÍPIO


CAPÍTULO I - DA ESTRUTURAÇÃO DO TERRITÓRIO DO MUNICÍPIO

I - Zona Urbana
II - Zona Rural ZONEAMENTO
TERRITORIAL
III - Zona de Interesse Especial Municipal
O Plano Diretor Municipal - LINHARES

• A Zona Urbana subdivide-se nas seguintes zonas:

I - Zona Urbana de Dinamização I - é aquela onde a disponibilidade de


infra-estrutura, a rede viária e as características ambientais permitem
a densificação do uso e da ocupação do solo

II - Zona Urbana de Dinamização II - aquela onde a disponibilidade de


infraestrutura, a rede viária e as características ambientais permitem
uma densificação moderada do uso e da ocupação do solo
O Plano Diretor Municipal - LINHARES

III - Zona Urbana de Consolidação I: já apresenta um grau básico de


urbanização, de uso predominantemente habitacional de baixa densidade, que
requer qualificação urbanística destinada a adequar e melhorar o padrão
urbano existente

IV - Zona Urbana de Consolidação II: contígua a áreas que já apresentam um


grau básico de urbanização e de infra-estrutura, mas com ocupação rarefeita e
dispersa, que requerem projetos específicos de urbanismo.

V - Zona de Interesse Social: à recuperação urbanística, à regularização


fundiária e à produção de habitações de interesse social para atendimento ao
programa habitacional do Município e programas de re-assentamento de
habitações localizadas em áreas de preservação permanente, em áreas de
risco ou impróprias para utilização

VI - Zona de Expansão Urbana: ao crescimento e expansão das atividades


urbanas, correspondendo às áreas do Município inseridas no perímetro
urbano não dotadas de infraestrutura.
O Plano Diretor Municipal - LINHARES

VII - Zonas Urbanas Estratégicas


Subdividida em:
1. Corredor de Comércio e Serviços: compostos pela BR-101 e
Rodovias Estaduais que cortam o Município de Linhares dentro do
perímetro urbano da sede e dos distritos

2. Zona do Aeroporto: onde se encontra construída a pista de pouso


de aeronaves, na qual deverá ser implantada infraestrutura
aeroportuária compatível com o Município

3. Zona Industrial: estritamente industrial, destinadas à implantação


de indústrias de pequeno, médio e grande porte e suas atividades
complementares
O Plano Diretor Municipal - LINHARES

4. Zona de Interesse Paisagístico I: aquela de uso público, destinado


à implantação de parques urbanos ou similares, e equipamentos e
atividades complementares relacionadas a lazer e turismo

5. Zona de Interesse Paisagístico II: implantação de parques, jardins


botânicos, hortos florestais e demais equipamentos e associações
recreativas, destinados ao desenvolvimento de atividades
recreativas, culturais, esportivas, educacionais e artísticas
6. Zona de Interesse Turístico e de Lazer: destinada à conservação e
utilização sustentável do entorno da lagoa Juparanã, com
diretrizes de uso e ocupação objetivando conciliar a preservação
dos atributos ambientais e o aproveitamento para a atividade
turística e de lazer da população
O Plano Diretor Municipal - LINHARES

• A Zona Rural subdivide-se nas seguintes zonas:

I - Zona Rural de Uso Intensivo: uso rural consolidado, na qual serão


incentivadas as atividades agropecuárias e agroindustriais e a
verticalização da produção.

II - Zona Rural de Uso Controlado: destinada a atividades


agropecuárias, agroindustriais e agroflorestais que, em função da
necessidade de preservação de seus mananciais e das áreas de
recargas das lagoas, bem como do alto grau de sensibilidade
ambiental, terá seu uso restringido
O Plano Diretor Municipal - LINHARES

• A Zona de Interesse Especial subdivide-se nas seguintes zonas:

I - Zona de Interesse Ambiental: definida pelo caráter de


intangibilidade, encerrando ecossistemas de grande relevância
ecológica, cujas diretrizes objetivam a sua preservação, conservação
ou recuperação

II - Zona de Interesse Turístico: A Zona de Interesse Ambiental e


Turístico é destinada à conservação e utilização sustentável do entorno
das lagoas Juparanã e Juparanã Mirim, também conhecida como Nova,
cujas diretrizes objetivam conciliar a preservação dos atributos
ambientais e o aproveitamento para a atividade turística
Anexo I – Todo Município de Linhares
Anexo II – Foco na sede de Linhares
O Plano Diretor Municipal - LINHARES

• LEI COMPLEMENTAR Nº 013, DE 22 DE MAIO DE 2012


• USO E OCUPAÇÃO DO SOLO

• O uso do solo é classificado em:


• I – Residencial – Moradias Uni ou Multi Familiar
• II - Não Residencial 01 – Padaria, Salão de Beleza..
• III - Não Residencial 02 – Bar, Lanchonete, Oficinas, Museu
• IV - Não Residencial 03 – Área Militar, Aeroporto, Delegacia, Usinas
• V – Industrial – Fabricação de Alimentos, Produtos Têxteis,
Metalúrgica...
• CATEGORIA DE ÁREA
Corredor
USOS Dinamiza Dinamiza Consolid Consolid Expansã Industria Industria Lazer e
com/ser
ção I ção II ação I ação II o lI l II turismo
v.
Residenci a ser a ser
al definido Tolerado definido
Permitido Permitido Permitido Permitido Proibido Proibido
Unifamilia em (*) em
r projeto projeto
Residenci a ser a ser
al definido Tolerado definido
Permitido Permitido Permitido Permitido Proibido Proibido
Multifamil em (*) em
iar projeto projeto
a ser a ser
Não
definido definido
Residenci Permitido Permitido Permitido Permitido Permitido Tolerado Permitido
em em
al 01
projeto projeto
a ser a ser
Não
definido definido
Residenci Permitido Permitido Permitido Permitido Permitido Tolerado Permitido
em em
al 02
projeto projeto
Não
Residenci
a ser a ser
al 03:
definido definido
Subcateg Proibido Proibido Proibido Proibido Permitido Tolerado Permitido
em em
oria 4.2
projeto projeto
do Anexo
II
CATEGORIA DE ÁREA

USOS Corredor
Dinami Dinamiza Consolid Consolid Expansã Industria Industria Lazer e
com/ser
zação I ção II ação I ação II o lI l II turismo
v.
Não
Residencial a ser a ser
03: definido definido
Proibido Proibido Proibido Tolerado Permitido Tolerado Permitido
Subcategori em em
as 4.3 e 4.1 projeto projeto
do Anexo II
Industrial
a ser a ser
Pequeno
definido definido
Porte (I1) e Tolerado Tolerado Tolerado Tolerado Tolerado Permitido Permitido
em em
Médio Porte
projeto projeto
(I2)
a ser a ser
Industrial
definido definido
Grande Proibido Proibido Proibido Proibido Proibido Tolerado Permitido
em em
Porte (I3)
projeto projeto
Industrial
a ser a ser
Grande
definido definido
Potencial Proibido Proibido Proibido Proibido Proibido Proibido Permitido
em em
Poluente
projeto projeto
(I4)

Você também pode gostar