Você está na página 1de 16

Manual de Oslo

DIRETRIZES PARA COLETA E


INTERPRETAÇÃO DE DADOS
SOBRE INOVAÇÃO
3ª edição

Professora Patricia Matsuda


OCDE – Organização para a Cooperação e
Desenvolvimento Econômico

 Fundada em 1961
 “Grupo dos Ricos” - 30 países
 ½ da riqueza mundial
 Proposta: fonte confiável de estatísticas comparativas

 A inovação é central para o crescimento do produto e


da produtividade
 Para o desenvolvimento de políticas de suporte à
inovação
Manual de Oslo (um histórico revelador)

 1990 – versão inicial


 1991 – discussões e aprimoramentos
 1992 – Manual de Oslo – 1a. edição
Inovação tecnológica de produto e processo (TPP)
 1997 – Manual de Oslo – 2a. edição
Expande o tratamento para o setor de serviços
Manual de Oslo (um histórico revelador)

 2005 – Manual de Oslo – 3a. edição


Adiciona a questão da inovação não tecnológica
(inovação de marketing e organizacional)
 FINEP em 2007 a tradução
 Versões eletrônicas
1 - OBJETIVOS E ESCOPO
DO MANUAL
Pode-se tratar um ou mais tipos de inovação
1. Introdução
 A inovação em serviços é de natureza mais incremental e
é menos tecnológica

 O papel da inovação organizacional:


Melhorar a qualidade e a eficiência do trabalho
Refinar a capacidade empresarial de aprender e
utilizar conhecimentos e tecnologias
1. Introdução
 Inovação em marketing
 Recursos para pesquisas de mercado
 Objetivar novos mercados ou segmentos de mercado
 Desenvolver novos meios de promover seus produtos
 Práticas de marketing são também importantes para o sucesso de novos
produtos
 Desenvolvimento de produtos e de processos por meio da inovação
conduzida pela demanda
2. Fatores de influência sobre o escopo
do Manual
 O que vale a pena mensurar?

 A implementação de inovações
 A interação entre diferentes tipos de inovação
 Os objetivos e barreiras à inovação
3. Escopo do Manual
Difusão e grau de novidade
 Amplitude setorial - A inovação pode ocorrer em qualquer setor da
economia

 A difusão é o meio pelo qual as inovações se disseminam. Sem difusão uma


inovação não tem impacto econômico

 Note-se que o Manual não cobre a difusão de uma nova tecnologia para
outras divisões ou partes da empresa após sua adoção inicial: por exemplo, a
primeira implementação de uma nova tecnologia de produção em uma de
cinco fábricas pertencentes a uma mesma empresa é contada como
inovação, mas a implementação da mesma tecnologia nas demais quatro
fábricas daquela empresa, não é
4. Fornecendo dados em assuntos-
chave
 4.1. Atividades de inovação e despesas
 Durante um dado período, as atividades de inovação de uma
empresa podem ser de três tipos: – bem-sucedida, por ter resultado
na implementação de uma inovação (embora não
necessariamente bem-sucedida comercialmente); – em progresso,
por ainda não ter resultado na implementação de uma inovação; –
abandonada antes da implementação da inovação.
 As despesas são mensuradas com base na soma desses três tipos de
atividades ao longo de um determinado período de tempo.
4. Fornecendo dados em assuntos-
chave
4.2. Fatores que influenciam a inovação

 Obstruídas por diversos fatores: econômicos - custos elevados e deficiências


de demanda, carência de pessoal especializado ou de conhecimentos, e
fatores legais - regulações ou regras tributárias
 A capacidade que as empresas possuem para apropriar-se dos ganhos
provenientes de suas atividades de inovação - se não conseguem proteger
suas inovações da imitação de seus competidores, elas terão menos
incentivo para inovar
4. Fornecendo dados em assuntos-
chave

 As empresas inovadoras podem ser divididas:


 Desenvolveram inovações próprias
 Cooperação com outras empresas ou organizações públicas de
pesquisa
 Por meio da adoção de inovações
5. Algumas questões de pesquisa

 5.1 Existem duas abordagens para a coleta de dados sobre inovações:


 i) a abordagem “sujeito” estratégias, incentivos e barreiras à inovação
 ii) a abordagem “objeto” compreende a coleta de dados sobre
inovações específicas

 É o sujeito, a empresa, que é importante


5. Algumas questões de pesquisa

 A população-alvo para as pesquisas sobre inovação


considera unidades estatísticas
 As atividades inovadoras efetivam-se em unidades
pequenas e médias assim como em grandes unidades
 Para apreender as atividades de inovação nas unidades
menores, a população-alvo deve inserir, no mínimo, pelo
menos dez empregados
6. A relação entre o Manual de Oslo e
outros padrões e conceitos relacionados

 Mensuração da inovação: recursos direcionados à P&D e


estatísticas de patentes.
 Alguns outros meios de medir são: geração e adoção de
tecnologias da informação e da comunicação (TIC), biotecnologia
e gerenciamento do conhecimento