Você está na página 1de 48

Aula:2

Ramos da aquacultura

Aquacultura e pescas

Engª Emilia Jaciara M. Gama


Aquacultura
responsável por cultivar organismos aquáticos em condições
controladas, com iluminação temperatura da água ideais para
a criação da espécie em questão. Em muitas ocasiões a
aquicultura ocorre em tanques.
Tipos de Aquacultura
Piscicultura
 Aquicultura é o processo de produção em cativeiro, ou seja,
em condições controladas, de organismos que vivem em
ambiente predominantemente aquático. Quando se fala
especificamente em produção de peixes, essa actividade
caracteriza-se como um subtipo da aquicultura denominado
de piscicultura.
Piscicultura

Objectivo Técnicas de cultivo

 Melhora a dieta alimentar  Monocultura:


 Gera renda familiar corresponde ao cultivo de
 Aproveitamento da
uma única espécie aquática
proteína animal  Policultura: Se refere ao
 Fabrico de ração
cultivo de mais espécies
aquáticas
 Aproveitamento integral
 Cultivo integrado:
dos recursos naturais (terra
,água, capim) Agricultura e/ou pecuária
Sistemas de criação em piscicultura

 Criação extensiva
 Criação semi-intensiva,
 Criação intensiva e;
 Criação superintensiva.
Sistemas de criação em piscicultura
Criação extensiva Características :

 O não fornecimento de ração aos


peixes;
 A utilização, na maioria das vezes,
da técnica de policultivo
permitindo que várias espécies
sejam cultivadas ao mesmo tempo e
a falta de maneio adequado.
 O pouco investimento é a principal
vantagem da piscicultura extensiva.
 Apresenta como desvantagens uma
baixa produtividade e lenta taxa de
crescimento.
Sistemas de criação em piscicultura
Piscicultura semi-intensiva Características

 Fornecimento de alimento
aos peixes, geralmente parte
é constituída de ração,
 Apresenta maior
produtividade se comparada
ao sistema extensivo e
também utiliza o policultivo.
 A densidade utilizada é de 3 a
5 peixes/10m2.
Sistemas de criação em piscicultura
Características Piscicultura Intensiva

 Alimentação dos peixes com


ração balanceada e adequada
para cada espécie e de acordo
com a fase de cultivo,
 Maneio criterioso e utiliza
espécies adaptadas à criação
em alta densidade.
 A densidade utilizada é de 1 a
3 peixes/m2.
Sistemas de criação em piscicultura
Piscicultura superintensiva Características
 Uma só espécie de peixe e é cultivada em
alta densidade de povoação.
 Geralmente, ficam cerca de 20 a 100
peixes/m2
 A remoção dos metabólicos dos peixes é
necessária, principalmente dos amoniacais e
dos restos de alimentos podres.
 A disposição de oxigénio continuadamente
também é indispensável na piscicultura
superintensiva.
 Os peixes recebem alimentos comprimidos,
chamados de pellets ou semelhante,
balanceados com tipos e teores de proteínas,
minerais, vitaminas e outros ingredientes
indispensáveis para o seu crescimento.
Instalações em Piscicultura

 Terreno adequado
 Tipo de solo
 Infra-estrutura
 Disponibilidade de água
 Dados de meteorologia

Outros critérios a serem observados na instalação de um projecto piscicola:


 Livre de sombra
 Formato que facilita a pesca( rectangular)
 Testar a permeabilidade (bola de areia, encher com água cova)
 Medições/limpeza do local e cavar acumulando a primeira areia num sítio pois usar-se-á mais tarde
 Deve haver zona mais funda(esconderijo/descanso) e outra menos funda(comedouro)
 Deve haver tubo de entrada, de saída da água (com rede) e de vazar(segredo)
Qualidade da água

Os parâmetros fundamentais são FÍSICOS e QUÍMICOS

 FÍSICOS: temperatura, cor, turbidez, transparência


 QUÍMICOS: pH, dureza, oxigênio dissolvido
Parâmetros físicos
Temperatura
• Influencia nas actividades fisiológicas dos peixes.
• Cada espécie possui uma zona térmica óptima
Transparência
 A capacidade de penetração da luz na água define a sua
transparência.
 Transparência adequada: 30 e 60 cm de profundidade
 >60 cm, > possibilidade de crescimento de plantas aquáticas;
 <30 cm, ocorre problemas de oxigénio dissolvido e variações de
pH
Cor
• Cor mais esverdeada é a mais apropriada para a criação de peixes
(engorda);
• As colorações azuladas e azul-esverdeadas indicam também uma
boa produtividade;
Turbidez
Águas turvas não são apropriadas para a aquacultura; A grande
concentração de matéria orgânica impede a penetração da luz e
aumenta o desenvolvimento de fitoplâncton
Factores químicos
Dureza
 Cálcio e magnésio na água contribui para a formação do esqueleto
e outras estruturas do corpo do peixe.
 Valores acima de 40mg/L são recomendados em águas destinadas
a piscicultura.
Oxigénio (O2)
componente mais limitante em piscicultura.
 Em baixas concentrações pode causar atraso no crescimento, aumento de
incidência de doenças e mortalidade dos peixes.
 A variação do oxigénio nos tanques ocorre em função da quantidade de
plantas, da profundidade do tanque, da temperatura da água e da incidência
de luz dentro do tanque.
Potencial hidrogeniônico (pH)
A escala de pH varia de 0 a 14.
pH igual a 7 é neutro,
pH < 7 é ácida
pH >8,5 é alcalina.
pH ideal para a piscicultura está entre 7,0 e 8,5.

 A água dos tanques não pode estar nem alcalina nem ácida. Os
pontos de alcalinidade que causam mortalidade nos tanques são
abaixo de 4 e acima de 11 (4<pH>11)
Oxigénio (O2)

Sinais de queda de oxigénio na água:


• Os peixes não se alimentam.
• A coloração da água passa de verde para marrom.
• Peixes abrindo e fechando a boca na superfície.
• Concentração de peixes próximos à entrada de água do viveiro.
• Mortalidade de peixes maiores.

O que fazer na falta de oxigénio:


• Parar a adubação.
• Utilizar aeração mecânica.
• Encher o viveiro com o máximo de água limpa possível.
Maneio do viveiro
Calagem
 Melhorar a qualidade da água na piscicultura
 Correção da acidez do solo,
 Ajuda na não proliferação de organismos indesejáveis que venham competir
futuramente por alimento com os peixes.

 Feita logo após o esvaziamento e exposição ao sol do viveiro


 Podendo ser: cal virgem ou cal hidratada, calcário dolomídico ou calcário calcítico.

Adubação
 A adubação ou fertilização da água é utilizada para incrementar a produção biológica
 A fertilização deve ser feita duas semanas antes do povoamento

Pode ser de três tipos:


 Adubação orgânica (esterco de animais domesticos)
 Adubação inorgânica (nitratos e fosfatos)
 Adubação mista (utiliza adubo orgânico e inorgânico)
Consorciacão com outros animais
Fases do cultivo
Alevinagem
 <10 g até atingirem 60 g.
 Realizada viveiros berçários ou pequenos viveiros de 200 m2
 Taxa de mortalidade aceitavel: 35%.

Engorda
 >60 g até a despesca
 Criados em viveiros de 500 m2 a até 10 ha.

Objectivo
 Obter peixes adultos
 Tamanho uniforme
 Menor tempo possível
 Baixos custos de produção.

Na piscicultura, é importante que todos os peixes possuam crescimento equivalente ao


tempo de produção. O que deve ser feito para que não ocorra o crescimento
desuniforme no viveiro?
Alimento e nutrição em piscicultura

 Alimento natural (fitoplâncton e zooplâncton);


 Restos da agricultura (folhas, farelos e frutas, etc.);
 Rações: farinada para alevinos e granulada para adultos;
 O peixe deve ser alimentado todos os dias excepto se, os níveis de
oxigénio estiverem baixos;
 Alimentar de acordo com a quantidade e peso dos peixes.
 Sempre a mesma hora e no mesmo local;
 Verifique se o peixe come ou não;
Sanidade
Critérios de classificação de doenças
 Doenças infecciosas (provocadas por vírus, bactérias, ou fungos)
 Doenças parasitárias (provocadas por algas, protozoários, moluscos,
 Larvas, helmintos
 Doenças não parasitárias (provocadas por factores abióticos, qualidade da água,
deficiência de nutrientes, etc)

Prevenção
 A profilaxia faz-se em doenças de diagnosticar e de tratar causando baixa
qualidade e consequentemente baixo valor no mercado. São dados como
trabalhos de prevenção: as desinfecções regulares nos tanques piscícolas,
ajustamento do ph, vacinações, quarentena, administração de alguns
medicamentos misturando com racção-este usado mais para doenças internas.
Actividade: 3 Grupos para fazer levantamento de doencas e apresentar no dia 11/05
Sanidade

Factores que influenciam nas Pragas/predadores


doenças:
 Factores internos: espécie, condição física,  Sapos
imunidade, e idade
 Factores externos: Temperatura, qualidade
 Passaros
de água e ph.
 Esquilo

 Maneio: -Densidade imprópria no tanque  Homem
 Policultura não recomendada
 Elevadas quantidades do estrume ao
 londras
fertilizar
 Outras especies de peixe
 Racção: Má qualidade e deficiência da
mesma
 Transporte: Lesões externas ou órgãos
internos.
Fim…
Proxima aula

Carcinicultura
Malacocultura
Ostreicultura
Mitilicultura
Introducao ao estudo da Carcinicultura
Carcinicultura
 Carcinicultura é uma técnica de criação de camarões em viveiros.
geralmente em ecossistema s estuarinos.

Actividades: Estudar especie de cultivos de camarao;


Produção a nível mundial
 China 1211 177
 Tailandia
 India
 EUA
 Mexico
 Canada
 Vietna
 Equador
 Mexico
 Brasil
Crustáceos da Ordem Decápoda, apresentam
cinco pares de apêndices locomotores
Sistema Digestivo

O sistema digestivo é formado pelas seguintes estruturas básicas:


 1 - boca
 2 - esôfago
 3 - estômago (dividido em duas câmaras: cardíaca e pilórica)
 4 - intestino médio
 5 - intestino posterior
 6 - ânus
 7 - glândulas digestivas (hepatopâncreas )
PROCESSO DE CULTIVO
 Diversos tipos de sistemas de cultivo de camarões são
utilizados no mundo, tais como
 Viveiro s escavados em terra,
 Tanques à base de concreto e cercados .

O cultivo diferencia -se pela forma de alimentação, bem como


taxas de renovação de água, sendo que quanto maior a
densidade de camarões por área cultivada, maior quantidade de
alimento e maior também as taxas de renovação de água
necessárias.
Tanques de concretos, cercado e viveiros
escavados
Fases do cultivo de camarão
Larval - Fase da larvicultura (produção de larvas)
Pos larvar
Fase da engorda (crescimento do camarão até estar pronto p ara
ser comercializado) .
Modelo de cultivo
 Monofasico
 Bifasico
 Trifasico
O cultivo pode ser classificado em três
sistemas:
 1.Extensivo – 1 a 4 camarões/m², com alimentação natural;

 2. Semi-intensivo – 5 a 30 camarões/m², a partir de uma


combinação de alimento natural e suplementar;

 3.Intensivo – 30 a 120 camarões/m², a partir de alimento à


base de ração balanceada.
Distribuição dos tanques em
carcinicultura
 1-Tanque para armazenamento de água doce;
 2 -Tanque para armazenamento de água salgada;
 3 - Tanque de mistura e preparação de água salobra;
 4 - Tanque de acasalamento;
 5 - Tanque de eclosão;
 6 - Tanque de desenvolvimento de larvas;
 7 - Tanque de pós-larvas.
Características em consideração para o
cultivo de camarão

 1) taxa de crescimento relativamente rápida;


 2) comportamento não agressivo;
 3) resistência às variações do meio;
 4) agradável ao paladar;
 5) resistência a doenças.
Há três formas diferentes de se
produzirem larvas:
 1 - Método de águas claras em sistema aberto - Consiste basicamente
na substituição diária da metade a dois terços da água dos tanques de
cultivo;

 2 - Método de águas verdes - Consiste no cultivo das larvas associadas


às algas verdes, que funcionam como filtro biológico, diminuindo
desse modo as trocas de águas;

 3 - Sistema fechado - Consiste na recirculação da água de cultivo,


permitindo sua reutilização.
Embalagem de pós-larvas para
transporte.
Escolha do Local
 A temperatura média da água do mês mais frio deve ser igual ou
superior a 20°C.
 O ideal é que a temperatura se mantenha em torno dos 28ºC.

 Água: os viveiros podem ser abastecidos com água de superfície, de


rios, riachos, açudes, barragens, ou água subterrânea. No primeiro
caso, deve-se evitar, o máximo possível, com uso de filtros a entrada
de predadores e/ou competidores, no entanto, a qualidade e a
quantidade
Parâmetros físicos e químicos
 pH entre 7,0 e 8,4
 OD > 5 ppm
 TºC entre 20 e 30ºC
 Dureza entre 60 e 120 mg/l (CaCO3)
 Fe < 2.0 ppm
 NO2 < 1,0 ppm
 Odor nenhum
 Coliformes fecais: ausência
Viveiros para engorda