Você está na página 1de 19

BIOQUÍMICA GERAL

Prof. Dra. Claudia Regina Cançado Sgorlon Tininis

e-mail: sgorlonif@ifsp.edu.br
INTRODUÇÃO À BIOQUÍMICA

O que é Bioquímica?
É a química da vida.
É o estudo da vida ao nível químico.
É o estudo das reações químicas que ocorrem em
organismos biológicos.

A bioquímica procura entender como a vida


existe a partir de moléculas intrinsecamente
inanimadas (sem vida).
Objetivos do curso:

Aprendizado dos fundamentos e princípios


que regem as reações bioquímicas em
organismos vivos.
• O que é a vida?
• Os organismos vivos são capazes de auto-
duplicação e auto-montagem, gerando uma
descendência que perpetua o estado vital.

Características que definem a vida:


• Reprodução
• Crescimento
• Metabolismo  Conjunto de reações químicas
que processam matéria e energia.
• Resposta a estímulos do ambiente/capacidade
de mudança
PRINCÍPIOS GERAIS E MOLECULARES DA VIDA

A célula é uma máquina onde ocorrem reações


químicas com alto grau de controle e
seletividade.

• Todo organismo vivo é estruturalmente complexo


e altamente organizado.
• Os organismos vivos são capazes de extrair e
utilizar energia do seu ambiente.
• Os processo metabólicos são regulados e
ajustados para operar com eficiência e economia.
Em todos os seres, as macromoléculas são
construídas a partir dos mesmos tipos de
unidades monoméricas:

• existência de modelos comuns.

• simplicidade básica na estrutura das


macromoléculas, apesar dos bilhões de tipos
de proteínas existentes em milhões de espécies
de seres vivos.
Os processo metabólicos são regulados e
ajustados para operar no princípio da
economia máxima.

• As enzimas desempenham papel fundamental


neste processo.

• As enzimas são proteínas especializadas,


capazes de catalisar as reações bioquímicas.

• As reações ocorrem à temperatura constante, e


normalmente baixas.
Os organismos vivos são capazes de auto
duplicação e auto montagem.

• Os organismos vivos são capazes de se


reproduzir com incrível precisão ao longo de
milhares de gerações, através de um sistema
de replicação.

• Toda a informação necessária para a


construção de um novo ser vivo está
armazenada e codificada no DNA de todas as
células que o compõe.
A célula é uma máquina onde ocorrem reações químicas
com alto grau de controle e seletividade.

A estrutura de muitas moléculas presentes na


composição celular e, por conseguinte, a grande maioria dos
processos bioquímicos é extremamente sensível a variações de
pH.

Seres humanos  pH plasmático 7,4  pequenas variações


(7,0)  sérias consequências  interferência nas atividades
enzimáticas.

 muitas reações químicas celulares processam-se com


captação ou liberação de prótons do meio aquoso  mesmo
assim a valor de pH celular é mantido praticamente fixo 
sistemas-tampão.
SISTEMA TAMPÃO

Um sistema-tampão é constituído por um ácido fraco,


capaz de captar e libertar H+, e sua base conjugada,
capaz de receber prótons.

Evita alterações na concentração de H+ e


consequentemente alterações de pH, quando
adicionadas pequenas quantidades de ácidos ou bases
fortes.

Os ácidos fracos são caracterizados por uma constante


de dissociação = constante de equilíbrio = constante de
ionização.
Quando se adiciona um ácido forte em um
sistema tampão (àcido fraco e sua base
conjugada) parte dos prótons (H+) se associam a
base conjugada, formando ácido  diminuindo o
número de prótons livre, variando menos o pH,
porém mantendo o valor da constante de
equilíbrio.

Keq = [A]  [H+]


[HA]
Quando se adiciona um álcali em um sistema
tampão (ácido fraco e sua base conjugada) os
íons OH- se associam aos prótons (H+)
formando H2O, induzindo à dissociação do ácido
HA para manter o equilíbrio.

Keq = [A]  [H+]


[HA] 
A eficiência de um tampão está restrita a
uma faixa de pH

A ação tamponante está restrita a uma faixa de


pH dentro da qual as concentrações de ácido e
base conjugada são suficientes para compensar
adições de álcali ou de ácido.

No valor de pH em que exatamente 50% do


total inicial do ácido estão associados, os 50%
restantes estão na forma de base conjugada, e o
sistema-tampão tem sua eficiência máxima  pKa
Ao redor deste valor de pH, uma unidade abaixo ou
uma unidade acima, o tampão ainda é eficaz; além deste
intervalo o sistema deixa de atuar como tampão.
Os ácidos fracos variam quanto sua força ácida,
de acordo com seu valor de Ka.

 Quanto > Ka  menor a afinidade da base


conjugada pelo próton  < o pH da solução 
mais forte o ácido

 quanto > o valor de pKa (- log Ka), mais fraco


será o ácido
Equação de Henderson-Hasselbalch (relaciona
pH, constante de dissociação do ácido e as
concentrações de ácido e base conjugada)

Keq (ou Ka) = [A] [H+]


[HA]

pH = pKa + log [base conjugada]


[ácido conjugado]

 em 50% de dissociação do ácido  [HA] = [A] e


[A]/[HA] = 1, portanto:
pH = pKa
A eficiência de um tampão depende de sua
concentração.

 quanto maior a concentração de um tampão, maior a


disponibilidade das espécies capazes de doar ou receber
prótons.

Na prática, o ácido fraco escolhido e um dos seus sais são


dissolvidos em concentrações molares iguais.

Ex.: tampão acetato 0,1M a pH 4,7


- dissolve-se em um litro de água 0,05 mols de ácido acético
e 0,05 mols de acetato
ou
- dissolução de 0,1 mol de ácido acético e adição de álcali
suficiente para elevar o pH até 4,7.
Tampões Biológicos

Os seres vivos mantêm constante o seu pH


interno.

Os tampões biológicos são aqueles encontrados


nos seres vivos.

Humanos  sangue  tampões  pH ~ 7,4 


principais tampões: fosfato, proteínas e bicarbonato.