Você está na página 1de 31

ASPECTOS HISTÓRICOS DA PESSOA COM

DEFICIÊNCIA
Trajetória da educação especial à educação
inclusiva: modelos de atendimento.

Aula teórica 20/08/2018 - 6º período/Pedagogia


OS PRIMÓRDIOS DO ATENDIMENTO ÀS
PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

A SITUAÇÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NA SOCIEDADE ANTIGA E MEDIEVAL.

 Nas sociedades primitivas, tendo em vista as


difíceis condições de vida, a necessidade de
deslocamento constante e a dependência da
natureza para alimentação, abrigo e
sobrevivência, era comum a eliminação dos
membros mais fracos, velhos doentes feridos
graves e deficientes.
ROMA ANTIGA
 Os patriarcas com base na Lei das XII Táboas, eram
autorizados a matar ou abandonar seus filhos recém-
nascidos que apresentasse defeitos, havendo porém
uma exigência a ser cumprida: a de apresenta-los a
um grupo de cinco pessoas, que deveriam atestar sua
anormalidade.

Sêneca , um dos mais celebres


escritores e intelectuais do
Império Romano, detalha, em uma
de suas obras, que os recém
nascidos com deformidades
físicas deveriam ser mortos por
afogamento.
Muitas vezes homens cegos eram vendidos
para executar tarefas como remadores das
galés, evidenciando que em algumas
comunidades, existia o hábito de vender os
filhos que apresentavam deficiência para a
execução de trabalhos extremamente Bobos da
árduos, livrando-se assim do problema de corte
Mendicância
carregar o “peso” de uma pessoa
considerada improdutiva e obtendo, ainda,
algum lucro.
Grécia Antiga (Atenas e Esparta)
 Culto ao corpo; perfeição do
corpo e da mente.
 Ligado a construção e defesa
do país ( invasões bárbaras)
 As crianças eram
acompanhadas pelas
parteiras do templo de Ilithya
(deusa dos partos) as
defeituosas eram eliminadas,
jogadas dos altos montes, ou
abandonadas em lugares
ermos, à própria sorte. Assim
a morte se dava por inanição
ou ataques de animais
ferozes.
O LEITO DE PROCUSTO

Procusto era um bandido que vivia em uma floresta. A todos que ele passavam
por tal lugar ele oferecia guarida e dormida; ele colocava, então, o sujeito em
uma cama/leito de um único tamanho e, se a pessoa fosse maior que a cama,
ele cortava o que sobrava das pernas com um machado. Se ela fosse menor,
ele estirava a pessoa com cordas e afins.

O leito de Procusto é a metáfora da medida única: se sobra, corta; se falta,


estica. De fazer caber em uma única cama o que, por natureza, não tem
medida única. De tornar pessoas de diferentes tamanhos aleijados funcionais.
No tempo de Jesus...

Ainda era muito presente a


associação de pecados cometidos
por pessoas deficientes ou à seus
pais:
E os seus discípulos lhe
perguntaram, dizendo: Rabi, quem
pecou, este ou seus pais, para que
nascesse cego?
Jesus respondeu: Nem ele pecou
nem seus pais; mas foi assim para
que se manifestem nele as obras
de Deus.
João 9:2-3

Aos poucos, com a propagação dos ideais cristãos, passam a


ser vistos como criatura de Deus , ou seja, como filhos de Deus,
que possuíam almas.
Idade média houve um nítido
retrocesso...
 As população em geral, extremamente ignorante,
encarava o nascimento de pessoas com deficiência
como castigo de Deus
 Durante esse período, pois qualquer comportamento
tido como anormal era normalmente percebido como
consequência de possessão demoníaca e de feitiçaria,
ficando o tratamento a cargo dos sacerdotes.

No fim da idade média , as pessoas possessas pelo demônio eram


severamente tratadas com tortura, perseguição e até queimadas
vivas.
Óleo fervendo para expulsar
possessões malignas.
PRIMEIRAS MUDANÇAS NA VISÃO E NO
ATENDIMENTO ÀS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

 A partir de Paracelsus
(médico suiço 1493-
1541)
 Considerou em seus
estudos a deficiência
como um problema de
cunho médico e não
teológico.
GEROLAMO CARDAMO

As primeiras iniciativas de
atendimento educacional
para pessoas com
deficiência foram, portanto,
direcionadas aos surdos.

Começou a avaliar o grau de capacidade de


aprendizagem entre diferentes surdos,
afirmando que “...a escrita poderia
representar os sons da fala ou as ideias do
pensamento, e, por isso, a mudez não se
constituía em impedimento para que o surdo
adquirisse conhecimento.”
Ponce de Leon

 Começou a trabalhar
com crianças surdas
filhas de membros da
corte espanhola, atuou
no tocante a oralização
de surdos embora
tenha passado a ensinar
com base num método
que priorizava a escrita.
JUAN PABLO BONET
 Demonstrou
pela primeira
vez o alfabeto
sob a forma de
sinais.
Somente no final do século XVIII e início do século XIX
vai sendo implantado o atendimento a pessoa com
deficiência em instituições especializadas .

O Abade Michel de
Lépée no ano de 1778
transformou sua casa
em paris na primeira
escola de surdos, aberta
a pobres e ricos.
Trabalhava sob otica
visuo-gestual.
Gallaudet

 Nos EUA, a primeira escola de


surdos foi fundada em 1817, em
Hartfod, Connecticut. Thomas
Hopking Gallaudet, foi estudar
na Inglaterra e na França e se
impressionou com a eficácia dos
métodos de manual utilizados
por Lépée, sobretudo a
linguagem de sinais, trazendo o
método para seu país.
 1864 surgiu Gallaudet Universit.
I Congresso Internacional sobre
Instrução de Surdos

 Paris – 1878
 Houve muitos debates sobre a educação de surdos
e a linguagem de sinais.
 A partir desse congresso os surdos conquistaram o
direito a assinar documentos, dando um passo
importante em prol de sua condição de cidadão,
começando a sair da marginalização social da qual
eram vitimas.
II Congresso Internacional sobre
Instrução de Surdos

 Milão – 1880
 Ocorreu uma mudança radical na educação dos
surdos rumo ao oralismo.
 Os professores surdos foram impedidos de votar
 A filosofia oralista durou até a década de 60.
 Houve uma grande queda no nível de escolarização
do surdo em geral.
Willian Stokoe

 Na década 60 publicou
um artigo demonstrando
que língua de sinais
usada pelos americanos,
era uma língua com
todas as características
da línguas orais.
Trazendo de volta os
sinais e códigos manuais
para as salas de aula.
FILOSOFIAS EDUCACIONAIS NA
EDUCAÇÃO DE SURDOS

 1880 começou o Oralismo


 1968 Roy Holcomb, professor surdo, começou a
utiliza o método da Comunicação total.
 A partir da década de 80 começa a filosofia do
Bilinguismo.
BILINGUISMO

 O surdo deve adquirir primeiro a LIBRAS L1


considerada sua língua materna;
 Como segunda língua L2 deve ser ensinada a língua
oficial do país na forma escrita;
 O Bilinguismo percebe a surdez como diferença
linguística, e não como deficiência a ser normatizada
através da reabilitação.
Educação dos deficientes visuais

 Os primeiros atendimentos em caráter de caridade


começaram no séc. IV
 Fundaram uma comunidade só para cegos por Basílio
de Cesaréia, na Capadocia – Roma
 Surge no séc. XIII em Paris fundado por Luiz IX – o
asilo Quinzevingts
 Não havia preocupação com a educação e reabilitação,
com vista a sua integração e reintegração à sociedade
Experiências educacionais realizadas
com cegos

 Rampazzetto – ROMA 1575


 Franciscus Lucerns – MADRI 1580
 Hasdoreer – ALEMANHA 1651
 Começaram ensinar cegos a ler com letras cortadas
em madeira, ou ainda ensinando cegos a escrever em
tábuas cobertas de cera com uso de estilete.
 Diderot -1744 escreveu: “Carta sobre os cegos para
os que veem” tratando sobre a educação dos cegos
Louis Braille
 Estudou no Instituto Real de jovens cegos de
Paris, onde os estudantes cegos tinham
acesso a leitura pelo processo de HAUY, que
consistiu no processo de representação dos
caracteres comuns com linhas em alto relevo.
 Nasceu em 1809 na França ficou cego aos 5
anos.
 Em 1821, quando tinha apenas 12 anos tomou
conhecimento de um código militar para
leituras noturnas, Braille efetuou melhorias,
esforçando-se para simplificar e aperfeiçoar o
método. O método tornou-se tão popular
que ganhou seu nome: Método BRAILLE.
Método BRAILLE
Educação de Deficientes Intelectuais
 Séc. XVII – Thomas Willis a
deficiência passa a ser relacionada
a problemas neurais e não mais
demoníaco.
 1797 Jean Itard se dispoe a educar
o “selvagem de Aveyron”
nomeado por ele de Victor
aparentando ter 12 anos.
 A partir de seu trabalho com
Victor, Itard lançou as bases do
atendimento educacional ao
deficiente mental em 1801.
Edourd Séguin

 Séguin em 1846 publicou


um trabalho intitulado “
Os idiotas e o método de
tratamento psicológico”
trabalhou no Bicetre ,
hospital psiquiatrico,
desenvolvendo um
método educativo.
Maria Montessori

1870 – 1952
Primeira mulher a se formar em medicina,
na Itália, enveredou por estudos diversos,
voltados para pessoas com deficiência
mental, que ainda eram tidos por muitos
como ineducáveis.

Defendeu a “educação moral”, como método


para a educação de pessoas com deficiência
mental, reforçou a importância do método não
se limitar à eficácia didática, mas alcançar o
educando como um todo, envolvendo seus
valores, sua autoafirmação, autoestima e
autoconfiança.
Ovide Decroly

 1901 Bélgica – Psicólogo Óvide


Decroly inaugurou um instituto para
crianças consideras atrasadas e
anormais procurando desenvolver
uma educação que fosse mais
próxima dos seus interesses,
suscetível de estimular o seu
pensamento, a partir das realidades
físicas e sociais.
REFERÊNCIAS

 BIANCHETTI, Lucídio. Aspectos históricos da


educação especial. Revista brasileira de educação
especial. 1994.
 MARTINS, Lúcia de Araújo Ramos. História da
educação de pessoas com deficiência. São Paulo:
Mercado de Letras,2015.