Você está na página 1de 12

HISTÓRIA DA

ALIMENTAÇÃO
MONITORIA - SNVM
PRÉ-HISTÓRIA

 PALEOLÍTICO ou PEDRA LASCADA


- Alimentação: frutas, grãos, raízes, ovos de animais, vegetais, mel (135milhões anos) e etc;

- Nomadismo;

- Mais tarde, a presença do fogo (CONSERVAÇÃO, DIGESTÃO, SABOR) fez com que o homem
aprendesse a assar e cozinhar;

- Criação de utensílios de caça: mudança na dieta alimentar → de vegetariana para carnívora;

- Carne para alimentação e proteção;

- Materiais para ferramentas: pedra, madeira, ossos e dentes de animais;


PRÉ-HISTÓRIA
 NEOLÍTICO
- Sedentarização: desenvolvimento da agricultura e domesticação de animais/vegetais:
• Arroz começou a ser plantando na China em 8000 a.C;
• Soja há 5000 a.C.
• Milho (nas américas ) há 10mil anos;
• Animais: ovelha e cabra (8000 a.C.), porco (7000 a.C.) e vaca (4000 a.C.)

- Necessidade da vida em comunidades;


- Utensílios para armazenar água e grãos;
- Primeiras panelas (cocção em água fervente);
- Secagem ao sol da carne como método de conservação.
A AGRICULTURA
- No período Paleolítico, o homem ainda não conhecia a agricultura e a domesticação de
animais;
- A subsistência era garantida com a coleta de frutos e raízes, além da pesca e da caça de
animais;
- A escassez de alimentos e a hostilidade do meio ambiente obrigavam os homens a viverem
como nômades;

Enquanto migravam de um lugar para o outro foram percebendo que as


sementes que caiam sobre a terra multiplicavam suas colheitas em poucos
meses. Com isso se tornaram agricultores e trocaram a vida nômade pela
vida em pequenas aldeias.

O processo de desenvolvimento agrícola foi iniciado, principalmente com a


aveia, trigo e cevada, devido a abundância desses alimentos.
IDADE DOS METAIS
As grandes transformações: consolidação do desenvolvimento da agricultura e criação
dos animais;

Nessa época se iniciou a base da nossa alimentação tradicional, que é a cultura de


cereais, e principalmente de trigo e centeio, usados na fabricação de pães.

Se iniciou a produção de bebidas e alimentos líquidos com o emprego de cereais: raízes,


caules, grãos, vagens, brotos, cozidos, ensopados e condimentos.
ANTIGO EGITO
- As elites tinham comida farta e variada;

- Os faraós consumiam massas, carnes, peixes, laticínios, frutas, legumes,


cereais, condimentos, especiarias, mel e bebidas;

- Agricultura, criação de animais, caça e pesca eram utilizadas como produção


alimentar;

- A alimentação farta era vista como símbolo de saúde e longevidade. A


inapetência era considerada sinal de doença.
TRIGO E ARROZ

Trigo, milho, arroz e cevada foram os primeiros grãos cultivados;

O trigo era o alimento básico do homem;

No Egito, o trigo já era cultivado 3.000 a.C.;

O trigo era usado pelos faraós como forma de pagamento e fabricação de pão.
ANTIGUIDADE

- Os médicos já conheciam os efeitos preventivos e terapêuticos da alimentação;


- O alimento já era associado ao combate de doenças;
- O cultivo de cevada, trigo, favas, grão-de-bico, lentilhas, gergelim; a criação de
bovinos, suínos, ovinos e de cães (para consumo); a caça de javalis, lebres, raposas
e aves; a pesca de peixes e moluscos; destaca-se o consumo de queijos, frutas
secas e frescas, hortaliças como alho, cebola e agrião e condimentos como poejo,
manjericão e tomilho;
- A principal bebida era o vinho.
IDADE MODERNA

- A Agricultura passa a ter fins comerciais;

- Produtos como tomate, batata, milho, arroz e outras espécies alimentares


tornam-se importantes na alimentação ocidental;

- O pão era bastante consumido por todas as classes sociais e as crises


na produção de cereais durante esse período tiveram impacto direto sobre
a mortalidade.
IDADE CONTEMPORÂNEA
- Passou a ser consumida uma variedade cada vez maior de frutas e verduras;
- Crescimento demográfico, a industrialização e a urbanização muda o consumo e o estilo de vida,
favorecendo o sedentarismo, a restrição da necessidade de gasto de energia para as atividades diárias e
para o trabalho, além de facilitar o consumo de alimentos prontos e de alta densidade energética aumentado
os problemas de saúde como a obesidade, a hipertensão e alguns tipos de câncer;
- O consumo do açúcar, até então restrito às elites sociais, difundiu-se na alimentação popular;
- Cultivos em condições especiais e mudanças genéticas nos alimentos;
- Crescem cada vez mais as alternativas nas indústrias de alimentos e nos serviços de alimentação:
alimentos congelados e pré-cozidos, enlatados, conservas, drive-thru, fast-food, delivery e self-
service, entre outros;
- Homogeneidade: Os mesmos alimentos consumidos em diferentes países tendem a ser cada vez mais
semelhantes.
1.

Você também pode gostar