Você está na página 1de 39

O Ser Humano

Diante do
Sofrimento e suas
questões internas
POR QUE EU?
Empatia
 “Podemos ter muito conhecimento teórico
sobre a morte, até compreendê-la e aceitá-la
externamente, mas não vivemos esta
experiência. O que nos amedronta é termos
que passar sozinhos por experiência tão
dura, sentir o estranho vazio e a solidão do
processo de morrer.”

Eleny Vassão
As MINHAS respostas
O Comportamento
de Jó diante do
Sofrimento
Um Homem bom em
meio a um universo
pecaminoso
Quatro golpes
sobre a vida de Jó
A dor podia mortificar-lhe o aspecto, mas não
podia arrancar-lhe a consolação da fé. Com
essa situação ele encontrou forças para
expressar uma das mais belas expressões de
submissão à vontade de Deus que se encontra
em Jó 1:20...
“Ao ouvir isso, Jó levantou-se,
rasgou o manto e rapou a cabeça.
Então prostrou-se, rosto em terra,
em adoração, e disse: ‘Sai nu do
ventre da minha mãe, e nu partirei.
O Senhor o deu, o Senhor o levou;
Louvado seja o nome do Senhor.’”
FIM DO DESAFIO?
Espiritualidade que nasce do
sofrimento. Crise,
oportunidade de crescer
Luto
&
Preparação para a
guerra
A confiança de Jó em Deus ainda é evidente
em Jó 13:15a: “Embora Ele me mate, ainda
assim esperarei nEle...”. Ele estava afirmando
que só tinha Deus para confiar, e mesmo que
ele o matasse a sua fé continuaria firmada nele.
É espantoso ver a confiança deste homem em
Deus. Este livro joga po baixo toda e qualquer
teoria de justa retribuição, que diz que o sofrer
é relacionado ao pagamento de algo errado que
foi cometido, e ensina a confiar em Deus
mesmo quando tudo está favorável ao
contrário. Vê-se a atitude que Jó tomou diante
do sofrimento que o assolava.
O Comportamento da
Família de Jó Diante
do Sofrimento
O Trono do maior
de todos do oriente
A carta na manga de Jó:
SUA FAMÍLIA
Bens de Jó & Bens da Esposa
Filhos de Jó & Filhos da Esposa
Saúde de Jó & Saúde do marido

REAÇÕES DIFERENTES
O “sofrer” comunitário
Sorria
“No meio cristão muitas vezes ouvimos dizer
que o crente nunca deve expressar suas
emoções negativas. Como resultado,
infelizmente, vemos muitos irmãos que vivem
mascarados agindo de modo hipócrita,
tentando aparentar alegria quando estão em
profundo sofrimento e terrivelmente solitários,
para não correrem o risco de expressar seus
sentimentos e decepcionar outros irmãos na
fé.”

Eleny Vassão
O comportamento
dos amigos de Jó
diante do sofrimento
Justiça seja feita
Elifaz, o Comandante
Incompassivo
“Uma das maneiras encontradas a cada
geração para dar sentido ao
sofrimento humano é supor que
somos merecedores do que nos
acontece, que de algum modo as
desgraças sobrevêm como punição
para nossos pecados.”

Harold Küshner
Os “Elifazes” do
mundo atual
Bildade, o
Fundamentalista
Empatia. Como eu estaria
em seu lugar?
“O paciente deve ser conduzido a
manter uma comunicação franca e
sincera com Deus que é também a
chave para nos aproveitarmos de
seus recursos e amor em face da
enfermidade e da morte. Ao invés de
nos escondermos por trás de orações
e atitudes “espirituais”, precisamos
admitir diante dele (e de nós
mesmos) que estamos zangados,
sentindo-nos desesperançados, em
desespero ou necessitados.”

Ruth Kopp
Zofar, o Dogmatista
Intolerante
“NÃO SEI!!!”
Ah se este homens tivessem
permanecidos calados! Para o próprio
Jó, o silêncio, apenas a presença física,
o confortava mais do que todas as
palavras que a ele foram proferidas. A
reação que seus amigos tomaram
diante do sofrimento foi procurar
respostas, mesmo que para isso eles
tivessem que ferir o próprio amigo já
fadigado pela dor que o assolava.
CONCLUSÃO

As reações diante do
sofrimento
Idéia equivocada de
Deus
“As desgraças que atingem as pessoas boas
não são um problema apenas para as
próprias vítimas e para suas famílias.
Passam a ser um problema para todos que
desejam acreditar em um mundo justo,
razoável e suportável. Estes inevitavelmente
levantam questões quanto a bondade, à
amabilidade e até mesmo à existência de
Deus.”

Harold Küshner
Na era cristã frequentemente
o próximo é acusado de não
ser “como Deus”. Mas Jó,
queixava-se de que os seus
amigos eram demasiadamente
parecidos com Ele. E o pior é
que essa semelhança não
estava relacionada à sua
bondade, misericórdia ou
amor, e sim a uma onisciência
que o escandalizava.
Diante das diversas atitudes que
as pessoas venham a tomar
diante dos momentos de crise, a
melhor coisa a se fazer é
permanecermos na condição de
seres humanos e caminhar juntos,
não em busca apenas de
respostas, mas sim de conforto e
confiança aos corações
atribulados. Se o trabalho de
conforto for exercido com este
pensamento os frutos e os
resultados serão muito mais
perceptíveis a todos os que estão
envolvidos neste processo.

Interesses relacionados