Você está na página 1de 30

Bioenergética

Conceito
Tipos de Energia
Substratos para a produção de energia
Sistemas de produção de energia
Bioenergética
Bloco temático da Fisiologia dedicado ao estudo dos
processos químicos que tornam possível a vida celular
do ponto de vista energético

permite entender como a capacidade para realizar


trabalho (exercício) está dependente da conversão de
uma forma de energia em outra.
Bioenergética
Durante o ciclo da vida, produzimos e utilizamos
energia constantemente

Permite o funcionamento das células de nosso corpo,

Nos animais, tal energia é fornecida pelos alimentos.


Bioenergética
De acordo com o princípio da Conservação da Energia,
a energia não pode ser criada nem destruída, mas
somente transformada de uma espécie em outra.

Existem várias formas de energia.


1- QUIMICA 4- LUMINOSA
2- MECÂNICA 5- ELÉTRICA
3- TÉRMICA 6- NUCLEAR
Bioenergética

INTERESSE MAIOR:
transformação da energia química em mecânica
.

alimentos movimento humano


Produção de Energia
Para a produção de energia para as atividades, os
carboidratos e gorduras por processos químicos que
podem usar ou não oxigênio, tanto em repouso
como em exercício.

A energia do alimento precisa ser convertida em um


composto químico conhecido como ATP.
Produção de Energia
Adenosina Trifosfato – ATP

Armazenado nas células musculares,


Fonte imediata de produção de energia,
Quantidade limitada
Produção de Energia
Adenosina Trifosfato – ATP
Produção de Energia
Recentes de ATP

Três vias

1) Sistemas dos fosfagênios – atp-cp


2) Sistema Anaeróbio lático
3) Sistema aeróbio ou oxidativo
Sistema ATP-CP

ATP

ATP

ATP

Célula
Sistema ATP-CP

ATP ADP

ATP
ATP
ADP
ADP
Célula
Sistema ATP-CP

ATP ADP Energia

Adenosina difostato
Fosfato inorgânico

10´ Energia
Célula
Sistema ATP-CP

ATP ADP

Adenosina difostato
Fosfato inorgânico

Creatina fosfato

Célula
Sistema ATP-CP
Sistema ATP-CP
Sistema ATP-CP
•Predominantemente utilizado em exercícios de alta
intensidade e curta duração

•Não depende de oxigênio

•ATP e CP já armazenados
Sistema Glicolítico
• Segunda via de produção de ATP
•Ressintese ocorre no interior do músculo
•Degradação incompleta de CHO
•Predominantemente utilizado em exercícios de alta
intensidade e curta duração (15 a 120 seg.)

•Não depende de oxigênio

•Glicose e glicogênio armazenados

•Produção de ácido lático


Glicose 6 fosfatase GLICOSE
(Fígado) ADP + Pi ATP Hexoquinase
ATP ADP + Pi
Glicose 6 fosfato
Hexoisomerase
Frutose 6 fosfato
ADP + Pi ATP
Frutosedifosfatase ADP + Pi Fosfofrutoquinase
ATP
Frutose 1, 6 fosfato
Aldolase
Fosfato diidroxicetona
3 Fosfogliceraldeido Glicose 3 P
NAD NAD
NADH NADH + H+ desidrogenase
1, 3 Difosfoglicerato
ADP + Pi ADP + Pi
ATP ATP Gliceromutase
3 Ácido fosfoglicérico

2 Ácido fosfoglicérico
Enolase
H2 O NAD NADH + H+
Piruvatro-carboxilase fosfoenolpiruvato
ADP + Pi ADP + Pi
ÁCIDO ATP ATP ACETIL CoA
LÁTICO
Lactatodesidrogenase ÁCIDO PIRÚVICO Piruvatoquinase
Glicogênio Citoplasma
Pentoses Galactose
Glicose 1 P
ATP
Maltose
Glicose Glicose 6 P
ATP
Frutose 2H+
ATP
Piruvato
Lactato

2 ATP

3 ATP
Sistema Oxidativo
• Terceira de produção de ATP
•Ressintese ocorre no interior da mitocôndria
•Degradação completa de CHO
•Predominantemente utilizado em exercícios de
intensidade moderada e longa duração ( 3 a 20 min.)

Depende de oxigênio

• glicogênio e gorduras armazenados


• predomínio depende da intensidade e duração do
estímulo
Glicogênio Citoplasma
Pentoses Galactose
Glicose 1 P
ATP
Maltose
Glicose Glicose 6 P Mitocôndria
ATP
Frutose 2H+
ATP
CO2
Piruvato Acetil CoA
Lactato
2H+
Ciclo
de
Krebs
Glicogênio Citoplasma
Pentoses Galactose
Glicose 1 P
ATP
Maltose
Glicose Glicose 6 P Mitocôndria
ATP
Frutose 2H+
ATP
CO2
Piruvato Acetil CoA
Lactato
2H+
Ciclo
de
Krebs
CICLO DE KREBS
Glicogênio Citoplasma
Pentoses Galactose
Glicose 1 P
ATP
Maltose
Glicose Glicose 6 P Mitocôndria
ATP
Frutose 2H+
ATP CO2
Piruvato Acetil CoA
Lactato
2H+
Ciclo
de CO2
H 2O Krebs

GTP
Cadeia
Transportadora 2H+
de Elétrons FAD+ NAD+

2 e- + 2H+ + ½ O2 H2O + CO2 + ATP


GLICÍDIOS
gliconeogênese

GLICOSE Glicogênio
Pentoses ATP Gligogenólise
Glicogênese 2H+ Glicólise
Gliconeogênese ATP

PIRUVATO
ACETIL COA
Lactato 2H+
CO2
CO2 Ciclo
de
H2 O Krebs
GTP

2H+
CTE NAD+
FAD+

2 e- + 2H+ + ½ O2 H2O + CO2 + ATP


Vias de energia e sua participação na duração do esforço

Esforço máximo Via anaeróbica Via anaeróbica Via oxidativa


(duração) alática (%) lática (%) (%)

5 seg. 85 10 5
10 seg. 50 35 15
30 seg. 15 65 20
1 min. 8 62 30
2 min. 4 46 50
4 min. 2 28 70
10 min. 1 9 90
30 min. desprezível 5 95
1h desprezível 2 98
2h desprezível 1 99
Relação com a Dança

Diversas modalidades,
Dentro da coreografia:
Variações de intensidade, duração
Questões de Revisão
1. Existem vários tipos de energia no universo, e
estas se transformam uma nas outras. Cite as
três que são importantes para a Bioenergética.
2. Qual o papel da creatina fosfato na produção de
ATP?
3. Que sistemas participam na formação de ATP?
Cite as diferenças entre eles.

Você também pode gostar