Você está na página 1de 12

O PENSAMENTO PRÁTICO DO

PROFESSOR: O PROFESSOR
COMO PROFISSIONAL

Autor: Angel Pérez Gómez

Daniel Sanchez
Gabriele Scheleski
CONHECENDO O AUTOR
Angel Pérez Gómez.
Naceu em Valladolid, Espanha. É licenciado em Filosofía e Ciencias da Educação,
secção Pedagogía, pela Universidade de Salamanca e Licenciado em Psicología
pela Universidade Complutense de Madrid. É doutor em Pedagogía pela
Universidade Complutense de Madrid

Resumo do livro. Este texto procura introduzir novas abordagens no debate sobre a formação de
professores, deslocando-o de uma perspectiva excessivamente centrada nas dimensões académicas
(áreas, currículos, disciplinas, etc.) para uma perspectiva centrada no terreno profissional (1). Na
primeira parte evoca-se o percurso histórico de formação da profissão docente, argumentando-se
com a necessidade de pensar a formação de professores a partir de uma reflexão fundamental sobre a
profissão docente. Na segunda parte relaciona-se a formação de professores com o desenvolvimento
pessoal (produzir a vida do professor), com o desenvolvimento profissional (produzir a profissão
docente) e com o desenvolvimento organizacional (produzir a escola).
Recuperado de repositorio Universidade de Lisboa http://repositorio.ul.pt/handle/10451/4758
INTRODUÇÃO
Preocupação com os longos processos escolares, bem como, a formação docente
inicial e continuada;
Sociedade insatisfeita com as políticas educativas;
Década de 80: movimentação para reformas educacionais – seminários,
congressos, conferências, publicações...;
O autor faz apontamentos sobre a constituição do conhecimento do professor:
“ A formação de professores não pode considerar-se um domínio autônomo de
conhecimento e decisão” (GÓMEZ, 1995, p. 95).

Concepções de ensino: “O professor como técnico” e “Professor como prático


autônomo.
O PROFESSOR COMO TÉCNICO

Raizes no positivismo e programas educativos da epoca industrial e na investigação


hipotetica deductiva.
Seu carater profissionalizante vem de chegar a formar um sujeito capaz de escolher a
ferramenta correta para resolver algum problema.
a. Disciplina subjacente.
b. Ciencia aplicada, diagnositco e intervenção teconologica.
c. competências e atitudes para o uso dos conhecimento disciplinar e o conhecimento.
Não tem em conta problemas eticos, epistemologicos, nem politicos.
Razão tecnica.
Prática definida como aplicação
O PROFESSOR REFLEXIVO

 Apontamentos para a saída de um “engessamento” do professor técnico para a


“flexibilização” do pensar a ação docente na sala de aula;
 Stenhouse (1975), Eisner (1980), Tom (1986), Clark (1983), Schon (1983,
1987), entre outros;

“Na realidade, o professor intervém num meio complexo, num cenário


psicossocial vivo e mutável [...]” (GÓMEZ, 1995, p. 102).
O PROFESSOR REFLEXIVO
“A reflexão implica a imersão CONSCIENTE do homem no mundo da sua
experiência [...] (Idem, p. 103).

 3 conceito do pensamento prático:


 Conhecimento na ação: orienta a atividade humana e manifesta-se no saber
fazer;
 Reflexão na ação: pensamento no ato da ação, diálogo com o problema,
análise imediata;
 Reflexão sobre a ação e sobre a reflexão na ação: análise a posterióri,
compreensão, avaliação e reconstrução da prática.
SOBRE A FORMAÇÃO DE PROFESSORES

“A nova epistemologia da prática conduz necessariamente a uma reconsideração”


(p. 107)

Da função do professor
Na formação docente
como profissional
Prática pedagógica
Nos seus conceitos
teóricos

Reconhecimento social
da profissão
SOBRE A FORMAÇÃO DE PROFESSORES:
O modelo técnico
 A realidade de multiples programas de formação esta pautada pela epistemologia da razão
tecnica.
Separação cada vez mais profunda entre o mundo academico da pesquisa e mundo da pratica.
O conhecimento tecinico e puramente prototipico, acontece em espaços ideias, na formação se
acredita que é suficente para dar cara a pratica.
Nas formas artisticas e reflexivas de formação de professores se reconhece a validade das
formas tecnicas de procurar novos cnhecimentos, mas com a advertencia de sua forte limitação
e sua grande responsibilidade da crise dos modelos educativos.
SOBRE A FORMAÇÃO DE PROFESSORES:
O modelo reflexivo

 Concepção construtivista;
 Profissional competente atua refletindo;
 aprendizagem docente em construção permanente;
 Finaliza sugerindo 12 concepções para a formação do professor reflexivo (p.
111-113).
Leituras complementares

OSORIO, M. Conhecimento e modernidade em reconstrução.

NÓVOA, A. Discussão do texto: “Professores: O Futuro Ainda Demora Muito tempo?

ADORNO e HORKHEIMER. Critica da razão instrumental.


Competências?
Dúvidas
E o modelo
tradicional?

São estas formas


puras, ou existem
misturas? Perguntas

Críticas
REFÊRENCIAS
• GÓMEZ, Angel Pérez. O pensamento prático do professor. In: NÓVOA,
António (org). Os professores e a sua formação. Dom Quixote, Lisboa. 2ª ed.
1995.