Você está na página 1de 9

TEORIA GERAL DO PROCESSO

TEORIA
GERAL DO PROCESSO
Prof. Esp. Clóvis M. Dias Jr.
CJr
@clovisjrs
JULGUE os itens a seguir em CERTO (C) ou ERRADO (E)
TEORIA GERAL DO PROCESSO
1 Não cabe ao Estado promover a solução consensual de
conflitos: ela depende unicamente de iniciativa privada e deverá
ser realizada entre os jurisdicionados. (_______)

2 Nos termos da lei de arbitragem, o árbitro deve possuir nível


superior em qualquer área e ser de confiança dos signatários da
convenção de arbitragem. (_______)

3 Na mediação, um terceiro, munido de técnicas adequadas,


ouvirá as partes e oferecerá diferentes abordagens e enfoques
para o problema, aproximando os litigantes e facilitando a
CJr
composição do litígio. (_______) Prof. Esp. Clóvis M. Dias Jr.
JULGUE os itens a seguir em CERTO (C) ou ERRADO (E)
TEORIA GERAL DO PROCESSO
4 Uma das características da atividade jurisdicional é a sua
inércia, razão pela qual, em nenhuma hipótese, o juiz deve
determinar, de ofício, que se inicie o processo. (_______)

5 Processo é um ato jurídico complexo que gera um feixe de


relações jurídicas formadas pelos sujeitos processuais. (_______)

6 No Neoprocessualismo o processo passa a agregar aspectos do


neoconstitucionalismo e do pós-positivismo contemporâneo,
tais como o julgamento sem uso de princípios e a força
normativa das decisões judiciais. (_______)
CJr
Prof. Esp. Clóvis M. Dias Jr.
7 Suponha que em determinado processo de conhecimento que
tramitava pelo rito comum ordinário tenha havido a juntada de
importante documento pela parte autora sem que o Juiz, em
TEORIA GERAL DO PROCESSO

momento seguinte, tenha intimado a parte adversa para que esta,


tomando conhecimento da existência do documento, pudesse
sobre ele se manifestar.

Assinale a alternativa que expressa o princípio processual de


forma direta e efetiva violado pela hipótese descrita
a) Princípio do Contraditório.
b) Princípio do Juiz Natural.
c) Princípio da Motivação das Decisões Judiciais.
d) Princípio da Tempestividade da Tutela Jurisdicional.
CJr e) Princípio da Inafastabilidade do Controle Jurisdicional.
Prof. Esp. Clóvis M. Dias Jr.
8 Antônio, famoso cantor da região de Milagrópolis, mata um desafeto
ao término de um show, gerando grande repercussão local. Em razão
de sua popularidade, Antônio tem seu processo distribuído para o TJCM
TEORIA GERAL DO PROCESSO

(Tribunal para Julgamento de Cantores de Milagrópolis), criado após a


ocorrência dos fatos esquivando- se, assim, do julgamento pelo Tribunal do
Juri.
A dinâmica dos fatos revela inequívoca violação a um fundamental
princípio do Direito Processual brasileiro. Assinale a alternativa que revela o
princípio que, de forma direta e específica, foi violado pelos fatos acima
narrados.
a) Princípio da Ampla Defesa.
b) Princípio do Contraditório.
c) Princípio do Juiz Natural.
d) Princípio da Lealdade Processual.
e) Princípio da Inafastabilidade do Controle Jurisdicional.
CJr
Prof. Esp. Clóvis M. Dias Jr.
9 Em sua clássica obra “Acesso à Justiça", Mauro Cappelletti e
TEORIA GERAL DO PROCESSO Bryant Garth identificaram os obstáculos a serem transpostos para
assegurar o direito ao acesso efetivo à justiça e propuseram
soluções práticas para os problemas relacionados a esse acesso,
denominando-as de “ondas". Nesse contexto, a alternativa que
caracteriza uma das ondas de acesso à justiça é:

a) criação de escolas de formação de magistrados;


b) representação dos interesses difusos;
c) redução dos procedimentos especiais;
d) reforço da neutralidade judicial;
e) combate ao uso seletivo de incentivos econômicos para
CJr
encorajar acordos.
Prof. Esp. Clóvis M. Dias Jr.
TEORIA GERAL DO PROCESSO
10 São características/princípios da jurisdição:

a) investidura, inevitabilidade e delegabilidade;


b) interesse de agir, inafastabilidade e autotutela;
c) substitutividade, hermetismo e definitividade;
d) inércia, inevitabilidade e taxatividade;
e) inafastabilidade, investidura e inevitabilidade

CJr
Prof. Esp. Clóvis M. Dias Jr.
11 Um meio de resolução de controvérsias, referentes a direitos
patrimoniais disponíveis, no qual ocorre a intervenção de um terceiro
independente e imparcial, que recebe poderes de uma convenção para
TEORIA GERAL DO PROCESSO

decidir pelos envolvidos no conflito, sendo sua decisão equivalente a uma


sentença judicial é denominado de:
A) Ao aceitarem a solução intermediária, os interessados realizaram
autocomposição.
B) Configura-se, no caso, a autotutela, dada a inexistência de intervenção
do Estado-juiz.
C) A figura do terceiro que conduz os interessados a solução
independentemente de intervenção judiciária indica a ocorrência de
mediação.
D) Como a solução proposta se fundamenta na regra jurídica aplicável e
tem executividade própria, trata-se de verdadeira jurisdição.
E) Dada a ocorrência de solução por intervenção de terceiro, fica
CJr
caracterizada a arbitragem. Prof. Esp. Clóvis M. Dias Jr.
12 A cláusula constitucional do due process of law - que se destina a garantir a pessoa do
acusado contra ações eventualmente abusivas do Poder Público tem, no dogma da
inadmissibilidade das provas ilícitas ou ilegítimas, uma de suas projeções concretizadoras
TEORIA GERAL DO PROCESSO
mais expressivas, na medida em que o réu tem o impostergável direito de não ser
denunciado, de não ser julgado e de não ser condenado com base em elementos
instrutórios obtidos ou produzidos com desrespeito aos limites impostos pelo
ordenamento jurídico ao poder persecutório e ao poder investigatório do Estado. (STF, HC
69912, Min. Celso de Mello).
A par de tal orientação jurisprudencial assinale a opção incorreta:
a) Somente se houver prévia autorização judicial, serão considerados prova lícita os
dados e as conversas registrados no aplicativo WhatsApp colhidos de aparelho celular
apreendido quando da prisão em flagrante.
b) A gravação feita por um dos interlocutores, sem conhecimento do outro, nada tem de
ilicitude, principalmente quando destinada a documentá-la em caso de negativa.
c) No ordenamento jurídico brasileiro, não se adota a denominada teoria da árvore dos
frutos envenenados, de modo que a prova derivada da prova ilícita tem existência
autônoma e deverá ser apreciada em juízo.
CJr d) Processo Penal brasileiro adotou a teoria “dos frutos da árvore envenenada” e a
doutrina da “fonte independente”. Prof. Esp. Clóvis M. Dias Jr.