Você está na página 1de 13

PROPOSTA PEDAGÓGICA DE PESQUISA E

INTERDISCIPLINARIDADE
DESTA 4º UNIDADE PARA A DISCIPLINA DE
GEOGRAFIA
GEOGRAFIA E MEIO AMBIENTE
APRESENTAÇÃO
 Projeto de Pesquisa para o Desenvolvimento Social
Sustentável Local.

 O Projeto abrange o estudo de aspectos históricos


geográficos e ambientais em formato de Pesquisa
exploratória e de registros técnicos visando apresentar
o Potencial Natural de Sustentabilidade.
OBJETO DE ESTUDO

 A perspectiva de sustentabilidade sob a ótica histórica


e geográfica.

 A visibilidade dos aspectos da natureza na região:

 Recursos hídricos, a vegetação nativa, riquezas


minerais e sítios arqueológicos.

 A ética social e do convívio junto a esses recursos da


natureza.
LEVANTAMENTOS E ESTUDO EM
QUESTÃO
 O desenvolvimento sustentável versus crescimento
econômico sob a ótica da conservação ambiental.

 Questões dos costumes da cultura junto ao meio


ambiente e sua influencia na qualidade de vida local.

 Potencial de sustentabilidade próprio da geografia


local.
JUSTIFICATIVA

 Nosso semiárido possui pontos fortes, extensa


biodiversidade, reservas incomuns ainda pouco
conhecidas e presentes no bioma da caatinga .
 Seu potencial sustentável requer visibilidade.
 Os pontos fortes assim como as fragilidades do
potencial sustentável se fazem presentes.
 A busca desses registros tem a finalidade de submetê-
los a uma sistematização que avalia “pontos positivos e
pontos negativos”.
Referenciais
 A Constituição de 1988 instituiu os princípios das boas
práticas socioambientais por meio do processo
educativo e o Programa Nacional de Educação
Ambiental- ProNEA:
“ Como parte do processo educativo mais
amplo, todos têm direito à educação
ambiental, incumbindo: - ao Poder Público, nos
termos dos arts. 205 e 225 da Constituição
Federal, definir políticas públicas que
incorporem a dimensão ambiental, promover a
educação ambiental em todos os níveis de ensino e
o engajamento da sociedade na conservação, recuperação e
melhoria do meio ambiente.” (Cap. I . Art. 3º - Lei 9.795/99).
PRINCIPAIS QUESTÕES
 Desconhecimento dos pontos positivos e negativos dos
valores socioambientais da localidade;
 Ausência de dados compreendidas desde o trato com o
solo, dos recursos hídricos, da vegetação nativa bem
como da proximidade de sítios arqueológicos;
 Saber pontos fortes e fragilidades dos Recursos
naturais;
 Em resumo: Qual seria o Potencial Natural de
Sustentabilidade existente na nossa geografia local?
METODOLOGIA
 A Pesquisa seguirá uma linha exploratória e descritiva: Por meio de registros fotográficos, estudo de
caso, depoimentos, entrevistas para a formulação final de filme em formato de documentário.

 Os estudos de caso e observações seguirão um roteiro para cada grupo.

 As entrevistas serão realizadas com pessoas da localidade que tiveram experiências práticas e vínculo
histórico com o tema pesquisado ( ver pessoas Idosas como Patrimônio Humano e Social).

 A exposição do cenário interno com as pontos positivos e pontos negativos do cenário externo com as
conseqüentes oportunidades e ameaças serão expostas em análise SWOT.

 O quadro da análise trará exposição dos principais indicadores socioambientais, resumo em: imagens,
fotografias, depoimentos, entrevistas como também possíveis dados de consultas documentais.

A tabela de SWOT consiste em apresentar sistematicamente um cruzamento de dados desde os pontos fortes que oferecem
oportunidades aos pontos fracos que oferecem ameaças. SWOT é a sigla dos termos Strengths (Forças), Weaknesses
(Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças), uma metodologia usada em administração para avaliar
cenários internos e externos.
OBJETIVO GERAL

 Ampliar visibilidade aos aspectos ambientais da


geografia local com vistas à prática do
desenvolvimento sustentável.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
(prática)
 Ressaltar por meio de fotografias ocorrências ambientais que incluam a
destinação dos resíduos sólidos e saneamento.

 Levantar indicadores socioambientais e identificar pontos negativos e


positivos das práticas locais por meio de roteiros de entrevistas.

 Identificar indicadores geográficos (IBGE, DNPM, IPHAN) das riquezas


hídricas e minerais locais.
 Identificar e relacionar indicadores socioambientais.
 Apontar indicadores para o desenvolvimento.
 Registrar por meio de filmagens documentário completo da pesquisa.
 Propor elaboração de Plano estratégico local de desenvolvimento
sustentável junto ao PTDSS/TIPD.

Plano Territorial de Desenvolvimento Sustentável e Solidário do Território de Identidade do Piemonte da Diamantina-


PTDSS/TIPD.
CRONOGRAMA
PROPOSTAS / OUT. 1 e 2 OUT. 3 e 4 NOV. 1 e 2 Nov. 3 e 4
APLICAÇÃO
APRESENTAÇÃO DO
PROJETO EM SALA DE x
AULA
DISCUSSÕES p/ NOVAS EXPOR MATERIAL em
ADEQUAÇÕES EM SALA POWER POINT
DE AULA
APRESENTAÇÃO DA GRUPOS E
METODOLOGIA E ATRIBUIÇÕES
DIVISÃO DOS GRUPOS E ESPECÍFICAS
AGENDA EM SALA DE
AULA
PLA NEJAMENTO DAS SAÍDA/DISTRIBUIR
ATIVIDADES POR MATERIAL DE CAMPO
GRUPO E
MAPEAMENTO
DISCUSSÕES E PRODUÇÃO DE CAMPO VERIFICAR MATERIAL
PLANEJAMENTO E PRODUÇÃO DE CAMPO
MONITORAMENTO DA
AGENDA EXTERNA

ATIVIDADES EXTERNAS ATIVIDADES: ATIVIDADES: REVISÃO GERAL


SOCIALIZAÇÃO DAS ORGANIZAÇÃO E
ATIVIDADES CONCEITUAÇÃO DO
PRODUÇÃO E CRÍTICA MATERIAL
(Identificar indicadores) PRODUZIDO
CORREÇÕES DA ESCRITA FINAL APRESENTAÇÃ O FINAL
PRODUÇÃO EXTERNA –
EDIÇÃO - ARTE FINAL
REFERÊNCIAS GERAIS
ARAUJO, Marcelino Gomes de, SCHWAMBORN, Silvia Helena Lima A EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM ANÁLISE SWOT. Revista Ambiente & Educação. v.18 n. 2.
2013. Rio Grande de Sul, Brasil. Disponível em: < https://www.seer.furg.br/ambeduc/article/view/4055> Acesso em 04 de out. de 2016.

BRASIL. POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL. LEI nº 9.795 de 27 de abril de 1999.

BRASIL. POLÍTICA NACIONAL DE TURISMO. LEI nº 11.771 de 17 de setembro de 2008.

Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). Manuais e Procedimentos. Disponível em: < http://www.dnpm.gov.br/acesso-a-informacao/manuais-e-
procedimentos> Acesso em 14 de outubro de 2016.

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis- (IBAMA). Qualidade Ambiental. Disponível em: < http://www.ibama.gov.br/areas-
tematicas/qualidade-ambiental>. Acesso em 04 de outubro de 2016.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - (IBGE). Disponível em: < http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/pesquisas/pesquisas.php >. Acesso em 06 de
setembro de 2016.

Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional - (IPHAN). Centro Nacional de Arqueologia- (CNA) Disponível em: <
http//portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/315 > Acesso em 05 de setembro de 2016.

MENEZES, Ebenezer Takuno de; SANTOS, Thais Helena dos. Verbete PRONEA (Programa Nacional de Educação Ambiental). Dicionário Interativo da
Educação Brasileira - Educabrasil. São Paulo: Midiamix, 2001. Disponível em: <http://www.educabrasil.com.br/pronea-programa-nacional-de-educacao-
ambiental/>. Acesso em: 04 de out. 2016.

Programa Nacional de Educação Ambiental - ProNEA. EDUCAÇÃO AMBIENTAL- Por um Brasil Sustentável. ProNEA, Marcos Legais & Normativos. 4º
Edição. Brasília. 2014. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/images/arquivo/80221/pronea_4edicao_web-1.pdf> Acesso em 04 de out. 2016.

SEPLAN. Secretaria do Planejamento do Estado da Bahia. Disponível em: <


http://www.seplan.ba.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=51>. Acesso em: 04 de out. 2016.

Sites:
Disponível em: < http://www.mma.gov.br/biomas/caatinga> Acesso em 01 de out. de 2016.

Disponível em: < http://www.turismo.gov.br/2015-04-06-13-25-43.html> Acesso em 01 de out. de 2016.


Este Projeto de Pesquisa interdisciplinar foi desenvolvido por uma parceria entre a
Professora Daiana Reis Santana e a Assistente Social Mercejane D. de Almeida cuja
visão compartilhada conta com o apoio da Direção .
Inclui ainda a disciplina de Geografia junto a proposta em Educação Ambiental e
apresenta proposta de participação para as turmas do 1º, 2º e 3º ano do Ens. Médio
desta Escola, neste ano de 2016.

CRESS-BA nº 017730