Você está na página 1de 13

CALENDÁRIO MAIA

EQUIPE: DÉBORA, EDINAN, ISAQUE E MARIA REGINA


Calendário maia conhecido como Pedra
do Sol.
Qual a diferença do calendario Maia para o
calendario Gregoriano
O calendário maia se difere do calendário ocidental pela sua concepção de tempo.
Para os ocidentais, o tempo é algo que começou em algum momento e segue
continuamente, sem parar. Apenas um grande evento vai fazer com que o tempo
termine.
Entretanto, para a civilização maia o tempo é circular: um evento que ocorreu no passado
vai se repetir. Assim como os ciclos da natureza se repetem, como o sol se levanta todos os
dias, os acontecimentos da nossa vida individual também se repetem.

Cíclico Linear
TIPOS DE CALENDÁRIO
O calendário Maia consiste em um sistema de três
calendários entrelaçados e almanaques que foi utilizado por
várias culturas da América Central. Os três tipos de calendário
eram o haab, o Tzolkin e o outro o Calendário de Conta Longa.
HAAB
Da mesma maneira como o calendário ocidental, o
calendário solar maia, chamado de Haab, conta com 365 dias.
No entanto, esses são divididos em 18 meses com 20 dias cada
um, o que dá um total de 360 dias. Os cinco dias que sobram
completam o calendário, não pertencem a nenhum mês e são
considerados desfavoráveis para a realização de certas tarefas.
Estava ligado aos eventos agrícolas (plantio e colheita)
realizados pelos maias.
TZOLKIN
O calendário divino também é conhecido como o Ciclo Sagrado
ou o Tzolkin, que significa “a distribuição dos dias”. É um calendário
de 260 dias, com 20 períodos (meses) de 13 dias usados para
determinar o momento de eventos religiosos e cerimoniais. Cada
dia é numerada de uma a treze, e, em seguida, repetido. O dia
também é dado um nome (glifo) a partir de uma seqüência de 20
nomes de dias. O calendário se repete depois de cada ciclo. Esse
modelo é baseado na gestação humana que dura aproximadamente
260 dias. Portanto, este calendário era a chave para saber que dia
era favorável para marcar o início da guerra, oferecer sacrifícios,
realizar casamentos, etc. Cada dia tinha um significado especial de
acordo com a astrologia.
A SINCRONIZAÇÃO DOS
CALENDÁRIOS
Estes dois calendários não funcionavam separadamente,
juntos os dois formam o Calendário Circular. Este durava 52
anos solares (o que seria para nós, como um século), e estes
dois calendários se sincronizavam matematicamente pelo
planeta Vênus. Uma vez terminado este ciclo de 52 anos se
iniciava outro ciclo e assim sucessivamente. A cada 3.172 anos
solares ocorria o encontro do início destes dois calendários.
Para os maias, este período simbolizava o recomeço de uma
nova Era.
A CONTAGEM LONGA
Havia um terceiro calendário chamado "Calendário de Conta
Longa". Como o próprio nome diz ele era mais amplo que os
anteriores. Este calendário contava o tempo desde a origem
dos maias até o suposto fim do mundo e não era usado no dia-
a-dia.
FUNCIONAMENTO:
A data no calendário Maia é especificado por sua posição tanto
no Tzolkin e os calendários Haab que alinha o Ciclo Sagrado com o
Ano Vague criando o ciclo conjunto, designado Calendar rodada,
representado por duas rodas que giram em direções diferentes. O
ciclo rodada Calendário leva aproximadamente 52 anos para ser
concluído.
O rodízio é composto de 260 dentes com cada um tendo o nome
dos dias da Tzolkin. A roda maior 365 é constituída por dentes e tem
o nome de cada uma das posições do ano Haab. Dado que ambas as
rodas rodam, o nome do dia Tzolkin corresponde a cada posição
Haab.
A data é identificado através da contagem do número de dias a
partir da “data de criação”.

A data típico contagem longa tem o seguinte formato:


Baktun.Katun.Tun.Uinal.Kin.
• Kin = 1 dia.
• Uinal = 20 kin = 20 dias.
• Tun = 18 uinal = 360 dias.
• Katun = 20 Tun = 360 uinal = 7200 dias.
• Baktun = 20 Katun = 400 tun = 7200 uinal = 144000 dias.
2012: FIM DO MUNDO?
Em 2012, mais precisamente no dia 21 de dezembro, alguns
acreditavam que era suposto acontecer uma catástrofe, conforme
interpretação feita do calendário maia. A notícia gerou um alarme
para uma série de pessoas. O encontro dessa data de previsão
decorreu, todavia, de uma má interpretação do calendário maia.
Especialistas fizeram a leitura até finalmente descobrir que a data
indicava apenas o início de uma nova era no calendário, afastando o
equívoco. A data não sugeria o fim dos tempos, mas o fim de um
período. Este, na verdade, era um ciclo de repetição, tal como a
mudança de séculos na era moderna. Isso porque, o calendário maia
inicia no ano 3114 a.C. e muda de ciclo - os chamados Baktuns - a
cada 394 anos. O solstício de verão de 2012 no dia 21 de dezembro
marcava o final do Baktun.
REFERÊNCIAS
• https://www.todamateria.com.br/calendario-maia/
• https://www.portalsaofrancisco.com.br/historia-
geral/calendario-maia
• https://www.suapesquisa.com/pesquisa/calendario_maia.htm