Você está na página 1de 43

Detalhamento de coluna

de destilação
Wesley Pardinho do Carmo
Problema
 Alimentação:
◦ Benzeno + Tolueno
◦ Xb = Xt = 0,5
◦ P = 2bar
◦ T = 50°C
◦ F = 100 Kmol/h
Simulação
 DSTWU
◦ Número de estágios: 32
◦ Razão de refluxo mínima:1,2
◦ Recuperação benzeno: 0,999
Simulação
 RADFRAC
◦ Número de estágios: 32
◦ Estágio de alimentação: 16
◦ Razão de Refluxo: 1,5
◦ Topo:
 Vazão: 50 kmol/h
 Xb = 0,998;
◦ Fundo
 Vazão: 50 kmol/h
 Xt = 0,998;
◦ Pratos perfurados
 D = 1,06 m
 FF = 0,74
 Maior estágio: 31
Determinação do diâmetro da coluna
Determinação do diâmetro da coluna
Topo:

Assumindo: Ts = 0,6m
Determinação do diâmetro da coluna
Maior diâmetro: 1,07 m

Diâmetro proposto: 1,2 m


Cálculo das áreas
Comprimento da barreira
(lw)
Distância da barreira - dw
Altura da barreira (hw)
 A literatura (COULSON) indica:

 Para nosso caso: Ts = 600 mm


Diâmetro do furo (dh)
 Coulson:

Fonte: CALDAS *Levar em consideração - corrosão

 Caldas:
◦ Normal: 9 – 13 mm
Número de furos
 Ficou determinado:

 Arranjo triangular
Fator de inundação (FF)
 Cálculo da velocidade:

 Fator de inundação (FF):


Fator de inundação (FF)
Maior FF = 0,73
Estágios 30 e 31

Resultados do Aspen
D = 1,06 m
FF = 0,74
Maior estágio: 31

Recomenda-se: FF < 0,8


Checagem de choro
 Choro
◦ Gotejamento de líquido através dos furos do prato
◦ Velocidade do vapor tem que ser maior que a
velocidade mínima de circulação.
Checagem de choro
(mm)

L - vazão de líquido (kg/s)


Lw - comprimento da barreira (mm)
- densidade do líquido (kg/m³)
Checagem de choro
Topo:
Checagem de choro
Checagem de arraste

Lido diretamente do gráfico


Recomenda-se:
Checagem de arraste
Topo:
Perda de carga no prato
 Perda de carga é somatório do:
◦ Nível de líquido no prato (hw)
◦ Nível de líquido que escoa sobre a barreira (how)
◦ Perda de carga no prato seco (hd)
◦ Perda de carga residual (hr)
Perda de carga no prato

Topo:
Perda de carga no prato
Maior perda de carga:
Estágio 31: 162,96 mm

Perda de carga média:


Eficiência de prato
 Existem diversas correlação para o cálculo de
eficiência.
◦ O livro do Coulson indica 75% de eficiência na
separação benzeno/tolueno
◦ Correlação de Drickamer e Bradford (1943)

*
*Viscosidade da carga na temperatura média (topo e fundo) da torre
Número de pratos e perda de carga
 Número de pratos:

 Perda de carga:
Espaçamento de prato
 O espaçamento entre pratos é satisfatório se:
Espaçamento de prato
Altura do vertedouro

hv
Ts

Definindo: k=10mm
Internos associados
 Bocas de visita
Número de pratos Número de bocas de visita
Até 25 2
26-41 3
42-61 4
62-80 5

Fonte: CALDAS

Ts (mm) Dbv (mm)


600 450
750 600

Fonte: CALDAS
Tampos - Topo
Recomendações:

Fonte: CALDAS

Depende da geometria do tampo - Toroesférico


Tampos - Fundo
Depende da geometria do tampo - Toroesférico
Selo líquido do fundo
 É determinado pela distância entre o nível máximo de liquido
(HLL) e o nível mínimo (LLL)
 O tempo de residência do selo depende do destino dado ao
produto de fundo.

Fonte: CALDAS
Tampos - Fundo
Depende da geometria do tampo - Toroesférico
Altura da torre
 Topo:

 Fundo:

 Pratos:

 Total:
Bocais
 Suspiro:

Fonte: CALDAS

 Dreno:

Fonte: CALDAS
Bocais – Velocidades usuais
 Seção de topo
◦ Saída de vapor – menor que 30 m/s
◦ Retorno do refluxo – 1 a 3 m/s
 Seção intermediária
◦ Alimentação – 1 a 3 m/s
 Seção de fundo
◦ Saída de líquido -
◦ Retorno do refervedor – menor que 30 m/s
Bocais
 Seção de topo
◦ Saída de vapor

◦ Retorno do refluxo
Bocais
 Seção intermediária
◦ Alimentação
Bocais
 Seção de fundo
◦ Saída de líquido

◦ Retorno do refervedor
Desenho esquemático
Desenho esquemático
Bibliografia
 CALDAS, Jorge Navaes; LACERDA, Antonio Ignacio de.
Internos de torres: pratos & recheios. 2. ed. Rio de Janeiro:
Interciência, 2007.

 SINNOTT, R. K; COULSON, J. M; RICHARDSON, J. F. Coulson &


Richardson's chemical engineering, volume 6: chemical
engineering design. 4th ed.