Você está na página 1de 54

Por A.

Malipa, 2018
Objectivos
 Descrever a estrutura da água
 Indicar a localizacao da agua no organismo humano
 Listar as principais propriedades fisico-quimicas da agua
 Explicar as diferentes propriedades fisico-quimicas da agua
 Explicar a importancia biomedica da agua
 Explicar porque a agua é considerada solvente universal
 Explicar o processo de ionizacao da agua e sua consequencia
 Definir pH, pH nuetro, basico e acido e dar exemplo de liquidos biologicos
humanos com diferentes pH
 Determinar o pH duma solucao.
 Listar as formas de ganho e as vias de perda de agua do organismo
 Explicar o mecanismo da dinamica dos liquidos entre os compartimentos
 Conceptuar desidratacao e explicar as formas de rehidratacao praticaveis
Funções da água no organismo
 Componente maioritário da célula
 Meio onde ocorrem todas reacções
celulares
 Veicula substâncias (nutrientes,
medicamentos, metabólitos) no organismo
 Meio para eliminação de substâcias do
organismo
 Funciona como lubrificante
 Participa da regulação da temperatura
corporal
 Participa do equilibrio acido-base do
organismo
Localização da água na terra
A água uma substancia incolor, inodor e insepeta que na
terra ocorre em 3 estados fisicos: liquido, sólido e gasoso.
¾ superfície é coberta pela água;

97% da água é salgada;

2,3% está nos pólos;

0,7% está na atmosfera, subsolo,


lagos e rios;

Água constitui a cima de 60%


da composição dos seres vivos.
Teor de água nos seres vivos e factores que
influenciam
Varia com a especie, sexo, idade, orgão, prátca de exercícios, estado
patológico (febre, diarreia, vómito)

 Sementes - 10% de água


 Espécie humana - 70% de água

 Feto humano – 94% de água


 Recém-nascido – 69% de água
 Idoso – 60% de água
 Osso humano do adulto – 25%

 Músculo esquelectico do adulto – 83%


 Cérebro - 75%
 Coração - 75%
 Sangue - 80% 5
 Pulmões – 86%
Água no organismo humanos
Água é o solvente constituindo meio das
reacções.

LÍQUIDO INTRACELULAR (LIC): dentro da


cellular, representa 50% do peso corporal do
adulto)

LÍQUIDO EXTRACELULAR (LEC): agua for


a da celula (20% do peso corporal)

LÍQUIDO TRANSCELULAR (LTC): encontra-


se noutros compartimentos e totaliza 2.5%.
Liquido pleural, peritoneal, pericardico,
sinovial, secreçoes gastrointestinais, etc

TPC: Dê mais exemplos de liquidos biológicos nos


humanos que sejam aquosas.
Água no organismo humanos
Plasma sanguíneo:
É semelhante ao líquido
intersticial (2%). Possui
proteinas plasmaticas
(7%):
Albumina – mantêm a
pressão coloidosmótica e
transporte de
substancias
Globulinas (anticorpos)
- responsáveis pela
imunidade
Fibrinogênio -
importante para a
coagulação sanguínea

TPC: O que e soro


sanguíneo?
Propriedades Fisico-quimicas x Funçoes da agua

Dinamica dos fluidos nos


compartimentos
O volume de água no LIC é mantido pelas
proteinas deste compartimento (pressão
osmótica).

A pressão hidrostática é responsável


pela passage do líquido intravascular para
o interstício.

O retorno do líquido intersticial para


compartimento vascular depende da
pressão coloidosmótica (oncótica) e dos
sistema linfático.
Propriedades Fisico-quimicas x Funçoes da agua

5. Elevada capilaridade:
graças a coesão e a
adesão entre as moléculas
de água gera-se uma força
que quando a extremidade
de um tubo fino de
paredes hidrófilas é
mergulhada na água, as
moléculas dessa
substância literalmente
“sobem pelas paredes”
internas do tubo.a
Propriedades Fisico-quimicas x Funçoes da agua
3. Água é o solvente Universal: possui alto poder de
dissolução.
 Dissolve (i) subst. polares como p.e. os sais, (ii) subst.
hidrofílicas como p.e as orgânicas polares - como açúcares
e proteínas, os aldeidos, cetonas ácidos, alcoois e até (ii) as
substâncias hidrofóbicas (subst. orgânicas apolares, como
p.e. os lipídios).
Propriedades Fisico-quimicas x Funçoes da agua

11
Propriedades Fisico-quimicas x Funçoes da agua
ELECTRÓLITOS: são substâmcias que quando
dissolvidas em água se dissociam completamente em
iões carregados negativamente (aniões) ou
positivamente (catiões). O Na+ é o principal catião
no liquid extracellular. Concentração serica normal
é 135 a 145 mEq/litro

Funções: (i) difusão da gua entre os compartimentos


(efeito osmotico), (ii) manutenção do equilibrio
ácido/base, bomba de sódio/potássio, condução do
impulso nervoso, e (iv) activadores de enzimas

TPC: quais são os principais catiões e aniões


presentes no LIC e no LEC dos humanos?

Estados no sangue: normonatremia, hipernatremia, hypernatremia


Propriedades Fisico-quimicas
ELECTRÓLITOS:

Potássio é principal catião no LIC

Concentração serica normal: 3,5 a 5,0mEq/litro

Funçoes: (i) junto com sódio na manutem o equilibrio


hídrico, osmótico, ácido/base, (ii) regula a actividade
neuromuscular em conjunto com cálcio e (iii)
promove o crescimento celular

Estados no sangue: normo/hipo/hipercalémia

TPC: descreva as funções de cálcio, magnésio, cloreto


Propriedade

Propriedades Fisico-quimicas x Funçoes da agua

• Solubilidade de substâncias
anfipáticas (as que têm uma parte
hidrofilica e outra hidrofobica)
Ex: de subst. Anfipáticas: ác. gordo,
fosfolipídos, proteínas, ácidos
nucléicos.
A água forma micelas com estas
substâncias, interactuando com a
porção hidrofílica e repelindo a porção
hidrofóbica formando estruturas
esféricas

15
Propriedades Fisico-quimicas x Funçoes da agua
Tipos de soluçoes quanto a osmolaridade: isotónica, hipotónica e
hipertónica

Soro fisiológico: solução aquosa onde NaCl é igual a 0,9%

Resposta das celulas à mudanças de osmolaridade


Propriedades Fisico-quimicas x Funçoes da agua

• 4. Elevada tensão superficial:


resulta das forças de coesão.
Coesão: atracção entre as moléculas
de água.
• Adesão: possibilita que a moléculas
de água se possa unir a outras
moléculas polares.

Ex: a força que faz com que um


insecto ande sobre as águas é a
tensão superficial
Propriedades Fisico-quimicas x Funçoes da agua

6. Elevado calor
específico: a água absorve
grande quantidade de calor
das superfícies com as
quais está em contato e
consegue manter sua
temperatura constante por
mais tempo, por isso a
regualação da
temperatura corporal é
mais eficaz por intermedio
da água
Propriedades Fisico-quimicas x Funçoes da agua

Quase todos os processos biológicos são dependentes do pH. No plasma pH normal


varia de 7.35 a 7.48, dentro das células entre 6.8 a 7.8 21
Importância de estudo do pH

 A [H+] nas células e líquidos biológicos influencia a velocidade


das reacções químicas, a forma e função das proteínas,
incluindo das enzimas e hemoglobina e, por conseguinte,
afectam a integridade das células.

 A determinação do valor de pH so sangue e da urina auxilia no


diagnóstico de doenças. Ex.: plasma sanguíneo do animal com
diabetes tem pH menor que 7,4 (acidose).
pH e a homeostase
 Homeostase: é a constância/normalidade do meio interno.
Neste caso, o equilíbrio entre a entrada ou produção de iões
de hidrogénio e a respectiva remoção do organismo (equilíbrio
ácido-básico).

 A [H+] nas células e líquidos biológicos deve estar em torno


de 0,4nM (0,4x10-7).

 Diáriamente 80mM de iões hidrogénio são ingeridos ou


produzidos pelo metabolismo.

 o organismo dispõe de mecanismos para manter a [H+] e,


consequentemente o pH sangüineo, dentro da normalidade.
Alterações do pH

Acúmulo de ácidos Perda de bases

Aumento da [H+]

Acidose Queda do pH

Escala de pH 7,4
Aumento do pH Alcalose

Diminuição da [H+]
Perda de ácidos Acúmulo de bases
Tipos de alterações do pH
Condição Causas possíveis

acidose apnéia ou capacidade pulmonar prejudicada, com acúmulo de CO2 nos


respiratória pulmões.

acidose ingestão de ácido, produção de cetoácidos no diabetes descompensado


metabólica ou disfunção renal.
(Em todas elas, há um acúmulo de H+ não decorrente de um excesso de
CO2.)

Condição Causas possíveis

alcalose hiperventilação, produzindo diminuição do CO2 no sangue.


respiratória

alcalose ingestão de álcali (base), vômitos prolongados (perda de HCl) ou


metabólica desidratação extrema levando a retenção de bicarbonato pelos rins.
(O aspecto comum é a perda de H+ não decorrente de uma baixa do CO2
sangüíneo)
Solução tampão

 Tampão ou “buffer”: mistura de um ácido fraco e sua


base conjugada, ou uma base fraca com seu ácido
conjugado.

 Soluções tampão: resistem a variações de pH quando


diluição ou adicionada pequenas quantidades de ácidos
ou bases
Mecanismos de acção dos tampões

1. Adição de ácido
CH3-COOH + CH3-COONa + HCl

2CH3-COOH + NaCl
2. Adição de base
CH3-COOH + CH3-COONa + NaOH

2CH3-COONa + H2O
Mecanismos de acção dos tampões
Sistemas primários reguladores do pH

 Sistemas tampões quimicos acido/base dos liquidos


corporais.

 O centro respiratório que regula a remoção de CO2 do


liquido extracelular.

 Os rins que agem reabsorvendo HCO3- bicarbonato


filtrado, eliminando os H+ pelo sistema tampão fosfato ou
NH4+
Principais sistemas tampões quimicos do
organismo
 Sistema bicarbonato: principal tampão do espaço
extracelular incluindo no plasma. (ácido é CO2 e a báse
conjugada é o ião bicarbonato (HCO3-)

 Sistema fosfato: principal no liquido intracelular

 Sistema proteínas: principal no liquido intracelular


consequência da presença de grupos dissociáveis contidos em
resíduos de aminoácidos ácidos, glutâmico e aspártico, e
básicos, lisina e histidina.

 Sistema da amônia
Água como bioconstante (equilíbrio hídrico)
Equilibrio hídrico  ganho de água = perdas de água

1. Vias de eliminação/perdas diária de água:


 Respiratória (ar exalado) - 0,4 litros (imperceptivel)
 Urinária (diurese) - 1,5 litros
 Cutânea (transpiração/sudorese) - 0,6 litros (imperceptivel)
 Tracto gastro-intestinal (fezes) - 0,1 a 0,3 litros

TOTAL de perdas - 2,5 litros

 2. Fontes/ganho de água
Exógena: beber água - 1,5 litros, ingerir alimentos - 1,0 litro.
 Endógena: água produzida pelo metabolismo
TPC
1. Necessidade de abeberamento ou seja que quantidade mínima deve um humano adulto beber por dia?
2. Explique o controle hormonal na regulação do equilibrio hidrico e elctrolítico.
3. Explique o mecanismo da sede.
4. Quais são as formas/vias de rehidratação para os humanos. Que cuidados deve-se ter no uso de cada
uma delas
Tema: Minerais
Objectivos:
 Definir o que são minerais
 Classificar os minerais
 Enumerar as suas funções no organismo humano
 Identificar as deficiências
 Enumerar as fontes alimentares e as necessidades
diárias
MINERAIS
 MACROMINERAIS  MICROMINERAIS
Cálcio Ferro
Fósforo Cobre
Sódio Manganês
Potássio Zinco
Cloro Selênio
Enxofre Iodo
Magnésio Cobalto
Cromo
Funções gerais dos minerais
 Componentes dos ossos.
 Balanço eletrolítico celular.
 Participação em actividade enzimas (cofactores
enzimáticos)
 Constituem grupos prostéticos de certas proteinas. Ex:
mioglobina, hemoglobina
 Actua na troca de energia entre substâncias celulares.
Funções dos minerais
Enxofre (S)
É o mineral que constitui algumas proteínas. Está presente em todas as
células. Encontrado na pele, unha, cabelos, tendões, matrizes ósseas e em
outros compostos , como produtos da acção bacteriana intestinal,
insulina, queratina, tiamina, biotina etc.

Funções:
 Participa na construção de proteína
 Participa no metabolismo energético
 Faz parte de algumas vitaminas (tiamina, biotina, e ácido pantotenico.

TPC: descreva o papel nutricional de cálcio, fósforo, potássio, cloro, sódio.


Funções dos minerais
Ferro (fe)
O organismo adulto tem em média 3 a 5g de ferro nas seguintes
proporções
 60% a 70% na hemoglobina; 25% armazenado no fígado, medula
óssea, baço e músculos; 4% no músculo e, 1% no plasma
Função
 Transporte de oxigénio
 Respiração celular.
Deficiências
Anemia micrócitica, hipocrômica – Anemia ferropriva caracteriza-se
por:
 Baixa quantidade de hemoglobina;
 Pequenas células vermelhas do sangue;
 Baixas reservas de ferro
Anemia microcítica: o eritrócito tem tamanho inferior ao normal
Anemia hipocrômica: caracteriza-se por uma diminuição na proporção
do peso da hemoglobina com relação ao volume do eritrócito.
Funções dos minerais
Zinco (Zn)
O organismo adulto possui cerca de 1,4 a 2,3g de zinco, cuja
maior concentração se encontra no fígado, rin, pâncreas,
ossos, músculos, cabelos e unhas.
Função
 Constituinte da insulina e de muitas enzimas importantes
no metabolismo;
 Participação na síntese de material genético(RNA e DNA)
 Participação na síntese proteica;
 Importante na reparação tecidual (cicatrização);
 Participação na fabricação de espermas;
 Fundamental no desenvolvimento fetal.
Funções dos minerais
Deficiencia de Zinco
 Atraso no crescimento, problemas na reprodução
 Falta de apetite
 Dermatites
 Hipogonadismo ( retardo sexual)
 Perda de paladar e olfacto
 Diminuição da cicatrização.
Fontes
 Carne, fígado, ovos, molusculos (ostras), peixes, aves,
cereais e leguminosas
É importante observar que uma dieta balanceada em
proteínas supre a necessidade de zinco
Funções dos minerais
Cromo (Cr)
Mineral considerado essencial a partir da descoberta do seu papel no metabolismo
glicidico. O cromo esta sempre presente nos cabelos, sendo que a taxa
encontrada reflecte o índice de stock orgânico desse mineral.
Função
 Activador enzimático
 Participa na síntese de ácidos graxos e de colesterol pelo fígado;
 Importante no metabolismo da glicose;
 Activa a insulina, actuando como ponte de ligação entre a insulina e a
membrana celular.
Deficiências:
 Redução da tolerância a glicose (hiperglicemia, glicisúria);
 Diminuição no ritmo de crescimento
Fontes:
 Fígado, grãos integrais, nozes, queijos e frutos do mar.
Funções dos minerais
Iodo (I)
O organismo adulto possui cerca de 20 a 38mg de iodo, cuja maior concentração
(60%) encontra-se na tiróide e o restante, difundido nos tecidos (ovários,
músculos e sangue).
Função
 Faz parte da composição do harmónio tirocina, que desempenha papel
importante no crescimento, desenvolvimento e metabolismo
Deficiência
A ingestão inadequada leva ao bócio, caracterizado pela hipotrofia da glândula
tiróide. A deficiência em gestantes acarreta o cretinismo em lactentes (retardo
mental e físico). A actualmente essa deficiência é raramente encontrada.
Fontes:
A melhor fonte é o sal iodado
Outras fontes
 Produtos do mar (molusculos, lagostas, ostras, sardinha e outros peixes);
 Vegetais(há variações de acordo com o teor de iodo no solo.)
Funções dos minerais
Manganês (Mn)
O organismo tem cerca de 10 a 20mg de manganês
distribuídos pelas vários tecidos e fluidos corporais.
Função: activador de enzimas; participação no processo de
crescimento e reprodução; importante na formação dos
tecidos conjuntivos e ósseo; participação no metabolismo
dos hidratos de carbono.
Deficiência: pouco provável a ocorrência de deficiência em
seres humanos. Contudo, em animais pode ocorrer a
esterilidade, anomalias esqueléticas e ataxia (falta de
coordenação motora).
Fontes: grãos integrais, leguminosas, nozes, chá hortaliças e
frutas
Funções dos minerais
Flúor(F)
Elemento encontrado em grande quantidade na natureza. O
esqueleto do homem contém, em média 2,6g de flúor.
Função
 Facilita na obsorção do ferro pelo organismo;
 Resistencia aos ossos e dentes
Deficiencia e Excesso
A deficiencia predispõe a cáries dentárias e o excesso à
fluorose dentária (manchas brancas); osteoeclerose
(rigidez óssea) e artrite (inflamação das articulações)
Fontes
A maior fonte é a água
Funções dos minerais
Selenio (Se)
Existem poucas informações sobre a distribuição deste mineral no organismo.
Sabe-se que há maior concentração nos rins e fígado.
Função
 Combate ao estresse oxidativo em conjunto com a vitamina E;
 Auxilio na síntese de imunoglobulinas
Deficiencias
Degeneração e dor muscular, glóbulos vermelhos debilitados, retardo no
crescimento e produção reduzida de esperma.
Fontes
Amplamente distribuídos nos alimentos, o seu teor nos vegetais depende da sua
quantidade no solo.
Presente nos seguintes alimentos: Cereais integrais, carnes e miúdos e frutos do
mar.

TPC: descreva a função de cobre, cobalto


TEMA: VITAMINAS
Objectivos:
 Conceptuar vitaminas
 Classificação das vitaminas
 Explicar a forma de transporte, armazenamento e
excreção das vitaminas
 Enumerar as suas funções no organismo humano
 Identificar as deficiências
 Enumerar as fontes alimentares e as necessidades
diárias
Conceito e generalidades
 As vitaminas são substâncias orgânicas, presentes em pequena quantidade
nos alimentos naturais, essenciais para o metabolismo normal e cuja carência
na dieta pode causar doençasO nome vitamina foi criado pelo bioquímico
polonês CASIMIR FUNK em 1912.
 Baseado na palavra latina vita (vida) e no sufixo -amina (aminas vitais ou
aminas da vida).
 Foi usado inicialmente para descrever estas substâncias do grupo funcional
amina, pois naquele tempo pensava-se que todas as vitaminas eram aminas.
Apesar do erro, o nome se manteve Vitaminas
 Algumas são sintetizados no organismo humano mediante actividade dos
microrganismos do trato intestinal: Vitamina K, tiamina, folacina, vitamina
B12
 Outras sintetizadas no organismo mediante fornecimento de precursores:
vitamina A, colina e niacina.
 Outras são sintetizados na pele mediante exposição ao sol : vitamina D.
Funções gerais de vitaminas
 São nutrientes que não fornecem energia, mas ajudam nos
processos energéticos:
 Regulam o metabolismo dos macronutientes;
 Ajudam nos processos de multiplicação celular
 Participam na formação de tecidos e ossos;
 Não contribuem de modo apreciável para o aumento da massa
corporal;
 São coenzimas na promoção de reacções químicas essenciais.
Classes de vitaminas
1. Vit. lipossolúveis: absorção é feita junto à da gordura, podendo
acumular-se no organismo (A, D, E e K).
 São absorvidos juntamente com a gordura da dieta, necessitando de bile;
 Por serem insolúveis em água requerem quilomícrons para o transporte por
via linfática;
 Na corrente sanguínea, circula ligadas a proteína,
 Podem ser armazenadas no organismo por londos períodos
 Podendo ser obtidas pela alimentação ou suplementação com menor
frequência;
 Armazenamento(A predominante no fígado, D e E nos tecidos adiposo e
muscular, K – não é armazenada (requer fornecimento regular);
 Com discreta/ mínima excreção urinaria e,
 A superdosagem causam toxicidade ao organismo

2. Vit. hidrossolúveis: solúveis em água (Complexo B e vitamina C).


Vitaminas Lipossolúveis
Vitamina A/ anti- xeroftalmica
 Formas químicas: (i) retinol, retinal, acido retinóico (encontrado somente nos
alimentos de origem animal: fígado, rim, manteiga, gema de ovo, leite integral,
queijos, creme de leite e óleo de fígado de peixes. (ii)Betacaroteno/ caroteno (de
origem vegetal): abunda em frutos e tuberculos amarelos e de cor laramja. O
betacaroteno é convertidos em vitamina A no intestino e no fígado.
 Função: visão (sobretudo a noturna), manutenção da integridade dos epitélios,
formação óssea, reprodução.

2. Vitamina D / anti-raquitismo
Formas quimicas: Ergocalciferol (D2); 7-Deidrocolecalciferol (D3); 25-OH-
Colecalciferol (Hy-DR)

Fonte: O ergosterol (no vegetal) e 7-deidrocolesterol ( no animal) quando submetidas


aos raios ultravioleta (sol) se transformam nas vitaminas D2 e D3 no fígado e nos rins.
Poucos alimentos são considerados fontes, sendo o óleo de peixe a mais significativa e,
em menores quantidades, a gema de ovo, o fígado, a manteiga, o creme de leite e os
pescados gordos

Função: (i) estimula a absorção de cálcio e fósforo no intestino delgado, (ii) estimula a
reabsormaço de cálcio e fosforo nos rins, (iii) a deposição de cálcio nos ossos (formação
Vitaminas Lipossolúveis
Deficiencia de Vit A:
 A essa série de eventos clínicos dá-se o nome de xeroftalmia: (i)
xerose conjuntival ( atrofia e queratinização da conjuntiva e das
glândulas lacrimais com secura dos olhos); (ii) manchas de bitot
(formações espumosas de forma triangular na conjuntiva); (iii)
ulceração da córnea (destruição da estrutura da córnea); (iv)
queratomalacia ( necrose com amolecimento da córnea)
 Hipovitaminose da Vit A em crianças aumenta o risco de diarreia,
doenças respiratórias e sarampo.

Deficiência de Vit D:
 Raquitismo nas crisnças e osteoporose nos adultos
 Imunodeficiencia
Hipervitaminose da Vit A:
Podem causar dores articulares, afinamento de ossos longos, hidrocefalia,
vómitos, pele seca, unhas quebradiças, gengivite, anorexia, irritabilidade,
fadiga, anemia, perda de cabelos, icterícia hepática, hipertensão portal e
ascite
Vitaminas Lipossolúveis
Constitui grupos vulneráveis da hipovitaminose da vit.D:
 crianças que são pouco expostas ao sol;
 as mulheres na fase de procriação, com várias gestações e períodos de lactação;
 Os adeptos ao vegetarianismo;
 Dieta macrobiótica ou
Dietas com baixo teores de vitamina D, cálcio e fósforo e com altas concentrações
de fitatos (farinhas ou cereais integrais). A vitamina D é estável ao calor e
destruída pela luz e pelo oxigénio

Hipervitaminose da vit. D:
 Calcificação óssea excessiva
 Hipercalemia
 Dose tóxica causa cefaleia, anorexia, sede, emagrecimento, fraqueza
constipação, náuseas, vómitos e diarreia
 Aumento da excreção de cálcio e fósforo pode ocasionar formação de cálculos

Nota: a exposição prolongada à luz solar não leva a intoxicação.


Vitaminas Lipossolúveis
3. Vitamina E/ anti- oxidativa
Formas quimicas: toocoferóis.
 Fonte: vegetais folhosos verdes, germe de trigo, amêndoas, avelãs, óleos
vegetais (especialmente ricos em ácidos graxos polinsaturados como de
girassol, de algodão, de dendê, de amendoim, de soja e de milho), gema de
ovo, gordura de leite, manteiga e fígado. A Vit E é instável ao calor e destrói-se
por ácidos graxos, álcalis, oxigénio, sais de chumbo, ferro e irradiação
ultravioleta
Função: participa no metabolismo dos carboidratos.
e, interagindo com selénio para estabilização dos ácidos graxos poliinsaturados
das membranas (as células do sistema imunológico, gonadas e globulos
vermelhos são mais sensíveis ao stress oxidaditivo)

Hipervitaminose: comparado com outras vitaminas lipossolúveis, a ingestão de doses


maiores de vitamina E tem maior segurança(estudos demonstram segurança na ingestão
de 50 a 100 vezes a recomendação da RDA), porém em altas doses ela interage com a
actividade anti-hemorrágica da vitamina K, prolongando o tempo de coagulação
sanguínea.
Vitaminas Lipossolúveis

4. Vitamina K / anti-hemorrágica

Formas químicas: fitoquinonas (plantas), menaquinonas (bactérias), menadionas


(sintéticas). Resistente ao calor, oxigenio e humidade e destrói-se por álcalis e
radiação ultravioleta

 Fonte: produzida pelos microrganismo que vivem em simbiose no intestino


humano Vegetais folhosos de cor verde escuro (couve, espinafre, alface, brócolis),
couve flor, repolho, fígado, óleo de soja, óleo de outros vegetais e grãos de trigo.
Função: participa no processo de coagulação sanguínea através da formação da
protrombina (no fígado) e outras proteinas envolvidos na coagulaçao sanguinea.
Deficiencia: causa aumento no tempo de coagulção sanguinea, facilitandoas
hemorragias. A deficiencia pode causar síndrome de má absorção (ex:fibrose
cistica).
Factores de risco: (i) doses farmacológicas de vitamina A e E podem ser antagonistas
a absorção de vit. K, (ii) obstrução da visícula biliar, (iii) tratamentos com
antibióticos ou sulfas por longa duração em vertude de perda da flora bacteriana.
Vitaminas Hidrossolúveis
1. Vit. C (ácido ascorbico)
2. Vit. do complexo B:
 B1 (TIAMINA)
 B2 (RIBOFLAVINA)
 B3 (NIACINA)
 B5 (ÁCIDO PANTOTÊNICO
 B6 (PIRIDOXINA)
 B7 (BIOTINA)
 B9 (ÁCIDO FÓLICO)
 B12 (CIANOCOBALAMINA)
 COLINA
TPC: descrever a função, necessidades nutritivas e fontes, as
deficiências das vitaminas hidrossolúveis