Você está na página 1de 10

ATOS JURÍDICOS, FATOS JURÍDICOS E

SEUS REFLEXOS SOCIAIS. FATOS


NATURAIS (FATOS JURÍDICOS
"STRICTU SENSU") E FATOS HUMANOS
(ATOS JURÍDICOS "LATO SENSU").
PROFESSORA KEILLA BORGES
CONCEITOS BÁSICOS

• Fato, Ato e Negócio Jurídico:

De acordo com Flávio Tartuce (2015, p. 190) “Os conceitos de fato jurídico, ato
jurídico e negócio jurídico são fundamentais para a compreensão do Direito
Privado, estando expostos no quadro a seguir:”
FATO JURÍDICO

Conceito: uma ocorrência que interessa ao Direito, ou seja, que tenha


relevância jurídica. O fato jurídico lato sensu pode ser natural, denominado
fato jurídico stricto sensu. Esse pode ser um fato ordinário ou extraordinário.
Pode o fato ser ainda humano, surgindo o conceito de fato jurígeno.

Fato jurídico = fato + direito


ATO JURÍDICO
Trata-se de um fato jurídico com elemento volitivo e conteúdo lícito*. Alguns
autores entendem que o ato ilícito não é jurídico (Flávio Tartuce, Zeno Veloso,
Pablo Stolze, Orosimbo Nonato, Vicente Ráo, Rodolfo Pamplona Filho) porém,
há uma corrente que entende que mesmo o ato ilícito é fato jurídico em razão
de suas consequências (Pontes de Miranda, José Carlos Moreira Alves, este
último autor da parte geral do CC/2002).
Ato Jurídico = fato + direito + vontade + licitude*
* Questão controversa na doutrina.
ATO JURÍDICO STRICTO SENSU

Configura-se quando houver objetivo de mera realização da vontade do titular


de um determinado direito, não havendo a criação de instituto jurídico próprio
para regular direitos e deveres, muito menos a composição de vontade entre as
partes envolvidas.

Exemplos: a ocupação de um imóvel, o pagamento de uma obrigação, o


reconhecimento de um filho...
ATO-FATO JURÍDICO OU ATO REAL
Para Paulo Lôbo: são atos ou comportamentos humanos em que não houve vontade, ou, se houve, o direito não
as considerou. É a lei que os faz jurídicos e atribui consequências ou efeitos, independentemente de estes terem
sido queridos ou não.

Para Pablo Stolze Gagliano e Rodolfo Pamplona Filho: o ato humano é realmente a substância desse fato
jurídico, mas não importa para a norma se houve, ou não, intenção de praticá-lo.

Para Pontes de Miranda são exemplos de atos reais ou ato-fato jurídico: a tomada de posse ou aquisição da
posse, a transmissão da posse pela tradição, o abandono da posse, o descobrimento do tesouro, a
especificação, a composição de obra científica, artística ou literária, a ocupação.

Em suma, Flávio Tartuce entende que “pode-se dizer que o ato-fato jurídico é um fato jurídico qualificado por
uma vontade não relevante juridicamente em um primeiro momento; mas que se revela relevante por seus
efeitos” (2015, p. 193)
NEGÓCIO JURÍDICO

Ato jurídico em que há uma composição de interesses das partes com uma
finalidade específica. A expressão tem origem na construção da negação do ócio
ou descanso, ou seja, na ideia do movimento. Como faz Antônio Junqueira de
Azevedo, pode-se afirmar que o negócio jurídico constitui a principal forma de
exercício da autonomia privada, da liberdade negocial: “in concreto, negócio
jurídico é todo fato jurídico consistente em declaração de vontade, a que todo o
ordenamento jurídico atribui os efeitos designados como queridos, respeitados os
pressupostos de existência, validade e eficácia impostos pela norma jurídica que
sobre ele incide”.
CONCURSO: PGE-RO - 2011 - PROCURADOR DO ESTADO | PROVA: PGE-RO - 2011 - PGE-
RO - PROCURADOR DO ESTADO / PGE-RO - 2011 - PGE-RO - PROCURADOR / DISCIPLINA:
DIREITO CIVIL | ASSUNTO: PARTE GERAL , ATO JURÍDICO, FATO JURÍDICO E TEORIA GERAL
DO NEGÓCIO JURÍDICO

O recente terremoto ocorrido no Japão em 11 de março de 2011, sob o ponto de


vista da teoria geral do direito, pode ser classificado como:
a) ato jurídico em sentido estrito.
b) ato jurídico em sentido amplo.
c) negócio jurídico.
d) fato jurídico em sentido estrito.
e) fato ilícito em sentido estrito.
PRÓXIMA AULA:

Negócio jurídico.
Conceito, classificação e interpretação (Elemento Volitivo).

OBRIGADA!