Você está na página 1de 11

Escola Secundária c/ 3º Ciclo da Lousã

Curso Profissional Técnico de Gestão

Cálculo Financeiro

Prof. Hilda
O mundo dos negócios é um
universo complexo no
quotidiano das pessoas e no
exercício da sua actividade.

Módulo 1
Sistema Financeiro Simples
Para que serve o cálculo
financeiro?
• Compete ao cálculo financeiro
fornecer ferramentas matemáticas
• Que permitam ser utilizadas num
contexto empresarial:
o depósitos bancários,
o empréstimos bancários,
o acções da Bolsa,
o subscrever certificados de aforro,
são exemplos de iniciativas que
qualquer profissional da
contabilidade poderá vir a
protagonizar...
Uma certa quantia – capital monetário
- transforma-se em capital financeiro
quando produz juro, ao ser investido
em qualquer actividade económica.
Conceitos Básicos

 Juro – corresponde à valorização do


dinheiro (Capital) quando ele é emprestado
ou depositado;
o Quando deposito dinheiro numa conta bancária, ao fim
de um certo tempo, recebo juros;
o Quando contraio um empréstimo, vou suportar juros pela
utilização do dinheiro.

 Taxa de Juro – é uma percentagem, que


corresponde a um determinado período de
tempo (anual, semestral, trimestral, mensal,
etc.) que vai ser multiplicada pelo Capital
aplicado, resultando daí o correspondente
juro da aplicação.
Conceitos Básicos
• Uma taxa de juro é considerada
anual quando não é indicada a sua
periodicidade.
• Os bancos publicitam sempre taxas
de juro anuais para remunerar
depósitos (operações passivas) ou
emprestar dinheiro (operações
activas)
• Data de vencimento – Data em que
são remunerados os juros, findo o
prazo estabelecido (mensalmente,
trimestralmente, semestralmente,
anualmente...).
O meio através do qual um capital
financeiro produz juros num certo espaço
de tempo é designado por processo de
capitalização.
Os Empréstimos podem apresentar uma
das seguintes formas:

Juro Simples
E Juro normal
M
Elementar Juro Composto
P
R
É
Juro antecipado
S
T
I
M De juro não inteiro
O
Empréstimo elementar - quando a amortização e os
juros se vencem por inteiro.
Empréstimo de juro não inteiro - quando os juros são
exigíveis em duas ou mais prestações sucessivas.
Empréstimo de juro normal - quando a amortização e
os juros se vencem por inteiro na data em que expira o
empréstimo.
Empréstimo de juro antecipado - quando os juros são
pagos na data que principia o empréstimo.

Empréstimo de juro simples – o mutuário (devedor)


pago ao mutuante (credor), no fim de cada período os
juros. O capital mantêm-se inalterável.

Empréstimo a juro composto – quando a fim de cada


período os juros são adicionados ao capital financeiro,
passando também a render juros (juros de juros), nos
períodos seguintes.
Regime de juros simples
• Apenas o Capital Inicial rende
juros;

• Os juros que vão sendo produzidos


não rendem juros, no futuro;

• O juro produzido tem um valor


constante, sendo calculado pela
aplicação da taxa de juro ao capital
inicial.
Se tiveres um euro e eu tiver outro euro e se trocarmos as
moedas, tu ficas na mesma com um euro e eu com outro euro.
Mas se tiveres uma ideia e eu tiver outra ideia e se se trocarmos
as ideias, tu ficas com duas ideias e eu com outras duas ideias.

Ditado Popular

Bom Trabalho!
Prof. Hilda