Você está na página 1de 16

“Escreve isto: Antes de vir como justo juiz, venho

como Rei da Misericórdia. Antes de vir 0 dia da


justiça, nos céus será dado aos homens este sinal:
Toda luz se apagará e haverá uma grande
escuridão sobre a terra. Então aparecerá o sinal
da Cruz no céu, e dos orifícios onde foram
pregadas as mãos e os pés do Salvador sairão
grandes luzes que, por algum tempo, iluminarão a
terra. Isso acontecerá pouco antes do último dia.”
(Nº 83)
1934. Quinta-feira Santa. Jesus me disse:

“Desejo que faças o sacrifício de ti mesma


pelos pecadores, especialmente por aquelas
almas que perderam a esperança na
misericórdia de Deus”. (Nº308)
Não baseio esse ato de oferecimento nas minhas
próprias forças, mas na força que decorre dos
méritos de Jesus Cristo. Repetirei diariamente este
ato de oferecimento com a oração seguinte, que
Vós mesmo me ensinastes, Jesus: “Oh Sangue e
Água que jorrastes do coração de Jesus como fonte
de misericórdia para nós, eu confio em Vós!”. (Nº
309)
A oração da alma humilde e
amorosa desarma a ira de meu
Pai e alcança um mar de
bênçãos. (Nº 320)
Em determinado momento Jesus
me disse:

“Não te admires se, às vezes, és


julgada injustamente. Eu, por teu
amor, bebi por primeiro, o cálice
de sofrimentos não merecidos”. (Nº
289)
Em determinado momento, quando era feita uma
adoração pela nossa pátria, a dor apertou-me a
alma e comecei a rezar da seguinte maneira:

“Jesus misericordiosíssimo, peço-Vos pela


intercessão dos vossos santos, e especialmente pela
intercessão de vossa Mãe diletíssima, que Vos
educou na infância, suplico-Vos, abençoai a
minha pátria . Jesus, não olheis para os nossos
pecados, mas olhai para as lágrimas das
criancinhas, para a fome e o frio que sofrem. Jesus,
por esses inocentes, concedei-me a graça que Vos
peço para a minha pátria”.

Nesse momento vi Nosso Senhor, que tinha os olhos


rasos de lágrimas, enquanto me dizia: “Estás
vendo, minha filha, quanta pena sinto delas; sabe
que elas sustentam o mundo.” (Nº 286)
Em determinado momento, o senhor me disse:

“Proceda como um mendigo, que, quando recebe


uma esmola maior, não a recusa, mas antes a
agradece efusivamente; também tu, se te concedo
graças maiores, não te escuses dizendo que és
indigna delas. Eu sei disso; mas antes, fica feliz e
alegra-te e tira tantos tesouros do meu coração
quantos puderes carregar, por que Me agradas
mais. E digo-te ainda uma coisa – extrai essas
graças não apenas para ti, mas também para o
próximo, isto é, encoraja as almas com as quais
convives à confiança na Minha infinita
misericórdia. Oh! Quanto amo as almas que têm
plena confiança em mim! – Tudo farei por elas”.
(Nº 294)
Quinta-feira. Quando comecei a Hora
Santa, queria me concentrar na agonia
de Jesus no Jardim das Oliveiras. Então,
ouvi na minha alma a voz: “Medita
sobre os mistérios da encarnação” – E,
de repente, surgiu diante de mim o
Menino Jesus, radiante de beleza. –
Disse-me quanto agrada a Deus a
simplicidade da alma. “Embora a
minha grandeza seja inconcebível,
convivo somente com os pequeninos –
Exijo de ti a infância espiritual.”
(Nº 332)
Quinta-feira. Adoração noturna.

Quando cheguei para a Adoração, logo me envolveu o recolhimento


interior. Vi Nosso Senhor amarrado ao tronco e logo sobreveio a
flagelação. Vi quatro homens que se revezavam em açoitar o Senhor
com azorrares. O meu coração parava só de olhar para esses
suplícios. Então o Senhor me disse estas palavras: “sofro uma dor
muito maior do que esta que estais vendo”. – E Jesus deu-me a
conhecer por quais pecados submeteu-se à flagelação: foram os
pecados da impureza. Oh! Por que terríveis sofrimentos morais passou
Jesus quando se submeteu à flagelação! – Então, me disse: “Olha e
repara bem o gênero humano na presente condição”. – E
imediatamente vi coisas horríveis: afastaram-se os algozes de Nosso
Senhor e vieram flagelá-lo outras pessoas que seguravam nas suas
mãos os chicotes e castigavam sem piedade o Senhor. Eram os
sacerdotes, religiosos e religiosas e os mais altos dignitários da Igreja,
o que muito me surpreendeu. Havia leigos de diversas idades e classes
– Todos descarregavam sua maldade sobre o inocente Jesus. Ao ver
isso, meu coração entrou numa espécie de agonia. E, quando o
flagelavam os carrascos, Jesus se calava e olhava para longe, mas
quando O flagelavam essas almas que mencionei acima, Jesus cerrava
os olhos, e um gemido surdo, mas terrivelmente doloroso, escapava-lhe
do coração. E o Senhor me fez conhecer, detalhadamente, a gravidade
da maldade dessas almas ingratas: “Estás vendo, este é o sofrimento
maior que a minha morte.” – “Estou vendo a dor sincera do teu
coração que trouxe enorme alívio ao meu coração, olha e consola-te.
(Nº 445)
Vi uma legião inteira de almas crucificadas da
mesma forma que Jesus. “Estás vendo essas almas
que são semelhantes a mim em sofrimento e
desprezo? Elas serão também semelhantes a mim
na glória; e as que forem menos parecidas Comigo
no sofrimento e no desprezo – essas também terão
menos semelhança comigo na glória.”
(Nº 446)
“Quando refletes sobre o que te digo no profundo do teu
coração, tiras maior proveito do que se tivesses lido
muitos livros. Oh! Se as almas quisessem ouvir a minha
voz, quando falo no profundo dos seus corações, em
pouco tempo atingiriam os cumes da santidade.”
(Nº584)
Jesus deseja para nós uma fé viva

“Desejo unir-me com as almas humanas, a


minha delícia é unir-me com elas. Fica
sabendo, minha filha, que quando venho pela
Santa Comunhão, ao coração do homem, tenho
as mãos cheias de toda a espécie de graças, e
desejo entregá-las às almas, mas elas nem me
dão atenção; deixam-me sozinho e ocupam-se
com outras coisas. Oh! Quão triste fico por não
reconhecerem O Amor! Procedem comigo
como com alguma coisa morta.”
(Nº1385)
Jesus: “Estás vendo, minha filha, o que és por ti mesma,
e que a causa das tuas quedas é o fato de contares
demais contigo mesma e pouco te apoiares em mim.
Mas, que isso não te entristeça demasiadamente. Estais
tratando com o Deus de misericórdia; a tua miséria não
a esgotará, pois não limitei o número dos meus perdões.
Minha filha, fica sabendo que os maiores obstáculos a
santidade são o desânimo e a inquietação infundada.
Eles te impedem de praticar a virtude. Todas as
tentações juntas, não deveriam, nem por um momento,
perturbar a tua paz interior. A irritabilidade e o
desanimo são frutos do teu amor próprio. Não deves
nunca desanimar-te, mas esforçar-te para que em lugar
do amor próprio possa reinar o meu amor. Portanto,
tem confiança, minha filha; não deves desanimar. Vem
buscar o meu perdão, pois eu estou sempre pronto a te
perdoar. Quantas vezes me pedires o perdão tantas
vezes glorificarás a minha misericórdia”.
(Nº1488)
Jesus: “Minha filha, a vida na terra é um combate,
e um grande combate, pelo meu reino, mas não
temas, porque não estais sozinha. Eu te fortaleço
sempre, portanto apoia-te no meu braço e luta,
sem ter medo de nada. Toma o vaso da confiança e
tira da fonte da vida, não somente para ti, mas
pensando também, nas outras almas,
especialmente naquelas que não confiam na minha
bondade”.
(Nº1488)
“Mas, filha, ainda não estas na pátria; por isso vai
– fortalecida pela minha graça – e luta pelo meu
reino nas almas dos homens. Mas luta como filha
de rei, lembra-te de que depressa passarão os dias
do exílio e, com eles, a possibilidade de acumular
méritos para o céu. Espero de ti, minha filha, um
grande número de almas, que por toda a
eternidade glorificarão a minha misericórdia.
Minha filha, para poderes responder dignamente
ao meu chamado, recebe-me diariamente na Santa
Comunhão – ela te dará forças...”.
(Nº1489)
“Mas, filha, ainda não estas na pátria; por isso vai
– fortalecida pela minha graça – e luta pelo meu
reino nas almas dos homens. Mas luta como filha
de rei, lembra-te de que depressa passarão os dias
do exílio e, com eles, a possibilidade de acumular
méritos para o céu. Espero de ti, minha filha, um
grande número de almas, que por toda a
eternidade glorificarão a minha misericórdia.
Minha filha, para poderes responder dignamente
ao meu chamado, recebe-me diariamente na Santa
Comunhão – ela te dará forças...”.
(Nº1489)