Você está na página 1de 17

CONTEXTO DO INÍCIO DA REPÚBLICA

• DESMOBILIZAÇÃO DA ESQUADRA BRASILEIRA


• EM 15 DE NOVEMBRO DE 1902, O ALMIRANTE JÚLIO DE
NORONHA, ASSUMIU A PASTA DA MARINHA.
• EM 1904, O MINISTRO DAS RELAÇÕES EXTERIORES, BARÃO DO
RIO BRANCO, APRESENTA AO ALM. JÚLIO DE NORONHA
PESSOAS QUE OFERECERIAM O SUPORTE PARA REERGUER A
MARINHA BRASILEIRA DA MANEIRA QUE O ALMIRANTE
ALMEJAVA.
CONT.
• PROCURANDO SATISFAZER OS ANSEIOS DOS
BRASILEIROS EM POSSUIR UMA MARINHA BEM
EMPARELHADA O DEPUTADO LAURINDO PITTA
APRESENTA A CÂMARA UM PROJETO QUE CONTINHA O
PROGRAMA NAVAL DO ALMIRANTE JÚLIO DE NORONHA.
• SENDO O PROJETO FINALMENTE APROVADO, QUASE QUE
POR UNANIMIDADE, ELE SE TRANSFORMOU NO DECRETO
N° 1.296, DE 14 DE NOVEMBRO DE 1904.
O PROGRAMA DE ALM. JÚLIO DE NORONHA
• CRIAÇÃO DE UM MODERNO ARSENAL E UM PORTO
MILITAR;
• O PROGRAMA INCLUÍA OS MODELOS DE NAVIOS QUE, NO
MOMENTO, EQUIPAVAM AS MELHORES ESQUADRAS DO
MUNDO.
REMODELAÇÃO DO PROGRAMA DO ALM.
JÚLIO DE NORONHA
•O ESTUDO ESTRATÉGICO DAS EXPERIÊNCIAS PROPORCIONADAS PELAS
BATALHAS DE PORT ARTHUR E TSUSHIMA, TRAVADAS DURANTE A GUERRA
RUSSO-JAPONESA, E O LANÇAMENTO DO ENCOURAÇADO DREADNOUGHT
PELA MARINHA BRITÂNICA (1906), INSPIRARAM DEBATES EM TORNO DO
PROGRAMA DE 1904.
•O DEPUTADO JOSÉ CARLOS DE CARVALHO E O ALMIRANTE ALEXANDRINO
FARIA DE ALENCAR, FORAM OS GRANDES DEFENSORES DA REMODELAÇÃO
DO PROGRAMA JÚLIO DE NORONHA.
• EM15 DE NOVEMBRO DE 1906, ASSUMIU A PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA O
CONSELHEIRO AFONSO PENA E, SENDO A PASTA DA MARINHA OCUPADA PELO
ALMIRANTE ALEXANDRINO FARIA DE ALENCAR.
CONT.
•A ALTERAÇÃO MAIS MARCANTE TRAZIDA PELO NOVO PROGRAMADO
ALMIRANTE ALEXANDRINO FOI A ADIÇÃO DE TRÊS NOVOS
ENCOURAÇADOS DO TIPO DREADNOUGHT DE 20 MIL TONELADAS, CUJA
APROVAÇÃO RESULTOU NO DECRETO NO 1.567, DE 24 DE NOVEMBRO DE
1906.
• CANCELAMENTO DO PROJETO DE UM NOVO ARSENAL.
• EM SEU LUGAR, OPTOU-SE POR MODERNIZAR AS INSTALAÇÕES DA ILHA
DAS COBRAS, PORÉM, ADMITIA-SE A CONSTRUÇÃO DE BASES
SECUNDÁRIAS EM BELÉM E EM NATAL, E UM PORTO MILITAR DE
PEQUENO PORTE EM SANTA CATARINA.
PROGRAMA DO ALM. ALEXANDRINO
• REVIGORAMENTO MILITAR E TECNOLÓGICO DA MARINHA BRASILEIRA;
• A INCORPORAÇÃO DE NAVIOS COMO OS ENCOURAÇADOS MINAS GERAIS
E SÃO PAULO, PERTENCENTES À CLASSE DOS DREADNOUGHTS MAIS
PODEROSOS DO MUNDO, OS CRUZADORES BAHIA E RIO GRANDE DO SUL
E OS CONTRATORPEDEIROS AMAZONAS, PARÁ, PIAUÍ, RIO GRANDE DO
NORTE, PARAÍBA, ALAGOAS, SERGIPE, PARANÁ, SANTA CATARINA E MATO
GROSSO.
•O CONTRATORPEDEIRO MARANHÃO, OS SUBMARINOS F1, F3, F5 E
HUMAITÁ, O TENDER CEARÁ E OUTROS NAVIOS AUXILIARES
COMPLEMENTARAM OS EFETIVOS NAVAIS DA MARINHA.
CONT.

•A ESQUADRA BRASILEIRA PASSOU A SER ORGANIZADA,


ESSENCIALMENTE, EM DIVISÕES DE ENCOURAÇADOS E CRUZADORES,
E FLOTILHAS DE CONTRATORPEDEIROS E DE SUBMARINOS.
O PERÍODO ENTRE GUERRAS
•A AUSÊNCIA DE MENTALIDADE MARÍTIMA DO POVO BRASILEIRO
REVELOU-SE EM TODA A SUA INTENSIDADE.
• A CRIAÇÃO DA ESCOLA NAVAL DE GUERRA (DEPOIS ESCOLA DE GUERRA
NAVAL), DA FLOTILHA DOS SUBMARINOS, COM OS TRÊS PEQUENOS
SUBMARINOS DA CLASSE F, E DA ESCOLA DE AVIAÇÃO NAVAL,
INDICARAM A NECESSIDADE DE SE AVANÇAR NA MELHORIA DAS
CONDIÇÕES DE PRONTIDÃO DA NOSSA FORÇA NAVAL.
•A REVOLUÇÃO DE 1930 REPRESENTOU UM DIVISOR DE ÁGUAS P/
MARINHA.
O PROGRAMA NAVAL ESTABELECIDO EM
1932/ 1936
CRIOU UMA FORÇA NAVAL MODESTA;
EQUILIBRADA- DENTRO DO ORÇAMENTO DA ÉPOCA;
CAPAZ DE INTERVIR EM OPERAÇÕES LIMITADAS PRATICAMENTE
DENTRO DO TERRITÓRIO;
A AÇÃO/ PROGRAMA FOI UM MARCO DE CORAGEM UTILIZOU A
INCIPIENTE INDÚSTRIA BRASILEIRA RECONSTITUIR PODER NAVAL COM
ALGUMA CREDIBILIDADE (EM TERMOS NACIONAIS).
NOVO PROGRAMA NAVAL DE 1940
• CONSTRUÇÃO NO BRASIL DE UMA SÉRIE DE NAVIOS MINEIROS VARREDORES;

• ESQUADRA:
• – DIVISÃO DE ENCOURAÇADOS: MINAS GERAIS E SÃO PAULO.
• – DIVISÃO DE CRUZADORES: RIO GRANDE DO SUL E BAHIA.
• – FLOTILHA DE CONTRATORPEDEIROS: MARANHÃO, PIAUÍ, RIO GRANDE DO NORTE, SERGIPE, SANTA
CATARINA E MATO GROSSO.
• – FLOTILHA DE SUBMARINOS: HUMAITÁ, TUPI, TIMBIRA E TAMOIO.
• – TREM: TÊNDERES BELMONTE E CEARÁ;
• NAVIOS-TANQUES NOVAIS DE ABREU E MARAJÓ; REBOCADORES ANÍBAL DE MENDONÇA, MUNIZ
FREIRE, HENRIQUE PERDIGÃO E DNOG.
CONT.
• FLOTILHA DE NAVIOS MINEIROS VARREDORES:– DEZ NAVIOS.
• FLOTILHA DA DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO:
• – TRÊS NAVIOS HIDROGRÁFICOS E DOIS NAVIOS FAROLEIROS.
• NAVIO ISOLADO:– NAVIO-ESCOLA ALMIRANTE SALDANHA.
AS FORÇAS FLUVIAIS- 1940
•–FLOTILHA DO AMAZONAS: CANHONEIRA AMAPÁ E REBOCADOR
MÁRIO ALVES.
• – FLOTILHA DE MATO GROSSO: MONITORES PARNAÍBA, PARAGUAÇU E
PERNAMBUCO; AVISOS OIAPOQUE E VOLUNTÁRIOS; E NAVIO-TANQUE
POTENGI.

• OBS: AS FORÇAS FLUVIAIS SEMPRE REPRESENTARAM UM PAPEL


IMPORTANTE EM NOSSA CONCEPÇÃO ESTRATÉGICA.
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
A LEI DE EMPRÉSTIMO E ARRENDAMENTO E
MODERNIZAÇÕES DE NOSSOS MEIOS E DEFESA
ATIVA DA COSTA BRASILEIRA
• O BRASIL VAI RECEBER UMA AJUDA DOS AMERICANOS- EMPRÉSTIMO,
INVESTIRÁ EM RECOMPOR SUA FORÇA NAVAL.
A FORÇA NAVAL DO NORDESTE
• A MISSÃO DA MARINHA DO BRASIL NA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL FOI PATRULHAR O
ATLÂNTICO SUL E PROTEGER OS COMBOIOS DE NAVIOS MERCANTES QUE
TRAFEGAVAM ENTRE O MAR DO CARIBE E O NOSSO LITORAL SUL CONTRA A AÇÃO DOS
SUBMARINOS E NAVIOS CORSÁRIOS GERMÂNICOS E ITALIANOS.
• O NAVIO DE GUERRA QUE MAIS TEMPO PASSOU NO MAR FOI O CAÇA-SUBMARINOS
GUAPORÉ, NUM TOTAL DE 427 DIAS DE MAR, EM POUCO MAIS DE TRÊS ANOS DE
OPERAÇÃO, O QUE PERFEZ UMA MÉDIA ANUAL DE 142 DIAS DE MAR.

• O NAVIO QUE PARTICIPOU NO MAIOR NÚMERO DE COMBOIOS FOI A CORVETA


CARAVELAS, COM 77 PARTICIPAÇÕES.
O QUE EFETIVAMENTE SIGNIFICOU PARA
A NOSSA MARINHA DE GUERRA A SUA
PARTICIPAÇÃO NO CONFLITO MUNDIAL?
• ADQUIRIMOS MAIOR CAPACIDADE PARA CONTROLAR ÁREAS
MARÍTIMAS E MAIOR PODER DISSUASÓRIO
• ASSIMILAÇÃO DE NOVAS TÉCNICAS DE COMBATE E A INCORPORAÇÃO
DE MEIOS MODERNOS PARA AS FORÇAS NAVAIS.
• OPORTUNIDADE DE A MARINHA “SENTIR O ODOR DO COMBATE”,
PARTICIPAR DE AÇÕES DE GUERRA E ADQUIRIR EXPERIÊNCIAS DA
REFREGA, DAS ADVERSIDADES, DO MEDO E DA DOR COM A PERDA DE
NAVIOS E COMPANHEIROS.

Interesses relacionados