Você está na página 1de 14

Capitulo 3- Métodos

de Regulamentações
das Pescas

ACADÊMICA: DENNY D. JABS


Depois de conhecer os métodos que
norteiam a regulamentação das pescas,
precisamos estabelecer as medidas a serem
seguidas, em busca das metas escolhidas.

As medidas de regulamentações da
pesca sempre visa controlar as capturas,
para manter os estoques de explotacao
continuada. Assim seguem em proteger os
estoques explotados e proteger as atividades
pesqueiras.
As medidas de
regulamentações das pescas
podem ser classificadas em dois
grupos: um deles destinado a
proteção de partes selecionadas
dos estoques e o outro limitando
os volumes das capturas..
Mas em geral o mesmo
estoque em explotacao fica
sujeita a mais de uma medida de
regulamentação Pesqueira.
De acordo com os objetivos da regulamentação das pescas,
podemos favorecer o aumento da produção de pescado ou a
redução do seu custo.
Em geral as medidas de regulamentação procuram
proteger os jovens permitindo que se tornem mais velhos para
serem capturados, tirando-se a vantagem da maior
intensidade do crescimento em tamanho e peso, observando
nesta fase do ciclo vital. Outra forte ideia é a da proteção dos
adultos em período de reprodução, procurando-se assegurar
a reposição dos estoques explotados.
Proteção de partes selecionadas dos
estoques

Destinada a proteger partes selecionadas


dos estoques sujeitos a explotação
pesqueiras, tais como:
- assegurar para cada estoque uma
estrutura etária compatível com a racional
explotacao, para evitar a redução do peso
da respectiva captura total;
- garantir a permanência de conveniente
potencial e reprodução em cada estoque.
- Evitar a captura de individus em
determinadas áreas, ou nicho ecológico,
tendo em vista a saúde dos consumidores
ou a qualidade dos produtos pesqueiros.
As medidas que constituem este agrupamento são as seguintes: restrições
sobre aparelhos de pesca- quando definimos os tamanhos individuais desejados para
as capturas de determinada espécie, devemos levar em conta o fator de seleção do
aparelho de pesca empregado. Dai resulta em restrições legais que estabelecem
tamanhos mínimos para anzóis e malhas das redes e dos covos, aparelhos de
comprovadas ação seletiva.
Na aplicação desta medida, tem a emergência de dois problemas distintos: a
captura conjunta de diversas espécies, sujeitas a diferentes fatores de seleção. A difícil
fiscalização dos aparelhos de pesca, para a real observância das restrições impostas
ao seu uso.
Limites de tamanho e Peso: de forma indireta através de restrições sobre aparelhos
seletivos de pesca, estabelecer os limites mínimos de tamanho e peso, evitando
capturar indivíduos jovens e de pequeno valor comercial.
Acaba inibindo a procura por jovens mas não a pesca em si destes indivíduos, a
qual ao voltarem ao meio alguns sobrevivem e outros não aguentam a captura e
morrem no ambiente.
Tamanho e peso mínimo possibilita: assegurar a reposição dos estoques
explotados, possibilitando que os jovens se tornem maduros e se reproduzem; esta
medida de fácil controle e de baixo custo operacional, pois se da no final do
processamento, no desembarque.
FECHAMENTO DE ÁREAS DE PESCA –

proteção de jovens em seus criadouros naturais;


proteção de reprodutores em suas áreas de acasalamento ou desova;
proteção a saúde dos pescadores quando a área de pesca é uma área poluída.
FECHAMENTO DE ESTAÇÕES Á PESCA- trata-se de medidas
normalmente destinada a impedir as pescarias em épocas
de reprodução dos recursos explotados, com o objetivo de
assegurar a renovação dos estoques.
A aplicação desta medida pressupõe o correto
conhecimento do ciclo biológico de cada recurso pesqueiro.
Protecao de reprodutores- a proibição da pesca de animais
em período de reprodução procura assegurar o potencial de
renovação dos estoques pesqueiros explotados
LIMITAÇÕES DE TAMANHOS DAS CAPTURAS

Cuidam de limitações de tamanhos das capturas tem em mira a biomassa dos


estoques explotados, de modo a assegurar para cada um deles, determinado volume de
captura, que nuca deve ultrapassar aquela considerada como máxima sustentavel. Não
existindo preocupação com indivíduos, mas tão somente com os totais das capturas.
Medidas como:
LIMITAÇÃO POR QUOTA GLOBAL- com a imposição desta medida, ocorre a fixação de
uma quota anual de captura referente a cada estoque explotado, sem levar em
consideração os meios de produção disponível e o numero de participantes da
correspondente pesca. Induz ao desperdício econômico - pelo aumento incontrolado
dos meios de produção, e ao mesmo tempo favorece o desenvolvimento de técnicas de
captura progressivamente mais eficientes
LIMITAÇÃO POR QUOTA INDIVIDUIAS - quota global passa a ser
constituída pela soma de quotas individuais. Assim a competição entre
os participantes diminui, e uma desvantagem a distribuição de quotas
individuais poderão se tornar privilégios nas mãos dos participantes, e
ficando desinteressados no desenvolvimentos tecnológicos da pesca.
LIMITAÇAÕ DE EFICIÊNCIA DOS APARELHOS DE PESCA- objetivo de controlar
o montante das capturas de qualquer estoque em explotação. Com isso pouco
desenvolvimento tecnológico, pois não favorece o uso de novos aparelhos de
pesca.
Nesta medida precisa ser levado em conta: tamanho e sua abrangência em
relação ao meio ambiente; resistência do material face ao meio ambiente e os
impactos causados pelo animais apreendidos; tamanho dos indivíduos capturavel;
não devendo ser aceito aparelhos a qual prejudica ou destrói o habitat do recurso
explotado.
CONTROLE DE ACESSO A PESCA – Consideram um volume de captura, para
cada estoque explotado, é possível determinar o esforço ótimo que deve ser
utilizado. O passo consistira no controle do licenciamento dos meios de captura,
capazes de alcançar a meta de produção.
Apesar da real vantagem do sistema poder controlar o numero de
participantes em determinada pesca, assegurando-se a eficiência econômica, mas
não se esquecendo do perigo da criação de privilégios pela dificuldade ao ingresso
de novos participantes. Sendo a fiscalização do sistema ou acompanhamento da
produção um problema.