Você está na página 1de 23

A SUSTENTABILIDADE

É O NOSSO NEGÓCIO

ABIMAC, 28 de abril de 2011


NR-12
SEGURANÇA NO TRABALHO
EM MÁQUINAS E
EQUIPAMENTOS
PORTARIA N.º 197, DE 17 DE
DEZEMBRO DE 2010
ABIMAC, 28 de abril de 2011
NR-12

12.1.
Define referências técnicas, princípios
fundamentais e medidas de proteção

Estabelece requisitos mínimos para a


prevenção de acidentes e doenças do trabalho
nas fases de projeto e de utilização de máquinas
e equipamentos de todos os tipos.
Estabelece critérios para fabricação,
importação, comercialização, exposição e cessão
a qualquer título, em todas as atividades
econômicas
ABIMAC, 28 de abril de 2011
NR-12

12.1.1.
Entende-se como fase de utilização:
A construção, transporte, montagem, instalação, ajuste,
operação, limpeza, manutenção, inspeção, desativação e
desmonte da máquina ou equipamento.
12.2. As disposições desta Norma referem-se a máquinas
e equipamentos novos e usados, exceto nos itens em que
houver menção específica quanto à sua aplicabilidade.

12.2. As disposições desta Norma referem-se a máquinas


e equipamentos novos e usados, exceto nos itens em que
houver menção específica quanto à sua aplicabilidade.

ABIMAC, 28 de abril de 2011


NR-12

12.4.
As medidas de proteção, a serem adotadas devem seguir
a seguinte ordem de prioridade:
 medidas de proteção coletiva;
 medidas administrativas ou de organização do trabalho
e;
 medidas de proteção individual.

12.5.
A concepção de máquinas deve atender
ao princípio da falha segura
ABIMAC, 28 de abril de 2011
NR-12
PRAZOS
I - Máquinas novas:
12 (doze) meses Subitem 12.20.2 e item 12.22.
15 (quinze)
Itens 12.36, alínea ‘a’, e 12.37.
meses:
Itens e Subitens: 12.38.1, 12.39, 12.40,
12.43, 12.44, 12.45, 12.46, 12.47.1,
18 (dezoito) 12.51, 12.55, 12.55.1; 12.65, 12.69,
meses 12.73, 12.74, 12.75, 12.94, 12.95,
12.96; 12.129; 12.133, 12.133.1 e
12.133.2.
30 (trinta) Itens e Subitens: 12.86, 12.86.1, 12.86.2
meses e 12.92.
ABIMAC, 28 de abril de 2011
NR-12
PRAZOS
III - Os prazos estabelecidos para o cumprimento
dos itens devem ser observados para todos os seus
subitens, exceto quando houver prazos diferentes
especificados nos incisos I, II, IV e VIII.

IV - O prazo de dezoito meses estabelecido para o


cumprimento do previsto no item 12.133 e subitens
12.133.1 e 12.133.2, no que concerne à adequação
dos projetos de máquinas e equipamentos
fabricados ou importados, não é aplicável aos itens
que tenham prazos inferiores, prevalecendo, em tais
condições, o menor prazo.

ABIMAC, 28 de abril de 2011


NR-12
PRAZOS
V – Para as máquinas e equipamentos que já atendam aos
requisitos desta Norma, em que pesem os prazos estabelecidos, não
é permitida a supressão ou a não reposição dos sistemas e outras
partes relacionadas à segurança previamente existentes.
VI - Os prazos estabelecidos para a vigência dos itens não se
aplicam às condições de risco grave e iminente à saúde ou à
integridade física dos trabalhadores e envolvem somente as
máquinas ou equipamentos em que a situação foi constatada.
VII - As padarias e açougues ou empresas com açougue ou padaria
que tenham cinco ou mais estabelecimentos poderão cumprir os
prazos previstos mediante adequação da totalidade das máquinas e
equipamentos em 20% (vinte por cento) de seus estabelecimentos a
cada ano, conforme cronograma a ser protocolizado na
Superintendência Regional do Trabalho e Emprego - SRTE da
Unidade da Federação em que se situa a empresa ou na SRTE da
matriz para empresas que possuam estabelecimentos em mais de um
estado, do qual uma cópia deve permanecer no estabelecimento.
ABIMAC, 28 de abril de 2011
NR-12
PRAZOS

ANEXO VI - MÁQUINAS PARA PANIFICAÇÃO E


CONFEITARIA
ANEXO VII - MÁQUINAS PARA AÇOUGUE E MERCEARIA
ANEXO IX - INJETORAS DE MATERIAL PLÁSTICO
ANEXO X - MÁQUINAS PARA FABRICAÇÃO DE
CALÇADOS E AFINS
ANEXO XI – MÁQUINAS E IMPLEMENTOS PARA USO
AGRÍCOLA E FLORESTAL

ABIMAC, 28 de abril de 2011


METODOLOGIA BIOTERA

NR 12- SEM
CONHECIMENTO TÉCNICO E
PLANEJAMENTO É
PRATICAMENTE IMPOSSÍVEL
IMPLEMENTÁ-LA

ABIMAC, 28 de abril de 2011


METODOLOGIA BIOTERA
VISÃO ESTRATÉGICA
SISTEMA DE SATISFAÇÃO BENEFICIADOS OBJETIVOS
GESTÃO

Clientes Qualidade
Saúde
Organização Segurança
Pessoas Comunidade das
(Negócios)
instalações
Produtos e Continuidade
Serviços dos negócios
Colaboradores Lucro
Máquinas e equipamentos confiáveis
Processos seguros
Pessoas capacitadas
Política adequada de aquisição de
novos equipamentos e reformas

ABIMAC, 28 de abril de 2011


METODOLOGIA BIOTERA

MELHORIA Análise Crítica


CONTÍNUA Inicial

Planejamento
Analise Crítica

Implementação
Verificação e e operação
Ação
Corretiva

ABIMAC, 28 de abril de 2011


METODOLOGIA BIOTERA
FLUXOGRAMA DA AMFE
PLANEJAMENTO

ANÁLISE DE FALHAS
•TECNOLOGIA
BASEANDO-SE NAS
•CONHECIMENTO EXIGÊNCIAS LEGAIS
•PESSOAS
•RECURSOS $
•OPORTUNIDADE AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DE
DE MERCADO RISCOS
•TRANPARÊNCIA
•OTIMIZAÇAO DE
RECURSOS AÇÕES DE CONTENÇÃO OU
CORRETIVAS

VERIFICAÇÃO DA EFICÁCIA

ABIMAC, 28 de abril de 2011


METODOLOGIA BIOTERA
FASE INICIAL – DIAGNÓSTICO:
Critérios utilizados para caracterizar identificar e qualificar os
níveis de riscos:
a) Fotografias fornecidas pela empresa, anexos apensados,
partes integrantes do presente documento;
b) Informações fornecidas pela empresa, que subscreve o
presente documento, sob pena de nulidade de seu conteúdo;
c) Fotografias tiradas das máquinas, equipamentos e locais das
atividades durante as avaliações;
d) Entrevistas com Pessoal da operação e administrativo local;
e) Listas de verificações elaboradas baseando-se nas
legislações pertinentes, principalmente as Normas
Regulamentadoras e experiências de trabalhos realizados em
clientes.
ABIMAC, 28 de abril de 2011
METODOLOGIA BIOTERA
Diagnóstico inicial das máquinas e equipamentos
em relação as exigências de cada quesito:
Caracterização das conformidades e não conformidades:
Quanto ao Arranjo físico e instalações:
12.6. as áreas de circulação estão devidamente demarcadas e em
conformidade com as normas técnicas oficiais? Se sim, estão
permanentemente desobstruídas (12.6.2.)?
12.6.1. As vias principais de circulação e as que conduzem às saídas
tem no mínimo, (um metro e vinte centímetros) de largura?
N N EVIDÊNCIAS / TIPO DE RECOMENDA-
C
C A SALVAGUARDAS ACIDENTE ÇÕES

ABIMAC, 28 de abril de 2011


METODOLOGIA BIOTERA
Lista de salvaguardas:
APLICAÇÃO
MEDIDA DE PROTEÇÃO ADEQUADA (pessoas, Código
Controles primários (existentes) equipamento, numeral
programa)
Procedimento da fermentaria para
Programa, pessoas,
garantir as ferramentas de manutenção 01
equipamento
adequadas
Check-list de máquinas e
equipamentos
Manutenção preventiva e Pessoas, equipamento 02
check-lists em cabos de aço, cordas,
correntes, roldanas e ganchos
Programa, pessoas,
PPRA / LTCAT elaborado 03
equipamento
ABIMAC, 28 de abril de 2011
METODOLOGIA BIOTERA
Tipos de acidentes:
Prensamento de qualquer parte do corpo
Batida de qualquer parte do equipamento contra qualquer parte do
corpo
Batida de qualquer parte do corpo contra algo fixo ou em movimento
Projeção de partes do equipamento contra algo fixo ou em movimento
Quedas de materiais ou parte de materiais que podem ocasionar
acidentes pessoais ou não
Quedas de pessoas durante a operação
Quedas de pessoas não ligadas a operação, mas próximas a elas
Riscos de incêndio ou explosão
Contato com agentes químicos
Contato com agentes biológicos
Contato com agentes ergonômicos
Contato com agentes físicos: calor, frio, ruído, umidade, entre outros
Entre outros
ABIMAC, 28 de abril de 2011
METODOLOGIA BIOTERA
Recomendações técnicas:

Requer uma busca de profissionais capacitados


para promoverem as correções, pessoal habilitado
para capacitar os Gestores e Operadores,
pesquisar fornecedores de equipamentos e
dispositivos adequados e qualificados por normas
pertinentes para aquisição e instalação, realização
dos laudos exigidos, entre outras ações

ABIMAC, 28 de abril de 2011


METODOLOGIA BIOTERA

Verificação da eficácia:

Monitoramento e medição dos processos em


relação aos objetivos estabelecidos e requisitos
legais, bem como comunicação dos resultados.

ABIMAC, 28 de abril de 2011


METODOLOGIA BIOTERA
ANRMO (Avaliação dos Níveis de Riscos das Máquinas e Operações)
A quantificação do Nível de Risco se dará multiplicando os numerais
Quantificação dos Controles

Tipo de atividade: N - A - E
Contro- Após controles
riscos com os Adicionais
les adicionais
controles primários (Salvaguar-
Riscos / primári- (Previsão)
existentes das) para
Item ou Possíveis os
Redução do

Probabilidade

Probabilidade
Severidade B

Severidade B

Risco AxBxC
Risco AxBxC
Ocupação A

Ocupação A
Atividade conse- (Salvagu
Risco
qüências ardas

C
(Recomen-
existen-
dações
tes)
técnicas)
Quedas
12.6 a 12.8-
de
Arranjo
pessoas Inexis- Atender
físico e N 5 3 4 60 5 1 1 5
tente a NR 26
instalações Ferimen-
tos
Sinalização
diversos
NÍVEL
0-20 21-40 41-60 61-80 >81
DO
Desprezível Aceitável Moderado Substancial Intolerável
RISCO ABIMAC, 28 de abril de 2011
METODOLOGIA BIOTERA
A GESTÃO DAS MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

A P
C D LONGO
PRAZO
MÉDIO
CURTO PRAZO
Diagnóstico
DIAGNÓSTICO INICIAL PRAZO

OS PRAZOS SÃO ESTABELECIDOS EM FUNÇÃO DAS EXIGÊNCIAS


LEGAIS, DA QUALIFICAÇÃO DOS GESTORES E OPERADORES E
DOS RECURSOS FINANCEIROS
ABIMAC, 28 de abril de 2011
METODOLOGIA BIOTERA
FACILIDADES:

Capacitação técnica
Ajustar prazos
Negociação com os sindicatos de classe
Negociação com o Ministério público

ABIMAC, 28 de abril de 2011


BIOTERA

Obrigado

Luiz Cláudio Santana de Sousa

011-3455-5577
011-7465-0849

ABIMAC, 28 de abril de 2011