Você está na página 1de 16

Antiguidade Clássica I: Grécia

Aspectos geográficos
• Península Balcânica
(sul); ilhas do mar Egeu
e a costa da Ásia Menor.
• Grécia continental e
Grécia insular.
• As condições de relevo
favoreceram as
comunicações marítimas
entre os povos gregos e
os impérios
circunvizinhos.
• Dificuldade na
unificação interna ->
criação das cidades-
estados.
Períodos da História Grega

• Período pré-homérico (2000 – 1200 a.C.)

• Período Homérico (séculos XII-VIII a.C.)

• Período Arcaico (séculos VIII-VI a.C.)

• Período Clássico (séculos V-IV a.C.)

• Período Helenístico (séculos IV-I a.C.)


Período pré-homérico (2000 – 1200 a.C.)

• Período marcado pelo povoamento da península Balcânica por


meio do estabelecimento dos povos indo-europeus (Aqueus,
Jônios e Eólios).
• Domínio das rotas do Mediterrâneo Oriental (talassocracia) e
constituição da sociedade Creto-Micênica.
• Invasão dória e primeira diáspora grega.

• Talassocracia: poderio econômico baseado no domínio de rotas


comerciais marítimas.
Primeira diáspora grega (século XII a.C.)
Período Homérico (séculos XII-VIII a.C.)
• Período estudado e compreendido por meio dos poemas de Homero -> Ilíada e Odisseia.
• Sociedade gentílica (Genos) = Pequenos agrupamentos humanos, cuja principal atividade
era a agricultura autossuficiente, sem propriedade privada, ligados por laços
consanguíneos.
• Pater-família = poder patriarcal. O mais velho dos membros do genos era o responsável
pela justiça, organização militar e religião. O poder era passado para o filho mais velho.
• Sociedade igualitária e sem classe sociais.
• Inexistência da propriedade privada.
• Desagregação dos genos por causa do crescimento demográfico e a falta de terras férteis
resultou na passagem da propriedade coletiva para a privada e na categorização social
(eupátridas, georgois, demiurgos, thetas).
• Rompimento com o pater-família = surgimento da pólis.

Fratria -> Tribo -> Pólis


Período Arcaico (séculos VIII-VI a.C.)
• Desagregação “definitiva” das comunidades gentílicas.
• Evolução e consolidação das cidades-estados.
• Na Grécia Antiga tivemos mais de 120 pólis convivendo juntas = Atenas
e Esparta.

Conceito de Cidade-Estado:
1. Cidade: Grupo pequeno de pessoas com núcleo urbano e zona rural.
2. Estado: autonomia, organização política, econômica e social.

NA GRÉCIA ANTIGA NÃO HAVIA UNIDADE POLÍTICA, MAS


HAVIA UNIDADE CULTURAL
Atenas: a cidade-estado democrática
• Fundada na região da Ática,
península do Mar Egeu, pela fusão
de tribos que ali existiam.
• Economia rural complementada
pelo comércio marítimo.
• Sociedade estamental: eupátridas,
georgois, demiurgos, thetas,
metecos e escravos.
• A organização política ateniense,
marcada pela democracia, pode
ser dividida em quatro momentos:
monarquia; oligarquia;
legisladores (Drácon e Sólon) e
tirania.
Democracia Ateniense
• Democracia direta.
• Reformas politicas e legais.
• Drácon (621 a.C.) = estabelecimento de um conjunto de leis escritas que substituiriam as
leis oralizadas e controladas pelos eupátridas.
• Sólon (594 a.C.) = eliminação da escravidão por dividas e divisão da sociedade ateniense
conforme o poderio econômico de cada individuo. Organizou a estrutura politica por
meio da criação do Conselho dos Quinhentos (órgão legislativo) e a Éclesia (órgão
deliberativo).
• Reforma de Clistenes (510 a.C.) = ostracismo

Quem era cidadão em Atenas? Quem não era cidadão em Atenas?


Homens • Mulheres
Maiores de 18 anos • Menores de 18 anos
Livres
Ateniense • Escravos
• Estrangeiro
Esparta: a cidade-estado militarista
• Esparta foi fundada pelos dórios (século IX a.C.) na
planície da Lacônia, península do Peloponeso.
• Cidade-estado fechada em si mesma, ou seja, não
apresentava um fluxo populacional constante. Localizada
entre montanhas = xenofobia.
• Solo fértil.
• Militarismo – todo cidadão é um soldado
• Eugenia.
• Mulher: valorizada
• Organização social estamental: espartanos (esparciatas);
periecos; hilotas.
• Aristocracia militar – Governo de poucos
• Organização política espartana: diarquia (dois reis),
Assembléia (Ápela), Conselho dos Anciãos (Gerúsia).
• Cidade-estado conservadora.
• Política externa era responsabilidade dos éforos ou
magistrados.
• Código de leis espartano: Grande Retra.
Período Clássico (século V-IV a.C.)
Guerras Médicas ou pérsicas (490-479 a.C.)

• Expansão territorial persa rumo ao continente


europeu por meio da Grécia.

• Imperio persa = liderado por Xerxes


• Confederação ou Liga de Delos = vitória grega
e hegemonia ateniense.

• Episódio famoso: derrota nas Termópilas em


480 a.C. Morte dos 300 espartanos sob a
liderança de Leônidas.
Período Clássico (século V-IV a.C.)
Guerra do Peloponeso (431-404
a.C.)

• Descontentamento espartano com a


hegemonia ateniense após as
Guerras Médicas. Ameaça à
independência de Esparta.
• Constituição da Liga do
Peloponeso pelos espartanos.
• Liga de Delos X Liga do
Peloponeso.
• Guerra civil que durou cerca de 27
anos e resultou na hegemonia
espartana.
• O confronto civil fragilizou a
Grécia.
Período helenístico (século IV-I a.C.)
• Felipe II e a organização da Macedônia.
• Reinado de Alexandre Magno = cultura helenística (grega + oriental) e
expansão do império.
Herança Grega
• Democracia;
• Mitologia;
• Filosofia (Escola de Mileto, Socráticos);
• Teatro;
• Arquitetura;
• Olimpíadas;
• Literatura (Homero, Heródoto, Tucidides);
• História.
Exercícios para fixação
3 - (UMG) “O relevo montanhoso e o solo pobre
somente propiciavam as culturas da vinha, da oliveira e a 5 - (Mackenzie) As diferenças políticas e
criação de cabras e ovelhas. As planícies estreitas ao econômicas entre espartanos e atenienses
longo dos rios de pequena extensão não favoreceram, culminaram no conflito armado denominado:
como no Oriente, a cultura intensiva de cereais. O litoral
recortado, cheio de golfos profundos e penínsulas a) Guerras Médicas;
estreitas, pontilhado de numerosas ilhas, facilitou desde b) Guerra do Peloponeso;
cedo a navegação, o comércio marítimo e a criação de c) Guerras Gaulesas;
colônias espalhadas por todo o litoral do Mediterrâneo, d) Guerras Púnicas;
especialmente na região meridional da Itália.” e) Invasão Macedônica.

O trecho acima se refere à História:


a) de Cartago;
b) da República Romana;
c) da Monarquia Romana;
d) da Fenícia;
e) da Grécia
Exercícios para fixação
18 - (PUC-RS) No século VI a.C., Clístenes instituiu o Ostracismo, que resultava do poder de que dispunha a
Assembleia Popular, em Atenas, para:

a) convocar homens válidos na defesa da pólis, em caso de guerra.


b) realizar a reforma agrária, conforme a posição social do cidadão.
c) perdoar os criminosos condenados à pena capital.
d) afastar os cidadãos considerados nocivos à ordem pública.
e) permitir que os templos servissem de refúgio aos perseguidos políticos

Você também pode gostar