Você está na página 1de 76

Unicamp

DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL - DACOC

ARQUITETURA
TECNOLOGIA DAS CONSTRUCOES
FUNDAÇÕES DE EDIFÍCIOS

PROF. NERY KNÖNER


Unicamp

Definição:

• Fundação é o elemento estrutural que


transfere ao terreno as cargas que são
aplicadas à estrutura.
Unicamp

Projeto do (controlado)
edifício

Cálculo das
(não controlado)
cargas

Definição do
Investigação
tipo e
do terreno
fundação
(não controlado)
(controlado)
Unicamp

TIPOS DE FUNDAÇÃO
• RASAS (superficiais ou diretas)
Executadas em pequenas profundidades
(ou mesmo superficialmente) transmitem a
carga da estrutura ao terreno através de
sua base.
• PROFUNDAS (Indiretas)
Executadas em maiores profundidades (é
quando a profundidade, em relação ao
terreno adjacente é superior em face da
maior dimensão da área total da
fundação).
Unicamp

Tipos de fundações rasas

BLOCO
Unicamp

Tipos de fundações rasas

SAPATA Caso Simples (Baldrame)


Unicamp

FUNDAÇÕES RASAS Radier


Unicamp

Tipos de fundações rasas

VIGA DE
FUNDAÇÃO
Unicamp

Tipos de fundações profundas

ESTACAS PRÉ-MOLDADAS
Unicamp

FUNDAÇÕES RASAS ( TEORIA )

Na escolha do tipo de fundações, as


diretas ou rasas são as primeiras a
serem analisadas, devido a execução
simples e o baixo custo
Unicamp

•A economia só é alcançada se a fundação rasa corresponder de


50% a 70% da área do terreno, isto é, se a área de suporte
necessária no cálculo dimensional da fundação for menor.

EXEMPLO:
ÁREA DO TERRENO = 250,00 m²
ÁREA DA FUNDAÇÃO = 130,00 m²

PERCENTUAL = 52%

ÁREA DE SUPORTE CALCULADA RESULTOU EM 130,00m²(


OK! )
Unicamp

•Caso o local apresente aterro não


compactado, argila mole, areia fofa e
água, as fundações diretas ou rasas
não são recomendadas.

• As cargas devem ser transmitidas ao


terreno e solicitadas através das
pressões distribuídas sob a base da
fundação (Bulbo de Tensões).
Unicamp

•As fundações superficiais só podem ser


assentadas à uma profundidade de até
duas vezes a sua menor dimensão em
planta.

• Tecnicamente, são apoiadas diretamente


sob as paredes e os pilares, que
transmitem a carga para na fundação
que, por sua vez solicita o solo pela carga
aplicada no corpo da sapata.
Unicamp

• Tanto os blocos como as sapatas são os elementos de


fundação mais simples e mais econômicos.

•Os blocos porém são até mais econômicos do que as


sapatas para cargas reduzidas, porque a quantidade de
concreto é menor e justifica então a eliminação da
armadura, não havendo assim nenhuma restrição
construtiva.
Unicamp

RESUMO GERAL
Unicamp

FUNDAÇÕES RASAS (SUPERFICIAIS)

Quando a camada superficial do solo


apresenta resistência suficiente para
suportar as cargas da edificação.

-São as consideradas de menor custo. São


executadas em concreto armado, apoiados
sobre terreno preparado e compactado.
Unicamp

FUNDAÇÕES RASAS (SUPERFICIAIS)

As dimensões e a armação da sapata


dependem de cálculo das cargas e
sobrecargas e considerar sempre as
características de resistência do solo de apoio.

Cargas : peso próprio estrutural.

Sobrecargas : cargas acidentais.


Unicamp

EXECUÇÃO

1- limpeza do terreno, e fixação do¨RN¨;


2- demarcação da construção, com a implantação e
demarcação do gabarito referencial, contendo o eixo e as
faces laterais e a referência de nível;
3- abertura das valas, sendo manual ou mecânica ( sem
alterar ou abalar o gabarito),
4- compactação das valas, com o uso de soquetes
manuais, ou mecânicos (sapo mecânico).
Unicamp

5 -aplicação de uma camada de pedra 3, 4 e rachão, numa


camada de 5 cm a 30 cm. Ao longo da vala (lastro de brita ),
cuja finalidade é de drenar (manter seco) a interface do solo com
base da sapata, trabalhando também como material de transição
entre o solo e a sapata da fundação (agulhamento).
Obs : o agulhamento é imprescindível em obras de
pavimentação de modo geral, fundo de galerias, base de
aterros e de estacas e tubulões (fundações profundas),
com as mesmas finalidades.

Vale ressaltar que nos casos de fundações de pequenas


construções, a aplicação adequada é de pedrisco a pedra 3 e
a espessura à critério.
Unicamp

TRAÇOS DE CONCRETO

Para contra pisos e bases de sapatas


( Concreto magro )

1 saco de cimento ( 50kg. Padrão )


8,5 LATAS DE AREIA
1,5 LATAS DE PEDRA
2,0 latas de água

¨ 1 lata = 18,5 litros ¨


¨ 1 saco de cimento = 250,0 litros ¨
Unicamp

6- Aplicar um lastro de concreto magro com


espessura de 3 a 5 cm, com a finalidade
transitória do solo-brita à base da sapata, cuja
finalidade é a de não permitir ou dificultar
a higroscopia (vaporização da água) e o
encharcamento da sapata, evitando-se assim a
oxidação das armaduras da sapata.
Unicamp

7- Formas de madeira ou formas metálicas,


devem ser inseridas ao longo da vala (sapata
corrida - baldrame) , com a finalidade de manter
uma linearidade vertical e longitudinal, bem
como o arrasamento da superfície da
sapata ou da viga baldrame, e fuga da água de
amassamento do concreto.
Unicamp

8- As armações devem ser dimensionadas


analiticamente, (cálculo estrutural) devem ser
moldadas ou dobradas, com uso de
ferramentas adequadas, supervisionadas e
inspecionadas principalmente quanto a
fixação dos estribos ( ferragens transversais )
nas barras longitudinais.
Unicamp

TIPOS DE FUNDAÇÕES RASAS


SAPATA ISOLADA
QUANDO HÁ UMA SAPATA ÚNICA SOB PILAR,
RECEBENDO A CARGA DIRETA E PONTUAL PELO PILAR
Unicamp
Unicamp

TIPOS DE SAPATAS
Unicamp
Unicamp

SAPATA ISOLADA - ( COM ARRANQUES )


Unicamp

SAPATA CORRIDA
• Sustenta a carga de uma parede distribuída
linearmente.
• Utilizada com sistema estrutural de alvenaria
armada.
ALICERCES - SAPATA CORRIDA Unicamp

Os alicerces são estruturas executadas pelo assentamento de pedras ou


tijolos maciços recozidos, em valas de pouca profundidade (entre 0,50
a 1,20 m), e largura variando conforme a carga das paredes.
Unicamp
FUNDAÇÃO
PARA CAPACIDADE DE CARGA LINEAR
FUNDAÇÕES (Quanto agüenta por metro linear) Unicamp
RASAS Sapata corrida em
Sapata corrida em
solo de Argila
Solo de Argila RIJA
CASAS TÉRREAS ) DURA
[ 2 kgf /cm2]
Baldrame com [ 3 kgf / cm2]
alvenaria de
tijolo de barro 7.500 kgf / m 5.000 kgf / m
maciço de 1
tijolo.
Baldrame com
alvenaria de
tijolo de barro 11.250 kgf / m 7.500 kgf / m
maciço de 1 e
1/2 tijolo.com
Baldrame
alvenaria de
tijolo de barro 15.000 kgf / m 10.000 kgf / m
maciço de 2
tijolos.
Unicamp
RADIER

•É uma grande laje, onde apóiam-se os pilares e


paredes da edificação.
•É uma forma de dimensionamento das sapatas
isoladas, se a área das sapatas em planta
ultrapassar 60% da área da edificação, torna-se
mais econômico executá-las devido a redução
considerável da execução de formas.
•Aplicável sobre solo instável ou sujeitos a
recalques
INVESTIGAÇÃO DO SOLO Unicamp

De uma análise cuidadosa pode mostrar se um


terreno tem o solo altamente compressível, exigindo
assim uma consolidação prévia.

De uma sondagem que tem por objetivo verificar a


natureza do solo, a espessura das diversas camadas (
estratificação ), a profundidade e a extensão da camada
mais resistente que deverá receber as cargas da
construção, e determinar o tipo da fundação a ser
especificada.

De uma verificação do NA.


INVESTIGAÇÃO DO SOLO Unicamp

•Uma base prática na construção, através da mecânica dos solos


definimos e classificamos os materiais que ocorrem na superfície da
crosta terrestre em:

Rochas-solos rochosos (pedregulhosos)

Solos renosos/siltosos (compacíveis);

Solos argilosos (consistência).


• PROCEDIMENTOS BÁSICOS ANTES DE SE DECIDIR PELO Unicamp
TIPO DE FUNDAÇÃO EM UM TERRENO

A) Visitar o local da obra, verificando se existem áreas


de alagados, encharco afloramento de rochas ;

• B)Visitar obras em andamento nas proximidades,


verificando as soluções adotadas;

• C) Fazer sondagem a trado (broca) com diâmetro de 2“


ou 4", recolhendo amostras das camadas do solo até
atingir a camada resistente;

• D) Requisitar uma sondagem geotécnica.


RECALQUES Unicamp
RECALQUES Unicamp
PLANTA Unicamp
SONDAGEM POR TREPANAÇÃO Unicamp
RELATÓRIO DE SONDAGEM Unicamp
Unicamp

Tipos de fundações profundas

ESTACAS ESCAVADAS
Unicamp

Tipos de fundações profundas

PAREDES
DIAFRAGMA
Unicamp

Tipos de fundações profundas

ESTACAS HÉLICE
CONTÍNUA
Unicamp

Tipos de fundações profundas

ESTACAS TIPO FRANKI


Unicamp

Tipos de fundações profundas


ESTACAS TUBULARES
METÁLICAS
Unicamp

Tipos de fundações profundas

ESTACAS RAIZ
Unicamp

Tipos de fundações profundas

TUBULÕES
Unicamp

TRANFERÊNCIA DE CARGAS

superfície
do terreno
Unicamp

TRANFERÊNCIA DE CARGAS

superfície
do terreno
Unicamp

TRANFERÊNCIA DE CARGAS

superfície
do terreno

Bulbo de Pressões
Unicamp

BULBO DE PRESSÕES

Solo resistente

Solo pouco resistente


Unicamp

BULBO DE PRESSÕES

Solo resistente

PROBLEMAS !!!

Solo pouco resistente


Unicamp

CONCEITOS

• CAPACIDADE DE CARGA
É a carga que provoca a ruptura da
fundação.
É influenciada pelas dimensões e pelo
posicionamento da fundação, mas
depende principalmente da resistência e
da compressibilidade do solo e da posição
do nível d’água
Unicamp

CONCEITOS

• RUPTURA
Ocorre quando a tensão no interior do
maciço de fundação supera a resistência
do material provocando a destruição da
estrutura do solo ou da rocha ao longo de
uma determinada superfície (plano de
ruptura)
Unicamp

CONCEITOS

• ESCOAMENTO DO SOLO
Quando as tensões atuantes superam a
resistência do solo e produzem sua
plastificação, o que pode levar a plena
ruptura do material
Unicamp

CONCEITOS

• ADENSAMENTO DO SOLO
É uma deformação do solo que ocorre a
medida em que a água vai sendo expulsa
pelo excesso de pressão aplicada pela
fundação
Unicamp

RECALQUES

Aterro
(1o estágio)
superfície
Unicamp

RECALQUE HOMOGÊNEO

Aterro
(2o estágio)
superfície

deformação no solo de fundação


Unicamp

RECALQUE
Recalque (mm)

tempo
Unicamp

RECALQUE DIFERENCIAL

Aterro
(2o estágio)
superfície

deformação maior em uma porção


Unicamp

RECALQUES DIFERENCIAIS

argila mole

rocha
Unicamp

RECALQUES DIFERENCIAIS

argila mole

rocha
Unicamp

RECALQUES DIFERENCIAIS

paleo vale

areia e cascalho
rocha sã
Unicamp

RECALQUES DIFERENCIAIS

argila mole
rocha sã
Unicamp

RECALQUES DIFERENCIAIS

argila
areia compacta

rocha sã
Unicamp

RECALQUES DIFERENCIAIS
Unicamp

TORRE DE PISA

59 m
1174 - 1350 22 m
Unicamp

TORRE DE PISA

Areia argilosa (4,3 m)


Areia pura (6,3 m)

Argila marinha
Unicamp

TORRE DE PISA

Bulbo de pressões
Unicamp

PRÉDIOS DE SANTOS

Areia pouco argilosa

Argila marinha
Unicamp

COMPORTAMENTOS ESPECIAIS

• SOLOS EXPANSÍVEIS

Argilas (forma de placas)


Unicamp

COMPORTAMENTOS ESPECIAIS

• SOLOS EXPANSÍVEIS
Pressão de expansão

Exposição à água Absorção de água

Argilas do grupo das ESMECTITAS

Típico: solos de alteração de rochas metamórficas


Unicamp

COMPORTAMENTOS ESPECIAIS

• SOLOS COLAPSÍVEIS
São os solos não saturados que, quando
umedecidos, perdem rapidamente a força
de coesão entre os grãos que o compõe e
literalmente desabam em sua matriz.

Típico: COLÚVIO
Unicamp

COMPORTAMENTOS ESPECIAIS

• SOLOS COLAPSÍVEIS

Menisco de água
Unicamp

COMPORTAMENTOS ESPECIAIS

• RELEVOS CÁRSTICOS (com calcários)

Causado pelo rebaixamento do lençol freático