Você está na página 1de 22

Faculdade de Farmácia

Métodos Instrumentais de Análise


Abril 2015

Prof: Autores
Turma:
Introdução: Fundamento teórico
• Princípios da espectrofotometria de absorção atómica,
semelhantes aos da espectrofotometria de absorção
molecular
– incidindo um feixe de radiação “I0”, ocorre a absorção de
parte desta, pelos átomos no estado fundamental
existentes numa chama, tendo a radiação emergente
intensidade “I”  detetor do aparelho registe a razão I/I 0
– átomos absorvem radiação de E idêntica à de emissão

– existe verificação da Lei de Beer  absorção será tanto maior quanto mais elevada for a
concentração de átomos do elemento no estado fundamental

– diferença é que elementos são estudados no estado fundamental


Introdução: Equipamento
Amostra em
solução

Fonte de Atomizador Sistema


Modulador Detetor
radiação Queimador ótico

Gases: Periférico de
- comburente saída
- combustível
Introdução: Equipamento
• Fonte de radiação:
Descarga elétrica forte
– lâmpada de cátodo oco, em que o constituinte do cátodo é o
elemento a analisar;
– emite radiação característica do elemento em estudo, que será Excitação dos átomos de Árgon

absorvida pelos átomos do elemento em análise que estejam no


estado fundamental;
Colidem como cátodo, excitando-o
– podem ser de um único elemento, multi - elemento ou de alta
intensidade.
Cátodo emite energia
Introdução: Equipamento
• Modulador:
– disco circular metálico dentado;
– bloqueia intermitentemente a radiação que vem da fonte  permite subtrair a radiação
proveniente da chama.

• Atomizador / Queimador:
– Desolvatação – vaporização do solvente
– Vaporização – transforma as substancias da amostra em vapor
– Atomização – as espécies moleculares em vapor atómico

• Monocromador:
– isola o pico analítico do elemento desejado.
Introdução: Fundamento teórico
• Método favorável: lâmpadas produzem radiação intensa e estável, detetando concentrações da ordem
de 1 ppm;

• Determinação do elemento em muitas amostras de diversas matrizes;

• Matrizes podem provocar interferências nos resultados, pela presença de minerais como sódio,
potássio e fosfatos;

• Quelação protetora com EDTA – tem uma grande capacidade de se combinar com o cálcio e de o
libertar facilmente na chama, favorecendo a atomização.
Reagentes:
o Carbonato de Cálcio (CaCO3) o Cálcio (Ca)
- PM: 100 g/mol - PM: 40,08 g/mol

o Ácido Clorídrico(HCl) o Ácido etilenodiamino tetra-acético – EDTA


(C10H16N2O8)
- PM: 36,46 g/mol
- ρ: 1,18 g/cm3 - PM: 292,24 g/mol
- ρ: 0,86 g/cm3
o Cloreto de Cálcio dihidratado (CaCl2.2H2O)
- PM: 146,98 g/mol o Amostra:
- CaCl2.2H2O = 9,0 g/L
Material / Equipamentos:
o Balão Volumétrico: o Balança Analítica
- 1000 ml (x3)
- 100 ml o Espectrofotómetro de absorção atómica
- 50 ml (7x) - Perkin Elmer – AAnalyst -700
- Lâmpada de cátodo oco de cálcio
o Pipetas volumétricas ou graduadas - Comburente : Ar
- Combustível: Acetileno
o Vidros de Relógio - Monocromador. 422,7 nm

o Material corrente de laboratório


Métodos:
Pesar 0,250 g (CaCO3) 2,5 ml Amostra

Balão 1000 ml Balão 100 ml


Perfazer com H2O desionizada
Dissolver em HCl qb Perfazer com H2O
Sol. 100mg (Ca)/L Pesar 37,5 g EDTÁ desionizada

0 ml 0,5 ml 1 ml 2 ml 3 ml 4 ml 5 ml Balão 1000 ml Pipetar 2 ml


(0 PPM) (1 PPM) (2PPM) (4 PPM) (5 PPM) (8 PPM) (10 PPM)
D1 D2 D3 D4 D5 D6 D7 Pipetar 2 00 ml Balão 25 ml

+ 10 ml Sol EDTA concentrada Balão 1000 ml Perfazer com Sol.


EDTA Diluída
Perfazer com H2O desionizada Perfazer com H2O desionizada

Análise em espectroftomero de chama


Métodos:
Ligar espectrofotómetro Abrir torneiras do gases Ligar computador

Abrir o programa: Start /Programs Fechar a janela Lamps


/PerkinElmer WinLab 32 AA Acendre chama na barra de
/WINLAB 32 FOR AA ferramentas: Flame / Flame Control Ler absorvências: Selecionar Manual
/Safety Interlocks - verde /ON na barra de ferramentas
Aguardar que na janela de estado os
quadrados espectrofotómetro e chama Chamar o método: MethEd Ler Branco: Analyse Blank /
fiquem verdes (elemento: Ca), λ:422,7nm, fenda, tipo Introduzir Sol.D1/OK
análise: Absorção)
Settings: nº de repetições (3x)
Selecionar modo chama: Ler Padrões: Analyse Standard -
Calibration: tipo de curva e unidades
File/Change Techique/Flame Introduzir Sol. D2-D6/OK
Standard Concentrations: nº e
concentrações de sol. Padrão
Instalar e ligar a lâmpada de cálcio na Ler Amostra: Analyse Sample -
posição 5 Carregar em Midlescale e aguardar Introduzir Amostra/OK
ajuste novamente
Acender lâmpada, selecionado lamps Resultados: concentração de Ca (PPM)
na barra de ferramentas e ON para a Aguardar os ajustes automáticos do na amostra, com base nas leituras de
de Ca aparelho Abs do padrões e recta Abs/PPM
Resultados:

Fig. 1: Ficheiro
exemplificativo de
resultados de
absorvância , em
triplicado, obtidos
para o Branco (P1) e
as restantes Sol.
Padrão (P2-P7)
Resultados:
Fig.2: Ficheiro exemplificativo de resultados de
absorvância, em função da concentração das Sol. Parão
(mg Ca/L) e recta de calibração obtida

Fig. 3: Ficheiro exemplificativo de resultados de


absorvância , em triplicado, obtidos para a Amostra, e
respetiva média da concentração (4,310 mg Ca/L) obtida
com base nos dados da recta da Fig.3
Cálculos: Concentração das soluções padrão

Solução Padrão 1 : Solução Padrão 2 : Solução Padrão 3 :

100 mg (Ca) −− 1000 ml 100 mg (Ca) −− 1000 ml 100 mg (Ca) −− 1000 ml


x −− 0,5 ml x −− 1 ml x −− 2 ml
x = 0,05 mg (Ca) x = 0,1 mg (Ca) x = 0,2 mg (Ca)

0,05 mg (Ca) −− 50 ml 0,1 mg (Ca) −− 50 ml 0,2 mg (Ca) −− 50 ml


x −− 1000 ml x −− 1000 ml x −− 1000 ml
x = 1 mg (Ca) x = 2 mg (Ca) x = 4 mg (Ca)

[Ca] = 1 mg / L [Ca] = 2 mg / L [Ca] = 4 mg / L


Cálculos: Concentração das soluções padrão

Solução Padrão 4 : Solução Padrão 5 : Solução Padrão 6 :

100 mg (Ca) −− 1000 ml 100 mg (Ca) −− 1000 ml 100 mg (Ca) −− 1000 ml


x −− 3 ml x −− 4 ml x −− 5 ml
x = 0,3 mg (Ca) x = 0,4 mg (Ca) x = 0,5 mg (Ca)

0,3 mg (Ca) −− 50 ml 0,4 mg (Ca) −− 50 ml 0,5 mg (Ca) −− 50 ml


x −− 1000 ml x −− 1000 ml x −− 1000 ml
x = 6 mg (Ca) x = 8 mg (Ca) x = 10 mg (Ca)

[Ca] = 6 mg / L [Ca] = 8 mg / L [Ca] = 10 mg / L


Cálculos: Concentração teórica da solução problema

Amostra :
Reta de calibração

ML
146,98 g (CaCl2.2H2O) −− 40,08 g (Ca) 6

9,0 g (CaCl2.2H2O) −− x 5

x = 2,45g (Ca) / L 4

3
Meio da reta de calibração
2
– 5 mg / L
1

0
0 2 4 6 8 10 12

PPM
Cálculos: Concentração teórica da solução problema

Solução Diluída Final:

5 mg (Ca) −− 1000 ml X
AMOSTRA
x −− 25 ml

x = 0,125 mg (Ca)

100 ml 25 ml
Cálculos: Concentração teórica da solução problema

Método 1: Tentativa e Erro

2,54 g (Ca) −− 1000 ml 61,35 mg(Ca) −− 1000 ml


x −− 2,5 ml x −− 2 ml
x = 0,006135 g = 6,135 mg (Ca) x = 0,1227 mg (Ca)

6,135 mg (Ca) −− 100 ml 0,1227 mg (Ca) −− 25 ml


x −− 1000 ml x −− 1000 ml
x = 61,35 mg (Ca) x = 4,908 mg (Ca)

[Ca] = 61,35 mg /L [Ca] = 4,908 mg / L


(1ª Diluição) (2ª Diluição)
Cálculos: Concentração teórica da solução problema

Método 2 : Determinação do fator de diluição Conclusão:

X =2,5 ml
Factor Diluição (FD) = Ci/Cf = 2454,2/ 5= 490,8 AMOSTRA

Factor Diluição (FD) = Vf/Vi


490,8 = (100x25)/Vi
Vi = 2500 /490,8 = 5,09 ml Y =2 ml

Usar qualquer combinação de volume X e Y em que


a multiplicação dê aproximadamente 5 ml.
Por exemplo: 2,5 ml e 2 ml
100 ml 25 ml
Cálculos: Concentração de Ca na Amostra
Amostra: 4,310 ppm

4,310 mg (Ca) − 1000 ml 0,1078 mg (Ca) − 2 ml 53,9 mg (Ca) − 1000 ml


1000
x − 25 ml x − x − 100 ml
ml
0,1078 mg (Ca) x = 53,9 mg (Ca) x = 5,39 mg (Ca)
(1) (2) (3)

5,39 mg (Ca) − 2,5 ml 146,98 g (CaCl2.2H2O) − 40,08 g (Ca)


x − 1000 ml x − 2,156 g (Ca)
x = 2156 mg = 2,156 g (Ca) x = 7,91 g (CaCl2.2H2O)
(4) (5)
Cálculos:

Quadro 1: Resultados obtidos em 2 ensaios diferentes por 2 grupos de trabalho diferentes para a
mesma Amostra

Ensaio 1 Ensaio 2

[Ca] Amostra Diluída 4,310 mg /L 4,295 mg /L

[Ca] Amostra 2,156 g /L 2,148 g /L

[CaCl2.2H2O] Amostra 7,91 g /L 7,875 g /L

791,0 mg% 787,5 mg %


Conclusões:
• Resultados obtidos nos 2 ensaios apresentam valores de CaCl2.2H2O, abaixo dos 9 g/L, indicados
no rótulo da amostra.

• Os resultados de ambos os ensaios são consistentes entre si, ambos indicam uma concentração de
CaCl2.2H2O na amostra na casa dos 7,9 g/L.

• Motivos de para disparidade entre valor esperado e o valor obtido para a amostra:

• Erros experimentais (humanos, materiais);

• Técnica desadequada ou com necessidade de otimização;

• Degradação da amostra (condições de armazenamento: temperatura, luminosidade)


Bibliografia:

• Daniel C. Harris. “Quantitative Chemical Analysis”, 7th Ed. International Student Priced
Edition; W. H. Freeman. 2007.

• Slides das Teoricas e Praticas de Métodos Instrumentais de Análise