Você está na página 1de 113

FLACIDEZ

PROF. RODRIGO BOER


Modificações

 Ressecamento da pele por diminuição da atividade dos fibroblastos,


 Desequilíbrio do manto hidrolipidico,
 Alteração da espessura e pigmentação
da pele,
 Flacidez Tecidual,
 Achatamento da junção dermoepidérmica,
 Atrofia da hipoderme,
 Diminuição do fluxo dos capilares sanguineos,
 Flacidez Muscular,
 Adiposidade na região abdominal.
Efeitos cutâneos dos Radicais livres

 Destruição das fibras = flacidez e rugas


 Destruição das células
 Envelhecimento precoce
Flacidez

Atrofia da pele e/ou muscular levando a


diminuição da atividade motora e de
funcionamento de órgãos.

TISSULAR MUSCULAR

Déficit de substâncias dérmicas


Fatores Extrínsecos
- Radiações U.V.
- Poluição ambiental
- Intempéries climáticas

Fatores Intrínsecos
- Diminuição da colagênese
- Diminuição do tônus muscular
- Ação dos radicais livres
- Alterações hormonais
- Desnutrição - Alimentação
Flacidez

 A flacidez refere-se ao estado


mobilizado, frouxo ou lânguido do
tecido.
 Quanto à flacidez muscular, um dos
fatores que a ocasionam é a falta de
exercícios físicos
 Quando os músculos não são solicitados
adequadamente, suas fibras atrofiam-
se.
Flacidez

 O sedentarismo é considerado um dos


fatores mais freqüentes para o
aparecimento da flacidez, seguido
pela perda da massa muscular e
aumento de depósito gorduroso.
 Esses processos são decorrentes do
envelhecimento fisiológico, que tem
seu início por volta dos 30 anos.
Flacidez

 Quanto à flacidez tissular, percebe-se


que a maior incidência de casos é na
mulher, devido a fatores hormonais e
à gestação.
Flacidez

 Outros fatores, como o excesso de sol


(fotoenvelhecimento), alimentação
inadequada e efeito sanfona,
contribuem para o aparecimento da
flacidez cutânea.
Derme

 Constituída por proteínas que formam


estrutura alongada

 Sistema colágeno- rigidez, resistencia


a trações.Encontrado em pele, ossos,
cartilagem, etc
Derme

 O colágeno é a proteína mais


abundante do corpo

 ( 30% do total de proteínas)


Derme

 Circulação na pele- papel


importante na regulação térmica,
resposta térmica, resposta
inflamatória e tonalidade da pele

 Inervação- táctil, térmica,


dolorosa, pressão, prurido
Derme

 Apresenta vasos sanguíneos e


linfáticos, nervos, anexos cutâneos
(pêlos, unhas, glândulas)

 Camadas papilar e reticular


Derme

 Linfócitos, macrófagos

 Vascularização- plexo superficial e


profundo
DERME

 Fibras colágenas (sustentação)

 Elásticas(elasticidade)

 Reticulares (resistência)
Derme

 Substância fundamental amorfa= base


de sustentação das fibras e
células,composta por sais minerais,
proteoglicanas, ácido hialurônico e
glicoproteínas
Derme

 Proteoglicanas são proteínas


grandes formadas por
glicosaminoglicanas ligadas a
proteínas
Derme

 Formam um gel com grande


quantidade de água, onde estão
mergulhdas as fibras colágenas e
elásticas
Derme

 É este gel que permite a difusão e


troca de nutrientes e hormônios entre
as células e os vasos sanguíneos
Funções do fibroblasto

 Migração quimiotáxica

 Proliferação

 Aderência para a matriz extracelular


Funções do fibroblasto

 Biossíntese e deposição dos


elementos do tecido
conjuntivo(colágeno,elastina,
reticulina, glicosaminoglicanas, etc)

 Reconstrução(síntese de proteínas)
Fibroblastos

 Sua síntese, regulação e reprodução é


determinada por hormônios e FC
(Fatores de crescimento) que se ligam a
receptores da membrana celular
regulando a atividade da célula
 Colágeno – glicina, lisina, prolina,
hidroxiprolina e hidroxilisina

 Estes 2 últimos dependentes da


vitamina C
Derme- tipos de colágenos
Tipo distribuição

I Derme , tendão, osso, ligamentos, córnea

II Cartilagem , discos vertebrais, humor vítreo do olho

vasos sangüíneos, medula óssea, tecido linfóide,derme, músculo liso, nervos,


III
pulmão, pele fetal

IV membrana basal da epiderme, cápsula do cristalino

V membranas basais da placenta, músculo liso e esquelético

VI ampla distribuição

VII fibrilas de ancoragem nas membranas basais da pele

VIII endotélio

IX cartilagem

X Cartilagem

XI cartilagem
FIBRAS DA DERME

 Fibras colágenas- hidrófilas,


hidrossolúvel,resistência e
sustentação
Fibras da derme

 TIPO ll- Hidratação( diminui com a


idade-flacidez)

 TIPO l- perpendicular a epiderme,


ancoragem na derme
 Formação das papilas dérmicas
Reticulina

 Fibras reticulares- constituídas por


colágeno tipo lll,com elevado teor de
glicoproteínas e proteoglicanas

 hidrófila, resistência

 São o arcabouço da sustentação das


células do tecido
hematopoiético(baço, Medula óssea),
das células musculares, fígado, rins,
Elastina

 Glicoproteína

 Resistente, presente na parede de artérias

 hidrófoba, curtas, multidirecionais, elasticidade

 rugas e estrias
HIDRATAÇÃO CUTÂNEA

 É a capacidade do estrato córneo em reter


água

 A adequada função da pele depende da


integridade e grau de hidratação da
epiderme, pricipalmente o estrato córneo,
composto por camada lipídica de
ceramidas, colesterol, ácidos graxos e
queratina
HIDRATAÇÃO CUTÂNEA

 A água da camada córnea pode evaporar


para a atmosfera (PATE ou TEWL),
dependendo da temperatura ambiente, grau
de hidratação, integridade da epiderme e
FNH (lipídeos, ácidos graxos, ácido lático,
uréia, PCA, a.a, etc)
Hidratação

 Camada córnea – contém 10 a 30%


de água

 < 10%= PELE DESIDRATADA

 A evaporação deve ser compensada


por um aporte de água nas camadas
mais profundas da epiderme e derme
Envelhecimento cutâneo

 O conceito de beleza atualmente em vigor e


procurado pela grande maioria das pessoas é o
da pele jovem, sem manchas ou rugas.

 Entretanto, com o avanço da idade, a pele


começa a sofrer alterações que modificarão seu
aspecto gradativamente caracterizando o
envelhecimento cutâneo.
 Classificação da pele
 Produção sebácea
 Grau de hidratação
 Espessura/textura
 Grau de envelhecimento
 Tônus dos músculos
 Lesões elementares- pigmentações
 Herança
 Idade
 Problemas hormonais
 Hábitos atléticos
 Medicamentos
 Alimentação
 Stress
 Tabaco e alcool
 Modificações dos componentes cutâneos
 Emulsão hidrolipidica sofre desequilíbrio na composição e
características físico-químicas
 Epiderme- diminuição da espessura, desordem,
diminuição de melanócitos e células de defesa

 Derme- atrofia, diminuição do número de fibroblastos,


desordem na trama de colágeno e elastina, diminuição
do fluxo de capilares sanguíneos,glândulas sudoríparas,
redução do calibre piloso

 Hipoderme – diminuição da espessura, diminuição da


sustentação devido a diminuição do colágeno,
surgimento de sulcos e pregas.
ENVELHECIMENTO

 Hormonio do crescimento, telômero, câncer

 Hormônio do crescimento- controla as trocas das


organelas do tecido muscular e nervoso que
permanecem jovens

 21 anos- diminui a produção de GH

 Epitélio- se multiplica constantemente

 Telômero- onde estão os genes que controlam a


multiplicação celular
ENVELHECIMENTO

 A cd geração diminui o tamanho do


telômero,pois diminui a multiplicação
celular

 Câncer- destrói o gene inibidor da


multiplicação celular
Envelhecimento

 RL- quebram proteínas, dificultam


transportes, diminuem a nutrição.

 Age no núcleo da célula (compromete


a atividade celular)
ENVELHECIMENTO CUTÂNEO

 Série de alterações estruturais da


pele, decorrentes de fatores
intrínsecos e extrínsecos (ex-radiação
UV)
Envelhecimento cutâneo

 Fatores intrínsecos- natural,


genético, menopausa, etc(perda da
capacidade funcional da célula)

 Fatores extrínsecos- Raios UV


(ação cumulativa que resulta em
danos cutâneos que aparecem a
partir de 25 a 30 anos)
Envelhecimento cutâneo

 O envelhecimento se deve a
incapacidade do organismo de
eliminar os RL, reativos do O2,
formados nas reações de
oxiredução durante o metabolismo
celular
Envelhecimento cutâneo

 UVB- 95% dos raios, epiderme

 UVA- 5% dos raios, derme


Envelhecimento cutâneo

 Efeitos- bronzeamento,
queimaduras, fotoalergias,
fototoxicidade, carcinogênese,
ceratoses actínicas (pré malignas)

 Alterações pigmentares
(melanoses, leucodermias),
elastose solar, rugas, etc
Envelhecimento cutâneo

 Envelhecimento cutâneo intrínseco

 Pele atrófica, amarelada, ressecada,


pouco elástica, pouca secreção
sebácea e sudorípara, diminuição dos
pelos
Envelhecimento cutâneo

 Flacidez- gravidade

 Atrofia da gordura

 Pigmentações irregulares e
alterações proliferativas
(ceratoses, hiperplasia da glândual
sebácea
Envelhecimento cutâneo

 Envelhecimento cutâneo extrínseco

 Surge em áreas expostas ao sol

 Pele áspera, lentigos, ceratoses,


leucodermia, rugas

 Pele amarelada, fosca, espessa

 Fotoenvelhecimento-pode ser atenuado e


prevenido(FPS)
Envelhecimento cutâneo

 O fotoenvelhecimento pode ser visto mesmo


em pessoas bem jovens, porém que gostam
muito de praia ou trabalham ao sol, sem
proteção.
Envelhecimento cutâneo

 O envelhecimento intrínseco decorrente do


desgaste natural do organismo, causado pelo
passar dos anos, sem a interferência de
agentes externos, equivale ao envelhecimento
de todos os órgãos, inclusive a pele.
Envelhecimento cutâneo

 O sol, que propicia momentos de lazer e


que dá o bronzeado que aprendemos a
considerar como modelo de saúde e
beleza, é também o principal
responsável pelo envelhecimento
cutâneo, pois é a sua ação acumulativa
sobre a pele que faz surgirem os sinais
da pele envelhecida.
Envelhecimento cutâneo

 A pele fotoenvelhecida apresenta perda da


elasticidade, manchas escuras ou claras, rugas
finas e profundas e a alteração da superfície da
pele, que pode se apresentar mais áspera,
ressecada e descamativa.

 Além disso surgem as ceratoses solares, lesões


que atingem a camada mais superficial da pele
formando "crostas" e que, eventualmente,
podem transformar-se em um câncer da pele.
Envelhecimento cutâneo

 Rugas de exposição solar são


diferentes da rugas dinâmicas,
associadas aos movimentos de
expressão (pregas, sulcos)
Glogau (fotoenvelhecimento)

 Leve- 20- 35 anos


 Sem queratoses
 Poucas rugas

 Moderada- 35- 50 anos


 Ceratoses actínicas iniciais
 Coloração amarelada
 Rugas iniciais (linhas paralelas ao sorriso)
 Avançada- 50- 65 anos
 Ceratoses actínicas, cor amarelada,
telangiectasias
 Rugas presentes em repouso

 Severa- 60-75
 Ceratoses actínicas, rugas gravitacionais e
dinâmicas, flacidez
Classificação de Glogau
TIPO GRAU IMAGEM CARACTERÍSTICA

Classificação de Glogau: grupos de fotoenvelhecimento presença de rugas mínimas e ausência de


Leve
I queratoses (alterações secundárias à
(28-35 anos)
exposição solar)

rugas dinâmicas, melanoses solares


incipientes (manchas acastanhadas),
Moderado
II queratoses actínicas precoces, palpáveis
(35-50 anos)
(lesões pré-cancerosas secundárias à
exposição solar crônica).
rugas no repouso, alterações de
pigmentação evidente, telangiectasias
Avançado
III (lesões vasculares de fino calibre,
(50-65 anos)
avermelhadas), queratoses actínicas
visíveis.
grande quantidade de rugas, pele frouxa,
amarelo-acinzentada, alterações de
Severo
IV pigmentação (manchas castanhas e
(60-75 anos)
brancas), queratoses actínicas e câncer de
pele.
Classificação das rugas

 Primárias- depressão linear que interrompe


a uniformidade da superfície cutânea por
diminuição da hipoderme ou atrofia da
derme

 Secundária- continuação da rugas da


primeira fase (acentua- se a profundidade)

 Terciárias – ocorrem por ptose cutânea


(perda da elasticidade e tonicidade),
flacidez (peso do tecido)
Tipos de rugas

 Linhas de expressão – acentuação


permanente das pregas normais da face
 Ex- pés de galinha

 Sulcos- secundários as alterações da derme


e hipoderme

 Ex- nasogeniano
Flacidez

 Pele - função de sustentação (fibras


colágenas, elasticas e reticulares, que
possibilitam a manutenção da
musculatura e do tegumento )

 Tecido conjuntivo – recobre a


musculatura
Etiologia

 A flacidez ocorre quando a qualidade das fibras


colágenas diminui (pela desnutrição ou
desidratação do fibroblasto ou das fibras ), ou
se forças extrínsecas (ação gravitacional, etc),
agem sobre a pele
Etiologia

 Flacidez tissular – afeta o tecido


cutâneo superficial

 Flacidez muscular – acomete a


musculatura subcutanea
Etiologia

 A grande quantidade de tecido


conjuntivo nos músculos justifica a
flacidez em indivíduos que não
praticam exercício físico

 O tecido conjuntivo dá resistência as


células musculares, age como um
elástico
Etiologia

 Se o indivíduo pára bruscamente de


fazer exercícios as fibras musculares
voltam ao tamanho original mas as
fibras conjuntivas não voltam pois a
vascularização local diminui e ela não
consegue voltar ao normal, ocorrendo
a flacidez ( o fibroblasto não trabalha
sem nutrientes)
Propriedades dos músculos

 Tônus muscular- estado de


semicontração na qual o músculo
permanece quando em repouso
(controlado pelo SNC, aumenta e
diminui conforme a intensidade de
atividades que o músculo realiza)
Propriedades dos músculos

 Hipotonia – diminuição do tônus,


flacidez
Estímulo muscular

 Vias nervosas aferentes (sensitivas)


 Vias nervosas eferentes (motoras)

 A aferente desencadeia a vontade e


leva o estímulo ao SNC, que traduz o
comando e pelo neurônio motor gera
a contração

 O aparelho de eletroestimulação
substitui o SNC
Tipos de contração

 Isometria- alta tensão no músculo,


promove contração sem alterar o
tamanho da fibra

 Isotonia- tensão mais baixa, promove


contração muscular com alteração do
tamanho da fibra (produz
movimento)

 A isometria melhora o tônus sem


Tipos de contração

 Isotonia
 Aumento de irrigação sangüínea
 Dilatação das vias linfáticas
 Revigora a musculatura
 Com gasto de energia
 Diminui o excesso de gorduras
 Isometria
 Aumento do diâmetro da fibra muscular
 Aumento no número e tamanho de
fibras
 Aumento na quantidade de proteínas
(actina/miosina)
 Aumento na circulação sangüínea
 Sem gasto calórico
 Hipertrofia muscular
Como ocorre a contração
muscular?
 É gerado pelo SNC que faz a fibra
muscular contrair

 O ponto de interligação entre a célula


muscular e a fibra nervosa é chamada
de junção neuromuscular
Como ocorre a contração
muscular?
 Para que o estímulo nervoso se
transforme em estímulo motor é
necessario a presença de
neurotransmissores liberados pelos
neuronios, ativando a fibra muscular

 O neurotransmissor fica armazenado


em vesículas nas terminações
nervosas
Como ocorre a contração
muscular?
 No instante da transmissão do
impulso o neurotransmissor é
liberado na fenda sináptica, após
cruzar esta fenda ele se fixa a
receptores da membrana celular do
músculo , na região da placa motora(
membrana receptora do estímulo) e o
impulso é conduzido através das
fibras nervosas
Como ocorre a contração
muscular?
 Devido ao potencial de excitabilidade,
qdo ocorre o estímulo o impulso é
retransmitido ao longo da membrana
celular, gerando uma onda de
propagação da corrente elétrica que
leva a célula muscular a agir, se
contraindo (sofre encurtamento e
muda formato)
Como ocorre a contração
muscular?

 Na fibra muscular esquelética há


muitas miofibrilas contráteis,
constituídas por filamentos
compostos por dois tipos principais de
proteínas – a actina e a miosina.
Como ocorre a contração
muscular?
 Filamentos de actina e miosina dispostos
regularmente originam um padrão bem
definido de estrias (faixas) transversais
alternadas, claras(actina) e escuras
(actina+miosina).

 Essa estrutura existe somente nas fibras que


constituem os músculos esqueléticos, os quais
são por isso chamados músculos estriados.
Como ocorre a contração
muscular?

 As miofibrilas são constituídas por


unidades que se repetem ao longo de
seu comprimento, denominadas
sarcômeros.
Como ocorre a contração
muscular?
Como ocorre a contração
muscular?
 As faixas mais extremas e mais claras do sarcômero,
chamadas banda I, contêm apenas filamentos de
actina.
Como ocorre a contração
muscular?
 Dentro da banda I existe uma linha que se cora mais
intensamente, denominada linha Z, que corresponde a
várias uniões entre dois filamentos de actina.
Como ocorre a contração
muscular?
 A faixa central, mais escura, é chamada banda
A, cujas extremidades são formadas por
filamentos de actina e miosina sobrepostos.

 Dentro da banda A existe uma região mediana


mais clara – a banda H – que contém apenas
miosina.
Como ocorre a contração
muscular?
Como ocorre a contração
muscular?

 Um sarcômero compreende o
segmento entre duas linhas Z
consecutivas e é a unidade contrátil
da fibra muscular, pois é a menor
porção da fibra muscular com
capacidade de contração e distensão.
Como ocorre a contração
muscular?
Como ocorre a contração
muscular?

 Contração: ocorre pelo deslizamento


dos filamentos de actina sobre os de
miosina . O sarcômero diminui
devido à aproximação das duas linhas
Z, e a zona H chega a desaparecer
Como ocorre a contração
muscular?
 Nas pontas dos filamentos de miosina existem
pequenas projeções, capazes de formar
ligações com certos sítios dos filamentos de
actina, quando o músculo é estimulado.

 Essas projeções de miosina puxam os


filamentos de actina, forçando-os a deslizar
sobre os filamentos de miosina.

 Isso leva ao encurtamento das miofibrilas e à


contração
 Na estética o aquecimento da
musculatura antes do estímulo
aumenta o aporte sanguíneo e evita
fadiga (processo anaeróbico)

 Não fazemos o condicionamento físico


da cliente, portanto não há alterações
nos batimentos cardíacos e
respiração, então temos que trabalhar
num tempo limitado, onde o músculo
O PAPEL O CÁLCIO NA
CONTRAÇÃO
 A química da contração muscular
 O impulso nervoso propaga-se pela membrana das
fibras musculares e atinge o retículo
sarcoplasmático, fazendo com que o cálcio ali
armazenado seja liberado no citoplasma.
 Ao entrar em contato com as miofibrilas, o cálcio
desbloqueia os sítios de ligação da actina e permite
que esta se ligue à miosina, iniciando a contração
muscular.
 Assim que cessa o estímulo, o cálcio é
imediatamente rebombeado para o interior do
retículo sarcoplasmático, o que faz cessar a
contração.
Aparelhos de excitação
neuromuscular
 Através da corrente farádica,exerce
estímulo neuromuscular promovendo a
contração do músculo estriado

 Hipertrofia, melhora a irrigação


sanguínea e o retorno venoso
Ação fisiológica da estimulação

 Estimulação – contração muscular – produzida


por ação de corrente elétrica e atua sobre
nervos sensitivos e motores
 Produz trocas metabólicas
 Tem ação de bombeamento sobre os vasos
linfáticos, artérias e veias inseridas nos tecidos
musculares, facilitando o retorno venoso e o
trânsito linfático, gerando aumento do volume
das fibras musculares, força e potência,
intensificando o tônus e diminuindo a flacidez
Corrente farádica

 Aumenta a irrigação sanguínea e dilatação das


veias linfáticas, aumenta a drenagem

 Revigora a musculatura, combate a flacidez

 Aumenta o tônus e a capacidade funcional do


músculo

 Relaxamento neuromuscular
Microcorrentes

 Corrente galvânica, pulsátil, sintonizada com


os níveis elétricos das trocas iônicas que
ocorrem em nível celular
 Aumenta a produção de ATP em até 500%
 Aumenta transportes entre as membranas
 Aumenta a síntese protéica
 Aumenta a oxigenação
 Envelhecimento intrínseco,
fotoenvelhecimento, flacidez tissular e
muscular
Microcorrentes

 Fotoenvelhecimento
 Cronoenvelhecimento/ flacidez
cutânea
Microcorrentes

 MENS- Micro electro neuro stimulation

 Estimulação na faixa de microamperagem com


corrente de baixa frequência

 Podem ser contínuas ou alternadas

 Seria uma corrente galvânica modificada


( pulsada)
Microcorrentes

 Subsensorial – não há excitação da


inervação periférica, não causando
desconforto
Microcorrentes

 Efeito na célula – a partir dos 25 anos há um


declínio da atividade celular por diminuição da
atividade vibracional da membrana celular, por
isso a célula perde a capacidade de captar
nutrientes, diminuindo seu metabolismo

 A microcorrente aumenta a vibração da


membrana e acelera suas trocas
Microcorrentes

 Atua aumantando a síntese de ATP (adenosina


trifosfato), forma de energia atuante em todas
as células

 Aumenta a síntese de proteínas locais


( colágeno e elastina)

 Aumenta a mobilização de líquidos acelerando


a absorção de fluídos no espaço intersticial
Microcorrentes

 Indicações – acne, pós operatório, flacidez


tissular, pós peeling, cicatrização, aumento da
permeação de ativos, rugas.

 Flacidez musculocutânea, calmante, sedativa,


antinflamatória, diminui fibroses

 Contra indicações – alergias, gestantes, marca


passo, neoplasias, próteses, diabetes
descompenssado, hipo/hipertenso
descompenssado, lesões cutâneas, epilepsia
Lifting cutâneo

 Hidratação, nutrição, tonificação muscular +


microcorrentes

 Flacidez – sinal de involução cutânea

 Diminui espessura da pele

 Diminuição dos componentes dérmicos

 Diminuição do tônus muscular


 O estimulo eletrico consegue que todas as
unidades motoras em um musculo se
contraiam de forma sincronizada (maior
hipertrofia que na contração voluntaria)

 Maior volume das fibras musculares

 Aumento de proteinas (actina e miosina)


colageno da aponeurose, aumento da
circulação, estimulo das mitocondrias, maior
força muscular, melhora flacidez
 É necessario ir aumentando a intensidade pois
o músculo se adapta

 10 a 30 minutos- dias alternados, 20 sessões


Envelhecimento cutâneo

 Tratamento do envelhecimento- FPS,


retinóides, AHAs, BHAs,
polihidróxiácidos, vitaminas, ARL,
tensores, firmantes, etc

 Técnicas de estética- microcorrentes,


massofilaxia, drenagem,
eletroestimulação, etc
Tratamentos estéticos

 Variam na intensidade das correntes


ou na profundidade de atuação dos
ativos regeneradores utilizados
Ativos firmantes

 DMAE
 Matrixyl
 Hidroxiprolisilane
 Raffermine
 Isoflavonas
 Coheliss
 Silício
 Fatores de crescimento, etc
Crioterapia

 Promove sensação de frio no


organismo
 Gordura localizada, flacidez tissular
 Ativa o catabolismo de adipócitos
(ocorre queima de gordura para
elevar a temperatura local)
 Bandagens, loções, géis
Crioterapia

 Reduz a temperatura para


aproximandamente 30º C, por
evaporação
 Estimula a Termogênese
 A vasoconstrição estimula o SNC que
por mecanismos neurohormonais
provoca vasodilatação e consumo de
energia com o objetivo de elevar a
temp. local
Crioterapia

 C.I – renais, problemas cardíacos,


circulatórios, artrites, afecções
cutâneas, HLDG pura, sensibilidade
ao frio
 Não colocar sobre os seios, rins, e no
período pré menstrual
 10-20 aplicações em dias alternados
Crioterapia

 Higienizar, aplicar fina camada do


produto, aguardar 5 minutos, aplicar
mais uma camada e deixar agir por
25 minutos até evaporação
 Evitar banhos por 2 horas
 Aplicar localmente, nunca em áreas
amplas
Gessoterapia

 Faixas de gesso ou máscaras


gessadas
 Oclusão da região para melhor
permeabilidade e modelagem corporal
 Diminuição de edema (perda de
medidas imediata pela sudorese)
 Coloco substâncias ativas por baixo

Você também pode gostar