Você está na página 1de 89

PANORAMA

DO ANTIGO
TESTAMENTO
AULA - 01
Para pensar...

 Você acredita que o


Antigo Testamento tem
alguma importância para
nós HOJE?
Para pensar...

 Por que será que


poucas pessoas pregam
no Antigo Testamento
HOJE?
Para pensar...

 Qual foi a última vez


que você ouviu uma
mensagem no Antigo
Testamento?
Introdução:
 O Panorama Bíblico do Antigo Testamento
é uma forma de vermos a Bíblia de modo
geral através dos acontecimentos nela
relatados.
Propósito da disciplina
 O assunto sobre a “VISÃO
PANORÂMICA DA BÍBLIA” tem a
finalidade de ser um guia de estudo
para a própria Bíblia.
CÂNON DO ANTIGO
TESTAMENTO
Definição:
 Cânon ou escrituras canônicas é a
coleção completa dos livros divinamente
inspirados, que constituem a Bíblia.

 Cânon é palavra grega, e significa,


literalmente, "vara reta de medir", assim
como uma régua de carpinteiro.
Definição:
 No Antigo Testamento, o termo aparece no
original em passagens como Ezequiel:

 “Vi um muro exterior que


rodeava toda a casa e, na mão
do homem, uma cana de medir, de
seis côvados, cada um dos quais
tinha um côvado e um palmo; ele
mediu a largura do edifício,
uma cana, e a altura, uma cana”
Definição:
 No sentido religioso, cânon não significa
aquilo que mede, mas aquilo que serve
de norma, regra.

 Neste sentido, a palavra cânon aparece


no original em vários lugares do Novo
Testamento:

E a todos quantos
andarem de conformidade
com esta regra, paz e
misericórdia sejam
sobre eles e sobre o
Israel de Deus (Gl
6:16).

Nós, porém, não nos
gloriaremos sem medida,
mas respeitamos o limite
da esfera de ação que
Deus nos demarcou e que
se estende até vós (2Co
10:13).

Não nos gloriando fora de
medida nos trabalhos
alheios, e tendo esperança
de que, crescendo a vossa
fé, seremos sobremaneira
engrandecidos entre vós,
dentro da nossa esfera de
ação (2Co 10:15).
Definição:
 A Bíblia, como o Cânon Sagrado, “é a
nossa norma ou regra de fé e prática”.
E quando dizemos que os livros da Bíblia
são CANÔNICOS é para diferençá-los
dos APÓCRIFOS.
Definição:

 O emprego do termo
CÂNON foi primeiramente
aplicado aos livros da
Bíblia por ORÍGENES
(185-254 d.C.)
O CÂNON
JUDAICO
 Na época patriarcal, ou seja, no período
do Antigo Testamento, a REVELAÇÃO
DIVINA era transmitida ESCRITA e
ORALMENTE.
 O Cânon do Antigo Testamento, como o
temos atualmente, ficou completo desde
o tempo de Esdras, após 445 a.C.
 O Cânon dos Judeus, tem ele três
divisões, as quais Jesus citou em Lucas:
“A seguir, Jesus lhes
PROFE
LEI TAS
disse: São estas
palavras que eu vos falei,
as

estando ainda convosco:


ESCRI importava se cumprisse
tudo o que de mim está
TOS escrito na Lei de Moisés,
nos Profetas e nos
LEI PROFETAS ESCRITOS
Gênesis PROFETAS ANTERIORES Livros poéticos
Êxodo Josué Salmos
Levítico Juízes Provérbios
Números 1, 2 Samuel Jó
Deuteronômio 1, 2 Reis OS CINCOS ROLOS
PROFETAS POSTERIORES Cantares
Isaías Rute
Jerimias Lamentações
Ezequiel Eclesiastes

OS DOZE PROFETAS MENORES Ester

LIVROS HISTÓRICOS
Daniel
Esdras-Neemias
Crônicas
OS LIVROS
APÓCRIFOS
 A palavra "APÓCRIFO" significa,
literalmente, "escondido", "oculto",
isto em referência a livros que
tratavam de coisas secretas,
misteriosas, ocultas.
 No sentido religioso, o
termo significa "não
genuíno", "espúrio",
desde sua aplicação
por Jerônimo.
 Os apócrifos foram escritos entre
Malaquias e Mateus, ou seja, entre o
Antigo e o Novo Testamento, numa
época em que cessara por completo
a revelação divina.
AS RAZÕES PORQUE OS
LIVROS APÓCRIFOS NÃO
SÃO CONSIDERADOS
INSPIRADOS:
 Primeiro, eles não foram reconhecidos
pelos judeus como parte do cânon
hebraico;

 Segundo, eles não foram citados por


Jesus no Novo Testamento;
 Terceiro, eles não foram reconhecidos
pela igreja primitiva;

 Quarto, eles não foram aceitos pelos pais


da igreja.
O CÂNON CATÓLICO
APOSTÓLICO ROMANO
 Nas Bíblias de edição da Igreja Romana, o
total de livros é 73, porque essa igreja, desde
o Concilio de Trento, em 1546, incluiu no
cânon do Antigo Testamento 7 livros
apócrifos, além de 4 acréscimos ou
apêndices a livros canônicos, acrescentando,
assim, ao todo, 11 escritos apócrifos.
O CÂNON
PROTESTANTE
INTRODUÇÃO
AO PENTATEUCO
TEOLOGIA
BÍBLICA
Um ponto de convergência
Cristo e sua obra de
redenção da humanidade

Apóstolos do NT
Profetas do VT

O registro da profecia de Deus para a humanidade: as escrituras


Interpretação bíblica
Esboço
 O que é o Pentateuco?
 Do que trata o Pentateuco?
 Quais são os principais temas do
Pentateuco?
 Quem escreveu o Pentateuco?
O que é o
Pentateuco?
O que é o Pentateuco?
 O termo “Pentateuco” refere-se aos primeiros
cinco livros da Bíblia (do grego pente, cinco e
teuchos, rolos).

 Há evidencias bíblicas que confirmam a ideia


de que Genesis, Êxodo, Levítico, Números
e Deuteronômio juntos, formam uma unidade
literária.
O que é o Pentateuco?
 O Antigo Testamento provavelmente refere-se ao
Pentateuco quando usa frases como “livro da lei de
Moises” (2Rs 14:6) ou “livro da lei” (Js 1:8), enquanto o
Novo Testamento refere-se a esses livros como “Lei”
na expressão “a lei e os profetas” (Lc 16:16).

 Portanto, não devemos necessariamente ver o


Pentateuco como cinco livros separados. Talvez o
tamanho limitado dos rolos antigos necessitasse a
divisão em um formato com cinco livros.
Do que trata o
Pentateuco?
 O Pentateuco é, basicamente, a história do
povo de Deus, a nação de Israel. Ele explica
de onde veio essa nação, como Deus a
salvou da extinção e as lutas de seu
relacionamento com Deus.
“O Pentateuco não é
simplesmente uma
“história” de Israel.
 O Pentateuco não é só um documento
com a finalidade de nos oferecer
informações importantes e verdadeiras,
mas também tem o objetivo de fortalecer
a nossa fé.
 A princípio, ele foi elaborado para
encorajar os israelitas a acreditar e
confiar em Deus por causa do
relacionamento de fidelidade entre ele e
os ancestrais desse povo.
 Assim, sem apresentar uma completa
“história de Israel”, ele coloca as ações de
Deus e de Israel dentro da História.

 Por mais de dois milênios, aqueles que creem


encontraram importantes verdades históricas,
religiosas e teológicas nesses livros.
Quais são os
principais temas do
Pentateuco?
 Soberania de Deus

 O Pentateuco se inicia dando ênfase a soberania de Deus.


A historia da criação israelita (Gn 1,2) e diferente das
historias da criação de outras culturas do antigo Oriente
Próximo.

 Enquanto outros povos especulavam sobre a origem das


divindades, Genesis parte do pressuposto de que Deus
sempre existiu e é eterno.
 História

 Um segundo tema predominante no Pentateuco é a importância da


História. Ao contrário dos escritos de certas religiões (Confucionismo,
Budismo, etc.), a religião do Antigo Testamento atribuiu significado
especial à História desde o princípio.

 Outras religiões do antigo Oriente expressavam sua teologia em


termos de mitos, nos quais os acontecimentos importantes ocorriam
além do tempo e do espaço. Mas no Antigo Testamento, Deus criou a
História e trabalhou por meio de seus acontecimentos. Isto torna-se
mais evidente na singular narrativa israelita da criação.
 A condição da humanidade decaída

 Um terceiro tema importante do Pentateuco é sua


avaliação sistemática da condição humana. A mensagem é
dolorosamente simples: a humanidade é decaída.

 Deus fez Adão e Eva como o ponto alto de sua criação


perfeita. Eles estavam em paz com Deus, tinham livre
acesso à sua presença e gozavam do seu favor.

Continua.....
 Eles também estavam em paz com a criação ao seu redor
e podiam aproveitar de sua riqueza e plenitude perfeitas.
Esse retrato do paraíso é a definição bíblica de shalom,
“paz”. Shalom significa mais que a ausência de conflito.

 Refere-se a uma vida na qual totalidade e bem-estar estão


presentes. A paz-shalom está presente quando Deus não é
impedido pelo pecado humano e tem liberdade de dar
significado a uma existência que, de outra forma, seria
insignificante.
 Salvação

 O quarto tema principal do Pentateuco é a salvação. Ela não é


apenas uma doutrina do Novo Testamento. O Pentateuco relata a
salvação de Deus na forma de História. O amor e a graça de Deus o
levaram a tomar determinados passos para remediar o dilema
humano.

 Os acontecimentos mais importantes dessa história (o chamado de


Abraão, o chamado de Moisés, as pragas do Egito, a aliança, etc.)
demonstram seu amor e graça e a redenção é o que amarra todos
esses acontecimentos formando uma unidade.
 Santidade

 A ênfase do Pentateuco sobre a graça soberana de


Deus na redenção nos leva naturalmente ao quinto
tema principal. A única resposta apropriada do ser
humano para a graça e o amor de Deus é a santidade
pessoal.

Continua...
 Assim, o Pentateuco enfatiza fortemente o conceito de
santidade. O Deus soberano é supremo em seu caráter
moral. Quando ele traz o seu povo para perto de si, ele
os convida a imitar o seu caráter (Lv 11.44).

 Ele tirou Israel do Egito e os fez seu próprio povo. Mas


ele esperava que seu novo relacionamento com ele
trouxesse mudanças de conduta para sempre. A
santidade é a apropriação humana da graça de Deus.
Quem escreveu o
Pentateuco?
 Autoria e consenso tradicional

 O Pentateuco contém várias citações sobre a


composição de algumas de suas partes. Há duas
referências claras a Moisés como sendo o autor de
Êxodo 20-23, que é conhecido como “Livro da
Aliança” (Êx 24.4,7).

Continua...
 O texto também afirma que Moisés escreveu os Dez
Mandamentos sob a orientação do Senhor (Ex 34.27).
Diz-se ainda que pelo menos dois outros incidentes
foram preservados pela escrita de Moisés (Ex 17.14;
Nm 33.2). Há também referências claras de que Moisés
é o autor de partes do livro de Deuteronômio
(Dt31.9,19,22,24).
AS ÊNFASES NO
PENTATEUCO
A ÊNFASE DA PESSOA DE DEUS

 GÊNESIS: Soberania de Deus sobre a criação, o


homem e as nações.
 ÊXODO: Poder de Deus para julgar o pecado e redimir
seu povo.
 LEVÍTICO: Santidade e provisão de Deus para uma
vida santa.
 NÚMEROS: Benevolência e severidade de Deus ao
disciplinar seu povo.
 DEUTERONÔMIO: Fidelidade de Deus ao cumprir
suas promessas.
A ÊNFASE NO ESTABELECIMENTO DO REINO DE DEUS

 GÊNESIS: Necessidade e preparação do regulamento do


reino de Deus.

 ÊXODO: Inauguração e legislação do reino.



 LEVÍTICO: Organização espiritual do reino.

 NÚMEROS: Organização política do reino.

 DEUTERONÔMIO: Reorganização do reino para a vida em


Canaã.
TEMA DO LIVRO DE GÊNESIS:

 Este livro é bem definido pelo seu título,


Gênesis, que significa “princípio”, porque
é a história do princípio de todas as
coisas — o princípio do céu e da terra, o
princípio de todas as formas de vida e de
todas as instituições e relações humanas.
TEMA DO LIVRO DE GÊNESIS:

 Tem sido chamado o “viveiro” das


gerações da Bíblia pelo fato de nele se
encontrarem todos os começos de todas
as grandes doutrinas referentes a Deus,
ao homem, ao pecado e à salvação.
ESBOÇO DE GÊNESIS:

 História do princípio (Gn 1-11);


 As narrativas patriarcais (Gn 12-50).
Introdução:

▸O nome Gênesis significa “começo,


origem, ou criação”. Portanto, o
pensamento principal é a criação. E
devemos estuda-lo visando descobrir todas
as coisas cuja começo está nesse
registrado.
Como:
▸a) Começo do mundo criado por Deus;
▸b) Começo do homem criado por Deus;
▸c) Começo do pecado que entrou no
mundo através do desobediência do
homem;
Como:
▸d) Começo da redenção, vista nas
promessas e tipos de livros e na família
escolhida;
▸e) Começo da condenação, vista a
destruição e punição dos indivíduos,
cidades e o mundo.
▸Apesar do livro de Gênesis ser o livro da
criação, precisamos nutrir uma ótica correta
dele, onde o ponto central do livro não é a
criação, mas o criador. Deus é o sujeito da
ação. “No principio Deus criou”....
A importância de
gênesis para a
ciência
▸Gênesis não é um livro cientifico e não se
preocupa em explicar assuntos como:
Geologia, Biologia, Botânica, Astrologia,
Arqueologia ou Antropologia.
▸A ciência não surge através de revelação,
mas através da observação, pesquisas,
combinação, conclusão e, desta forma,
gênesis deixa livre o campo de ciência
infinito para pesquisa. Fornece base para
pesquisa cientifica.
Como:

▸a) Existiu um começo;


▸b) As coisas não surgiu por acaso;
▸c) Há um criador que se interessa e
continua controlando o universo;
Como:

▸d) Houve um avanço ordeiro na criação;


▸e) Tudo mais veio existir para o homem
que é a coroação da obra da criação.
Analise de Gênesis
▸A narrativa de Gênesis apresenta duas
partes básicas: uma "pré-história" (caps.
1-11), que consiste nas histórias da
Criação, da origem dos seres humanos, da
Queda da humanidade e do progresso
implacável do mal - tudo isso tendo como
fundo a paciência e o amor incansáveis de
Deus.
▸E a história do início da redenção por
meio de Abraão e sua descendência
(caps.12-50), o foco estando nas histórias
de Abraão (11.27-25.11), de Jacó (25.12-
37.1) e de José (caps. 37-50).
Esboço 2:

▸1) A História da Criação – caps. 1 a 11


▸2) A História dos Patriarcas – caps. 12-36
▸3) A Família Eleita – caps. 37-50
A QUEDA DO
HOMEM
A QUEDA DO HOMEM
▸1) A POSSIBILIDADE DE TENTAÇÃO:
▸A árvore da ciência do bem e do mal foi
posta no jardim a fim de que o homem
fosse experimentado e aprendesse a servir
a Deus por sua livre vontade.
A QUEDA DO HOMEM
▸2) O AUTOR DA TENTAÇÃO:
▸A serpente representa “a grande
serpente, o Diabo” e é também um seu
agente.
A QUEDA DO HOMEM
▸3) A SUTILEZA DA TENTAÇÃO:
▸A serpente conseguiu pôr uma dúvida
na mente de Eva.
A QUEDA DO HOMEM
▸4. ÊXITO DA TENTAÇÃO:
▸Adão e Eva desobedeceram a Deus e
tornaram-se conscientes de culpa.
A QUEDA DO HOMEM
▸5) O PRIMEIRO JUÍZO:
▸a) Sobre a serpente: degradação.
▸b) Sobre a mulher: dor e submissão
ao homem.
A QUEDA DO HOMEM
▸c) Sobre o homem: trabalho árduo até a
sua morte, num solo cheio de espinhos.
▸d) Sobre o homem e seus
descendentes: exclusão da árvore da vida
no paraíso de Deus.
O diluvio
O diluvio

▸1) 0 dilúvio demonstra o ódio que Deus


tem pelo pecado e a certeza do julgamento
divino sobre ele.
▸2) O fato de Deus ter dado 120 anos para
as pessoas se arrependerem antes do
julgamento demonstra sua paciência ao
lidar com o pecado.
O diluvio

▸3) O fato de Deus poupar uma família


demonstra a sua graça salvadora.
▸4) O dilúvio revela o domínio de Deus
sobre a natureza e sobre a humanidade.