Você está na página 1de 16

DEFINIÇÕES

• Uma ESCOLA LITERÁRIA é composta por


um conjunto de obras e autores com
semelhanças estilísticas e temáticas que
predominam durante um determinado espaço
de tempo.
• O termo ESCOLA LITERÁRIA é equivalente
a ESTILO LITERÁRIO ou ESTILO DE
ÉPOCA.
SOBRE AS ESCOLAS
LITERÁRIAS
As escolas literárias são como as ondas do mar, feitas de
altos e baixos. Os ápices destes movimentos se alteram por
duas diferentes linhas de pensamento e estilo. São elas:
• A linha DIONISÍACA (derivada do nome Dionísio, deus
grego do vinho e da emoção): As escolas literárias que se
encontram nesta linha têm como características a emoção,
o lirismo, o subjetivismo.
• A linha APOLÍNEA (derivada do nome Apolo, deus da
razão): As escolas literárias que se encontram nesta linha
têm como características o equilíbrio, a lucidez, o
objetivismo.
OBSERVAÇÃO:A partir do Modernismo acontece um
desequilíbrio nessa frequência uniforme. A razão e a emoção se
abraçam. A poesia e os poetas encontram a real liberdade de
criação. Não existirá desde então, uma escola vigente ou regente
de tendências. É o encontro do velho com o novo. Sem fórmulas,
leis ou teoremas de como se fazer versos. Apenas poetizar.
CONTEXTO LITERÁRIO
Qualquer obra literária traz em si marcas do
contexto em que foi produzida, como:
 Ideologia dominante no período
 Realidade social do período
 Realidade política do período
 Realidade econômica do período
 Cultura dominante no período
PERÍODO LITERÁRIO
Na literatura de língua portuguesa (Portugal e
Brasil), existem três grandes períodos literários:
• PERÍODO MEDIEVAL: SÓ PORTUGAL
• PERÍODO CLÁSSICO:PORTUGAL E
BRASIL
• PERÍODO MODERNO: PORTUGAL E
BRASIL
PERÍODO ou ERA MEDIEVAL
Período que vai do séc. XII (data dos mais antigos
textos literários em português) até o início do
Renascimento no séc. XV.

Compreende duas escolas literárias:


TROVADORISMO: séc. XII a séc. XIV
HUMANISMO: séc. XV
ERA MEDIEVAL
CARACTERÍSTICAS

 Teocentrismo
 Feudalismo
 Descentralização política
 Misticismo
 Irracionalismo
PERÍODO ou ERA CLÁSSICA
Período que vai do séc. XVI quando ocorre o
Renascimento até a queda das monarquias
absolutistas no final do séc. XVIII.
Compreende três escolas literárias:
CLASSICISMO: séc. XVI
BARROCO: séc. XVII
ARCADISMO ou NEOCLASSICISMO: séc.
XVIII
ERA CLÁSSICA
CARACTERÍSTICAS

Antropocentrismo
Mercantilismo
Absolutismo monárquico
Cientificismo
Racionalismo
Reforma e Contra Reforma
PERÍODO ou ERA MODERNA

Período que começa com a


ascensão da Burguesia no
final do séc. XVIII e se
estende até os DIAS
ATUAIS.
PERÍODO ou ERA MODERNA
Compreende as seguintes escolas literárias:
 ROMANTISMO: séc. XIX (1ª metade)
 REALISMO/NATURALISMO: séc. XIX (2ªmetade)
 PARNASIANISMO: (Brasil) séc. XIX (2ªmetade
 SIMBOLISMO: séc. XIX (final)
 PRÉ-MODERNISMO: (Brasil) séc. XX (início)
 MODERNISMO: ( 1ª, 2ª e 3ª gerações) séc. XX
 LITERATURA CONTEMPORÂNEA: + -1960 ...
ERA MODERNA
CARACTERÍSTICAS
Revoluções Francesa e Industrial
Queda da Monarquia
Ascensão da Burguesia
Individualismo
Visão comercial da arte
Ruptura e experimentação artística
Psicanálise
Investigação existencial
ESCOLAS LITERÁRIAS
ERA MEDIEVAL ERA CLÁSSICA ERA MODERNA
R
E
R
V ROMANTISMO séc. XIX
TROVADORISMO E
I (1ª metade)
séc. XII a N CLASSICISMO N REALISMO
D
NATURALISMO
séc. XIV A séc. XVI U
S
T
PARNASIANISMO
S
R séc. XIX (2ª metade)
C BARROCO I
A SIMBOLISMO
I séc. XVII L séc. XIX (final)
M
/ PRÉ-MODERNISMO
HUMANISMO séc. XX (início)
E ARCADISMO F
R MODERNISMO séc. XX
séc. XV N séc. XVIII A
1ª fase:1922/ 1930
N
C
T
E
2ª fase: 1930/1945
O
S 3ª fase:1945/ ????
A
Cronologia e características dos movimentos literários
Estilo Portugal Brasil Características

1189/1198 Cantigas de Amor: sofrimento, idealização, eu lírico


A Ribeirinha masculino, ambiente da Corte, dama inacessível, caráter
Paio Soares de Taveirós análítico-descursivo.
Trovadorismo

Gêneros: cantigas (poesia), Cantigas de Amigo: eu lírico feminino, confessional,


novelas de cavalaria, nobiliários, - ambiente popular, paixão incorrespondida, realista,
hagiografias. narrativo-descritiva.
Cantigas de Escárnio e Maldizer: críticas indiretas ou
diretas de pessoas ou fatos de uma época. Rica fonte de
documentação.

1418 Teatro: em poesia, versa sobre assuntos profanos ou


Humanismo

Fernão Lopes, guarda-mor da religiosos; carpintaria teatral rudimentar; ausência de


Torre do Tombo. regras; sem unidade de ação, tempo e espaço.
Gêneros: historiografia, teatro - Aspectos críticos de uma sociedade em transição.
popular, prosa doutrinária.
Gil Vicente (teatro)

1527 1500 (Quinhentismo) Valorização do homem (antropocentrismo); paganismo


Sá de Miranda 1º Documento escrito em terras (maravilhoso pagão); superioridade do homem sobre a
Quinhentismo
Classicismo

Introdução da medida nova. brasileiras: Carta a D. Manuel. natureza; objetividade; racionalismo; universalidade; saber
Gêneros: poesia lírica, épica, Gêneros: poesia lírica e épica, concreto em detrimento do abstrato; retomada dos valores
teatro e crônicas. teatro e crônicas. greco-romanos; rigor métrico, rímico e estrófico: equilíbrio e
Camões (poesia) Pero Vaz de Caminha harmonia.
José de Anchieta

1580 1601 Arte dos contrastes: antinomia homem - céu, homem -


Morte de Camões Bento Teixeira: publicação de terra; visualização e plasticidade; fugacidade; não-
Portugal sob o domínio espanhol. Prosopopéia racionalismo; unidade e abertura (perspectivas múltiplas
Gêneros: oratória sacra, política e Pe. Antônio Vieira (oratória) para o observador); luta entre o profano e o sagrado. Culto
social; Gregório de Matos (poesia) a elementos evanescentes (água/vento). Sentido de
poesia religiosa, satírica e lírico- transitoriedade da vida; carpe diem (aproveitar o momento);
amorosa. valorização do presente, movimento ligado ao espírito da
Barroco

Pe. Antônio Vieira Contra - Reforma; jogos de metáforas; riqueza de imagens;


(oratória) gosto pelo pormenor; malabarismo verbal – uso de
hipérbato, hipérbole, metáforas e antíteses.

1756 1768 Arte do equilíbrio e harmonia; busca do racional, do


Fundação da Arcádia Lusitana. Cláudio Manuel da Costa: verdadeiro e da natureza; retorno às concepções de beleza
Gênero: poesia Obras Poéticas do Renascimento; poesia objetiva e descritiva; áureas
Bocage (poesia) Cláudio Manuel da Costa, mediocritas: o objetivo arcádico de uma vida serena e
Arcadismo

Tomás Antônio Gonzaga (poesia bucólica; pastoralismo; valorização da mitologia; técnica da


lírica e épica) simplicidade. Literatura linear e regrada: inutilia truncat
Basílio da Gama e Santa Rita (cortar o inútil).
Durão (poesia épica)
Cronologia e características dos movimentos literários

Estilo Portugal Brasil Características

1825 1836 1ª Geração: nacionalismo, ufanismo, natureza, religião,


Almeida Garrett Gonçalves de Magalhães indianismo/medievalismo.
Publicação do poema Camões Publicação de Suspiros Poéticos 2ª Geração: mal do século, evasão, solidão, profundo
Gêneros: prosa (romance e e Saudades pessimismo, anseio da morte.
novela) Poesia: Gonçalves Dias, Álvares 3ª Geração: condoreirismo, liberdade, oratória de
poesia e teatro. de Azevedo, Casimiro de Abreu, reivindicação, transição para o Parnasianismo, literatura
Castro Alves. social e engajada.
Prosa: (urbanos) Alencar, Geral: imaginação, fantasia, sonho, idealização,
Romantismo

Joaquim Manuel de Macedo, sonoridade, simplicidade, subjetivismo, sintaxe emotiva,


Manuel Antônio de Almeida; liberdade criadora.
(regionalistas) Alencar, Bernardo
Guimarães, Taunay; (indianista-
histórico) Alencar

1865 1881 Realismo: preocupação com a verdade exata, observação e


Questão Coimbrã: Antero de Machado de Assis análise, personagens tipificadas, preferência pelas
Quental contra Castilho (Novos x Publicação de Memórias camadas altas da sociedade. Objetividade. Descrições
Velhos) Póstumas de Brás Cubas/ pormenorizadas. Linguagem correta, no entanto é mais
Gêneros: prosa (romance, conto, Realismo próxima da natural, maior interesse pela caracterização que
crônica), poesia, crítica. Aluísio de Azevedo pela ação – tese documental.
Realismo/ Parnasianismo/

Prosa: Eça de Queirós Publicação de O Mulato/ Naturalismo: visão determinista do homem (animal, presa
Naturalismo de forças fatais e superiores – meio, herança genética,
Década de 80 fisiologia, momento). Tendência para análise dos deslizes
Definição do ideário parnasiano. de personalidade. Deturpações psíquicas e físicas.
Poesia: Antero de Quental, Prosa: Machado de Assis, Preferência pela classe operária. Patologia social: miséria,
Naturalismo

Cesário Verde, Guerra Junqueiro. Aluísio Azevedo, Raul Pompéia adultério, criminalidade, etc – tese experimental.
Poesia: Olavo Bilac, Alberto de Parnasianismo: arte pela arte, objetividade, poesia
Oliveira, Raimundo Correia, descritiva, versos impassíveis, exatidão e economia de
Vicente de Carvalho. imagens e metáforas, poesia técnica e formal, retomada de
valores clássicos, apego à mitologia greco-romana.

1890 1893 Simbolismo: reação contra o positivismo, o Naturalismo e o


Eugênio de Castro Cruz e Sousa Parnasianismo; individualismo, subjetivismo psicológico,
Simbolismo

Publicação de Oaristos Publicação de Missal (prosa atitude irracional e mística, respeito pela música, atitude
Gêneros: poema e prosa. poética) e Broquéis (poesia). irracional e mística, respeito pela música, cor, luz; procura
Poesia: Camilo Pessanha Poesia: Cruz e Sousa e das possibilidades do léxico.
Alphonsus de Guimaraens,
Pedro Kilkerry, Emiliano Perneta.