Você está na página 1de 21

CCE0170: ENGENHARIA DE RESERVATÓRIO I

Aula X: Propriedades Misturas Líquidas Hidrocarbonetos


Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Apresentação do Conteúdo da Aula

1. Propriedades das misturas líquidas de hidrocarbonetos.


• Propriedades pseudocriticas
• Massa especifica
• Densidade
• Compressibilidade isotérmica
• Viscosidade
• Fator de Formação do óleo e de duas fases
• Solubilidade.

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Misturas Líquidas de Hidrocarbonetos

Características das misturas de hidrocarbonetos

• A mistura de hidrocarbonetos apresenta muitas variações de composição, das suas propriedades


físicas desde sua condição no reservatório até os tanques de superfície e mesmo durante o
processo de tratamento primário.

• Os fluídos que permanecem no reservatório também sofrem variações com e as quedas de


pressão e temperatura , esta última em geral considerada desprezível .

• Conhecer essas alterações tanto no reservatório como na superfície são importantes para prever o
comportamento durante a vida produtiva do reservatório.

• Amostras colhidas no reservatório passam por analise PVT fornecendo dados sobre pressão de
bolha, fatores volume de formação do gás , dó óleo ; viscosidade, razão de solubilidade , etc.

• As propriedades de uma mistura são determinadas a partir das propriedades dos componentes .

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Propriedades das misturas líquidas

Propriedades pseudocriticas
Quando a composição da mistura é
desconhecida suas propriedades críticas
podem ser determinadas correlacionando –se
:
• A figura ao lado permite estimar as
pressões e temperaturas
pseudocriticas para óleo subsaturado
, em função da densidade medida a
60º.F
Figura 1.29 reproduzido da de A J Rosa
op.cit em “saiba mais”

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Propriedades das misturas líquidas

Propriedades pseudocriticas
Quando a composição da mistura é
desconhecida suas propriedades
pseudocriticas podem ser determinadas
correlacionando-se com a massa molecular.
A figura ao lado permite estimar as
propriedades críticas ou pseudocriticas das
frações C ₇₊ em função da fração da massa
molecular e da densidade 60º.F/60º.F do
C ₇₊

Figura 1.30 reproduzida de A J Rosa op.cit. em “saiba mais”

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Propriedades das misturas líquidas
Massa Específica de uma mistura líquida é definida pela relação:
𝑚
𝜌=
𝑉

𝑉
o volume específico 𝑣=
𝑚

1
A massa especifico é inverso do volume específico 𝜌 =
𝑣

A massa específica do óleo nas condições do reservatório 𝜌ₒ rc pode ser calculada a partir da massa
específica de superfície 𝜌ₒ :

𝜌ₒ rc 𝐵ₒ=𝜌ₒ +𝑅s 𝜌g
Essa massa de óleo é útil para construir gradiente do óleo e interação pressão-profundidade

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Propriedades das misturas líquidas

Massa Específica nas condições padrão.

A composição química da mistura´ sendo


conhecida , seu volume específico v a partir dos
volumes ocupados por cada componente i
𝑓𝑟𝑎çã𝑜 𝑚𝑜𝑙𝑎𝑟 𝑖
v = σ𝑛𝑖
𝑖=1 𝑉𝑖 ; sendo Vi = 𝑉𝑖

Quando a mistura contem metano e/ou etano se


deve incialmente calcular a massa específica do
sistema considerando-se os componentes C₃₊, e
estimar a massa específica do sistema através do
ábaco reproduzido na

Figura 1.31 reproduzida de A J Rosa op.cit. em


”saiba mais”

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Propriedades das misturas líquidas

Massa Específica nas condições maior ou igual a


pressão de bolha.

A pós a determinação da massa específica da mistura


nas condições padrão , a transformação para outra
condição de pressão e temperatura do reservatório ,
esta resolvida usando-se o ábaco correspondente.

Para o efeito da pressão o gráfico ao lado

Para o efeito da temperatura o gráfico é da Figura


ao lado.

Figura 1.32 de A J Rosa


op.cit em “ saiba mais” .

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Propriedades das misturas líquidas

Massa Específica nas condições maior ou igual a


pressão de bolha.

Não sendo conhecida a composição da mistura e


dispondo-se das densidade das fases : gasosa e
líquida, nas condições padrão , pode ser estimada a
massa específica aparente do gás quando liquefeito e
dissolvido no óleo

A figura 1.34 reproduzida ao lado de A J Rosa


op.cit em ”saiba mais” .

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Propriedades das misturas líquidas

Densidade da mistura líquida dₒ em relação à agua ( massa específica 𝜌w) para


condição de temperatura padrão (4⁰C) quando sua massa específica é = 1 e, a massa
específica da mistura está a 20°C ; no Brasil chamada densidade legal,
𝜌ₒ
dₒ= 𝜌𝑤
ANP estabelece que a Temperatura do liquido seja 20ºC
𝑚𝑎𝑠𝑠𝑎 𝑑𝑜 𝑣𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒 𝑑𝑜 𝑙𝑖𝑞𝑢𝑖𝑜𝑑𝑜 𝑎20𝐶
d²⁰₂₀ = 𝑚𝑎𝑠𝑠𝑎 𝑑𝑜𝑚𝑒𝑠𝑚𝑜 𝑣𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒 𝑎𝑔𝑢𝑎 𝑎20.𝐶

A densidade do líquido pode ser expressa em graus API função hiperbólica da densidade
141,5
°API= - 131,5
𝑑

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Propriedades das misturas líquidas

Compressibilidade Isotérmica
Preferencialmente obtida pela analise de PVT
Na ausência a estimativa do coeficiente de
compressibilidade através em função da sua
densidade na pressão de bolha. Figura ao lado.
Também a compressibilidade do óleo pode ser
estimada pela relação seguinte; sendo Cpr
compressibilidade pseudoreduzida.
𝐶𝑝𝑟
𝐶ₒ = Figura 1.35 reproduzida de A J Rosa el al
𝑃𝑝𝑐
op.cit. em “saiba mais”
.

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Propriedades das misturas líquidas

Compressibilidade Isotérmica (continuação,)

• Outros ábacos permite obter essa


compressibilidade de óleo subsaturado
pseudoreduzidas a partir das pressão reduzidas
a dadas temperaturas reduzida .

• Vide figura 1.36 ao lado reproduzida de A J Rosa


op.cit. Em “saiba mais”

Figura 1.36 reproduzida de A J Rosa el al


op.cit. em “saiba mais”

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Propriedades das misturas Liquidas

Líquido de Compressibilidade Constante


• A equação de estado para os líquidos e que representa o comportamento da densidade ou massa
especifica em função da pressão é da compressibilidade isotérmica ; no caso de ser essa
compressibilidade constante:
𝜌 = 𝜌 ₒ𝑒 𝑐(𝑝−𝑝ₒ)

Líquido de compressibilidade constante é pequena


• No caso de ser essa compressibilidade constante é pequena, a expressão a ser usada :
𝜌 = 𝜌ₒ 1 + 𝑐(𝑝 − 𝑝ₒ)

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Propriedades das misturas líquidas

Viscosidade
• É afetada pelas variações de pressão e temperatura;
decresce com a temperatura e cresce com a pressão; e
nos hidrocarbonetos ela também decresce com
aumento do gás em solução; na expressão abaixo x e 𝜇
são fração molar e viscosidade de cada componente i

• 𝜇 = σ𝑛𝑐
𝑖=1 𝑥 𝜇i

• Através de gráficos pode estimar-se a viscosidade de


óleo saturado nas condições T e P do reservatório em
função da razão e solubilidade e da viscosidade do óleo
morto nas condições padrão. Figura 1.37 ao lado é
reproduzida de A J Rosa op. Cit.

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Propriedades das misturas líquidas

Viscosidade ( continuação)

• Amostras de óleo morto obtidas no tanque estão


praticamente nas condições padrão, e todo gás inicial em
solução já teria saído da solução.

• Também , através de gráfico se estima a viscosidade do


óleo morto ( sem gás ) na temperatura do reservatório e
pressão padrão em função do ⁰API do óleo e
temperatura do reservatório.

• Quando o reservatório esta acima da pressão de bolha , a


viscosidade pode ser estimada levando em conta o nível
de subsaturação (diferença pressão reservatório e de
bolha). Figura 1.39 da op.cit.
Figura 1.38 reproduzida de A J Rosa op.cit. em “saiba mais”.

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Propriedades da mistura de hidrocarbonetos

Fator Volume de Formação FVF do óleo 𝐵ₒ

• E a relação entre o volume da fase liquida (óleo + gás dissolvido) ocupa nas condições de pressão
e temperatura quaisquer e do volume que como fase liquida quando esta nas condições padrão.
𝑣𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒 𝑑𝑒 ó𝑙𝑒𝑜+𝑔á𝑠 𝑑𝑖𝑠𝑠𝑜𝑙𝑣𝑖𝑑𝑜 𝑛𝑎𝑠 𝑐𝑜𝑛𝑑𝑖çõ𝑒𝑠 𝑝,𝑇.
𝐵ₒ=
𝑜𝑙𝑒𝑜𝑛𝑜 𝑡𝑎𝑛𝑞𝑢𝑒 (𝑐𝑜𝑛𝑑𝑖çõ𝑒𝑠 𝑝𝑎𝑑𝑟ã𝑜)

• O comportamento de 𝐵ₒ acima da pressão de bolha é praticamente linear com a pressão , pois


variação de volume de fluido se deve a compressibilidade do fluido do reservatório, não há
liberação de gás, sendo 𝐵ₒ regido pela sua compressibilidade isotérmica.

• Abaixo da pressão de bolha 𝐵ₒ decresce continuamente a medida que a pressão é reduzida o


gás vai sendo liberado e os valores de 𝐵ₒ são decrescentes.

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Propriedades das misturas líquidas

Razão de solubilidade

• Expressa a relação entre a quantidade de gás dissolvido


presente no líquido nas condições padrão e o volume de
óleo que será obtido na mistura, também nas condições
padrão

𝑣𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒 𝑑𝑒 𝑔á𝑠 𝑑𝑖𝑠𝑠𝑜𝑙𝑣𝑖𝑑𝑜𝑐𝑜𝑛𝑑𝑖çõ𝑒𝑠 𝑝𝑎𝑑𝑟ã𝑜


𝑅=
𝑣𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒 𝑑𝑒 ó𝑙𝑒𝑜 𝑛𝑜 𝑡𝑎𝑛𝑞𝑢𝑒 𝑛𝑎𝑠 𝑐𝑜𝑛𝑑𝑖çõ𝑒𝑠 𝑝𝑎𝑑𝑟ã𝑜.

Na figura ao lado observar que acima da pressão de bolha R é


constante e igual a inicial , durante a condição de subsaturação Figura 1.43 reproduzida de A J Rosa et al
nenhum gás sai de solução. op.cit em “saiba mais “

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Propriedades das misturas liquidas de hidrocarbonetos

Fator Volume de Formação duas fases do óleo


• Também denominado Fator Volume de Formação Total B t
é o quociente entre o volume total do fluído existente no
reservatório e dada P e T e o volume de líquido que será
obtido nas condições padrão.
𝑣𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒 𝑑𝑒(𝑜𝑙𝑒𝑜 + 𝑔á𝑠 𝑑𝑖𝑠𝑠𝑜𝑙𝑣𝑖𝑑𝑜 + 𝑔á𝑠 𝑙𝑖𝑣𝑟𝑒)@𝑝𝑇
𝐵𝑡 =
𝑣𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒𝑑𝑒 ó𝑙𝑒𝑜 𝑛𝑎𝑠 𝑐𝑜𝑛𝑑𝑖çõ𝑒𝑠 𝑝𝑎𝑑𝑟ã𝑜

𝐵𝑡 = 𝐵ₒ + R𝑠𝑖 − Rs 𝐵g

Comportamentos de Bₒ e Bt na figura ao lado


Figura 1.44 reproduzida de A J Rosa et al
op.cit em “ saiba mais”

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Saiba mais

• Exercícios relativos às propriedades das misturas liquidas de hidrocarbonetos

Exercícios resolvidos :

Massa específica da mistura : 1.13 pg 50

Densidade e massa especifica de óleo : 1.14 pg.56

Fator volume de formação do óleo : 1.15 pg 65

Problemas com resposta: de 1.1 ate 1.12pg 86 e 87

 Engenharia de Reservatórios de Petróleo. A J Rosa et al . Editora Interciência 2006


ISBN 85 7193 135 6

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Aula X : Propriedades das Mistura Liquidas de Hidrocarbonetos
Saiba mais

• Propriedades das misturas liquidas de hidrocarbonetos ,

 Engenharia de Reservatórios . Fundamentos .L P Dake .Elsevier Campus 2014.ISBN


978 85 352 7630 5

 Engenharias de Reservatórios de Petróleo. A J Rosa et al .Interciência 2006 ISBN 85


7193 135 6.

 Introdução à exploração e produção de hidrocarbonetos . F Jahn et al. Elsevier


Campus 2012 . ISBN 978 85 352 4467 0

ENGENHARIA DE RESERVATORIO I
Assuntos da próxima aula:

1. Fluxo de Líquidos em Meios Porosos

• Conceito de potencial de fluxo

• Equação de difusividade

• Algumas solução com a equação de difusividade

o Sistemas lineares com fluxo permanente,


pseduo permanente e transiente

o Sistemas radiais com fluxos permanente ,


pseduo permanente