Você está na página 1de 27

Molas

1
INFORMAÇÕES GERAIS

• As molas são peças com capacidade de armazenar energia potencial ao


serem deformadas e restituí-la ao serem descarregadas.
• As molas são corpos elásticos feitas de materiais seleccionados e com
formas especiais que lhes conferem a máxima utilização da capacidade
de armazenagem e restituição de energia.

2
INFORMAÇÕES GERAIS (Funções)

• Armazenar energia ( Ex.: nos mecanismos de válvulas de motores de


combustão interna);
• Amortecer choques (Ex.: nas suspensões de veículos);
• Limitações de forças (Ex.: em dispositivos de segurança tais como
alicates de pressão);
• Constituir suspensões oscilantes (Ex.: compactadores do solo);
• Preservar o contacto ou junções (Ex.: mecanismos de cames);
• Distribuir cargas (Ex.: em colchões, sofás,)

3
INFORMAÇÕES GERAIS (Funções)

4
MATERIAIS DAS MOLAS

• As molas são feitas de materiais com boas propriedades elásticas.


Geralmente usa-se aço ao carbono e de liga, aços resistentes à
corrosão, ligas não ferrosas tais como bronze fosforoso, liga de
níquel, etc.
• O enrolamento do arame pode ser feito a quente ou a frio, mas é
comum o uso de tratamento térmico ligeiro para aliviar tensões
residuais devido ao enrolamento, apesar de estas serem
perpendiculares às tensões de funcionamento das molas. A resistência
mecânica do material depende da dimensão da secção transversal
do arame.

5
MATERIAIS DAS MOLAS

• Para locais húmidos usam-se mais molas feitas de ligas de bronze

 Bronze ao silício-manganês;
 Bronze ao Estanho e Zinco;
 Bronze ao berilo.

6
PARÂMETROS GEOMÉTRICOS E DE FUNCIONAMENTO
DAS MOLAS

7
CLASSIFICAÇÃO DAS MOLAS

• Segundo a forma:
Helicoidais( Cilindricas ou conicas)
Planas ( Espirais, de disco, anulares, barras de torção, de bloco, de
lâminas)
• Segundo o tipo de solicitação
Tração
Compressão
Torção
Flexão

8
CLASSIFICAÇÃO DAS MOLAS

9
CLASSIFICAÇÃO DAS MOLAS

• Helicoidais cilíndricas de compressão: Esta mola é muito usada em


várias situações, como por exemplo, na absorvição de impactos em
automóveis.

10
CLASSIFICAÇÃO DAS MOLAS

• Helicoidais cilíndricas de tração: As características são similares à


de compressão, havendo diferença apenas no comprimento: um útil (da
mola) e um total (incluindo ganchos de fixação). Aplica-se em casos de
necessidade de resistência à esforços de tração.

11
CLASSIFICAÇÃO DAS MOLAS

• Helicoidais de torção: Este tipo de mola possui as seguintes


características a mais: comprimento do braço de alavanca (r)e ângulo
entre pontas (a)

12
CLASSIFICAÇÃO DAS MOLAS

• Helicoidais cônicas de compressão: Molas cônicas podem ter seções


variadas. Resistem a esforços de compressão e possuem aplicações
para projetos específicos.

13
CLASSIFICAÇÃO DAS MOLAS

• Molas planas: feixe de molas é feito de diversas peças planas de


comprimento variável, moldadas de maneira que fiquem retas sob a
ação de uma força. É empregado em pequenos espaços (altura),
especialmente em veículos pesados (caminhões).

14
CLASSIFICAÇÃO DAS MOLAS

• Molas planas espirais: A mola espiral tem a forma de espiral ou


caracol. Em geral ela é feita de barra ou de lâmina com seção
retangular. A mola espiral é enrolada de tal forma que todas as espiras
ficam concêntricas e coplanares. Esse tipo de mola é muito usado em
relógios e brinquedos.

15
CLASSIFICAÇÃO DAS MOLAS

• Molas planas simples: são confeccionadas de material plano ou em


fita. Foram projetadas para receberem esforços em um só sentido.
Esse tipo de mola é empregado somente para algumas cargas. Em
geral, essa mola é fixa numa extremidade e livre na outra. Quando
sofre a ação de uma força, a mola é flexionada em direção oposta.

16
CLASSIFICAÇÃO DAS MOLAS

• Molas planas de prato: Em geral, as molas prato funcionam


associadas entre si, empilhadas, formando colunas. O arranjo
das molas nas colunas depende da necessidade que se tem em
vista.

17
MOLAS DE BLOCOS
São constituídas por uma massa de matéria elástica, tipicamente
borracha, com placas metálicas nas extremidades para apoio e
distribuição das forças.
São corpos simples e o seu cálculo também é simplificado.As formas
podem ser variaveis (desde paralelepípedos a corpos irregulares,
passando por cilindros maciços e ocos).A mais vulgar tem secção
transversal rectangular.

18
BARRAS DE TORÇÃO

São molas simples que podem ser calculadas usando os conceitos


básicos da disciplina Resistência dos Materiais.
Nestas molas, o momento torsor externo causa uma tensão tangencial e
respectiva rotação da extremidade da parte deformada, expressa por:

19
BARRAS DE TORÇÃO
• Onde:
• l - é o comprimento sujeito a torção, em [mm]
• т – é a tensão tangencial, em MPa
• T – é o momento torsor: T = M= F ⋅ a ou T = M= F ⋅ R , em N·mm
• G – é o módulo de elasticidade transversal, em Mpa
• Gaço ≈ 80000 MPa
• Φ – é o ângulo de rotação ou ângulo de torção, em radianos
• O diametro da barra de torcao pode ser calculado por:

20
BARRAS DE TORÇÃO
Barra de torção é também um tipo de mola, onde os impactos
são absorvidos torcendo a barra de aço reta sobre seu eixo
longitudinal. Essas molas podem ser encontradas nas
suspensões.
Com a necessidade de ganhos em carros de corridas, as molas
helicoidais estão perdendo espaço para as barras de torção, as
quais proporcionam os mesmos efeitos porém com ganho de
espaço.

21
MOLAS ESPIRAIS COM EXTREMIDADES
FIXAS
Aquelas cujas extremidades não tem articulação (isto é, são
´encastradas´) são submetidas a um momento torsor centrado,
As espiras da mola sujeitam-se a esforços de flexão simples.
O seu cálculo é simplificado ao cálculo da secção transversal de uma
barra sujeita a flexão, adicionando-se o cálculo do ângulo de rotação e
comprimento requerida da mola.

22
MOLAS ESPIRAIS COM EXTREMIDADES
FIXAS
São formadas por uma fita de material elástico. A seção retangular constante é
posta em espiral plana com uma extremidade fixa e outra presa a um órgão
giratório em torno do próprio eixo. Aplicando-se ao órgão giratório, um momento
torçor, a mola se enrola em volta deste tensionando-se. Este tipo de mola é
aplicado nos equipamentos móveis, como nos relógios que usam pêndulos.

23
MOLAS PLANAS (molas de laminas)

As molas planas também são barras simples, com secção transversal


fixa ou variável. Para o seu calculo usam-se os conceitos básicos para
flexão, que resultam:
M
 max    fl 
Wx
Com a flecha (deformação num dado ponte)
3 2
F .l 2.M .l
 
3.E.I 3.E.Wx .h
24
MOLAS PLANAS (molas de laminas)
Quando a mola é carregada numa extremidade por uma força constante,
o momento ao longo do comprimento da mesma cresce. Assim, para se
obter uma construção com tensões aproximadamente constantes, usam-
se molas cuja secção transversal vai aumentando em direcção ao ponto
em que a mola e encastrada.
De forma a reduzir a largura da mola na extremidade, podem ser
cortadas partes laterais da mesma para serem instaladas por baixo da
lâmina, resultando em um feixe.

25
FEIXES DE MOLA DE LAMINA
Neste tipo de montagem as molas de lâminas, as características de
funcionamento dependem da desigualdade dos comprimentos das peças
e sua interacção.
Durante a flexão, surge atrito entre as lâminas por isso, introduz-se um
coeficiente K>1 para o seu cálculo.
O coeficiente da curvatura é muito pequeno e pode ser desprezado, para
efeito de cálculo pratico.

26
MOLAS DE ANÉIS
As molas de anés são úties quando se pretende amortecer cargas pois
friccionam-se durante o funcionamento.
Os anéis elásticos são elementos de máquina
feitos em aço mola conhecidos também como
anéis de retenção, de trava ou de segurança.

27