Você está na página 1de 25

SISTEMA

DIGESTIVO
8 ANO
OS ALIMENTOS EM
TRANSFORMALÇOES
 Muitos alimentos que ingerimos são formados por
moléculas grandes e complexas, que as células não
conseguem absorver.
 O corpo humano precisa quebrar essas moléculas
grandes transformando-as em moléculas menores. Esse
processo é conhecido como DIGESTÃO.

O que é Digestão?
Digestão é a transformação dos alimentos em
substâncias menores e mais simples para que
possam ser absorvidas pelo nosso corpo.
OS ALIMENTOS EM
TRANSFORMALÇOES
 Água, os sais minerais e as vitaminas não sofrem
digestão.
 Lipídios, proteínas e certos tipos de carboidrato
precisam der digeridos para entrar nas células.
 A quebra dos nutrientes que formam os alimentos em
moléculas menores é facilitada por enzimas digestivas.
 As enzimas digestivas são as responsáveis pela
digestão química, ou seja, transformação de moléculas
grandes em moléculas menores.
Digestão Química: compreende as reações químicas nas quais
os alimentos são decompostos em moléculas mais simples. É
realizada por enzimas.
O CAMINHO DO
ALIMENTO
Também chamada de cavidade bucal ou
Oral
OS ALIMENTOS EM
TRANSFORMALÇOES
 O alimento entra na boca, depois de ser mastigado é
engolido e seguirá um determinado trajeto dentro do
corpo. Esse trajeto será:
Intestino
Boca Reto
Grosso

Intestino
Faringe Ânus
Delgado

Esôfago Estômago
OS ALIMENTOS EM
TRANSFORMALÇOES
 O sistema digestório ou sistema digestivo é formado
pelos órgãos do tubo digestório e por órgãos acessórios.

Tubo Digestório  por onde o alimento passa

Órgãos Acessórios  que não tem contato direto com o


alimento. São também chamados de glândulas anexas. São
elas: glândulas salivares, pâncreas, fígado, vesícula biliar,
CAVIDADE ORAL
 É onde a digestão dos alimentos se iniciam.
 Ocorre o processo de mastigação (digestão mecânica),
que quebra os alimentos em pedaços menores pela
ação dos dentes.
 Quanto melhor mastigação, menores serão os pedaços
dos alimentos sólidos e maior será o contato com a
saliva e com as enzimas digestivas.

Digestão Mecânica ou física: compreende as ações de


trituração e redução dos alimentos em partículas menores,
facilitando a ação dos sucos digestivos.
Exe: mastigação, deglutição e movimentos peristálticos.
CAVIDADE ORAL
 Durante a mastigação, as glândulas salivares, produzem
a saliva (um líquido cujo componente mais abundante é
a água). Além da água, a saliva contém outras
substâncias, entre elas a enzima digestiva amilase, que
age na digestão do amido (um carboidrato).
 A saliva tem como função UMIDECER o alimento,
facilitando a deglutição (ato de engolir).
 Os dentes possuem uma estrutura complexas. A coroa é
a parte visível do dente. A raiz é a região que fica
coberta pela gengiva. O esmalte é a camada mais
externa do dente. Abaixo do esmalte tem a dentina que
constitui a maior parte do dente. A parte mais interna
do dente é a polpa.
CAVIDADE ORAL
POLPA: também apresenta vasos sanguíneos que tem
ESMALTE = parte mais
a função de nutrição dos tecidos do dente.
externa do dente

DENTINA: maior
parte do dente

COROA = parte visível


POLPA: parte mais
interna. Nessa parte
existe um conjunto
de fibras nervosas
responsáveis pela
RAIZ = é a região que sensibilidade do
fica coberta pela dente ao frio, calor e
gengiva. a dor.
CAVIDADE ORAL
 Durante a vida, o ser humano apresenta duas dentições:
dentições de leite e a dentição permanente.
 A dentição de leite – constituída por 20 dentes,
permanecendo ate os 13 anos.
 A dentição permanente – é constituída por 32 dentes.
CANINOS = são pontiagudos, perfuram e rasga os
alimentos

MOLARES – parte de trás, trituram e moem os


alimentos
PRÉ-MOLARES – parte da frente, trituram e moem
os alimentos

INCINSIVOS – parte da frente, cortam os alimentos


CAVIDADE ORAL
 A língua é constituída em grande parte por tecido
muscular. Nela estão concentradas as células
responsáveis pelo sentido dos sabores dos alimentos.
 A língua mistura os alimentos mastigado, empurrando-
os para o fundo da boca em direção à faringe.
FARINGE
 Pela faringe passa o alimento, água e demais líquidos e
o ar.
 Na entrada da laringe há uma estrutura chamada
epiglote. Quando respiramos, a epiglote fica aberta.
Durante a deglutição (engolir), a epiglote fica fechada,
bloqueado a entrada da laringe e obrigando o alimento
a se dirigir para o esôfago.
 Quando ocorre uma falha na abertura e no fechamento
da epiglote, o alimento pode cair na entrada da laringe,
causando o engasgo.
 ENGASGAR É UM MECANISMO DE DEFESA.
FARINGE
ESÔFAGO
 O alimento engolido passa pela faringe e chega ate o
esôfago.
 O esôfago é um canal que liga-se ao estômago.
 O esôfago empurra o bolo alimentar (alimento + saliva),
por meio de movimentos involuntários chamados de
movimentos peristálticos.
 Esse tipo de movimento ocorre em outros órgãos do
sistema digestório, por exemplo, na faringe, no
estômago e no intestino grosso.
 A passagem do alimento da boca até o estômago dura
cerca de 6 segundos.
ESÔFAGO
ESTÔMAGO
 Órgão com formado de bolsa, de parede musculosa.
 As paredes do estômago ajudam a amassar o bolo
alimentar (alimento + saliva), promovendo a digestão
mecânica.
 No interior do estômago também ocorre a digestão
química através da ação do suco gástrico, formado por
ácido clorídrico e enzimas digestivas como a pepsina.
 O suco gástrico junto com as enzimas digestivas
quebram as proteínas em aminoácidos, que podem ser
absorvidas pelas células e aproveitados pelo organismo.
 O estômago produz um muco que reveste o órgão por
dentro e protege sua parede interna da ação do ácico
clorídrico (HCl).
ESTÔMAGO
O bolo alimentar
permanece no
estômago por cerca
de 2 horas, onde ele
vai lentamente se
transformando em
uma massa de
consistência branca
e pastosa, chamada
de QUIMO, que
depois passa para o
intestino delgado

QUIMO:
BOLO ALIMENTAR
+
SUCO GÁSTRICO
INTESTINO DELGADO
 Tem aproximadamente 7 metros de comprimento.
 Ele é dividido em três regiões: duodeno, jejuno e íleo.
 É no intestino delgado que ocorre a maior parte da
digestão e também da absorção das substâncias.
 As paredes do intestino delgado se contraem e se
relaxam deslocando o alimento ao longo do órgão em
direção ao intestino grosso.
 Produz o suco entérico formado por enzimas digestivas
que atuam principalmente sobre proteínas e
carboidratos.

SUCO ENTÉRICO = COMPLETAM A DIGESTÃO DOS CARBOIDRATOS, DAS PROTEÍNAS E


DOS LIPÍDIOS.
INTESTINO DELGADO

Recebe secreções
de duas glândulas:
pâncreas e fígado.

É a primeira e a menor parte


do intestino delgado

O jejuno é a segunda
parte do intestino
Surge a partir do jejuno e delgado
termina ao abrir-se no
intestino grosso
INTESTINO DELGADO
 As células da mucosa, que revestem internamente o
intestino, apresentam na superfícies inúmeras dobras
chamadas de VILOSIDADES, que aumentam o contato
com os nutrientes e da água com o intestino.
 O intestino delgado apresentam vasos sanguíneos. Os
nutrientes atravessam as células e chegam aos vasos
sanguíneos, que os distribuem para todo o corpo.
 As substâncias que não são absorvidas deslocam-se por
movimentos peristálticos para o intestino grosso.

Suco Suco
Quimo Bile Quilo
Pancreático Entérico
INTESTINO DELGADO

A doença celíaca consiste


em um distúrbio
inflamatório do intestino
delgado, que ocorre em
indivíduos com
sensibilidade ao glúten e à
ingestão de trigo, centeio
ou cevada.
INTESTINO GROSSO

A inflamação é
chamada de
apendicite

A inflamação do apêndice pode


No embrião produz glóbulos brancos. ocorrer devido ao acúmulo de
Após o nascimento ele perde a função restos fecais
PÂNCREAS E FÍGADO
 Produz e libera o suco pancreático e a insulina.
 O suco pancreático atua na digestão das proteínas,
carboidratos e gorduras.
 O fígado produz a bile (substância emulsificadora), que
é armazenada na vesícula biliar.

Ajuda a transformar gorduras em


substâncias menores facilitando a
digestão
PÂNCREAS E FÍGADO

FUNÇÃO: produzir a bile

Transforma as
FUNÇÕES: produzir
gorduras em
suco pancreático e
partículas menores
insulina

Armazena a bile

FUNÇÕES: produção do suco


entérico, absorção e digestão
das substâncias
PRISÃO DE VENTRE E DIARREIA
 Alterações no movimento peristálticos do intestino
grosso podem causar vários problemas como a prisão
de ventre e a diarreia.
 Quando a musculatura intestinal funciona muito lenta,
as fezes em formação ficam retidas no intestino o que
favorece a absorção de uma quantidade maior de água.
Nesse caso, as fezes se tornam duras e secas causando
a prisão de ventre.
 A diarreia ocorre quando o intestino grosso apresenta
alterações, como inflamação causada por alimentos
contaminados ou por microrganismos. Os movimentos
peristálticos são rápidos dificultando a absorção de
água.