Você está na página 1de 77

Aula - PARAFUSOS

Elementos de Máquinas II

Prof. Daniel Tadeu de Carvalho Ribeiro


Prof. Edir Fernandes Alves 1
Parafusos

• Introdução

Elementos de fixação Na mecânica geralmente


há a necessidade de unir peças como chapas,
perfis e barras.

Qualquer construção, por mais simples que seja,


exige união de peças entre si.

2
Introdução

Elementos de fixação
• Contudo na mecânica as peças a serem unidas, exigem
elementos próprios de união que são denominados
elementos de fixação.
• Numa classificação rápida podemos citar os mais
utilizados como:
• rebites, pinos, cavilhas, parafusos, porcas, arruelas

3
DISTRIBUIÇÃO DE CARGAS
Elementos de fixação

Basicamente a união entre os


elementos de fixação pode ocorrer de
duas formas, sendo:

União móvel ou permanente. Na união


móvel os elementos de fixação podem ser
desmontados sem danificação das peças, o
que não ocorre em uma união permanente
como é o caso de uma solda.

4
AMORTECIMENTO DE CHOQUES

Elementos de fixação
Deve-se ter muito cuidado ao selecionar tanto elementos de
fixação móveis ou permanentes, porque geralmente são os
componentes mais frágeis dos equipamentos, e muitas vezes
podem até atuar como fusíveis mecânicos.
Por isso a importância de conhecer estes componentes, para
que sejam utilizados e dimensionados corretamente de acordo
com as aplicações exigidas, evitando desperdícios gerados
por sub dimensionamento ou superdimensionamento.

5
Introdução
Elementos de fixação
O parafuso é uma peça formada por um corpo cilíndrico
roscado e uma cabeça, que pode ter várias formas .

6
Elementos de fixação - Parafusos

Parafusos são elementos de fixação, empregados na “união


não permanente de peças”, facilitando montagens de
desmontagens, bastando apertar e desapertar os parafusos
que as mantêm unidas. Os parafusos se diferenciam pela forma
da rosca, da cabeça, da haste e do tipo de acionamento.

7
Elementos de fixação – Parafusos

Classificação dos parafusos quanto à função

– Parafusos passantes:

• Estes parafusos atravessam a peça de lado a lado e


utilizam arruela e porca.

8
Elementos de fixação – Parafusos

Classificação dos parafusos quanto à função


– Parafusos não passantes:

São parafusos que não utilizam porcas. O papel de porca é


desempenhado pelo furo roscado, feito numa das peças a ser
unida.

9
Elementos de fixação – Parafusos
# Classificação dos parafusos quanto à função
Parafusos de pressão:
Esses parafusos são fixados por meio de pressão.

A pressão é exercida pelas pontas dos parafusos


contra a peça a ser fixada.
Os parafusos de pressão podem apresentar cabeça
ou não.

10
Elementos de fixação – Parafusos
Classificação dos parafusos quanto à função
# Parafusos prisioneiros
São parafusos sem cabeça com rosca em ambas as
extremidades, são recomendados em situações que exigem
montagens e desmontagens constantes.

11
Elementos de fixação – Parafusos
Segue um quadro síntese com características da cabeça, do
corpo, das pontas e com indicação dos dispositivos de
atarraxamento.

12
Elementos de fixação – Parafusos

13
Elementos de fixação – Parafusos
Segue um quadro com a ilustração dos tipos de parafusos em
sua forma completa.

14
Elementos de fixação – Parafusos

15
Elementos de fixação – Parafusos
Ao unir peças com parafusos, alguns fatores de grande importância
devem ser considerados:

• profundidade do furo broqueado;


• profundidade do furo roscado;
• comprimento útil de penetração do parafuso;
• diâmetro do furo passante.

16
Elementos de fixação – Parafusos
Esses quatro fatores se relacionam conforme mostram as
figuras e a tabela a seguir.

17
Elementos de fixação – Parafusos

18
Elementos de fixação – Tipos de Parafusos
d = diâmetro do parafuso;
k = altura da cabeça (0,7 d);
s = medida entre as faces paralelas do sextavado (1,7.d);
e = distância entre os vértices do sextavado (2.d );
L = comprimento útil (medida s padronizada s);
b = comprimento da rosca (medidas padronizadas);
R= raio de arredondamento da extremidade do corpo do parafuso.

19
Aplicação
Em geral, esse tipo de parafuso é utilizado em uniões em que se
necessita de um forte aperto da chave de boca ou estria. Esse
parafuso pode ser usado com ou sem rosca.

20
Parafusos com sextavado interno
De cabeça cilíndrica com sextavado interno (Allen).

A = d = altura da cabeça do parafuso;


e = 1,5 d = diâmetro da cabeça;
t = 0,6 d = profundidade do encaixe da chave;
s = 0,8 d = medida do sextavado interno ;
d = diâmetro do parafuso.

21
Parafusos com sextavado interno -
Aplicação:

Geralmente este tipos de parafuso é utilizado em uniões que


requerem um forte aperto, e principalmente em locais onde o
manuseio das ferramentas é dificultado pela falta de espaço.
São alojados em furos cuja as dimensões são padronizadas
conforme normas.

22
Parafuso sem cabeça com sextavado interno

d = diâmetro do parafuso;
t = 0,5 d = profundidade do encaixe da chave;
s1 = 0,5 d = medida do sextavado interno

23
Parafuso sem cabeça com sextavado interno-
Aplicação

Geralmente utiliza-se este tipo de parafuso para travar elementos


de máquinas, por isso apresentam vários de pontas, conforme a
sua utilização.

24
Parafuso sem cabeça com sextavado interno-
Aplicação

A seguir são apresentadas algumas medidas parafusos com


sextavado interno com e sem cabeça e o alojamento da cabeça,
Essas medidas são dimensionadas em função com o diâmetro (d).

25
Parafusos de cabeça com fenda
- De cabeça escareada chata com fenda. Em desenho técnico, a
representação é a seguinte:

• diâmetro da cabeça do parafuso = 2.d;


• largura da fenda = 0,18.d;
• profundidade da fenda = 0,29.d;
• medida do ângulo do escareado = 90.

Aplicação – Fabricados em aço, aço inoxidável, inox, cobre, latão, etc.


Utilizado principalmente em montagens que não sofrem grandes esforços e
onde o parafuso não pode exceder a superfície da peça.

26
Parafusos de cabeça redonda com
fenda
- De cabeça escareada chata com fenda.

•diâmetro da cabeça do parafuso = 1,9.d;


•raio da circunferência da cabeça = d;
•largura da fenda = 0,18.d;
•profundidade da fenda = 0,36.d.

27
Parafusos com rosca soberba para madeira

São vários os tipos de parafusos para madeira. Pode ser utilizado


com buchas plásticas “conjunto parafuso-bucha”.

28
Classe dos Parafusos –

29
Classe de resistência dos parafusos

30
Classe de resistência dos parafusos

31
Classe de resistência dos parafusos

32
Classe de resistência dos parafusos

33
Parafusos Dimensionamento

Por dimensionamento entende -se a determinação das


dimensões de um elemento de máquina de tal forma que ele
possa resistir às solicitações durante o trabalho.

Para tanto, é necessário o conhecimento dos fundamentos da:


•Resistência dos Materiais e das propriedades dos Materiais;
•Material utilizado na fabricação;
•Processo de fabricação dos parafusos.
Na prática, a determinação das tensões é um importante passo
para o desenvolvimento do dimensionamento.

34
Parafusos Dimensionamento

Para um dimensionamento correto é necessário saber como o material


empregado vai atuar sob as condições de carregamento, seja na tração,
compressão, flexão, cisalha mento ou torção. Para cada tipo de material,
isto pode ser determinado através de uma série de ensaios específicos a
cada tipo de solicitação, de onde obtemos dados importantes como
tensões de escoamento e ruptura.

35
Parafusos Dimensionamento

36
Parafusos Dimensionamento

1 – Tensão Normal
É determinada através da relação entre a intensidade da carga aplicada e a área de se
ção transversal da peça. Iss o quer dizer que em cada pequena parte de uma área da
seção de uma peça atua uma carga.

37
Parafusos Dimensionamento

No Sistema Internacional (SI), a Força é express a em Newtons (N) e a


Área em Metros Quadrados (m²).

A tensão então será expressa em N/m², que é denominada Pascal (Pa),


mas na prática é uma medida muito pequena para tensão, então, usa-se
múltiplos desta unidade, que são o quilopascal (kPa), megapascal (MPa)
e o gigapascal (GPa).

38
Parafusos Dimensionamento

39
Tensão Admissível (σadm)

No projeto de um elemento estrutural ou componente de


máquina, deve-se considerar que, em condições normais de
operação/trabalho, o carregamento seja menor que o valor que o
material possa suportar. Este valor que o material suporta, deve
ser a tensão de escoamento (para materiais dúcteis) e a tensão
de ruptura (para materiais frágeis).

40
Parafusos Dimensionamento

41
Parafusos Dimensionamento

42
Parafusos Dimensionamento
Se uma barra roscada é submetida a uma carga de tração pura, é de se
esperar que sua resistência seja limitada pela área de seu diâmetro menor
(da raiz) dr. Contudo, testes das barras rosqueadas sob tração mostram
que a sua resistência à tração é melhor definida para média dos diâmetros
menor e primitivo.
A área sob tração AT , é definida como:

43
Parafusos Dimensionamento

44
Parafusos Dimensionamento

• d = diâmetro externo
• N = número de filetes por polegada
• p = passo em milímetros
• A tensão em uma barra rosqueada
devido a uma carga axial de
• tração F, é então:

45
Parafusos Dimensionamento

46
Parafusos Dimensionamento

47
Parafusos Dimensionamento

48
Parafusos Dimensionamento

49
Parafusos Dimensionamento

50
Parafusos Dimensionamento

51
Parafusos Dimensionamento

52
Parafusos Dimensionamento

53
Parafusos Dimensionamento

54
Parafusos Dimensionamento

55
Parafusos Dimensionamento

56
Parafusos Dimensionamento

57
Parafusos Dimensionamento

58
Parafusos Dimensionamento
Tensão de cisalhamento

Um modo de proceder consiste em considerar que uma vez que uma falha
completa requer que todos os filetes da rosca sejam rasgados, estas podem ser
consideradas como compartilhando a carga igualmente.
Essa hipótese é provavelmente válida, desde que a porca ou parafuso (ou ambos)
sejam dúcteis de modo a permitir que cada rosca rasgue a medida que o conjunto
começa a falhar.

Contudo, se ambas as partes são frágeis (por exemplo, aços de alta resistência ou
ferro fundido) e o ajuste dos filetes da rosca é pobre, podemos imaginar cada
filete assumindo toda a carga por turnos até que haja fratura e o trabalho seja
repassado para o próximo filete .

59
Parafusos Dimensionamento
Tensão de cisalhamento

A realidade está inserida nestes extremos. Se expressarmos a


tensão sob cisalha mento em termos do número de filetes de
rosca engajados, um julgamento deve ser feito em cada caso
para determinar o grau de compartilhamento de carga
apropriado.

60
Parafusos Dimensionamento

61
Parafusos Dimensionamento

62
Parafusos Dimensionamento

63
Parafusos Dimensionamento

64
Parafusos Dimensionamento

65
Parafusos Dimensionamento

66
Parafusos Dimensionamento

67
Parafusos Dimensionamento

68
Parafusos Dimensionamento

69
Parafusos Dimensionamento

70
Parafusos Dimensionamento

71
Parafusos Dimensionamento

72
Parafusos Dimensionamento

73
Parafusos Falhas

74
Parafusos Falhas

75
76
77