Você está na página 1de 54

UNIDADE I

INTRODUCAO A HISTORIA DE
DIREITO

Fevereiro, 2014
 SOCIEDADE
 DIREITO
 DIREITO POSITIVO
 DIREITO NATURAL
 FONTES DE DIREITO
 SISTEMA COMMON LAW
 SISTEMA ROMANO GERMANICO
 A disciplina de História de Direito ẻ fundamental pois
descreve todos os acontecimentos jurídicos ocorridos desde a
antiguidade até o actual direito. Abordamos temas ligados a
Sociedade, Conceito de Direito, História de Direito, Direito
Positivo-Natural, Fontes de Direito.
INTRODUCAO AO ESTUDO DE DIREITO
 Antoine Lavoisier 1743-1794, ‟na natureza nada se cria, nada se
perde, tudo se transforma” principio de que os acontecimentos
humanos não morrem, sim transformam se
 HISTORIA e a narração de efeitos de personagens, acontecimentos
ou factos sociais, económicos, políticos, jurídicos que influenciaram
positiva ou negativamente a história da humanidade e persistem
pelos séculos.
 Direito – valor, factos e normas que regulam uma determinada
sociedade.
 História do Direito – visa investigar, estudar as origens e
transformações do direito, fazer compreender, como e que o direito
actual, se formou e desenvolveu bem como de que maneira evoluiu
no decurso dos séculos. Estuda o porque da evolução das regras
jurídicas de uma determinada sociedade, preocupa se com as fontes
de direito.

 Estudar os períodos históricos de direito, a
formação, transformações da sociedade,
formulação, a aplicação e os comentários do
direito, assim como das instituições reguladas por
ele.
 Fazer um estudo de cada período histórico
(Antiguidade, Idade media, Moderna) sempre
tomando os factores históricos, económico,
sociais, as características e as origens do direito e
dos povos ‟Romanos, gregos, Africanos, Islâmicos
Americanos- Pré- Romano a Codificação.
 Dar a conhecer a cultura, as instituições
jurídicas do passado,

 Compreender as fontes de direito como as


cartas, textos de leis, contratos, escritos
antigos, descobrir a sua proveniência,
interpretar e reconstituir o direito vigente em
cada período.
 Lei , Costume, Doutrina, Jurisprudência
 Lei escrita e não escrita, meios arqueológicos, Documentos de
aplicação do direito tais como testamentos, as instituições jurídicas.
 # lei e Costume. São leis que não foram escritas mais foram
estabelecidas pelo consentimento do povo e por uma espécie de
convicção de obrigatoriedade.
 Nasce de determinados factos, e um direito não escrito, introduzido
pelos usos e pelos actos continuamente repetidos dos membros da
comunidade e os quais foram praticados publicamente, sem
contradição da maioria do povo, o tempo necessário para impor que
fornecendo as garantias desejadas indicam ao homem de maneira
correcta como ele deve comportar se e a conduta que ele deve
observar nas suas relações sociais. Ex. lobolo
EVOLUCAO DO DIREITO
 Direito dos povos sem escrita – dtos arcaicos e primitivos,
diversificados poderes sobrenaturais Sec.V de certas etnias
aborígenes da de certos povos índios na amazónia Austrália, África,
Maias incas nos E.U.A
 Evolução lenta não existe direito negro
 Nas sociedades Europeias, africanas não havia direitos codificado
 Usos e Costumes - ligados a religião nas sociedades primitivas influenciando
varias e diferentes civilizações em que crenças e leis são elementos do
direito consuetudinário
 Ex. casamento autoridade paterna, parentesco, propriedade, dt sucessório.
 SOCIEDADE – regras de convivência, Moral, Ética, jurídicas e não jurídicas #
 REGRAS E NORMAS – constituem um conjunto de princípios de uma cultura
que os indivíduos devem aceitar e que regulam o comportamento dos
homens na sociedade.
Normas Sócias – Conjunto de hábitos que e
costumes que são veladas pela comunidade.
São livres de serem aceites por todos, a
infracção de uma delas implica o repúdio
publico.
EX. Tabu, “incesto” Família matrelinear e
Patrelinear, Chefe tradicional, o conselho
familiar,
 SEC. XIV dt. Costumeiro em todo planeta
 Povos sem escrita –arcaicos primitivos, cara pré história não
se sabe nada, dt romano reconstituiu através de vestígios. os
Ex. não havia textos, a base era a religiao,

 Hordas primeira e a mais antiga forma de organização social,


constituída por um numero limitado de 25 a 100 pessoas,
que eram dirigidos pelos mais fortes. Base de sobrevivência
era caca ou da pesca, eram nómadas, não tinham nenhum
contacto com outros povos.
 Gens ”povos bárbaros, Grécia, Roma” não estavam estruturados,
forma primaria de organização Social, consiste em um grupo de
pessoas unidas ou por laços de sangue e pelo seu trabalho colectivo
e comum e comunidade de bens. Todos procedem do mesmo
antepassado comum, real e imaginário.

 Fatrias diferentes dos Gens se reuniam para formar unidades e


grupos complexos,
 As Tribos que desenvolveram mais rápido a reprodução e
matrimónio entre irmãos, clãs, etnias pautavam em associar casos
aos espíritos, interpretações da vontade da divindade, surgem
castigos para evitar se determinados comportamentos.
 Surgimento do direito na comunidade primitiva, desigualdades
sociais luta de classes mais fortes, aparecimento de grupos de
mecanismos que podiam exercer o poder político sobre a sociedade,
nasce o Estado
 Família Punaluana - consiste na exclusão dos pais
aos filhos das relações sexuais entre irmãos,
parentesco primeiro grau.
 Sindiasmica - regime de matrimónio em grupos,
uniões por pares, duração longa, homem tinha
uma mulher principal e numerosas esposas-
poligamia como direito dos homens.
 Matrimónios não consanguíneos eram fortes física
e mentalmente e tribos consanguíneas eram os
mais atrasados.
 GILISSEN, John, Introdução Histórica de Direito, Lisboa, Junho de 1986,
 SILVA, Nuno J. Espinhosa, História do Direito Português, 2ª edição, 1991
 ASCENCAO, José de Oliveira, Introdução e Teoria Geral de Direito, 13ª Edição Refundida,
Coimbra, Marco de 2005,
 Introdução ao Direito Comparado, 2ª edição, Livraria Almedina, Coimbra, 1998,
 VICENTE, Dário Moura, Direito Comparado, edições Almedina, Vol. I, Coimbra, Maio de
2008,
 CASTRO, Flavia Lages de . Historia do Direito Geral e Brasil. 3ª ed. Rio de Janeiro. Lumen
Juris, 2006.
 WOLKMER, Antonio Carlos Fundamentos de Historia do Direito, 3ª ED. Belo Horizonte.
Del Rey, 2006
 LOPES, Jose reinaldo de. O Direito na Historia. Licoes Introdutorias, 2ª ed. São Paulo,
Max Limond, 2002.
 Referências bibliográficas para o Direito Moçambicano- 2ª unidade temática
 Herry Junod, Usos e Costumes dos Bantu, Ministério de Administração
estatal, 94(679) J9564,
 Peter Burger, Perspectivas Sociológicas, ref.-316 B496P, 572 M318C, Centro
dos Estudo Africanos-Faculdade de ciências sociais-UEM,
 LAIA, Roque de Barros, Metodologia do Direito Consuetudinário dos
indígenas em Moçambique, FCS-UEM,
 SANTOS, Boaventura Sousa, TRINDADE, João Carlos, Conflito e
1. EM QUE CONDICOES SURGE O
DIREITO NA COMUNIDADE PRIMITIVA.

2. CARACTERIZE O DIREITO PRIMITIVO.


1. O surgimento do direito na comunidade primitiva esta
associado ao aparecimento das primeiras desigualdades sociais
no seio da comunidade, aparecimento do producto originado
por continuos avancos das forcas produtivas o que deu lugar a
necessidade de que uma classe social fosse superior a outra e
submetesse a sua vontade sobre a outra.

2. O desaparecimento da estrutura igualitaria e o aparecimento


de um grupo de mecanismos mediante os quais se podia
exercer um poder politico sobre a sociedade. Este conjunto de
mecanismos e o Estado que nasce totalmente vinculado ao
direito.
O direito Primitivo se caracteriza por:
 O direito destes povos nao era legislado, isto e nao dispunham de
textos escritos, era transmitido oralmente, primava pela ausencia de
codigos ou leis escritas. as populacoes nao conheciam a escritura
formal e as suas regras mantinham-se e conservavam-se pela
tradicao e usos,
 Cada organizacao social possuia um direito unico, que nao se
confundia com o de outras formas de organizacao, sua economia
era fechada, seu sustento era garantido por meio da pesca, da caca,
nao havia sistema de trocas com outros grupos. Suas fontes de
direitos era o custume como principal fonte, o precedente judiciario,
proverbios e adagios.
 O direito estava profundamente contaminado pela pratica religiosa,
 Direitos em nascimento: nao ocorreu diferenciacao efectiva do que
,e e do que nao e juridico, as fontes se resumem nos costumes, nos
preceitos versais, nas decisoes por tradicao.
 CASTRO, flavia lages de. Historia do direito geral e
brasil, 3ª ed. Rio de Janeiro: lumen juris, 2006

 WOLKMER, Antonio Carlos. Fundamentos de


Historia do Direito, 2ª e 3ª ed. Belo Horizonte: Del
Rey, 2002 e 2006,

 GILISSEN, John. Introducao historia ao Direito,


Fundacao Calouste Golbekian, 1988.
 FORMAS DE ORGANIZACAO SOCIAL DA COMUNIDADE PRIMITIVA
(HORDAS, GENS, FATRIAS, TRIBOS),
 EVOLUCAO DA FAMILIA NA COMUNIDADE PRIMITIVA- desde a
promiscuidade ate a monogamia, que teve que se passar pela
Familia (Consanguinea, Punaluana, Familia Sindiasmica- familias por
pares),
 Direito na comunidade Primitiva – surgiu associado ao aparecimento
das # sociais no meio da comunidade, superioridade de classes
sociais.
 Caracteristicas dos povos sem escrita – nao dispunham de textos
escritos, o direito desses povos era transmitido oralmente, ausencia
dos codigos e leis escritas. Sua economia era fechada, seu sustento
era garantido por meio da pesca, caca, nao havia sistema de trocas
com outros grpos. Suas fontes de direitos era o Costume como
principal fonte, o precedente judiciario, proverbios e adagios
OBJECTIVO
 Entender o surgimento do Estado e Direito nos povos do
Antigo Oriente,
 Identificar as caracteristicas gerais do Estado do Antigo
Oriente,
 Identificar as Primeiras leis escritas e os primeiros
documentos do antigo Oriente, principalmente o Codigo de
Hamurabi porque foi importante e o que significou, porque
nao e tao significante nos dias de hoje.
 Caracterizar o Codigo de Hamurabi e as outras leis.

 "Nao e possivel separar a modificacao da Sociedade e a


Evolucao do Direito. "Nao ha Direito Fora da Sociedade, Nao
ha Sociedade fora da Historia".
"Nao e possivel separar a modificacao da Sociedade e a Evolucao do
Direito. "Nao ha Direito Fora da Sociedade, Nao ha Sociedade fora da
Historia".
 O direito evoluiu, modificacao da sociedade e evolucao do
direito – sociedade aberta a trocas materiais e intercambio de
experiencias politicas, dinamica e completa onde se surge um
novo direito e urbana.
 Houve manifestacao/Formacao de novos tipos de sociedade e
civilizacoes – Mesopotamia e no Egipto (RIOS TIGRE E
EUFRATES, NILO) solo para agricultura e navegacao fluvial
(transporte de mercadorias e comercio), factores que que
cotribuiram para um crescimento mais acelerado da
populacao dessas sociedades bem como e desenvolvimento
da politico e ecnomico,
 Transicao das formas arcaicas de sociedades para
as primeiras civilizacoes da Antiguidade mediante
3 factores: "Surgimento das Cidades, invencao e
dominio da escrita e o advento do comercio e da
moeda metalica".
 Tribos e Clas – mentalidades misticos e religiosos,
direito bastante concreto, o custume confun se
com a religiao
 Tribos e Clas – mentalidades misticos e religiosos,
direito bastante concreto, o custume confun se
com a religiao.
 Condicionou a existencia de uma Monarquia Centralizada
Absoluta e Teocratica que exerciam o seu poder coordenado
a producao social. Limitava se ao desenvolvimento
economico, pesadas cargas para a sociedade que dirigem e
que abranda a formas superiores de relacoes de producao.
Nao permitiu avancar para o desenvolvimento social – libertar
se antiguidade.
 Supera se a organizacao social sobre variantes economicas
diferentes que podem conduzir lhes a escravidao classica.
 Surge a marge de grandes e importantes rios;
Consideram ao Monarca como Deus na Terra
 Entregam se parcelas para o trabalho e se pagam
impostos; Desenvolve se classes Sedentarias,
 Se criam leis com ..... e caracter religioso,

 Exeistencia de um poder Centralizado,

 Nao existia a propriedade privada sobre a terra


com a grande parte da administracao Burocratica e
defesa colectiva
 Antes do Rei Hamurabi chegar ao poder, os Sacerdotes do
Deus Shamash ( Deus Sol) quem desempenhava o papel de
Juiz, a tradicao associava se a Deus Sol Justica, HAMURABI
Surge 1792-1750 ou 1728-1685 A.C, descendente dos
Sumericos, criador do imperio Babilonico, Sumericos e um
povo pre-semitico que que viveu ao sul da Mesopotanea com
uma historia cujas as raizes descendem 5.000 anos A.C e
2.000 A.C cidades Sumer Akad, Shurupak e Lagash foram os
sumericos que inventaram a Escrita e metais. (cidades
Unificadas),
 Ordenou que a funcao de Julgar passasse a ser
desempenhada pelos funcionarios do Rei, fortalecendo assim
o seu poder. EX. Concentracao do poder
 A cultura permaneceu e foi ultrapassada pelos semitas cerca
de 2.000 A.C em especial Babiloneos. A lingua foi traduzida
na liturgia sumerica. BABILONEA: Cidade principal da
Mesopotanea que foi fundada por volta de 2350 pelos
habitantes de Akad, sendo assim, herdada da cultura dos
sumericos.

 HAMURABI unificou o Mundo mesopotanico e as Leis mais


complexas que se conhecem, 282 preceitos em SUSA 1901-
1902 actualmente em Paris, encontrava se codificada a
Jurisprudencia do seu tempo.
 Conquistou o seu Reinado ( Sumeria e Acadia) tornando se o
primeiro Rei do Imperio Babilonico, sentiu a necessidade de
legislar para todo o imperio, cujas as cidades obdeciam
prescricoes diferentes, foi o primeiro grande organizador que
consolidou o seu imperio sobre normas regulares de
administracao, este codigo unifica os diferentes codigos
existentes nas cidades do Imperio Babilonico ex: Estados
federados e Unitario.
 Objectivo era estabelecer leis que se apliquem em todos os
caos e impedir que cada qual faca justica pelas suas proprias
ou os juizes se guiem unicamente pela sua cabeca.

 Constutui um fiel reflexo do Sistema especial da
Babilonia, se encarregou das normas que
regulavam a propriedade e o seu transpasso, as
obrigacoes e os contratos. Constitui uma
compilacao do Direito Consutidinario. Regula
enumeras etapas do desenvolvimento social,
familia patriarcal, na esfera penal se regula pela lei
de taleon, aceirta a esclavatude como divida e
constitui uma colecao de regras dictadas pelo rei
em casos duvidosos, e o reflexo da sociedade
nesta epoca.
 O Codigo nao distigue entre direito civil e Direito Penal,
 Penas aplicadas aos delitos ja se tem em conta a
intencionalidade do agente e tambem a categoria da vitima
do transgressor,
 A maioria das penas sao pecuniarias, mas tambem se recorre
a mutilacao e a pena de morte. Em muitos casos segue se a
regra de taliao, isto faz se ao agressor aquilo que se fez na
vitima, desde que ambos sejam da mesma categoria. Ex.
Legitima defesa L.P
 Este codigo nao preve a pena de prisao, o criminoso julgado
culpado ou era multado com penas pecuniarias ou bens, ou
castigado fisicamente.
 As penas assumem um caracter,
predominantemente, vindicativo, a
ressocializacao do delinquente parece nao ter
sido preocupacao do Codigo de Hamurabi,
 Os Juizes eram responsaveis pelos seus
actos,
 A fonte do direito e Deus e nao o Povo.
 Obra Brahamanica que contem a organizacao
civil, mercantil e penal baseada na divisao
social em quatro Castas (4). A lei penal e
cruel e depende da Casta, a Mulher esta em
extrema inferioridade, se regula 8 tipos de
matrimonios.
 Os filos se regulam em 12 categorias, a
legislacao civile mercantil regula a actividade
dos componentes da sociedade em todos os
seus aspectos, constitui uma realidade
juridica do seu tempo.
Pertecente aos Hebreos, o Estado era Monarquico,
mais tinha por sua vez um chefe chamado Filarca
descendente do Patriarca, os Reis governavam baixo
limitacao de caracter Religioso contados na Biblia e
dividiam o seu poder com o Conselho de anciaos e o
grande tribunal ou conselho supremo.

 Os documentos tinham um caracter historico do


Direito e a Religiao e nao disposicoes juridicas se
nao atributo magicos e religiosos.
 A maioria das penas sao pecuniarias, mas tambem se recorre
a mutilacao e a pena de Morte, em muitos casos segue se a
regra de taliao,

 Este codigo nao preve a pena de prisao. O criminoso julgado


culpado ou era mutilado com penas pecuniarias ou bens, ou
era castigado fisicamente, ou era morto. As penas assumem
um caracter, predominantemente vindicativo. A
ressocializacao do deliquente parece nao ter sido
preocupacao do codigo de Hamurabi
Apoiando de todo materia Bibliografico:

1. Identifique e Explique os principais


documentos do Oriente Antigo.

2. Vimos ao longo do capitulo que o codigo de


HAMURABI, constitui um dos corpos legais
mais avancados daquela epoca. Indique tres
caracteristicas do mesmo.
 1975-1978 - Constituição de 1975 e a criação da primeira lei de
organização judiciária
 1978-1992. Constituição de 1990 e a queda do murro de Berlim

 1992- 2004. Constituição de 2004

1975-1978. A constituição de 1975 e a criação da primeira lei de


organização judiciária
 Este período consistiu na evolução do sistema colonial para construção de
uma nova legalidade.
 Na constituição publicada a 25 de Junho de 1975, se anuncia uma nova
ordem política económica, social, baseada no poder popular, que
pretendia romper com todos os quadros do funcionamento do Estado
colonial.
 Essa pretensão e evidente no artigo 4 da CRM 1975, que estabelece os
seguintes objectivos fundamentais:
 A eliminação das estruturas da opressão e exploração coloniais e
tradicionais e da mentalidade que lhes esta subjacente;
 Extensão e reforço do poder popular democrático;
 Edificação de uma economia independente e a promoção do
progresso económico e social;
 A defesa e a consolidação da independência e da unidade nacional;
 O estabelecimento e o desenvolvimento relações de amizade e
cooperação com outros povos e estados;
 O prosseguimento da luta contra o colonialismo e imperialismo.
 A força dirigente do estado e da sociedade era a Frelimo, que traçava a
orientação política básica do estado. Supervisionava e dirigia a acção dos
órgãos estatais a fim de assegurar a conformidade da política do Estado
com os interesses do povo, conforme estabelece o artigo 3 da CRM 1975.
 Com base nesta linha de orientação política, se prevê muito
vagamente as regras básicas da organização judiciária, Remetendo
para a lei ordinária a sua concretização, conforme estabelecem os
artigos 62,63e 65 todos da CRM 1975.
 A edificação de uma nova legalidade de uma nova organização
judiciária era um dos objectivos a seguir.
 Pretendia-se construir um sistema judicial popular que se inspirasse
na experiência do povo, especialmente das vividas nas zonas
libertadas, uma vez que evidenciava-se que a legislação colonial era
incompatível com as tradições, modos de vida e características da
nossa sociedade e do povo.
 É nessa perspectiva que após um debate nacional nasce a lei da
organização judiciária (lei n° 12/78 de 2 de Dezembro).
 Direito de orientação socialista, marxista-leninista,
 Manteve em vigor o direito positivo, o direito estadual, escrito codificado do
sistema romano germânico, salvaguardando a revogação prevista, nos artigos
71 e 79 da CRM de 1975, onde ficou revogada toda legislação contrária ao
espírito da legislação vigente.
 O direito era um instrumento do estado para a construção do estado
socialista, artigos 4 e 43 da CRM de 1975.
Organização da administração da justiça no período pós independência
1975-1978
1978-1992
 Primeira fase: 1975-1978

 Nesta fase, a administração de justiça estava organizada em 3 sistemas:

1. Sistema de administração de justiça estadual ou formal;


2. Sistema de administração de justiça dos grupos dinamizadores;
3. Sistema de administração de justiça das autoridades tradicionais.

1. Sistema de administração de justiça estadual ou formal
Este sistema de administração de justiça manteve-se entre 1975 e
1978, mantendo o mesmo tipo de organização do período colonial,
que estava estruturado do seguinte modo:
 1°- Tribunal popular supremo, cujas funções, eram pelo tribunal da
relação, nos termos dos artigos, 62 e 69, lei da organização
judiciaria;
 2°-os tribunais de comarca, que actualmente equivalem aos
tribunais provinciais;
 3°-os julgados municipais, que administravam a justiça nas
circunscrições;
 4°-os julgados de paz, administravam justiça nas localidades.

 Esta organização vigorou até 21 de Dezembro de 1978, com a


entrada em vigor da lei da organização judiciária.
Segunda fase: 1978-1992
 Nesta fase todos os tribunais foram transformados
em tribunais populares.
 Nos termos do artigo 10 do lei da organização
judicial, os tribunais passaram a ter a seguinte
designação:
 Tribunal popular supremo;

 Tribunais populares provinciais;

 Tribunais populares distritais;

 Tribunais populares de localidade.

 Lei n°12/78 de 2 de dezembro.


 Nas cidades eram criados quando necessário os tribunais populares
de bairro.
 Nesta altura o objectivo do governo era de solidificar a edificação da
justiça dos tribunais populares.
 A divisão administrativa territorial não sofreu nenhuma alteração.
 Tanto na primeira fase quanto na segunda fase, o ministério publico
também fazia parte da administração da justiça
 n°2 do artigo 10 da Lei n°12/78 de 2 de dezembro.
 Artigo 41 e SS. da Lei n°12/78 de 2 de Dezembro e o artigo 66 da
CRM 1975.
 As autoridades tradicionais exerceram seu papel na administração de justiça ate se levar
a cabo os objectivos definidos no artigo 4 da CRM de 1975, que culminou com a
eliminação do espaço de intervenção das autoridades tradicionais.
 Tal atitude era justificada pelo facto de se ver as autoridades tradicionais como
instrumento opressivo do colonialista português, possuindo uma mentalidade
obscurantista e colonial feudal.
 Neste sentido, no plano jurídico existia o monismo jurídico, porque o único direito
previsto, Era o direito codificado, o direito escrito, o direito positivo.
 Sistema de administração de justiça dos grupos dinamizadores.
 Os grupos dinamizadores nunca foram criados por um diploma ou institucionalizados.
 Isto porque embora tentassem eliminar as autoridades tradicionais e substitui-las pelos
grupos dinamizadores, elas sempre existiram e administraram justiça.
 As comunidades ainda consultavam as autoridades tradicionais pois o governo não
conseguiu estender o grupo dinamizador em todo território nacional.
 Outro motivo que levou as comunidades a consultar as autoridades tradicionais às
escondidas e a realização de cerimónias sagradas que os grupos dinamizadores não
podiam realizar.
 E de notar que as consultas não eram realizadas só pelas comunidades como também
pelos grupos dinamizadores as autoridades tradicionais.
 Desde 1975 existia em Moçambique uma economia
centralizada. A economia estava nas mãos do partido
frelimo cujo objectivo era criar e desenvolver a economia.
 Havia centralização de produção ou de mercado mas
escassez de técnicos qualificados, dai o recurso a técnicos
estrangeiros para assegurar a economia.
 O socialismo cujo objectivo era ajudar aos países não
alinhados começou a sofrer declínio a partir de 1978 no
âmbito da guerra fria entre os dois blocos, o socialista e o
capitalista.
 A queda do murro de Berlim pois fim ao bloco socialista e o inicio a uma
economia de mercado.
 Tal economia de mercado é preconizada com a aprovação da nova
constituição da republicada em 1990, que trouxe consigo dentre tantas
as seguintes inovações:
 Separação de poderes e independência do conselho constitucional; (teoria)
 Criação de um estado de direito democrático;
 Economia de mercado.
 Na constituição de 1990 os tribunais deixam de ser populares e
passam a ter sua existência da seguinte forma:
 O tribunal supremo e outros tribunais judiciais;
 O tribunal administrativo;
 Os tribunais militares;
 Os tribunais aduaneiros;
 Os tribunais fiscais;
Os tribunais marítimos;
Os tribunais de trabalho.
Artigo 1 da CRM de 1990
Artigo 41 da CRM de 1990
Al. a) do n°1 do artigo 167 da CRM 1990
Al. b) do n°1 do artigo 167 da CRM 1990
Al. c) do n°1 do artigo 167 da CRM 1990
Al. d) do n°1 do artigo 167 da CRM 1990
Al. e) do n°1 do artigo 167 da CRM 1990
Al. f) do n°1 do artigo 167 da CRM 1990
Al. g) do n°1 do artigo 167 da CRM 1990
 Para além desses tribunais foram criados também tribunais
comunitários. São partes integrantes do direito e da justiça
oficiais. Mas por outro lado a lei define-os como operando
fora da organização judiciária, como justiça do tipo
comunitário cuja valorização e aprofundamento são
propostas tendo em conta a diversidade étnica e cultural da
sociedade moçambicana.
 Lei n°4/92, de 6 Maio,

 Diz ainda mais o preambulo da lei da lei 4/92 que os
tribunais comunitários são criados para que permitam aos
cidadãos resolver pequenos diferendos no seio da
comunidade, contribuam para a harmonização de diversas
praticas de justiça e para o enriquecimento de regras, usos e
costumes e conduzam a síntese criadora do direito
moçambicano.
 Os tribunais comunitários vão assim fazendo a síntese
criadora do direito moçambicano, so que vão fazendo em
condições de grande precariedade que, a não serem
prontamente corrigidas, porão em causa, a curto prazo, a
própria existência dos tribunais comunitários
 Não era permitida a criação de outros tribunais para além dos
especialmente previstos na lei para o julgamento de certas categorias
de crime conforme se pode depreender do estabelecido no n°2 do
artigo167 da CRM de 1990.
 Alem de explicitar a qualificação dos tribunais como órgãos de
soberania, com dignidade igual ao do presidente da república, da
assembleia da república e do governo, a constituição também fixou
aos tribunais o objectivo de garantir legalidade o respeito pelas leis,
os direitos e liberdades dos cidadãos, assim como os interesses
jurídicos dos diferentes órgãos e entidades com existência legal,
conforme estabelecem os artigos 109 e o n°1 do artigo 161 da CRM
de 1990.
 Os tribunais ainda receberam da constituição de 1990 a função por
um lado preventiva de educar os cidadãos no cumprimento voluntario
das leis com vista a estabelecer uma convivência justa e harmoniosa,
por outro lado repressiva de penalizara violação da legalidade decidir
pleitos de acordo com a lei.
 A constituição de 1990 explicitou o dever dos juízes de obedecer
exclusivamente a lei e estabeleceu uma serie de garantias tal é o
caso da imparcialidade e irresponsabilidade, a restrição da
responsabilidade civil e criminal dos juízes no exercício das suas
funções aos casos da separação de poderes e independência do
conselho constitucional.
 n°s 2 e 3 do artigo 161 da CRM 1990.
 Artigos 164 e 165 da CRM 1990
 A constituição de 2004 da continuidade ao preconizado na
constituição de 1990, reafirmando, desenvolvendo e aprofundando os
princípios fundamentais do estado moçambicano, consagrando o
carácter soberano do Estado de direito democrático, baseado no
pluralismo de expressão, organização partidária e garantia dos direitos
fundamentais dos cidadãos.
 A consolidação do poder judicial se inicia com a aprovação da
constituição de 2004, passando pela entrada em vigor da lei
n°24/2007, de 20 de Agosto, lei da organização judiciária e por fim do
estatuto dos magistrados judiciais aprovado pela lei n° 7/2009 de 11
de Março
 Na república de Moçambique existem na perspectiva da constituição
de 2004 os seguintes tribunais:
 Tribunal supremo;
 Tribunal administrativo;
 Os tribunais judiciais.
 Vide preâmbulo da CRM 2004
 Artigo 223 da CRM 2004
 Nos termos do n°2 do artigo223 da CRM de
2004, estabelece-se que, “podem existir
tribunais administrativos, de trabalho, fiscais,
aduaneiros, marítimos, arbitrais e
comunitários”.
 Conforme mencionado, a CRM de 2004
apenas manteve e desenvolveu o que era
preconizado na CRM de 1990 até no âmbito
da organização judicial.

 SOUSA, Boaventura santos de, TRINDADE, João Carlos, conflito e Transformação Social:
uma Paisagem de Justiça em Moçambique, pag.72
lurdesaraujo04@yahoo.com.br
84 21 22 401
82 49 81 114