Você está na página 1de 12

MODELOS DE URBANISMO E

MOBILIDADE

Cultura, Língua e Comunicação 6

Educação e Formação de Adultos


– Nível Secundário

Cristina Caçador 1
URBANISMO

 É a disciplina e a actividade relacionadas


com o estudo (planeamento), a
regulamentação (intervenção do Estado nas
decisões), o controlo e o planeamento
(ferramenta administrativa, que possibilita
perceber a realidade, avaliar os caminhos,
construir um referencial futuro, estruturando o
trâmite adequado) e reavaliar todo o
processo.

Cristina Caçador 2
URBANISMO (cont.)
 O Urbanismo mostra-se, portanto, como uma
ciência humana, de carácter multidisciplinar,
inserida no contexto próprio de uma
sociedade em constante crescimento
demográfico, que responde a uma forte
pressão de civilização e urbanidade,
enfrentando as suas exigências e problemas.
 Numa perspectiva simplista, o urbanismo
corresponde à acção de projectar e ordenar
as cidades.
Cristina Caçador 3
URBANISMO (cont.)
 O estudo do urbanismo deve ser uma
actividade multidisciplinar e complexa que
dialoga principalmente com a arquitectura,
com a arquitectura da paisagem, com o
design e com a política.
 Necessita da contribuição de áreas como:
a ecologia, a geologia, as ciências sociais,
geografia e outras ciências.

Cristina Caçador 4
URBANISMO (cont.)
 A palavra deriva-se dos estudos do
engenheiro catalão Ildefonso Cerdá,
responsável pelo projecto de ampliação de
Barcelona, na década de 1850.
 Apesar de jamais ter usado o termo
urbanismo, Cerdà cunhou o termo urbe para
designar os diferentes tipos de assentamento
humano e o termo urbanização designando a
acção sobre a urbe. Destes termos muito
próximos, surgirá o nome urbanismo no início
do século XX.
Cristina Caçador 5
URBANISMO (cont.)
 No âmbito do planeamento
 urbano, destacam-se:
 o planeamento municipal;
 e o planeamento metropolitano.
 O primeiro é levado a cabo pelos municípios,
na forma de leis orçamentais e, no caso da
organização territorial, através dos Planos
Diretores Municipais.

Cristina Caçador 6
MOBILIDADE
 Constitui um factor de progresso e de
crescimento económico.
 Qualquer processo de criação e de
inovação tem, na sua génese, o
alargamento de horizontes e, para tal,
teremos de transpor/eliminar fronteiras,
criando uma maior abertura, bem como
uma cultura transfronteiriça, que permitam
o cruzamento de identidades culturais, a
partilha de valores e de experiências que
promovam a diversidade cultural.
Cristina Caçador 7
MOBILIDADE (cont.)
 É o primeiro passo para a procura de novas ideias e
novas experiências.
 A diversidade de oferta de mobilidade nacional,
europeia e internacional constitui uma fonte de
incentivos para atrair e fixar recursos humanos
altamente qualificados.
 Neste sentido, foram criadas diversas iniciativas como
um novo sistema de garantia da mobilidade que integra
um novo enquadramento legal para o reingresso,
mudanças de curso e transferências, a simplificação do
reconhecimento de diplomas estrangeiros, um sistema
específico de empréstimos com garantia mútua para
promover a mobilidade internacional dos estudantes e,
cumulativamente, a abertura do Ensino Superior à
frequência através de unidades capitalizáveis.
Cristina Caçador 8
PROJECTO MOBILIDADE
SUSTENTADA
 Pretende elaborar/consolidar Planos de
Mobilidade Sustentável para 40 Municípios
seleccionados no âmbito do Projecto,
visando a melhoria contínua das condições
de deslocação, a diminuição dos impactos no
ambiente e o aumento da qualidade de vida
dos cidadãos, indo ao encontro das grandes
orientações estratégicas comunitárias e
nacionais neste âmbito, numa lógica de
sustentabilidade.
Cristina Caçador 9
PROJECTO MOBILIDADE
SUSTENTADA (cont.)
 O Projecto preconiza apoio técnico e científico aos
Municípios seleccionados, no
desenvolvimento/consolidação dos referidos Planos
de Mobilidade Sustentável, através da criação de
uma Rede de Centros/Departamentos
Universitários (RCU).
 Esta Rede, que integra 15 Centros/Departamentos
Universitários, garante a partilha e intercâmbio de
experiências e de conhecimento entre os
Municípios e entre os Centros/Departamentos
Universitários e os Municípios, dotando-os de
capacidade técnica para o futuro, garantindo uma
harmonização na abordagem e resposta sustentada
a problemas comuns em termos de mobilidade.

Cristina Caçador 10
PROJECTO MOBILIDADE
SUSTENTADA (cont.)
 O desenvolvimento e a implementação do
Projecto envolve ainda as seguintes
Entidades: Ministério do Ambiente, do
Ordenamento do Território e do
Desenvolvimento Regional, do Ministério das
Obras Públicas, Transportes e
Comunicações e do Ministério da
Administração Interna, que constituem o
Grupo de Trabalho Ambiente e Transportes
(GTAT), que assegura o acompanhamento
do Projecto nas suas várias fases.
Cristina Caçador 11
PROJECTO MOBILIDADE
SUSTENTADA - APOIOS

 A Agência Portuguesa do Ambiente


celebrou um Protocolo com o Centro de
Sistemas Urbanos e Regionais - CESUR, do
Instituto Superior Técnico, para apoio técnico
e científico na implementação do Projecto.
 O Projecto contou igualmente com o apoio da
Associação Nacional dos Municípios
Portugueses.

12

Interesses relacionados