Você está na página 1de 39

Química Atmosférica de

Interiores (QAI)
- Felipe Pereira de Moura –
felipemoura.iq.ufrj@gmail.com -
http://lattes.cnpq.br/9544858885313065 -
https://www.linkedin.com/in/felipe-moura-450a1938/
Importância
- 80 a 90% do tempo em ambientes fechados
- Aumento de “mega-cidades”
De 10 megacidades com 153 milhões de pessoas em 1990 para 28 com 453 milhões em 2014.

- Maior número de pessoas em ambientes urbanos


BRASIL: de 84% em 2010 para 91% em 2030
MUNDO: de 54% em 2016 para 70% em 2050
- Moradias e ambientes de trabalho mais verticalizados
- Maior número de habitações precárias (favelas)
De 1 bilhão de pessoas em 2013 para 3 bilhões em 2050

- Complicações devido a mudanças climáticas

Fonte: ONU
POLUENTES

Biológicos Físicos Químicos Variáveis do ar

Esporos fúngicos Fibras minerais Dióxido de Carbono Temperatura


Bactérias Poeiras de Silica Monóxido de Carbono Umidade
Vírus Poeiras diversas Dióxido de Nitrogênio Ruído
Ozônio Taxa de
Dióxido de Enxofre renovação
Formaldeído Velocidade do ar
Compostos Orgânicos
Voláteis
Produtos de Limpeza
Inseticidas
Problemas de saúde causados pelos poluentes
Infecções do trato respiratório superior
Asma alérgica
Bronquite
Gripe
Pneumonia
Tosse
Falta de Ar
Dor de garganta
Dor de cabeça
Enxaqueca
Vertigens
Náuseas
Irritação dos olhos
Conjuntivites
Dermatites
Fonte: Brickus e Neto, 1999
Resultados econômicos dos poluentes

Diminuição de funções cognitivas de colaboradores


Maior incidência de doenças
Doenças transmissíveis
Maior número de ausências
Perdas financeiras
Principais causa mortis no Brasil (2013)
1° - Doenças cerebrovasculares - 100 mil mortes
2° - Infarto agudo do miocárdio - 85,9 mil
3° - Pneumonia - 68,3 mil
4° - Diabetes - 58 mil
5° - Homicídios por armas de fogo - 50 mil
6° - Doenças hipertensivas - 46,8 mil
7° - Bronquite, enfisema e asma - 43,5 mil
8° - Acidentes de transporte terrestres - 41,7 mil
9° - Insuficiência cardíaca - 27,3 mil
10° - Câncer de pulmão - 24,4 mil

Fonte: DATASUS
Como diminuir a poluição indoor
- Ambiente sem cigarro
- Aumentar a taxa de circulação de ar
- Limpeza periódica de aparelhos de ar condicionado
- Boilers e gás de cozinha em ambientes externos
- Evitar uso excessivo de produtos de limpeza, inseticidas e odorantes
- Evitar uso excessivo de cosméticos
- Garagens distantes dos ambientes de permanência
- Uso adequado de eletroeletrônicos
- Usar material de construção e mobiliário com menos emissões
Alguns casos específicos de poluição indoor....
Leis antifumo

- Lei 9294 de 1996 – com “fumôdromos”


- Lei 12546 de 2014

Curiosidades:
- Papa Urbano VII (1590)
- Hitler (1941)
Dormindo com o inimigo
- Antichamas em colchões e sofás

(HBO,2013)
Formaldeído em salões de beleza
ANVISA RDC N° 36 DE 2009
Interiores de automóveis

Fonte: TomTom
Interiores de automóveis

Fonte: Quadros et al,2008


Aparelhos de ar condicionado
- Resolução ANVISA 176 de 2000
< 1000 ppm de dióxido de carbono ( CO2 )
< 80 µg/m3 de aerodispersóides (aerossóis) totais no ar
< 750 ufc/m3 de fungos (não patogênicos)
- 24 participantes
- 2 escritórios simulados com 12 baias cada
- 6 dias de experimento
- 5 condições avaliadas
- 3 parâmetros modificados
- 8 horas/dia com 45min de pausa para almoço
- Teste de funções cognitivas avaliadas ao final do expediente (Strategic Management Simulation)
CO2 Ventilation COVs
Conventional Moderada Baixa Alta
Green Moderada Baixa Baixa
Green+ Baixa Alta Baixa
Moderate CO2 Moderada Alta Baixa
High CO2 Alta Alta Baixa
Relações com COVs e Ventilação

Green = +61%

Green+ = +101%
Relações com Dióxido de Carbono

CO2 moderado = -15%

CO2 elevado = -50%

Diminuição em 7 das 9 funções testadas


Relações com Dióxido de Carbono
Relações com Dióxido de Carbono
Relações com Dióxido de Carbono
Conclusões...
Notícias das 2 ultimas semanas...
Os autores determinaram que 17% apresentaram sintomas de infecção respiratória
durante os sete dias prévios à crise cardíaca e 21%, durante os 31 dias prévios.

Segundo os pesquisadores, as infecções respiratórias tendem a aumentar a formação


de coágulos no sangue, assim como a inflamação e as toxinas que danificam os vasos
sanguíneos, o que explicaria o forte aumento do risco cardiovascular.
“Boa parte das emissões de gases dos escapamentos não
entram hoje na Raia graças à proteção de concreto”, explica
Maria de Fátima. Segundo ela, a retirada da barreira
impactaria atletas e outros usuários do local. “Dessa forma
recomenda-se que ela não seja eliminada, pois está atuando
como um redutor do impacto do trânsito da Marginal
Pinheiros na qualidade do ar na área da Raia Olímpica da
USP”, conclui a especialista.
Além dos problemas com o barulho do trem, os
moradores precisam conviver com a poluição e
sujeira causada durante o transporte da carga. Por
isso a mineradora já foi denunciada junto a
organismos internacionais como corresponsável pela
má qualidade do ar e do ruído em Pequiá de Baixo.
Poucas espécies vegetais vivem na região, mas os
pesquisadores avaliaram cinco tipos
de musgos locais e perceberam um expressivo
aumento (de quatro a cinco vezes) em sua
atividade biológica nos últimos 50 anos. Apesar
de parecer uma notícia boa, uma vez que áreas
verdes preservadas são desejáveis, isso não se
aplica ao caso da Antártida. Os cientistas
consideram a descoberta um indicativo
alarmante da elevação das temperaturas na
região.
OBRIGADO!