Você está na página 1de 122

0349 Segurança, Higiene e Saúde

no Trabalho Conceitos Básicos


Objectivos:

 Reconhecer e aplicar a legislação de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho.


 Utilizar protecção no corpo e nas máquinas, seleccionando os equipamentos e
soluções de protecção adequados.
 Reconhecer e aplicar a legislação ambiental: resíduos, efluentes, ar e ruído.
 Decidir sobre medidas de prevenção, tendo em consideração as exigências do
processo produtivo, no âmbito da Higiene, Segurança e Ambiente.
 Reconhecer a importância da Segurança e Higiene no Trabalho como factor
de promoção de qualidade de vida.
Contéudo programático:
 Ambiente
 Boas práticas para o meio ambiente
 Principais problemas ambientais da actualidade
 Efluentes resíduos
 Efluentes líquidos
 Emissões gasosas
 Estratégias de actuação. Reduzir, reutilizar, reciclar, recuperar e racionalizar.
 Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho
 Sinalização de segurança
 Tipos de risco e seu controlo
 Gestão do risco
 Protecção colectiva e protecção individual
 Procedimentos de emergência
 Conceito de acidente de trabalho
 Génese dos acidentes
 Prevenção de acidentes e doenças profissionais
 Saúde, doença e trabalho
 Organização da Segurança e Saúde no Trabalho
A segurança do trabalho propõe-se combater,
dum ponto de vista não médico, os acidentes
de trabalho, quer eliminando as condições
inseguras do ambiente, quer educando os
trabalhadores a utilizarem medidas preventivas.
Causas e consequências
dos acidentes de trabalho
O que é ACIDENTE ?

Se procurarmos num dicionário poderemos


encontrar “Acontecimento imprevisto , casual , que
resulta em ferimento , dano , estrago , prejuízo , avaria ,
ruína , etc ..”
Os acidentes, em geral, são o resultado de uma
combinação de factores, entre os quais se
destacam as falhas humanas e falhas
materiais.

Os acidentes não escolhem hora nem lugar.


Podem acontecer em casa, no ambiente de
trabalho e nas inúmeras locomoções que
fazemos de um lado para o outro, para cumprir
nossas obrigações diárias.
Quanto aos acidentes do trabalho o que se
pode dizer é que grande parte deles ocorre
porque os trabalhadores se encontram mal
preparados para enfrentar certos riscos.
Causas de acidentes de trabalho
Acidentes devido a CONDIÇÕES PERIGOSAS:

 Máquinas e ferramentas

 Condições de organização (Lay-Out mal feito,


armazenamento perigoso, falta de Equipamento de
Protecção Individual - E.P.I.)

 Condições de ambiente físico, (iluminação, calor,


frio, poeiras, ruído)
 Acidentes devido a ACÇÕES PERIGOSAS:

 Falta de cumprimento de ordens (não usar E.P.I.)

 Ligado à natureza do trabalho (erros na


armazenagem)

 Nos métodos de trabalho (trabalhar a ritmo anormal,


manobrar empilhadores, distracções, brincadeiras)
Consequência dos acidentes de trabalho

Foi necessário muito tempo para que se


reconhecesse até que ponto as condições de
trabalho e a produtividade se encontram ligadas.

Numa primeira fase, houve a percepção da


incidência económica dos acidentes de trabalho
onde só eram considerados inicialmente os custos
directos (assistência médica e indemnizações) e só
mais tarde se consideraram as doenças profissionais.
Na actividade corrente de uma empresa ,
compreendeu-se que os custos indirectos dos
acidentes de trabalho são bem mais importantes que
os custos directos , através de factores de perda
como os seguintes :

 perda de horas de trabalho pela vítima

 perda de horas de trabalho pelas testemunhas e


responsáveis
 perda de horas de trabalho pelas pessoas encarregadas
do inquéritos

 interrupções da produção,

 danos materiais,

 atraso na execução do trabalho,


 custos inerentes às peritagens e acções legais eventuais,

 diminuição do rendimento durante a substituição

 a retoma de trabalho pela vítima

Estas perdas podem ser muito elevadas , podendo


mesmo representar quatro vezes os custos directos
do acidente de trabalho.
Natureza e fundamento do regime especial de
Acidentes de Trabalho

A responsabilidade objectiva
É limitada, sendo fixados dois limites para aplicação da Lei:
A noção de Acidente de trabalho.
A fixação dos danos ressarcíveis, sendo apenas abrangidas as
despesas respeitantes ao restabelecimento do estado de
saúde do sinistrado, bem como as incapacidades.
Não são indemnizados outros danos patrimoniais
Acidentes de Trabalho

Enquadramento
Dignidade constitucional
Lei 83 de 1913 (o legislador tem vindo a acompanhar o processo de
alargamento da protecção de todos os trabalhadores.
Lei 2127 de 1965 (foi introduzida a protecção do risco de trajecto –
risco in itinere.
Lei 100/97 (melhoria das condições de reparação dos danos
resultantes de Acidentes de Trabalho
Lei 98/2009 – em vigor
Âmbito e delimitação do Acidente de Trabalho
Âmbito Pessoal

Tem direito à reparação dos danos emergentes de acidentes de


trabalho:
Os vinculados à entidade empregadora por contrato de trabalho.
Os vinculados à entidade empregadora por contrato legalmente
equiparado ao contrato de trabalho.
Os trabalhadores e seus familiares têm direito à reparação
dos danos emergentes dos Acidentes de Trabalho.

Trabalhadores por conta de outrem, em qualquer actividade


com ou sem fins lucrativos.
Administradores, Directores, Gerentes ou equiparados,
quando remunerados.

Artº 3º Lei 98/2009


Direito à reparação
Aprendizes, estagiários e tirocinantes, mesmo que não
remunerados.
Trabalhadores considerados na dependência económica da
pessoa servida, ainda que não haja contrato.
Trabalhadores independentes.
Direito á reparação
Os praticantes, aprendizes, estagiários e tirocinantes, mesmo que
não remunerados e demais situações que devam considerar-se
de formação prática.
Os que, considerando-se na dependência económica da pessoa
servida, prestem, em conjunto ou isoladamente, determinado
serviço.
Consideram-se familiares a cargo, desde que com ele vivam em
comunhão de mesa e habitação:

Os descendentes solteiros, ou casados, separados ,viúvos ou


divorciados cujos rendimentos mensais sejam inferiores ao dobro
da pensão social ou ao valor desta, os ascendentes com
rendimentos mensais inferiores ao valor da pensão social ( ou ao
dobro dela se for um casal ).
São equiparados aos descendentes:
Os enteados, os tutelados, os adoptados restritamente e os
menores a cargo mediante confiança judicial ou administrativa
tendo em vista a adopção;
São equiparados a ascendentes:
Os padrastos e madrastas, os adoptantes restritivamente e os
afins na linha recta ascendente (pais e avós do cônjuge).
Só são consideradas uniões de facto as situações em que as
pessoas vivam há mais de dois anos em condições análogas às
dos cônjuges, nos termos do Artº. 2020º do Código Civil.
Conceito de Acidente
de
Trabalho
Lei 98/2009
Conceito de Acidente de Trabalho
É aquele que se verifique no local e tempo de trabalho e produza
directa ou indirectamente lesão corporal, perturbação funcional
ou doença que resulte redução na capacidade de trabalho ou de
ganho ou a morte.
Ocorrido na execução de serviços espontaneamente prestados e
de que possa resultar proveito económico para a E.P.
Entre o local de trabalho e o local de refeição

Artº 8º Lei 98/2009


Conceito de Acidente de Trabalho

Ocorrido no trajecto normalmente utilizado e durante o período


de tempo ininterrupto habitualmente gasto pelo trabalhador:
De ida e regresso para e do local de trabalho, entre a sua
residência habitual ou ocasional, desde a porta de acesso para
as áreas comuns do edifício ou para a via pública, até às
instalações que constituem o seu local de trabalho.

Artº 8º e 9º Lei 98/2009


Conceito de Acidente de Trabalho

No local de trabalho e fora deste, quando no exercício do direito


de reunião ou de actividade de representante dos Trabalhadores
(actividades sindicais).
Em actividade de procura de emprego durante o crédito de horas
para tal concedido por lei aos trabalhadores com processo de
cessação do contrato de trabalho em curso
Fora do local ou do tempo de trabalho, quando verificado na
execução de serviços determinados ou consentidos pela E.P.
Conceito de Acidente de Trabalho

No local de pagamento da retribuição, enquanto o trabalhador aí


permanecer para tal efeito.
No local onde ao trabalhador deva ser prestada qualquer forma
de assistência ou tratamento por virtude de anterior acidente de
trabalho e enquanto aí permanecer para tais fins.
Entre o local onde, por determinação da E.P. presta qualquer
serviço relacionado com o seu trabalho e as instalações que
constituem o seu trabalho habitual.
Conceito de Acidente de Trabalho

No trajecto entre os locais de trabalho no caso de o trabalhador


possuir mais de uma entidade patronal.
No local de trabalho, quando em frequência de curso de
formação profissional ou fora deste quando exista autorização
expressa da entidade patronal.
Por motivos de força maior ou por caso fortuito.
Conceito de Acidente de Trabalho

Entre o local onde, por determinação da E.P. presta qualquer


serviço relacionado com o seu trabalho e as instalações que
constituem o seu trabalho habitual.
Quando no trajecto normal tenha sofrido interrupções ou desvios
determinados pela satisfação de necessidades atendíveis do
trabalhador.
Delimitação do Acidente
de
Trabalho
Lei 98/2009
Acidentes de Trabalho
Delimitação do Acidente de Trabalho

Nos termos da Lei, está-se perante um Acidente de trabalho


indemnizável, sempre que, cumulativamente se verifiquem os
seguintes quesitos:

Ser vítima um trabalhador por conta de outrem ou equiparado;

Ser o trabalhador vítima de um acidente ocorrido no tempo e no


local de trabalho;
Acidentes de Trabalho
Delimitação do Acidente de Trabalho

Ser o acidente causa directa ou indirecta de lesão corporal,


perturbação funcional ou doença para o trabalhador;
Resultar dessa lesão corporal, perturbação funcional, redução na
capacidade de ganho ou de trabalho ou morte.

Artº 8º e 9º da Lei 98/2009


Descaracterização do
Acidente
de Trabalho

Lei 98/2009
Não é Acidente de Trabalho
Descaracterização
Acidente que for dolosamente provocado pelo sinistrado.
Provier do seu acto ou omissão, que importe violação das
condições de segurança estabelecidas pela E.P., ou previstas na
Lei.
Provier exclusivamente de negligência grosseira do sinistrado.
Resultar da privação permanente ou acidental do uso da razão
do sinistrado.
Provier de causa de força maior.
Artº 14º Lei 98/2009
Exclusões de Acidente
de
Trabalho
São excluídos do âmbito do Seguro Obrigatório de Acidentes
de Trabalho:
As doenças profissionais;
Os acidentes devidos a distúrbios laborais, tais como greves e
tumultos;
Os acidentes devidos a actos de terrorismo e de sabotagem,
rebelião, insurreição, revolução e guerra civil.

.
Excluem-se:
Os acidentes devidos a invasão e guerra contra país estrangeiro,
declarada ou não, e hostilidades entre nações estrangeiras, quer
haja ou não declaração de guerra, ou actos bélicos provenientes
directa ou indirectamente dessas hostilidades;
As hérnias com saco formado.
A responsabilidade por quaisquer multas e coimas que recaiam
sobre o empregador do seguro por falta de cumprimento das
disposições legais.
Excluem-se:
As incapacidades judicialmente reconhecidas como
consequência da injustificada recusa ou falta de
observância das prestações clínicas ou cirúrgicas ou
como tendo sido voluntariamente provocadas , na medida
em que resultem de tal comportamento.
Conceito de Contrato de
Trabalho
É aquele pelo qual uma pessoa se obriga, mediante retribuição, a
prestar a sua actividade a outra pessoa ou pessoas, sob a autoridade e
direcção destas.
Não é necessário que o lesado seja parte num contrato de trabalho
válido, bastando que o trabalhador tenha desenvolvido a sua actividade
para que os efeitos da relação laboral se produzam como se ela fosse
válida.
Acidentes de Trabalho
Local de Trabalho

Entende-se por local de trabalho todo o Lugar em que o trabalhador


se encontra ou deva dirigir-se em virtude do seu trabalho e em que
esteja directa ou indirectamente, sujeito ao controlo do empregador.

Artº 8º Lei 98/2009


Acidentes de Trabalho
Tempo de Trabalho

Entende-se por tempo de trabalho, além do período normal de


laboração, o que preceder o seu inicio, em actos de preparação ou
com ele relacionados e o que se lhe seguir, em actos também com
ele relacionados, e ainda as interrupções normais ou forçosas de
trabalho.

Artº 8º Lei 98/2009


Acidentes de Trabalho
Participação do sinistro
A entidade patronal deve participar, por escrito o sinistro ao
segurador, no prazo de 24 horas, a partir do respectivo
conhecimento.
Se do acidente resultar a morte do trabalhador a entidade
empregadora deve:
Participar de imediato ao segurador sem prejuízo de posterior
envio da respectiva participação escrita
Acidentes de Trabalho
Participação pelos Seguradores
Os seguradores são obrigados a participar ao tribunal
competente, por escrito, no prazo de oito dias, os acidentes:
De que tenha resultado Incapacidade Permanente – oito dias
contados a partir da cura clínica ou da alta definitiva.
De que tenha resultado a morte – oito dias contados a partir da
data da morte.
Em que a Incapacidade temporária ultrapassa 12 meses – oito
dias a contar da data em que se completam 12 meses a contar da
data do acidente.
Acidentes de Trabalho
Participação pelos Seguradores
Em caso de Morte, para além da participação formal, cabe ao
segurador a obrigação de participar imediatamente o acidente ao
tribunal competente, através de telecópia ou outra via com o
mesmo efeito de registo escrito de mensagens.
Acidentes de Trabalho
Tribunal Competente

Tribunal competente, Tribunal de Trabalho, afere-se em razão da


matéria e em razão do território, o Tribunal de trabalho que abranja
territorialmente o lugar onde ocorreu o acidente
Acidentes de Trabalho
Indemnizações
O montante das indemnizações está dependente do dano do
trabalhador, seja Incapacidade Permanente ou Temporária, seja
Absoluta ou Parcial, ou Morte.
É necessário apurar o grau de Incapacidade, o qual é determinado por
coeficientes, constantes da Tabela Nacional de Incapacidades inserta
no Dec-Lei 352/2007
Acidentes de Trabalho
Indemnizações

As pensões Respeitantes a Incapacidades Permanentes são


fixadas em montante anual;
As indemnizações por Incapacidades Temporárias são pagas em
relação a todos os dias, incluindo os de descanso e feriados;
Nas Incapacidades Temporárias superiores a 30 dias é paga a
parte proporcional correspondente aos subsídios de férias e de
Natal.
Acidente de Trabalho
Contribuições

Garantem-se os pagamentos de prestações,

Em dinheiro:
 70% salário bruto, em caso de I.T.A. nos primeiros 12
meses;
 75% salário bruto, em caso de I.T.A após 12 meses
 Indemnização ou pensão, em caso de I.T.P.;
 Pensão, em caso de morte.
Acidente de Trabalho
Contribuições

Garantem-se os pagamentos de prestações,

Em espécie (ilimitado !!!!....):


 Tudo o que for necessário à reposição do estado de
saúde do sinistrado, o mais aproximado com o momento
imediatamente anterior ao acidente.

Artº 25º Lei 98/2009


RISCOS
RISCOS

COMBINAÇÃO DA PROBABILIDADE DA
OCORRÊNCIA DE UM ACIDENTE COM AS
CONSEQUÊNCIAS DOS DANOS OU LESÕES.
GRUPO DE RISCO

É O CONJUNTO DE INDIVÍDUOS
COM DETERMINADAS
CARACTERÍSTICAS COMUNS,
COMPORTAMENTOS E
ATITUDES, QUE OS TORNAM
VULNERÁVEIS EM RELAÇÃO A
DETERMINADO FENÓMENO.
RISCOS

SUSCEPTIBILIDADE

CAPACIDADE DE UM INDIVÍDUO PODER


ADQUIRIR UMA CARACTERÍSTICA OU
DOENÇA;

UM INDIVÍDUO NÃO SUSCEPTÍVEL


NUNCA ADQUIRE UMA DOENÇA;
RISCOS

VULNERABILIDADE
SITUAÇÃO EM QUE A PROBABILIDADE
DE ADQUIRIR DETERMINADA
CARACTERÍSTICA OU DOENÇA É
MAIOR DO QUE NA POPULAÇÃO EM
GERAL (Ex. IDOSOS - FRACTURAS)
RISCOS DE ORIGEM
PROFISSIONAL
 Onde ocorrem mais acidentes?
 Agricultura
 Construção civil
 Indústrias extractivas
 Indústrias transformadoras

 Lisboa
 Porto
 Em que zonas?
 Mãos
 Tronco

 Olhos

 Pés
 RISCO DE NATUREZA BIOLÓGICA

 RISCO DE NATUREZA FÍSICA

 RISCO DE NATUREZA QUÍMICA

 RISCO DE NATUREZA MECÂNICA

 RISCO DE NATUREZA PSICOSSOCIAL


RISCO DE NATUREZA BIOLÓGICA
FONTES DE CONTAMINAÇÃO

SANGUE CONTAMINADO

PRODUTOS ORGÂNICOS CONTAMINADOS

MATERIAIS CONTAMINADOS PELO SANGUE


E PRODUTOS ORGÂNICOS
PREVENÇÃO

 VACINAÇÃO ANTI-HEPATITE B

 LAVAGEM DAS MÃOS

 UTILIZAÇÃO DE MATERIAL
DESCARTÁVEL
PREVENÇÃO

UTILIZAÇÃO DE BARREIRAS
PROTECTORAS:

 LUVAS
 MÁSCARAS COM
VISEIRA/ÓCULOS
 AVENTAIS
 BATAS IMPERMEÁVEIS
RISCOS NATUREZA SANGUE E
PRODUTOS
BIOLÓGICA ORGÂNICOS

Fornecer EPI

Fornecer vacina Utilizar


hepatite B correctamente
equipamento de
protecção individual

Vigilância de saúde
do trabalhador
FONTES DE
CONTAMINAÇÃO

OS PRÓPRIOS
PRODUTOS
VIAS DE CONTAMINAÇÃO

VIA CUTÂNEA

VIA INALATÓRIA
SINAIS E SINTOMAS

 Irritação das mucosas dos olhos,


nariz, garganta e trato
respiratório.
 Dermatites de contacto
 Cefaleias
 Náuseas e vómitos
 Coloração amarela da pele
 Sabor a metálico na boca
PREVENÇÃO

 Utilização de bata, avental plástico, luvas,


máscara e óculos protectores.

 Colocação dos frascos, embalagens e outro


tipo de material em sacos de lixo próprios.

 O local onde se encontra o produto deve ser


ventilado, assim como o local onde o produto
é utilizado;
RISCOS NATUREZA
OUTROS
QUÍMICA

Recomendações
Proporcionar EPI do fabricante
Utilizar correctamente
EPI

Atenção na escolha Manuseamento em


locais ventilados

Tapar recipientes

Evitar exposições
prolongadas
Factores de risco de natureza
física

Radiações ionizantes 1 –Alteração da pele


e de outros tecidos
 Aparelhos de raio 
(ex. neoplasias);
Intensificadores de
imagem
 Implantes
radioactivos
Factores de risco de natureza
física

Radiações Ex. Alteração da


não acuidade visual
ionizantes

Todas as outras
radiações
(ex. Computadores)
Factores de risco de natureza
física

 ILUMINAÇÃO
(Fadiga visual)

 CONDIÇÕES
TÉRMICAS (Ar
condicionado – meio
propicio para a
multiplicação de
bactérias)
Factores de risco de natureza
física
 FACTORES ELÉCTRICOS (Choques; queimaduras)

 INCÊNDIO OU EXPLOSÃO (Concentração de O2;


Quantidade de aparelhos eléctricos; utilização de
líquidos inflamáveis e gases voláteis).
PREVENÇÃO (Radiações)

 Barreiras: uso de aventais, luvas e protectores.

 Redução da exposição:
 Devem manter-se na sala apenas os elementos
considerados indispensáveis para a realização dos
procedimentos em curso.
 Fazer rotação de pessoal.
 Distancia da fonte:
 O pessoal presente na sala durante a utilização das
radiações, deve permanecer a pelo menos 2 metros do
feixe directo.
PREVENÇÃO (Radiações)

 As grávidas constituem um grupo particular, onde o


risco de exposição está acrescido pelas
consequências de sobredosagem no feto e que se
traduzem por:

Nas primeiras semanas – aborto espontâneo


No primeiro trimestre – anomalias congénitas
No segundo trimestre – microcefalia, atraso mental e
leucemias
PREVENÇÃO (Incêndio ou Explosão)

 Escolha de materiais resistentes ao fogo


 Compartimentação em secções isoláveis.
 Saídas de emergência assinaladas.
 Existência de extintores e bocas de água em locais
assinalados.
 Armazenamento de produtos de risco em locais bem
ventilados, à prova de fogo e nas quantidades necessárias.
 Manutenção periódica preventiva do equipamento eléctrico.
 Formação e informação dos utilizadores, com simulações
 Identificação de dispositivos de segurança:

 Vermelho – cor de proibição e de identificação de material de


incêndio
 Amarelo – cor de perigo (com o preto)
 Verde – primeiros socorros, saídas de emergência,…
 Azul – fornecimento de instruções várias
PREVENÇÃO (Eléctricos)

 Vigilância das instalações eléctricas.


 Tomadas em número suficiente, para
desencorajar o recurso e extensões e
fichas múltiplas.
 As tomadas devem estar colocadas
em locais seguros.
 Manutenção dos aparelhos eléctricos
RISCOS NATUREZA RADIAÇÕES
FÍSICA IONIZANTES

Reduzir a exposição

Proporcionar EPI Rotação de pessoal


RISCOS NATUREZA RADIAÇÕES
FÍSICA NÃO IONIZANTES

Proporcionar condições Cumprir normas de


adequadas segurança

Vigilância e manutenção Utilizar sistemas de


do equipamento ventilação
e aspiração de fumos

Vigilância oftalmológica
Utilizar protectores
dos trabalhadores oculares
RISCOS NATUREZA ELÉCTRICOS
FÍSICA EXPLOSÃO
INCÊNDIO
Cumprir normas de
segurança estabelecidas
Utilizar correctamente
Saídas de emergência os aparelhos

Extintores
Manutenção de Observar e alertar
equipamento eléctrico sobre estado de
conservação de
Planos de acção em
material eléctrico
caso de incêndio

Formação- Simulações
RISCOS NATUREZA ILUMINAÇÃO E
FÍSICA TEMPERATURA

Proporcionar
adequado nível de Alertar sobre mau
luminosidade funcionamento

Ambiente térmico
confortável

Vigilância de sistemas
de climatização
Factores de risco de natureza
Mecânica

 Desempenho de actividades em posições


forçadas

 Transportes de materiais e equipamentos

TRAUMATISMOS DE COLUNA
 Ergonomia
 Vem do Grego
 Ergon – trabalho
 Nomos – estudo

 Conjunto de conhecimentos científicos


relativos ao homem e necessários para
conceber ferramentas, máquinas e
dispositivos que possam ser utilizados
com o máximo conforto, de segurança e
eficiência.
Factores de risco de natureza
Mecânica

RUÍDO

Manuseamento de material
Barulho de alarmes de
máquinas
Funcionamento de
equipamentos
Comunicação entre os vários
profissionais
PREVENÇÃO (Manuseamento de pesos)

 Assistência mecânica para


levantamento de pesos.
 Áreas de trabalho com
dimensões adequadas.
 Organização de trabalho.
 Formação / Ensino
PREVENÇÃO (Ruído)
 Escolha de materiais
 Lubrificação de equipamentos rodados e
articulados.
 Manutenção de disciplina:
 Restrição do número de pessoas na mesma área;
 Descrição na comunicação entre os vários
elementos da equipa;
RISCOS NATUREZA MOBILIZAÇÕES
MECÂNICA E
QUEDAS

Proporcionar EPI Utilizar equipamento


auxiliar

Formação Armazenamento
adequado
de material pesado
Atitudes posturais
Calçado
Técnicas de mobilização e antiderrapante
transporte de materiais Dotação de pessoal de
acordo com funções a
desempenhar
RISCOS NATUREZA
MECÂNICA RUIDO

Controle de fontes de
ruído

Escolha de equipamento Restrição do


numero de pessoas
Manutenção do material numa determinada
em bom estado área
de conservação

Avaliação dos níveis


de ruído

Vigilância da saúde
dos trabalhadores
RISCO PSICOSSOCIAL
RISCO DE NATUREZA
PSICOSSOCIAL (CAUSAS)
 DEFICIENTE
INTEGRAÇÃO DOS
TRABALHADORES
 TRABALHOS
MINUCIOSOS
 GRAVIDADE DO
DOENTE
 TRABALHO EM
AMBIENTE
FECHADO
RISCO DE NATUREZA
PSICOSSOCIAL (CAUSAS)
GESTÃO DE
CONFLITOS
PRESSÃO DO
TEMPO
COLEGAS POUCO
PRODUTIVOS
FALTA DE
COMUNICAÇÃO
RISCO DE NATUREZA
PSICOSSOCIAL
(CONSEQUÊNCIAS)

STRESS, FADIGA
PERTURBAÇÕES
QUALITATIVAS E
QUANTITATIVAS DO
SONO
AUMENTO DA TENSÃO
EMOCIONAL
RISCO DE NATUREZA
PSICOSSOCIAL (CONSEQUÊNCIAS)

AUMENTO DOS
PROBLEMAS
INTERPESSOAIS

PERTURBAÇÕES SÓCIO-
FAMILIARES

ALTERAÇÕES DO HUMOR
RISCO DE NATUREZA
PSICOSSOCIAL (PREVENÇÃO)

INTERESSES EXTRA –
PROFISSIONAIS

RESERVAR TEMPO PARA SI


PRÓPRIO

MANTER ATITUDE
POSITIVA
RISCO DE NATUREZA
PSICOSSOCIAL (PREVENÇÃO)
 ANALISAR O PROBLEMA COM
CALMA

 FAMILIARIZAR-SE COM AS
NORMAS DA ORGANIZAÇÃO

 ORGANIZAÇÃO DOS ESPAÇOS,


MATERIAIS E EQUIPAMENTOS
RISCO DE NATUREZA
PSICOSSOCIAL (PREVENÇÃO)

ESTABELECER
PRIORIDADES

ÁREAS DE
DESCANSO

FAZER
PEQUENAS PAUSAS
RISCO DE NATUREZA
PSICOSSOCIAL (PREVENÇÃO)

REDUÇÃO DA IDADE
DA REFORMA
???????? MÚSICA SUAVE
SEM LETRA

PESSOAL SUFICIENTE
RISCO DE NATUREZA
PSICOSSOCIAL (PREVENÇÃO)

 REUNIÕES
PERÍÓDICAS
 INCENTIVAR O
TRABALHO DE
EQUIPA
 BOA INTEGRAÇÃO
DE NOVOS
ELEMENTOS
RISCO DE NATUREZA
PSICOSSOCIAL (PREVENÇÃO)

ADEQUADA ORGANIZAÇÃO DO
HORÁRIO

EXISTÊNCIA DE PSICÓLOGO
NA INSTITUIÇÃO

VIGILÂNCIA PERIÓDICA DOS


TRABALHADORES
RISCOS NATUREZA STRESS
PSICOSSOCIAL FADIGA

Programas de Adequada
formação individual organização do
e colectiva regime de trabalho
por turnos

Grupos de suporte

Fomentar espírito de
equipa e partilha de
objectivos comuns
MODO DE
PREVENÇÃO

REFLECTIR SOBRE A NOSSA


ACTUAÇÃO

APRESENTAR ALGUNS PROCEDIMENTOS


EM CASO DE ACIDENTE
QUEM DEVE PREVENIR OS
RISCOS ?

PROFISSIONAIS

INSTITUIÇÃO
INSTITUIÇÃO

AVALIAR AS CONDIÇÕES DE
TRABALHO
MANTER AMBIENTE DE
TRABALHO
SEGURO E SAUDÁVEL
INSTITUIÇÃO
EVITAR AVALIAR

COMBATER
SUBSTITUIR
ERGONOMIA

MEDIDAS DE PROTECÇÃO
INDIVIDUAL
COLECTIVA

PROGRAMAS DE PROMOÇÃO DA SAÚDE


PROGRAMAS DE
PROMOÇÃO DA SAÚDE

CONHECIMEN
TO ALTERAÇÃO
COMPORTAMENTOS

AMBIENTES
DE APOIO
PROFISSIONAIS

AUTO-CUIDADO

AUTO-RESPONSABILIDADE

MUDANÇA DE COMPORTAMENTOS
QUANDO O ACIDENTE OCORRE

PRESTAR PRIMEIROS SOCORROS

PARTICIPAR O ACIDENTE

APENAS OS ACIDENTES PARTICIPADOS


SÃO CONSIDERADOS DA RESPONSABILIDADE
DA ENTIDADE PATRONAL
SEGUIR AS NORMAS DE SEGURANÇA

ADOPTAR PROCEDIMENTOS CORRECTOS

UTILIZAR SEMPRE EPI

NÃO FACILITAR
Sinalização de Segurança
Proibição

 Proíbe um comportamento susceptível a provocar perigo;


Aviso

 Adverte para a existência de um perigo;


Obrigação

 Prescreve/obriga a ter um determinado comportamento;


Salvamento ou Emergência

 Dá indicações relativas ás saídas de emergência ou aos; meios de


socorro ou salvamento;
Material de combate a incêndios
SINAIS DE OBSTÁCULOS E
LOCAIS PERIGOSOS

 Sinalização dos riscos de choque contra obstáculos ou queda de


objectos ou pessoa;

Você também pode gostar