Você está na página 1de 42

Anti-inflamatórios

Profa. Solange Oliveira


CURSO TÉCNICO EM VETERINÁRIA

1
Anti-inflamatórios_ Introdução

Indivíduo saudável
O organismo encontra-se preparado e capaz de proteger-se
contra agressões através de mecanismos fisiológicos, tais como
reações imunes e anti-inflamatórias

https://www.azpetshop.com.br/blog/caes/veja-dicas-para-manter-seu-cao-limpinho-e-saudavel/
2
Anti-inflamatórios_ Introdução
Qualquer estímulo, seja ele de natureza:
- Química
- Física
- Mecânica
É capaz de iniciar um processo inflamatório no organismo

De forma mais ou menos extensa

Produção de uma série de


mediadores químicos, que terão
ação central sobre eventos
vasculares ou celulares

3
Anti-inflamatórios_ Introdução
O processo inflamatório é, genericamente, classificado com base
em alguns parâmetros citológicos e sintomáticos que vão
variando progressivamente com o passar do tempo

Processo
inflamatório agudo

Processo
inflamatório crônico

4
Anti-inflamatórios_ Introdução
O processo inflamatório é, genericamente, classificado com base
em alguns parâmetros citológicos e sintomáticos que vão
variando progressivamente com o passar do tempo

Calor Rubor Tumor


Processo
inflamatório agudo

Dor
Caracteriza-se pela curta
duração e apresenta sinais
cardeais da inflamação
http://patologiaenf101.blogspot.com.br/2010/03/inflamacao-aguda.html 5
Anti-inflamatórios_ Introdução
O processo inflamatório é, genericamente, classificado com base
em alguns parâmetros citológicos e sintomáticos que vão
variando progressivamente com o passar do tempo

Processo Perdura por um tempo


inflamatório crônico indeterminado

Não apresenta um padrão tão estereotipado e


varia de acordo com os tipos de mediadores
celulares e humorais envolvidos

https://www.youtube.com/watch?v=2Uxil6PgTn4 6
Anti-inflamatórios_ Introdução
O objetivo do processo inflamatório é debelar o agente causador
da lesão, bem como reparar o tecido lesionado

Quando o processo inflamatório é


muito exacerbado, o órgão
afetado poderá ter a sua função
comprometida

Nestes casos, devem ser utilizadas


substâncias que modulem o
processo inflamatório

https://saludoralcuidados.wordpress.com/2017/01/22/inflamacion/ 7
Anti-inflamatórios_ Introdução
As substâncias que modulam o processo inflamatório são
conhecidas como anti-inflamatórios e são classificados em:

Anti-inflamatórios não
esteroidais (AINE)

Anti-inflamatórios
esteroidais

8
Anti-inflamatórios não esteroidais_AINE
São várias as ações terapêuticas dos AINE

Ações de caráter periférico:


- Anti-inflamatórias
- Analgésicas
- Antitrombóticas
- Antiendotóxicas

Ações sobre o SNC:


- Antipirética
- Analgésica

9
Anti-inflamatórios não esteroidais_AINE
Os AINE têm maior efeito sobre a dor somática do
que sobre a dor visceral

Os AINE têm como vantagem sobre os analgésicos


opioides o fato de não produzirem sedação ou ataxia

Recuperação mais rápida da anestesia

Não são passíveis de promover tolerância ou


dependência farmacológica

10
Anti-inflamatórios não esteroidais_AINE
A aplicação de AINE deverá ser avaliada quanto à
segurança do paciente

Na presença de comprometimento hepático ou


renal, os efeitos colaterais serão potencializados

A utilização de AINE nas terapias de degeneração


articulares deve ser cautelosa, já que alguns deles
têm, potencialmente, capacidade de piorar este
quadro patológico

11
Anti-inflamatórios não esteroidais_AINE
A ação anti-inflamatória dos AINE é particularmente
importante em processos inflamatórios de tecidos
moles, sobretudo muscular

São muito utilizados nas desordens


musculoesqueléticas

http://www.atlasdasaude.pt/publico/content/lesoes-musculo-esqueleticas 12
Anti-inflamatórios não esteroidais_AINE
Em medicina veterinária, os conhecimentos da
farmacocinética e farmacodinâmica são essenciais
para a utilização dos diferentes medicamentos

A meia vida de uma substância (anti-inflamatório) difere


muito de espécie para espécie

Em função das diferentes vias de


biotransformação e outras características
(doenças associadas, idade dos animais)

http://agrobatalha.com.br/ 13
Anti-inflamatórios não esteroidais_AINE
O que diferencia as várias formulações comerciais
dos AINE, no que se refere à potência de inibição dos
processos inflamatórios, febris e dolorosos:
- É a sua ação sobre diferentes mediadores químicos
inflamatórios
- Biodisponibilidade
- Biotransformação
- Eliminação

Nas diferentes espécies animais

http://agrobatalha.com.br/ 14
Anti-inflamatórios não esteroidais_AINE
Mecanismo de ação:
A maioria dos medicamentos anti-inflamatórios
classicamente utilizados na terapêutica bloqueia
tanto a COX-1 como a COX-2, ocorrendo esta
inibição em graus diferentes

COX: são enzimas denominadas ciclo-oxigenase. São mediadores


químicos fundamentais para o desenvolvimento do processo
inflamatório

15
Anti-inflamatórios não esteroidais_AINE
Os principais e mais utilizados AINE atuam através
da inibição preferencial da COX-1 em detrimento da
COX-2
Devido a esse fato surgem os efeitos colaterais
relacionados ao uso desses medicamentos:
- Gastrites difusas
- Erosões gástricas
- Ulcerações
- Gastrenterite hemorrágica fatal
- Falhas renais agudas
- Lesões renais crônicas

16
Anti-inflamatórios não esteroidais_AINE
Compostos que atuam preferencialmente na inibição
da COX-2

Tem como objetivo evitar a manifestação de efeitos


colaterais, sobretudo os relacionados com as lesões
gastrintestinais e renais

17
Anti-inflamatórios não esteroidais_AINE
Principais AINE utilizados em medicina veterinária

Além de serem utilizados como anti-inflamatórios, são


empregados também com o objetivo de:
- Debelar dores, em geral moderadas
- Febre
- Artrite
- Gota
- Aplicação no tratamento tópico de patologias
dermatológicas e oftalmológicas
- Cirurgias abdominais (evitar aderências)

18
Exemplos de medicamentos anti-inflamatórios não esteroidais

Medicamento Espécie

Ácido acetilsalicílico Cães, gatos, bovinos, equinos,


suínos

Carprofeno Cães, bovinos, equinos

Cetoprofeno Cães, gatos, equinos

Dipirona Cães, gatos, equinos

Fenilbutazona Cães, gatos, bovinos, caprinos,


ovinos, equinos, suínos

Meloxicam Cães, gatos

Nimesulida Cães, gatos

19
20
Anti-inflamatórios não esteroidais_AINE
AINE de uso restrito em medicina veterinária

Diclofenaco: tem uso restrito em cães devido ao


desenvolvimento de sérios efeitos colaterais,
principalmente com sangramentos gástricos

Diclofenaco Cães

21
Anti-inflamatórios não esteroidais_AINE
AINE de uso restrito em medicina veterinária

Paracetamol: os felinos são especialmente sensíveis à


ação do paracetamol. Não é indicado para gatos.
Em casos de intoxicação os animais apresentam
mucosas de coloração azulada, salivação e vômito. Em
casos graves coma e morte

Paracetamol Gatos

22
Anti-inflamatórios esteroidais_ Introdução
Glândulas adrenais
São responsáveis, em sua porção cortical, pela produção dos
hormônios esteroides, sintetizados a partir do colesterol

Também chamados de corticosteroides ou corticoides

Alguns dos corticosteroides


apresentam potentes efeitos anti-
inflamatórios e imunossupressores

http://cesarcamara.com.br/blog/2016/08/17/nodulos-e-tumores-da-glandula-adrenal/ 23
Anti-inflamatórios esteroidais_ Introdução
Os corticosteroides são sintetizados e liberados quando necessários,
não sendo estocados nas células adrenais
Hipotálamo
CRH A secreção de CRH é controlada
pelos níveis de glicocorticoides
Adeno-hipófise

ACTH

Adrenal v Corticosteroides
CRH: hormônio liberador de corticotropina/ ACTH: hormônio adrenocorticotrófico
24
Anti-inflamatórios esteroidais_ Introdução
Propriedades fisiológicas e farmacológicas
Efeitos metabólicos gerais

Os hormônios glicocorticoides são:


- Agentes hiperglicemiantes
- Possuem efeitos sobre os carboidratos
- Interferem no metabolismo proteico
- Promovem a retenção de sódio
- Excreção de potássio
- Expansão do volume extracelular
- Aumento da diurese

25
Anti-inflamatórios esteroidais_ Introdução
Propriedades fisiológicas e farmacológicas

Efeitos nos sistemas orgânicos

Muitas alterações no funcionamento de vários sistemas do


organismo animal estão associadas a condições de
HIPERSECREÇÃO ENDÓGENA ou de ADMINISTRAÇÃO
CRÔNICA E/OU MACIÇA DE GLICOCORTICOIDES EM
PREPARAÇÕES FARMACOLÓGICAS

26
Anti-inflamatórios esteroidais_ Introdução
Propriedades fisiológicas e farmacológicas

Efeitos nos sistemas orgânicos

Por exemplo: na pele, os glicocorticoides, quando em


doses farmacológicas, inibem a síntese de material
conjuntivo (colágeno e ácido hialurônico)
Como consequência: diminuição da espessura
dérmica, tornando difícil a cicatrização. A
renovação celular epidérmica também torna-se
afetada
27
Anti-inflamatórios esteroidais
A principal indicação terapêutica dos glicocorticoides
deve-se ao seus potentes efeitos anti-inflamatórios e
imunossupressores

São capazes de bloquear desde manifestações mais


precoces do processo inflamatório (dor, calor e rubor)
até as mais tardias, como reparação e proliferação
tecidual

28
Anti-inflamatórios esteroidais
A principal indicação terapêutica dos glicocorticoides
deve-se ao seus potentes efeitos anti-inflamatórios e
imunossupressores
Os esteroides anti-inflamatórios afetam todos os
tipos de resposta inflamatória

Por patógenos invasores, Por uma reação imunológica


estímulo físico ou químico inapropriada (hipersensibilidade
e doenças autoimunes)
29
Anti-inflamatórios esteroidais
Os esteroides são divididos de acordo com a duração
de seus efeitos

- Efeito rápido
- Efeito intermediário
- Efeito prolongado

A potência dos glicocorticoides sintéticos é avaliada pela sua


atividade anti-inflamatória, quando comparada com a
hidrocortisona

30
Comparação dos principais glicocorticoides de utilidade farmacológica
Composto Comentários

Ação rápida
Hidrocortisona Medicamento de escolha em terapias de
reposição e emergências
Cortisona Fraca atuação como anti-inflamatório

Ação intermediária
Prednisolona Medicamento de escolha para terapias
sistêmicas anti-inflamatórias e/ou
imunossupressivas de caráter crônico
Outros compostos dessa classe: Prednisona, Metilprednisolona e
triancinolona
Ação prolongada
Dexametasona Medicamento de escolha para terapias
sistêmicas anti-inflamatórias e/ou
imunossupressivas agudas; indicada para
testes de supressão
31
Anti-inflamatórios esteroidais
As preparações farmacológicas utilizadas não
diferem muito da estrutura molecular do cortisol
endógeno

São obtidas ou por extração de fluidos e tecidos animais, ou


por oxidação microbiológica de outros esteroides.
Ainda por síntese parcial usando material extraído de tecido
vegetal

http://sintomascausas.blogspot.com/2012/08/teste-de-supressao-de-dexametasona.html
32
Anti-inflamatórios esteroidais
Vias de administração

Vias:
Tópica
Todos os glicocorticoides Oral
são bem absorvidos de Subcutânea
qualquer local de Intramuscular
administração Intravenosa
Inalatória

http://www.caesonline.com/dicas-de-como-aplicar-o-colirio-no-cao/ 33
Anti-inflamatórios esteroidais
INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS E POSOLOGIA
A principal indicação para os glicocorticoides é a
terapia de reposição para os casos clínicos de
insuficiência adrenal

Situações de hipoadrenocorticismo

A grande maioria dos casos de uso de


glicocorticoides é dirigida para fins anti-inflamatórios
e imunossupressores

34
Anti-inflamatórios esteroidais
INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS E POSOLOGIA

- Insuficiência adrenal
- Doenças Imunomediadas (doenças autoimunes e
condições alérgicas)
- Doenças brônquicas e pulmonares
- Traumas articulares
- Traumas e edemas cerebrospinais
- Choques

35
Anti-inflamatórios esteroidais
INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS E POSOLOGIA

A administração de glicocorticoides, dever ser


orientada no sentido de:
Menor dose terapêutica durante o menor período de
tempo

E que se faça em situações onde terapias (por exemplo


AINE) se mostraram ineficazes ou inaplicáveis

36
Anti-inflamatórios esteroidais
INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS E POSOLOGIA

2 vezes maior
Dose Dose anti-
imunossupressora inflamatória

Por sua vez, é 10 vezes maior do que as doses ditas


fisiológicas

37
Anti-inflamatórios esteroidais
EFEITOS COLATERAIS

Efeitos benéficos obtidos pelo uso de glicocorticoides são


seguramente atingidos

Porém o uso contínuo, em doses suprafisiológicas, leva o


aparecimento de inúmeros efeitos indesejáveis

38
Anti-inflamatórios esteroidais
Insuficiência adrenal iatrogênica

Quando um animal é submetido


a uma terapia prolongada com
glicocorticoides

E se interrompe o tratamento
bruscamente ou se expõem o paciente a
situações de estresse, o animal se mostra
incapaz de suprir as suas necessidades de
glicocorticoides
39
Anti-inflamatórios esteroidais
Hipreadrenocorticismo Iatrogênico

É uma ocorrência mórbida relativamente comum nas


situações de uso repetido de corticosteroides de depósito
Embora possa se dar durante a administração de qualquer
preparação com glicocorticoides

Isto inclui as vias de aplicação orais, tópicas, oftálmicas


e óticas

40
Anti-inflamatórios esteroidais
Hipreadrenocorticismo Iatrogênico
Sinais clínicos
Em maior ou menor grau:
- Poliúria, polidipsia e polifagia
- Abdome abaulado
- Apatia
- Estridor respiratório
- Atrofia muscular
- Lesões cutâneas variadas

https://clinicavetcare.wordpress.com/2017/02/24/saiba-mais-hiperadrenocorticismo/ 41
Vista da cidade de São Paulo, Pedra Grande _ Cantareira
42