Você está na página 1de 20

Cuidador de idosos.

• O envelhecimento ( senescencia/ senilidade) ► limitações


físicas ou cognitivas que levam a uma dependência parcial
ou total das AVD ► demanda de cuidados.

• A velhice sem independência e autonomia ainda faz parte


de uma face oculta da opinião publica ► permanece
oculta em nos domicílios, hospitais ou nos ILPIs, distante do
“ olhar” da sociedade e dos profissionais da saúde.

• O cuidado da pessoa idosa e um atributo do estado, da


família e da sociedade como um todo.

• A tendência mundial é a redução de gastos do setor de


benefícios públicos, levando á ampliação das
responsabilidades familiares.
• Cuidar de idosos significa iniciar um processo coletivo e individual
de compreensão e aceitação do envelhecimento.

• Cuidado → maioria das vezes, desempenhado por pessoas sem


formação básica adequada, representado:
por um membro da família (cuidador informal)
por uma pessoa contratada (cuidador formal).
• Cuidado:

• Atenção, precaução, dedicação, carinho, responsabilidade


• E servir, é oferecer ao outro, em forma de serviço, o
resultado de seus talentos, preparo e escolhas;

• perceber a outra pessoa como ela é, e como se mostra,


seus gestos e falas, sua dor e limitação.

• prestar o cuidado de forma individualizada, levando em


consideração as particularidades da pessoa a ser cuidada
Cuidador de idosos:
Função: acompanhar e auxiliar a pessoa idosa a se cuidar, fazendo pela
pessoa somente as atividades que ela não consiga fazer sozinha.
Não fazem parte da rotina do cuidador técnicas e procedimentos da
área de enfermagem.

 Parentesco (cônjuges, filhos), gênero (feminino), proximidade física


(viver junto), proximidade afetiva (filhos, esposa, netos).

 Inquérito domiciliar com 1602 idosos em São Paulo:


40% cônjuge, 35% filha, 11% filho, 10% família.

 Geralmente: filhos ► despesas e as responsabilidades legais


as filhas tendem ► cuidados pessoais do cotidiano.
• Perfil do cuidador

 ter grau de instrução suficiente para seguir as orientações da


equipe;
 ter boa saúde física e mental;
 ter capacidade para desenvolver um bom relacionamento
interpessoal;
 ter postura de auto respeito e autocuidado, compreendendo
suas limitações;
 ter postura de sensibilidade e responsabilidade social;
 Se conhecer, tendo auto controle em situações estressantes,
sendo conciliador;
 Ter boa capacidade profissional;
• Cuidando do cuidador
• O ato de cuidar e complexo.

• E frequente encontrar cuidadores, tão o mais frágeis que os idosos


que estão sendo cuidados, apresentando fragilidades orgânicas e
emocionais, com alto grau de estresse e demandando atenção e
cuidados.

• A sobrecarga de trabalho é capaz de gerar várias consequências


deletérias para o cuidador como:
 Isolamento social;
 Mudanças e insatisfações conjugais;
 Dificuldades financeiras;
 Deficiência na saúde física e autocuidado
• .

• O cuidado n pode ser encarado como uma atividade que


obrigatoriamente, cause efeitos negativos.

• Dentro da abordagem multidimensional do idoso, não há como


separar a atenção ao idoso da atenção ao cuidador.

• “Para se cuidar de alguém , e imprescindível estar bem cuidado”

• Estratégias para melhorar a sua qualidade de vida do cuidador


► capacitação,
► grupos de apoio,
► psicoterapia.
Quanto mais compreensão acerca do problema de saúde do paciente,
mais fácil e menos traumático e a tarefa de cuidar.
sentimentos nos cuidadores: culpa, isolamento social e fadiga
 Quanto tempo o idoso viverá nessa situação?
 Se ele precisar de ajuda e eu não posso dar?
 Se eu faltar, quem poderá me substituir?
 E se ele morrer nas minhas mãos?
 Pctes Demenciados ► situações de constrangimento para o
cuidador ► acusar injustamente de maus tratos, furtos e traições.
 Sentimentos de culpa, por não conseguir mudar o prognostico ou
melhorar a qualidade de vida .
 raiva de ter que abrir mão de outras atividades.
 cansaço físico e mental transformam o cuidador em um doente em
potencial: ↑ ou ↓ do peso, dores, distúrbios do sono, estresse .
 Síndrome de Burnout ► cuidadores de pacientes com DA
 Isolamento social: limitação da vida social, sobrecarga de
atividades, pelas mudanças nos relacionamentos familiares, e
no grupo de amizades.
 Dificuldades financeiras: ►problemas na realização de suas
atividades profissionais, redução da jornada de trabalho e
abandono do emprego, alem de lidar com as despesas do
paciente.

• Alguns cuidados são importantes para manter a saúde do


cuidador:
 A avaliação da sobrecarga dos cuidadores

 Escala de Zarit
 deve ser aplicada para o cuidador principal ► que mais ajuda a
pessoa idosa. A entrevistara devera ser feita sem a presença da
pessoa idosa .
 nem um pouco: O
 um pouco: 1
 Moderadamente: 2
 Freqüentemente: 3
 Sempre: 4

 Altos escores representam estresse dos cuidadores e nesses casos a


equipe deve discutir o planejamento assistencial.
• Referências Bibliográficas:

1- Cadernos de Atenção Básica Nº 19- envelhecimento e saúde


da pessoa idosa. Ministério da saúde. Brasília. DF. 2006.

2- Guia Prático do Cuidador. Ministério da Saúde, Secretaria de


Atenção à Saúde, Secretaria de Gestão do Trabalho e da
Educação na Saúde. – Brasília : Ministério da Saúde, 2009.2ª
edição.64 p. : il. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos)

3- Principios Basicos de Geriatria e Gerontologia. Edgar Nunes de


Morais .Belo Horizonte:Coopmed, 2008.

4 - Tratado de Geriatria e Gerontologia. Elizabete Viana de


Freitas & Lígia Py & Anita Ligeralesso neri & et al. 2ª edição,
editora guanabara koogan. 2009
• Funcionalidade Famíliar

• Para avaliar → APGAR de família,


• Desenvolvido em 1978, por Smilkstein, sendo
traduzido e validado para o contexto brasileiro
por Duarte, em 2001.
• um instrumento de triagem para detectar
famílias disfuncionais.
• O Estatuto do Idoso estabelece no artigo 3º:
• É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder
Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do
direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao
esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade,
ao respeito e à convivência familiar e comunitária.

• A família é um dos elementos centrais no cuidado do idoso.


• os profissionais que atuam no contexto da Estratégia Saúde da
Família, devem estar atentos à funcionalidade familiar, de modo a
planejar o cuidado direcionado às suas demandas.
• os gradientes de respostas são:
• sempre (2),
• algumas vezes (1)
• nunca (0),
• com uma pontuação final entre 0 e 10.
• indicando :

de 0 a 4 : elevada disfunção familiar;


5 a 6 : moderada disfunção familiar;
 7 a 10 : boa funcionalidade familiar.
• Bibliografia:

• 1- Cadernos de Atenção Básica Nº 19- envelhecimento e saúde da


pessoa idosa. Ministério da saúde. Brasília. DF. 2006.