Você está na página 1de 1

Estudo do Mapa Maynard Smith and Slatkin

Karina A. de FREITAS¹; Joelson D. V. HERMES²; Beatriz de F. P. Silva³; LEDIANE M. Moreira4


– Campus Inconfidentes, Inconfidentes/MG, e-mail:karinaaguiar50@gmail.com;
1IFSULDEMINAS
2IFSULDEMINAS – Campus Inconfidentes, Inconfidentes/MG, e-mail: joelson.hermes@ifsuldeminas.edu.br;
3IFSULDEMINAS – Campus Inconfidentes, Inconfidentes/MG, e-mail: biahsilva06@gmail.com;
4IFSULDEMINAS – Campus Inconfidentes, Inconfidentes/MG, e-mail: ledianemoreira@otlook.com

(𝑅−1) 1Τ𝛾
INTRODUÇÃO 2) Já para o segundo ponto fixo, X∗2 =
𝛼
, como resultado da inequação,
3 3
O que caracteriza os sistemas dinâmicos é a propriedade de não estar em obtemos - < R < -1 ou 1 < R > , mas novamente pela condição anterior,
2 2
equilíbrio, isto é, possuir estados que variam com o tempo. Quando acontece uma 3
mínima alteração em suas condições iniciais, o sistema reage exibindo um X*1 é assintoticamente estável para R 𝜖 1, .
2
comportamento específico chamado de resposta.
X
Para Aguiar (2005), os sistemas dinâmicos costumam ser utilizados para modelar e
fazer previsões de sistemas físicos, biológicos, financeiros, etc. O seu estudo
envolve a modelagem matemática, a análise e a simulação de sistemas físicos, tais
como os sistemas mecânicos, elétricos, hidráulicos, pneumáticos e térmicos.

De acordo com Ramos (2016), o mapa Maynard Smith and Slatkin é um mapa
unidimensional não linear discreto que descreve a dinâmica de populações
biológicas. Este tipo de mapa consegue ser descrito por mapeamentos dependentes
de parâmetros que controlam a sua dinâmica. A sua equação se resume a: R
𝑅 𝑋𝑛 Figura1: Diagrama de bifurcações do mapa Maynard Smith and Slatkin.
𝑋𝑛+1 = (1) 𝛼 = 1, 𝛾 = 6 𝑒 𝑋0 = 0,01 .
1+(𝛼 𝑋𝑛 )𝛾
X
no qual R, 𝛼 e 𝛾 são os parâmetros de controle e X uma variável.

OBJETIVO
Analisar as propriedades do mapa Maynard Smith and Slatkin e construir R
numericamente o diagrama de bifurcações se utilizando de um algoritmo em Figura 2: Diagrama do expoente de Lyapunov para o mapa Maynard Smith
linguagem fortran e também do simulador de gráficos Xmgrace. Além disso, and Slatkin. 𝛼 = 1, 𝛾 = 6 𝑒 𝑋0 = 0,01 .
pretende-se determinar os seus pontos fixos e fazer seu estudo de estabilidade,
além de definir o caos e periodicidade por meio do expoente de Lyapunov. Na figura 2, vemos o diagrama do expoente de Lyapunov, que nos auxilia a
melhor compreender a figura 1. Para valores de X negativos, o sistema é dito
periódico, para X positivo, o sistema édito caótico e, por fim, para X = 0, ocorre
RESULTADOS E DISCUSSÃO um ponto de bifurcação.

O diagrama de bifurcações foi construído tendo-se em vista que 𝑋𝑛+1 = 𝑓 𝑋𝑛 , no


qual n é um número natural. Levou-se em consideração uma condição inicial:
CONCLUSÃO
Expomos a equação do mapa Maynard Smith and Slatkin e construímos seu
𝑋1 = 𝑓(𝑋0 ), 𝑋2 = 𝑓(𝑋1 ), isto é, 𝑋𝑛 = 𝑓(𝑋𝑛−1 ) diagrama de bifurcações. Determinamos dois dos seus pontos fixos e fizemos o
(2) seu estudo de estabilidade. Além do mais, utilizamos o diagrama de lyapunov
Na Figura 1, vemos o diagrama de bifurcações do Mapa Maynard Smith and Slatkin. para destacar a periodicidade, o caos e os pontos de bifurcação.
Inicialmente, o comportamento do mapa é periódico, com bifurcações em alguns
valores críticos de R, mas depois o seu comportamento passa a ser caótico. O estudo desse mapa pode trazer benefícios para alguma aplicação futura da
sociedade, portanto, devido a tal importância, pretende-se fazer um estudo mais
Determinação dos pontos fixos (ou estados de equilíbrio): Tomando 𝑋𝑛+1 = aprofundado para utilização em um trabalho de conclusão de curso.
𝑋𝑛 = X e substituindo na equação 1, temos:

𝑅𝑋
REFERÊNCIAS
X= 𝛾
, logo, X + X(𝛼𝑋) − RX = 0
1+(𝛼𝑋)𝛾 AGUIAR, Marcus A. M. de. Sistemas Dinâmicos. Campinas: Unicamp, 2005. Disponível
em: <https://sites.ifi.unicamp.br/aguiar/files/2014/10/sistemas -dinamicos.pdf>.
(3)
Assim, através da equação 3,, conseguimos determinar dois dos pontos fixos:
RAMOS, Larissa Cristina N.; OLIVEIRA, Juliano A. de; LEONEL, Edson D. PROPRIEDADES
(𝑅−1)1Τ𝛾 DINÂMICAS NO MAPA MAYNARD SMITH AND SLATKIN. In: XVIII CONGRESSO DE
X ∗
1 = 0 𝑒 X∗2 = 𝛼
. INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UNESP, 2016, Bauru.

Para verificar a estabilidade linear desses dois pontos fixos, consideremos:


AGRADECIMENTOS
𝑑𝐹 𝑅 𝑅 𝑋 𝛾 𝛼 𝛼𝑋 𝛾−1
F’(X) = = − Ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas –
𝑑𝑋 1+(𝛼 𝑋)𝛾 1+ 𝛼 𝑋𝑛 𝛾 2
Campus Inconfidentes pelo auxílio financeiro.
𝑑𝐹 Ao NIPE – Núcleo Institucional de Pesquisa e Extensão IFSULDEMINAS –
Um ponto fixo X* é assintoticamente estável se < 1.
𝑑𝑋 X∗ Campus Inconfidentes pelo apoio às pesquisas e projetos do Campus.

1) Aplicando a derivada da função para o primeiro ponto fixo, X*1 = 0, e resolvendo a


inequação que se surge, obtemos -1 < R > 1, mas como R 𝜖 [0, 3], temos que X*1 é
Apoio:
assintoticamente estável para R 𝜖 0,1 .