Você está na página 1de 14

IMBRICAÇÕES E TENSÕES ENTRE O DISCURSO PEDAGÓGICO E O DISCURSO

ACADÊMICO NA LICENCIATURA EM LETRAS ESPANHOL

Doutoranda: Elíria Quaresma Fugazza

Orientador: Prof. Dr. Antonio Francisco de Andrade Júnior

Área de concentração: Estudos linguísticos neolatinos


Linha de pesquisa: Identidade, cognição e ensino de línguas neolatinas
Opção: Língua espanhola
• Introdução

» Objetivo

Demonstrar de que modo é possível fomentar, simultaneamente, no espaço das


disciplinas de Didática Especial e de Prática de Ensino, o letramento acadêmico
e o processo de formação de identidades docentes dos licenciandos do curso de
Letras Espanhol da UFRJ
• Dispositivo teórico

» Análise do Discurso, Letramento Acadêmico e Psicanálise

» Descentramento do sujeito como fonte do dizer → relações interdiscursivas → “o


sentido e o sujeito do discurso construídos em e por essas relações” (FANJUL, 2017,
p. 18)

» Discurso pedagógico: conjunto de práticas de reformulação que “produz um


discurso segundo, em função do ‘alvo visado’” (AUTHIER-REVUZ, 1999, p. 10) →
reescritura de um discurso fonte (D1) em um discurso segundo (D2)
» Letramento acadêmico: abordagem crítica da pesquisa em torno do ensino da escrita e da

leitura e do papel dessas práticas na construção do sentido e do conhecimento no contexto do

Ensino Superior (LILLIS et al., 2015).

» Prática institucional do mistério: interação monológica entre estudante e professor

universitários → negação e apagamento dos participantes reais da interação (LILLIS,

1998)
» Concepção lacaniana de que o sujeito é constituído pela falta, pelo vazio. As
narrativas do eu, nesse sentido, seriam parte essencial do processo de
subjetivação, numa tentativa de “esquecimento” do vazio constitutivo do sujeito,
que é “aberto a identificações múltiplas, em tensão com o outro, o diferente (...);
esse sujeito é, no entanto, suscetível de autocriação. Nessa ótica, a dimensão
simbólico-narrativa aparece como constituinte: mais do que um simples devir dos
relatos, uma necessidade de subjetivação e identificação, uma busca consequente
daquilo-outro que permita articular, ainda que temporariamente, uma imagem
de autorreconhecimento”. (ARFUCH, op. cit., p. 80)
• Metodologia

» Pesquisa-ação crítico-colaborativa (PIMENTA, 2005, p. 523): atitude de

investigação segundo a qual “os professores vão se constituindo em pesquisadores

a partir da problematização de seus contextos” (o que caracteriza a pesquisa-

ação), ao mesmo tempo em que criam uma cultura de análise das práticas

escolares realizadas (o que caracteriza a pesquisa colaborativa).


• Corpus

▪ Questionário de levantamento do perfil de letramento acadêmico dos licenciandos,

composto por 12 perguntas discursivas

▪ Entrevistas semiestruturadas realizadas com os licenciandos em momento posterior à

conclusão das regências de Espanhol dos mesmos

▪ Materiais elaborados pelos licenciandos para a realização das regências de Espanhol, isto

é, planos de aula e atividades pedagógicas


• Análise parcial

▪ Questionário
Gabriel: Não me sinto preparado, não por não saber o conteúdo, mas por não ter tido uma
explicitação maior, em termos de produção textual, de como produzir esses gêneros textuais.
Confesso que não sei, eu já fiz um plano de curso e um plano de aula e ficaram bons, mas é difícil
afirmar se estou preparado ou não, pois acho que isso é definido pela prática. (...) em relação aos
slides, eu me sinto muito preparado (acho meus slides muito didáticos e enriquecedores), em
relação aos materiais, eu não me sinto capaz de falar, pois não tenho experiência.

Camila: Não bem preparada, talvez apenas um pouco devido a não apresentação de certas
produções. Ex.: estou no 6º período e até então não havia feito um fichamento (...). Tive um bom
aproveitamento do curso de didática, assim, acredito que os mais exigidos na esfera pedagógica
estou preparada para realizar. Em relação a monografia, artigos, ensaios, relatórios/portfólios
representam um campo desconhecido até o momento.
▪ Entrevista

Camila: o Márcio não comentou nada comigo eh ele ele só tirou ponto e falou que era isso tirou ponto

e falou tirei ponto da sua fundamentação teórica

Elíria: hmm

Camila: e a Aline ela me falou olha eu peguei seu plano de aula eu vi que não era isso mas eu achei

que eu não deveria falar

Elíria: hmm

Camila: ela falou que era algo que eu deveria saber e como tava errado ela não ia falar ela falou de

outras coisas mas daquilo não


Gabriel: é aí aí ele queria que a gente colocasse isso eu falei que a gente não tinha tido nem na

prática de espanhol nem na prática de português a gente viu coisas de metodologias mas não tipo

eh teorias de metodologia sabe

Elíria: hmm

Gabriel: aí ele virou e falou assim mas você tem que saber aí eu falei assim mas professor hh eu

não sei aí ele me passou um texto e aí eu comecei a procurar textos pra poder basear porque

assim por que que eu usei a sociointeracionista porque era a que eu já utilizava em aulas de do

CNA
¿Cuál es el género textual del texto I?

( ) noticia
( ) resumen
( ) reportaje
( ) reseña

¿Cuál es el tema presente en el texto I?


¿La madre de James Fields sabía que su hijo iría a una marcha en aquel sábado? Si sí, ¿Qué ella pensó que se trataba la marcha? y,
en realidad, ¿de qué se trataba la misma?
………………………
Comente acerca del cambio en la expresión facial de la chica en la historieta, ¿a qué se debe ese cambio?
Ahora que ya hemos estudiado acerca del tiempo verbal pretérito pluscuamperfecto, haga lo que se pide:

Destaca el pretérito pluscuamperfecto en la historieta.


¿A qué se refiere el término destacado? ____________________________.
¿Cuál acción ocurrió primero y cuál ocurrió después a partir del término destacado:
……………………….
Conjuga los verbos entre paréntesis en pretérito pluscuamperfecto:

Pensé que no (reflexionar/tú) ___________ lo suficiente.


(…)
Arma las frases uniendo lo que sucedió “primero” y “después”. Guíate con el modelo

Modelo: visitar / ir – Ya había visitado otros países cuando fui a Brasil.

Acostarme / sonar a) Ya ____ ________ ____________ cuando _________ el teléfono.

(Plano de aula de Camila.)


Relaciona las columnas.

Vamos a hacer YO Va a jugar tenis
Voy a tomar TÚ Van a sacar fotos
(...)
Ejercicio II
Completa las frases con futuro inmediato. Usa la información que se presenta a seguir. Sigue el ejemplo.

venir esperar llevar vender viajar llamar cerrar

Dime, María, ¿por qué vas a vender tu casa? La ha comprado hace un año.
Pienso que Leticia no ____________ a la fiesta porque ese fin de semana ________ a la casa de sus abuelos, en el interior.
(...)
Juego - Formar frases:
En este juego, los alumnos se dividirán en dos grupos y cada grupo ganará un conjunto de palabras que formarán dos frases. Ellos
tendrán que juntar las palabras hasta que se formen las frases. Luego que la primer grupo termine la tarea, todos levantan las manos para
que se corrija las sentencias. Si el grupo forma correctamente la frase, gana el juego y el otro continúan la disputa. Si el grupo se equivoca,
todos continúan disputando.
Pienso / que / no / va / a / llover.
 Va / a / vender / los / dólares / que / tienes
(Plano de aula de Gabriel.)
• Uma reflexão...

“Eximindo-se de oferecer a todos explicitamente o que exige de todos implicitamente, quer


exigir de todos uniformemente que tenham o que não lhes foi dado, a saber, sobretudo a
competência linguística e cultural e a relação de intimidade com a cultura e com a
linguagem, instrumentos que somente a educação familiar pode produzir quando
transmite a cultura dominante. Em suma, uma instância oficialmente incumbida de
assegurar a transmissão dos instrumentos de apropriação da cultura dominante que não
se julga obrigada a transmitir metodicamente os instrumentos indispensáveis ao bom
êxito de sua tarefa de transmissão, está destinada a transformar-se em monopólio das
classes sociais capazes de transmitir por seus próprios meios (...) os instrumentos
necessários à recepção de sua mensagem e necessários para assegurar a essas classes o
monopólio dos instrumentos de apropriação da cultura dominante, e por esta via, o
monopólio desta cultura.” (BOURDIEU, 2013, p. 306-307)
REFERÊNCIAS

ARFUCH, Leonor. O espaço biográfico: dilemas da subjetividade contemporânea. Rio de Janeiro: Eduerj, 2010.

AUTHIER-REVUZ, Jacqueline. Dialogismo e divulgação científica. Rua, Campinas, v. 5, n. 1, p. 9-15, 1999.


Disponível em: http://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8640645/8193], acesso em 06/05/2016.

BOURDIEU, Pierre. Economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2013.

FANJUL, Adrián. A pessoa no discurso. Português e espanhol: novo olhar sobre a proximidade. São Paulo:
Parábola, 2017.

LILLIS et al. Introduction. In: Working with academic literacies: case studies towards transformative practice.
Parlon Press, 2015.

LILLIS, Theresa. Making meaning in academic writing: mature women students in higher education. 1998.
441f. Tese (Doutorado em Filosofia) – Sheffield Hallam University, Sheffield, 1998.

PIMENTA, Selma Garrido. Pesquisa-ação crítico-colaborativa: construindo seu significado a partir de experiências
com a formação docente. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 521-539, set.-dez. 2005. Disponível em:
http://www.scielo.br/pdf/%0D/ep/v31n3/a13v31n3.pdf, acesso em 02/05/2016.