Você está na página 1de 22

Direito das Organizações

Internacionais

Reconhecimento de Estado e Governo

Clívia Caroline R. C. do Nascimento


Diele Cláudia da Silva
Letícia Gomes Oliveira
Sylmara Carla Tavares Martins
Tayse Gregório da Silva
Convenção Pan-Americana sobre Direitos e
Deveres dos Estados (Montevidéu, 1933)

POVO
Território Governo
ESTADO = PESSOA JURÍDICA
INTERNACIONAL

Capacidade Finalidade
Conceito de Mazzuoli:
“O Estado é um ente jurídico, dotado de
personalidade internacional, formado de
uma reunião (comunidade) de indivíduos
estabelecidos de maneira permanente num
território determinado, sob a autoridade de
um governo independente e com a
finalidade precípua de zelar pelo bem
comum daqueles que o habitam”.
Recomendação da
-Possuir institutos democráticos ONU em 1950,
sobre outros
-Respeito aos direitos humanos requisitos para o
-Solução pacífica de conflitos reconhecimento de
um Estado
Reconhecimento do Estado e os
movimentos de independência
Formação dos Estados

Fundação direta;
Emancipação;
Separação ou desmembramento;
Fusão;
Por atos jurídicos, um Estado pode se
formar por:

uma lei interna;


um tratado internacional (Irlanda, 1921);
decisão de um organismo internacional
(Israel, 1947).
O Estado possui as condições necessárias para participar das
relações internacionais e que a sua existência não contrasta
com os interesses dos Estados que o reconhecem

Reconhecimento do Estado

O Estado como sujeito de Direito Internacional Público


Teorias para o Reconhecimento do
Estado

1. Teoria Constitutiva
2. Teoria Declaratória (art. 13 da Carta da OEA)

Ato voluntário Ato unilateral


ONU
Características do Reconhecimento

Formulação de pedido da parte interessada;

É ato unilateral, irrevogável e


discricionário.
Natureza Jurídica

Constitutiva Declarativa
Modalidades de Reconhecimento

 De jure;
 De Facto;
 Individual;
 Coletiva;
 Explícita;
 Tácita;
 Discricionária;
 Vinculada
Sucessão e Extinção dos Estados

• Convenção de Viena (1968)


• Diplomacia do Século XIX
• Transferência de direitos, obrigações, e/ou
propriedade
Reconhecimento de
Governo
• Mutação de Governo
• Violação Constitucional;
• Golpes;
• Revoluções
De facto

Governo

De jure
Legitimidade Interna

Legitimidade perante o D.I.P


a)Efetividade;
b)Cumprimento das obrigações internacionais do
Estado;
c)Democracia e eleições livres;
d)Novo governo conforme o Direito Internacional.
Efeitos do Reconhecimento

Relações diplomáticas;
Imunidade de Jurisdição;
Legitimidade em tribunal estrangeiro
Admissão da validade das leis e dos
atos de governo.
Doutrina Tobar
Carlos Tobar (Equador – 1907)

• Diminuir revoluções;
• Legitimidade constitucional;
• Princípio da Legitimidade
democrática;
• Teoria das Condicionalidades;
Doutrina Estrada
Genaro Estrada (México– 1930)

• Atos de ingerências;
• Princípios da não intervenção e da liberdade soberana;
• Resolução 2625 (XV) da Assembleia Geral da ONU;
• Opções do Estado Reconhecedor;
• Doutrina majoritária e o reconhecimento tácito;
• Assuntos internos do Estado.
Doutrina Rezek
Francisco Rezek

• Governo Efetivo;
• Concordância com Estrada;
• Reconhecimento expresso e seu desuso;
• Suspensão das relações diplomáticas = não
convalidação
REFERÊNCIAS
KELSEN, Hans.Teoria geral do direito e do estado tradução de Luís Carlos Borges . 3ª ed. São
Paulo: Martins Fontes, 1998.

REZEK, José Francisco. Direito internacional público: curso elementar-. 15. Ed. Rev. E atual. -
São Paulo: Saraiva, 2014.

VARELLA, Marcelo D. Direito internacional público. 4. Ed. - São Paulo: Saraiva 2012.

CASELLA, Paulo Borba - Manual de direito internacional público/ Paulo Borba Casella, Hildebrando
Accioly e G. E. Do Nascimento e Silva - 19. Ed., de acordo com o parecer da Corte Internacional de
Justiça sobre a independência do Kosovo, de 22 de julho de 2010. - São Paulo: Saraiva, 2011.

MELLO, Celso D. De Albuquerque - Curso de direito internacional público/ Celso D. De Albuquerque


Mello; prefácio de M. Franchini à 1. Ed. (ver. E aum.) - Rio de Janeiro: Renovar 2002.