Você está na página 1de 44

1

TUBULAÇÕES
Treinamento de segurança em vasos de pressão
TUBULAÇÕES
INSTALAÇÕES INDUSTRIAIS

2
CECAP - Centro de Capacitação Profissional
Definições

Tubos:
São condutos fechados, destinados principalmente ao
transporte de fluidos.
Tubulação:
É o conjunto de tubos e seus diversos acessórios.
Tubos Flexíveis:
São os mangotes ou mangueiras.

Em Inglês:
PIPE: termo usado para tubos cuja função é propriamente
conduzir fluidos.
TUBE: termo usado para tubos destinados primordialmente para
outras funções.

3
CECAP - Centro de Capacitação Profissional
Aplicações e Custo

Nas Indústrias de Processo:


- Distribuição de vapor para força e/ou para aquecimento;
- Distribuição de água potável ou de processos industriais;
- Distribuição de óleos combustíveis ou lubrificantes;
- Distribuição de ar comprimido;
-Distribuição de gases e/ou líquidos industriais.
Custo:
Em indústrias de processamento, indústrias químicas,
refinarias de petróleo, indústrias petroquímicas, boa parte das
indústrias alimentícias e farmacêuticas, o custo das tubulações
pode representar 70% do custo dos equipamentos ou 25% do
custo total da instalação.

4
CECAP - Centro de Capacitação Profissional
Classificação

5
CECAP - Centro de Capacitação Profissional
Aço Carbono
Aço-liga Principais Materiais
Aço Inoxidável
Ferrosos Ferro fundido
Tubos Ferro forjado
Metálicos Ferro ligado
Materiais
Ferro nodular
Plásticos
Tubos não
Cobre
Não Metálicos Cimento
Latões
Ferrosos Vidro
Cobre-níquel
Cerâmica
Alumínio
Elastômeros
Níquel e ligas
Barro
Metal Monel
vidrado
Chumbo
Tubos de Aço c/ Titânio
Revestimento Zircônio
A seleção e especificação do material mais adequado
para uma determinada aplicação pode ser um problema difícil
cuja solução depende de diversos fatores.
6
CECAP - Centro de Capacitação Profissional
Fatores de Seleção/ Especificação

Fluido conduzido – Natureza e concentração do fluido


Impurezas ou contaminantes; pH; Velocidade; Toxidez;
Resistência à corrosão; Possibilidade de contaminação.
Condições de serviço – Temperatura e pressão de trabalho.
(Consideradas as condições extremas, mesmo que sejam
condições transitórias ou eventuais.)
Nível de tensões do material – O material deve ter resistência
mecânica compatível com a ordem de grandeza dos esforços
presentes. ( pressão do fluido, pesos, ação do vento, reações de
dilatações térmicas, sobrecargas, esforços de montagem etc.
Natureza dos esforços mecânicos – Tração; Compressão; Flexão;
Esforços estáticos ou dinâmicos; Choque s; Vibrações; Esforços
cíclicos etc.

7
CECAP - Centro de Capacitação Profissional
Fatores de Seleção/ Especificação

Disponibilidade dos materiais – Com exceção do aço-carbono os


materiais tem limitações de disponibilidade.
Sistema de ligações – Adequado ao tipo de material e ao tipo de
montagem.
Custo dos materiais – Fator freqüentemente decisivo. Deve-se
considerar o custo direto e também os custos indiretos
representados pelo tempo de vida, e os conseqüentes custos de
reposição e de paralisação do sistema.
Segurança – Do maior ou menor grau de segurança exigido
dependerão a resistência mecânica e o tempo de vida.

8
CECAP - Centro de Capacitação Profissional
Fatores de Seleção/ Especificação

Facilidade de fabricação e montagem – Entre as limitações


incluem-se a soldabilidade, usinabilidade, facilidade de
conformação etc.
Experiência prévia – É arriscado decidir por um material que
não se conheça nenhuma experiência anterior em serviço
semelhante.
Tempo de vida previsto – O tempo de vida depende da
natureza e importância da tubulação e do tempo de
amortização do investimento. Tempo de vida para efeito de
projeto é de aproximadamente 15 anos.

9
CECAP - Centro de Capacitação Profissional
Rotina p/ Seleção de Materiais
1 – Conhecer os materiais disponíveis na prática e suas limitações
físicas e de fabricação.
2 – Selecionar o grupo mais adequado para o caso tendo em vista as
condições de trabalho, corrosão, nível de tensão etc.
3 – Comparar economicamente os diversos materiais selecionados,
levando em conta todos os fatores de custo.

Comparação de Custo
A comparação de custos deve ser feita comparando a relação
custo/resistência mecânica, resistência à corrosão ( sobreespessura de
sacrifício ), maior ou menor dificuldade de solda, maior ou menor
facilidade de conformação e de trabalho, necessidade ou não de
alívio de tensões.

10
CECAP - Centro de Capacitação Profissional
Definição de Tubo
(Especificação para Compra)

11
CECAP - Centro de Capacitação Profissional
Processo de Fabricação

Processo de Fundição

Ferro Fundido (Nodular)


Aços especiais não forjáveis
Concreto
Cimento-amianto
Barro-vidrado

12
CECAP - Centro de Capacitação Profissional
Processo de Laminação

13
CECAP - Centro de Capacitação Profissional
Processo de Extrusão

14
CECAP - Centro de Capacitação Profissional
Processo de Fabricação de
Tubos c/ Costura

15
CECAP - Centro de Capacitação Profissional
Diâmetro Comercial do Tubo de Aço

16
CECAP - Centro de Capacitação Profissional
Diâmetro Comerciais de Tubo de Aço

17
CECAP - Centro de Capacitação Profissional
18
CECAP - Centro de Capacitação Profissional
Tubulações industriais
19

TUBOS DE AÇO-CARBONO ( Chamados de uso


geral)
Tubulações industriais
20
Tubulações industriais
21
Tubulações industriais
22
Tubulações industriais
23
Tubulações industriais
24
Tubulações industriais
25
Tubulações industriais
26

ESPECIFICAÇÃO DE MATERIAL PARA TUBOS DE AÇO


Tubulações industriais
27
28
Tubulações industriais
29
Tubulações industriais
30
Tubulações industriais
31
32
Tubulações industriais
33
34
MATERIAL

Ferrosos - aço-carbono, aço-liga, aço inox, ferrro fundido e ferro nodular

Não ferrosos- cobre, latão, cobre-niquel, alumínio, chumbo

Plasticos -PVC, acrílicos, poliester, fibra (FRP), celulose

Não plasticos - concreto armado, cimento, barro, porcelana e vidro,

Tubulações revestidas internamente

Zinco, materiais plásticos, ebonite, vidro, porcelana, resina -epoxi, asfalto e borracha
ESPECIFICAÇÕES PARA TUBOS

Tubos de Aço carbono e Liga de aço


Os tubos de Aço carbono e liga de aço poderão ser utilizados para as classes de
pressão e deverão ser fabricados e testados de acordo com as regras da
Classificadora para material (NR 216 DNC).Ver slides 24
Tubos de Cobre e Liga de cobre
Poderão ser utilizados para as classes I e II, assim como as válvulas e acessórios de
acordo com as regras da Classificadora (NR 216 DNC). .
Tubos de Aço inoxidável
Poderão ser utilizados para as classes I e II, assim como as válvulas e acessórios de
acordo com as regras da Classificadora (NR 216 DNC). .
Ferro fundido nodular ou esferoidal
Pode ser utilizado até 350o C, para classe II e III, de acordo com as regras (NR
216 DNC).
3
ESPECIFICAÇÕES
TUBOS DE AÇO-CARBONO
ASTM-A-106 – Especificação para tubos de aço-carbono sem costura de 1/8” a
24” de diâmetro nominal, de alta qualidade, para uso em temperaturas
elevadas. Essas especificação fixa as exigências de composição química e de
propriedade mecânicas que o material deve satisfazer.
A especificação abrange três graus de material:

C% Mn % Si % Rupt Esco
Grau A (baixo carbono) 0,25 0,27 – 0,93 0,10 34 20
Grau B (médio carbono) 0,30 0,29 – 1,06 0,10 41 24
Grau C (médio carbono) 0,35 0,29 – 1,06 0,10 48 27
ESPECIFICAÇÕES
API-5L– Especificação do “American Petroleum Institute” para tubos de aço-carbono de qualidade
média. Abrange tubos de 1/8” a 36” de diâdmetro nominal, pretos, com ou sem costura.
GR A; C=0,22%, Mg=0,9%
GR B; C=0,30%, Mg=1,2 %

API-5LX – Especificação para tubos com e sem costura, fabricados com aço-carbono de alta resistência,
especiais para oleodutos.

ASTM-A-53 – Especificação para tubos de aço-carbono de qualidade média com ou sem costura de
1/8” a 24” de diâmetro nominal, para uso geral. Essa especificação fixa também as exigências de
composição química e de propriedades mecânicas que o material deve satisfazer. O aço-carbono por
essa especificação não é sempre acalmado. Os tubos podem ser pretos, isto é, sem acabamento, ou
galvanizados.

ASTM-A 312- Especificação para tubos de aço inox, com ou sem costuras principalmente para fluídos
corrosivos com temperaturas de até 455oC, podendo chegar até 650oC
ESPECIFICAÇÕES
ASTM-A-333 (Gr. P1) – Especificação para tubos de aço-carbono, sem costura,
especiais para baixas temperaturas. O aço para esses tubos tem um taxa de
carbono até 0,3%, e de manganês de 0,4% a 1,0%; é sempre normalizado para
refinamento do grão e é submetido ao ensaio de impacto “Charpy” a – 46oC.

Para o uso do gráfico


(1) ESPECIAL - Aumento da espessura, usar inibidor de corrosão, revestimento
interno com epox, ou uso de aço inox 410 ou 316
(2)- B1, B10, C2, E1, F1, G2, H1 (API 5L-GRB)
(3)- B9, C9, E9, F9 (API 5L-GRB)
VELOCIDADES RECOMENDADAS PARA TUBULAÇÕES

40
VELOCIDADES RECOMENDADAS PARA TUBULAÇÕES

41
Tubulações industriais
42

DEFINIÇÃO DE UM TUBO (Especificação para Compra)


DIÂMETRO NOMINAL
NÚMERO DE SÉRIE Ponta lisa
TIPO DE EXTREMIDADE Ponta chanfrada (especificada)
Ponta rosqueada (especificada)

PROCESSO DE FABRICAÇÃO (com ou sem costura)


ESPECIFICAÇÃO DO MATERIAL
TIPO DE ACABAMENTO OU DE REVESTIMENTO
Tubulações industriais
43

QUANTIDADE

- Normalmente indica-se a quantidade total em


unidade de comprimento ou em peso.A indicação
do comprimento da vara de tubo não é importante
porque pode haver variação, em função do
processo de fabricação
Tubulações industriais
44

TUBOS DE FERRO FUNDIDO


São usados para água, gás, água salgada e
esgotos, em serviços de baixa pressão , temperatura
ambiente e sem grandes esforços mecânicos.
ÓTIMA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DO SOLO
OS TUBOS DE MELHOR QUALIDADE SÃO FABRICADOS EM
MOLDES CENTRIFUGADOS
SÃO PADRONIZADOS PELO DIÂMETRO EXTERNO DE 2” A
48” COM AS EXTREMIDADES
Lisa
Flange Integral
Ponta e Bolsa