Você está na página 1de 73

Diagnóstico da criação de

animais silvestres no Estado


do Amazonas: Avanços,
problemas e Perspectivas
A utilização da Fauna
• Fauna Silvestre é o conjunto de animais que vivem
naturalmente, livres em ambientes naturais. Também
conhecida como fauna selvagem ou fauna nativa.

• Estes animais são utilizados desde que o homem deixou de


ser simples coletor e passa a fazer ferramentas e a caçar.

• Podem ter a seguinte utilização:


1) Uso direto: consumo de carne, couro, pele, penas, ovos
2) Uso Indireto:
a) Valor ecológico (dispersão de sementes, polenização,
controle de pragas)
b) Valor religioso (animais sagrados, zooteísmo)
c) Ecoturismo (safáris, parques de caça, safáris fotográficos,
hotéis de selva)
d) Valor Ético
VISÃO COSMOCÊNTRICA
Paleontologia, arqueologia e a
antropologia: Relação Homem x
Animal ocorreu por processo de
domesticação (fundamental na
própria evolução humana), no
Período Neolítico (10.000 a 7.000
a.C.)

Coletor e
Caçador

Agricultor
e criador

Desenvolvimento da vida social e


a divindade de animais como a
vaca, o gato, o macaco, o falcão..
- Aristóteles (Grécia): estudo e classificação dos animais
- Pitágoras e Plutarco: colocavam questões éticas

“Enquanto o homem continuar a ser destruidor dos seres animados dos


planos inferiores, não conhecerá a saúde nem a paz. Enquanto os homens
massacrarem os animais, eles matarão uns aos outros. Aquele que semeia
a morte e o sofrimento não pode colher a alegria e o amor” (Pitágoras).

“Que luta pela existência ou que terrível loucura vos levou a sujar as
mãos com sangue – vós, repito, que sois nutridos por todas as bernesses
e confortos da vida? Porque ultrajais a face da boa terra, como se ela
não fosse capaz de vos nutrir e satisfazer?”(Plutarco).

- O homem era considerado parte de um todo maior, não outorgando


portanto à espécie humana nenhum privilégio sobre as demais.
- Essa visão cosmocêntrica é assimilada por muitas religiões, como o
budismo e esta claramente presente nos ritos e mitos em torno da caça
praticada em várias culturas, diante da dolorosa contradição de que a vida
humana deve ser mantida ao preço da morte dos animais, por isso
oferecem uma compensação ritual e simbólica, expressando sua gratidão
por sustentarem a vida e não praticando a caça predatória.
VISÃO ANTROPOCÊNTRICA
Cultura Ocidental influenciada devido a
religião judaico-cristã e mais tarde do
desenvolvimento das sociedades
urbano - industriais capitalistas.

E Deus disse: “Produza a terra e as criaturas viventes, segundo a sua espécie:


gado e criaturas rastejantes e animais selvagens, segundo a sua espécie”. E
assim se fez...E viu Deus que isso era bom. Então Deus disse: “Façamos o
homem à nossa imagem, conforme nossa semelhança, tenha ele domínio sobre o
peixe do mar, e sobre os pássaros do ar e sobre o gado, e sobre os animais
selvagens, e sobre tudo o que rasteja na terra”. Assim Deus criou....e disse-
lhes: “Sede férteis e multiplicai-vois, preenchei a terra e subjugai-a, tende
domínio sobre tudo quanto é coisa via que se move na face da terra”.

* Historiador Keith Thomas (O homem e o mundo natural): explica como


essa visão foi interpretada para a afirmação da supremacia do homem
como espécie e introduziu na civilização Ocidental a idéia de um direito à
dominação sem limites ou quase sem contra partida de responsabilidade
com o mundo natural. Atualmente, teólogos renomados reafirmam o
perigo de interpretações apenas de parte da Palavra de Deus.
* Francesco Bernardone (São Francisco de Assis) contraria a postura
doutrinaria da Igreja ao afirmar uma fraternidade universal entre
todas as criaturas viventes na terra, contrariando colegas e
importantes teólogos, como Santo Agostino e São Toas de Aquino (e
mais tarde Descartes, séc. XVII, pai da filosofia racionalista moderna)

Possibilidade de domínio da natureza pelo homem,


Renascimento conhecimento científico, espírito do capitalismo que
começava a dominar a produção.

Leonardo da Vinci: “Tempo virá em que os homens humanos se


contentarão com uma alimentação vegetariana e julgarão a matança
de um animal inocente como hoje se julga o assassino de um homem”.

Migração maciça do campo para a cidade,


Revolução Industrial aumento da demanda alimentar.

Aumento da População** e Globalização da economia


Valores das Sociedades Urbano-industriais Capitalistas

Instituições denominadas Fábricas-Fazendas, onde as criações são


consideradas apenas como instituições econômicas lucrativas, sem
levar em conta as condições de sofrimento a que os animais são
submetidos.

Também é devido a esses valores que hoje evidenciamos os danos que


a exploração sem freios vem causando ao ambiente, além da ameaça
voltada a própria vida humana pelo progressivo esgotamento dos
recursos naturais.

Daí a necessidade de voltarmos a discussão


ética de relação homem-natureza
Criar cadeias produtivas de fauna silvestre é
uma idéia nova?
RELAÇÃO DO HOMEM COM OS
ANIMAIS PARA ALIMENTO
Extrativismo:
• Caça, pesca

Criação:
– Extensiva e
intensiva
• Por que a agricultura e pecuária prosperaram rápido
na Eurásia, e não tão rápido nas Américas e África?
A Floresta Vazia
-A manutenção da cobertura vegetal não garante, sozinha, a
presença da fauna.

-Redução indireta da Fauna


- Destruição de habitats
- Extração seletiva
-Redução direta
- Caça de subsistência
- Caça Comercial
ANIMAIS AMEAÇADOS DE EXTINÇÃO

CAUSAS QUE AMEAÇAM OS ANIMAIS:

1) CAÇA COMERCIAL E TRÁFICO DE ANIMAIS

2) DESTRUIÇÃO DA CASA DOS ANIMAIS (HABITAT)

3) CAÇA PARA CONSUMO

PRINCIPAIS ANIMAIS AMEAÇADOS NA AMAZÔNIA:


PEIXE-BOI, SAUIM DE COLEIRA, MACACO-BARRIGUDO, MACACO-
ARANHA, ONÇA PINTADA, ARIRANHA, GAVIÃO-REAL, GALO-DA-
SERRA, QUELÔNIOS
Potencial de Mercado:
- A África é o continente que apresenta o maior número de
habitantes dependentes da fauna. O consumo médio em
relação ao total de proteína animal representa 70-80%, ou
seja, 20 a 40 g/dia/pessoa.
- A pele e o marfim de um elefante valem em torno de
U$4.000,00
- A pele e o chifre de rinoceronte custam em torno de
U$80.000,00.
- O Quênia obtem em torno de U$30 milhões/ano com o
turismo de safáris.
- O Zimbabwe consegue cerca de U$5,70/ha com a exploração
extensiva da fauna (U$0,14/kg de carne silvestre X U$0,04/kg
de carne bovina).

-Nos países da América Latina, em especial, na Amazônia existe


uma grande tradição no consumo de carne de caça. Cerca de
85% da proteína consumida é oriunda de caça e pesca.
- Na Transamazônica, consumo=264 g/dia.
- A Argentina exporta U$90 milhões/ano de produtos de
animais silvestres (75% em peles e couro e 14.000
toneladas de carne/ano).
- Na Venezuela, a carne salgada de capivara custa
U$3,50/kg e o couro pode atingir até U$20,0/peça.
- Estima-se entre 30 a 50 mil capivaras abatidas por ano
na Venezuela (400 toneladas de carne)
- No Brasil, os maiores estados produtores de capivara
até a década de 70 eram : Mato Grosso (68.320
couros/ano) e Amazonas (15.179).
- Entretanto, estes números subestimados para o
Amazonas podiam chegar a 275 mil couros= U$0,15,
vendidos para França.
- A Lei No. 5.197 de 03/01/1967, ou Lei de Proteção à
Fauna proibiu a caça e comercialização da fauna que
passou a ser um Bem da União.
Comércio Ilegal no Amazonas:
- Animais Apreendidos: Quelônios (70%)
Primatas (8%)
Psitacídeos (6%)
Roedores (4%)

- A comercialização ilegal de animais silvestres para consumo tem crescido


: 6.996 animais/ano e 4.734 ton/ano. Nos últimos anos, aumento a
quantidade de carne de jacarés apreendida (25 ton/ano).

- Principais locais de apreensão: Manaus, Tefé, Manacapuru e Tapauá.


- Em Manaus, a carne é comercializada em todas as feiras, principalmente,
na zona leste (área mais carente). Animais preferidos nas
feiras:paca,tatu,iaçá.
- Preços médios:
a) Paca= R$4,00/kg
b) Tatu=R$3,50/kg
c) Tartaruga=R$6-10,00/kg
d) Tracajá=R$4-5,00/kg
e) Porcos do Mato e Capivara=R$4-6,00/kg
f) Ovos de tracajá=R$20-25,00/dúzia
Figura 03 – Anambé-
Figura 01 – Galo da Serra de-asa-branca
(Rupicula rupicula ) (Xipholena
Figura 02 – Coruja (Pulsatrix atropurpurea)
perspicillata)

Figura 04 – Arara Canindé (Ara ararauna)


Figura 05 – Galinha D’água azul
(Porphyrula martinica )
(Callithrix chrysoleuca) Tamanduá Mambira (Tamandua
tetradactyla )

Cuxiú-de-naris-
vermelho (Chiropotes Cairara (Cebus Macaco aranha (Ateles
albinasus) albifrons ) sp.)
Registro de Peixes-boi abatidos no Amazonas

700
646
600
500
433 Operação Vazante
400
N

300 289 Operação Peixe-


253 Boi/Proj. Pé-de-Pincha
200
100 87
117
0 13 7 9
47
17 18
1994
1995
1996
1997
1998
1999
2000
2001
2002
2

Ano
OPERAÇÃO “NÃO TIRE AS PENAS DA VIDA”:
Ação de monitoramento e controle da produção e comércio de artesanato com subprodutos da fauna
silvestre brasileira:

- 7 Reuniões com artesãos, comerciantes, FUNAI, FEPI, Agremiações folclóricas, etc.


- Divulgação com 500 cartazes, 500 folders, 30 faixas no Festival Folclórico de Parintins/2002;
- 29.398 peças identificadas e etiquetadas como de procedência indígena pelo IBAMA/FUNAI em
Parintins;
- 6.373 peças apreendidas em Manaus, com a estimativa de que para confeccionar essas peças foram
abatidos 1.041 animais, sendo destes 544 araras.

600 544
ARARA
500 PAPAGAIO
400 PERIQUITO
268 GAVIÃO
300
PIRARUCU
200 141 JACARÉ
100 COBRA
28 14 32 8
6 CAITITU
0
MACACO
1
1.1 ) Domesticacão dos Animais:

- o primeiro animal domesticado teria sido o cão, pelo Homem de Cro-magnon para
auxiliar em cacadas, no Paleolítico Superior ( 20.000 a.C.);

- o grande centro de domesticacão de animais foi a Ásia Central no Neolítico entre os


montes Elbruz e o Sul do Mar Cáspio. Esta fase é chamada fase primária onde foram
domesticados a ovelha, a cabra, o zebu, o jumento, o cavalo e o gato.

- Os achados da cidade de CataI Huyuk (7.000 a.C.), situada na atual mostram a


passagem do homem de cacador para criador. As mais remotas provas de cuidados
do homem para com a sobrevivência dos animais remontam a corte de Lagash, na
Suméria ( 2.800 a. C) onde Ulugadelin seria identificado como o primeiro veterinário
da história (TORRES, 1990).

1.2 ) Conceito de Domesticidade :

1.3 ) Potencial produtivo de Animais Silvestres:


Tabela 1: Animais silvestres com potencial econômico.
3) FASES DA DOMESTICAÇÃO

- Duest (1886) levantou a hipótese da domesticação dos animais ter


ocorrido entre 10.000 a 7.000 a.C. (Neolítico), na região da Ásia
Central e depois em áreas lacustres na Suíça, Mesopotâmia, vale do
Nilo.
- O primeiro foi o cão, depois a cabra, carneiro, boi, a seguir , na idade
do bronze, o cavalo.
- As fases da domesticação são:
a) Remota: Paleolítico superior (15.000 a 10.000 aC) – Cão
b) Primária : Neolítico (10.000 a 7.000 aC) – ovelha, cabra, zebu,
jumento, cavalo e gato
c) Secundária : Tempos históricos – porco, galinha, coelho,
dromedário,camelo, abelha, lhama e alpaca.
d) Atual :Avestruz, peru, cobaia, galinhola
Criação de Animais Silvestres

X
L D
E E
V
A F
N A
T U
A N
M A
E
N
T
O
Técnicas de Sobrevivência na Selva
Treinamento em técnicas de captura
Los concesionarios al hacer buen uso de la caza tendrían las siguientes ventajas;
La primera ventaja es que los animales no se van a acabar y van a ayudar a dispersar las semillas para el crecer árboles
maderables
La segunda ventaja es con un buen uso de la caza será mas fácil obtener la certificación de la madera para la concesión
La tercera ventaja es que si una concesión tiene una certificación podrá vender la madera a un mejor precio
Entonces, los concesionarios pueden tener un plan de manejo de la caza en concesiones forestales
que muestra sus logros y
este documento estaría llamado,
“Certificado de buen Uso de la Caza en Concesiones Forestales”
Criação de animais silvestres pelo mundo
Treinamento de técnicos especializados em fauna silvestre